História Como Yin Yang... - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Agatha, Alexy, Ambre, Armin, Bia, Castiel, Charli, Charlotte, Dakota, Debrah, Iris, Jade, Kentin, Kim, Leigh, Li, Lysandre, Melody, Nathaniel, Peggy, Priya, Professor Faraize, Professora Delanay, Rosalya, Senhora Shermansky, Thomas, Viktor Chavalier, Violette
Tags Amor Doce, Romantico
Exibições 28
Palavras 3.794
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Festa, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Querida? CHEGUEI! an an CHEGUEI!
demorou mas eu to de volta!!!!!!!!!!!!!
ta meio boxta o cap mas n liguem ok.
Agora vou parar de incomodar vcs.

Bj na teta esquerda e ate as notas finais.

Capítulo 6 - "feliz aniversário!"


Acordei com o despertador tocando. Levantei (pela primeira vez na vida) animada. Fui ate as cortinas e as abri. É meu aniversário, finalmente 18 anos.Ainda eram 5:30 da manhã, quem estaria animado a esta hora?

-Bom dia Sol! Bom dia dia! Bom dia liberdade!-eu dizia enquanto rodopiava pelo quarto. Eu já tinha liberdade antes, mas agora, era uma sensação diferente, como se agora isso fosse real. Fui ate o banheiro e me despi. Abri a torneira da banheira e deixei que enchesse. Fechei a mesma e adentrei a banheira num banho morno e gostoso.-Nada como começar o dia com um banho relaxante.-pensei por um tempo e....-Quer saber? Vou pintar o cabelo! Da minha cor favorita,AZUL!-sim, eu tenho sérios problemas mentais.

Terminei de pintá-lo, me lavei e sai da banheira me secando em seguida. Peguei uma roupa um tanto, diferente.Uma saia preta (sim, eu amo preto e azul) com cintura alta e que vai até metade das minhas coxas, uma uma blusa rosa de mangas logas escrito "Bad girl" em vermelho, uma meia-calça pink e, por fim, um salto alto preto.Passei uma maquiagem simples: um lápis de olho preto, rímel, fis um delineado de gatinho nos olhos e passei um batom vermelho vivo. Admirei por um instante minhas unhas pintadas em verde-água. Estavam lindas! Penteei meus cabelos, os deixando soltos, e segui para minha cômoda, onde se encontrava meu celular. Olhei a hora: 6:50. Minha irma já deve estar acordada. Fui até a porta do quarto dela dei três batidas leves.

-Vamos logo, não quero que nada de errado aconteça hoje!-disse suavemente com um sorriso no rosto.

-Tá bom.-ela abriu a porta do quarto e me abraçou-Feliz aniversário maninha!-retribui o gesto.

-Obrigado meu amor. Agora vamos logo! Não quero me atrasar!-falei, ela já estava vestida: um vestido branco com flores amarelas, um casaquinho jeans e uma sandália gladiadora marrom. Seus cabelos castanhos estavam soltos, presos apenas por uma tiara branca.

-Já tô pronta.

-Então vamos!-peguei-a pelo braço e a puxei até a cozinha, onde Bety se encontrava varrendo a sala.-Bom dia Bety!!-disse animada.

-Bom dia querida. Ah, e feliz aniversário.-a olhei com curiosidade, não tinha falado pra ela sobre o meu aniversário.-Sua irmã me contou.-ela estava com um sorriso de orelha a orelha.

-Obrigada.-sorri também e fui para a cozinha. Comi uma torrada com doce, tomei uma xícara de café e voltei para o quarto escovar os dentes. Peguei minha bolsa e desci as escadas onde Nina me esperava quase que impaciente.-Vamos?

-Já tava na hora!-fomos a pé para a escola, recebendo muitos olhares e cantadas de idiotas na rua.

Chegamos na escola por volta das 7:30. Rosa e Alexy já nos esperavam no portão.

-Ai miga, tu ta linda! Divando demais!-disse Alexy me abraçando-Feliz aniversário querida! Aliás, adorei a nova cor do cabelo.-ele alisou uma das mechas do meu cabelo.

-Obrigado purpurina!

-Agora é minha vez!-Rosa empurrou Alexy para o lado fazendo com que ele cambaleasse quase caísse.-Parabéns amiga!!!-ela gritou enquanto me abraçava.- Que você tenha muitos boys, inclusive o Castiel,-ela disse a última parte em um sussurro, oque me fez corar- muito dinheiro, felicidade, bebidas, baladas e etc.

-Tá, tá, tá. Agora vamos entrar? Eu tô cansando aqui sabia!-Nina disse.

-Ta bom.-falei.

Fui até meu armário onde Castiel e Lysandre conversavam ao lado, enquanto Nathaniel olhava alguns papéis em frente a porta do grêmio.

-Oi gente!-falei com um sorriso de orelha a orelha. Castiel quase pulou no meu pescoço quando me viu.

-Feliz aniversário, baixinha.-ele disse sussurrando o "baixinha", oque me fez arrepiar.

-Agora mudou o apelido? Em Curupira?-ele fez uma careta. Eu ri.-Oi Lys! Oi Nath!-acenei para os dois. Cast me soltou e me lançou um olhar furioso, mas logo depois sorriu. Lys me deu um abraço rápido.

-Parabéns. Você merece que este seja o melhor dia da sua vida.

-Tenho certeza que será!- Nath veio em minha direção e me abraçou fortemente.

-Feliz aniversário, Lola.-ele sussurrou me fazendo arrepiar e corar.

-O-obrigado.-ele deu um sorriso doce. Desviei o olhar. Ele me soltou e pude perceber Castiel com a cara fechada. Rosa e Alexy se entreolharam com sorrisinhos. Mostrei o dedo do meio pra eles.

-Bom, eu tenho que ajeitar alguns papéis. A gente se vê depois. Tchau.-ele me lançou um sorriso doce e me deu um beijo na bochecha, oque fez eu corar ainda mais, e entrou na sala. O ruivo saiu as pressas dali com uma expressão de raiva, suas mãos estavam fechadas em punho e seus passos eram largos, como se ele quisesse fugir. Corri ate ele e segurei seu pulso, que foi rapidamente puxado com um força que fez com que meu pulso estralasse.

-Ai!!! Meu Deus! Oque você tem?!-ele me olhou preocupado e com raiva ao mesmo tempo.

-Você ta bem?-ele estava muito preocupado.

-Eu é que deveria perguntar isso! Você sai sem falar um só palavra e depois faz isso? Porra Castiel! Não é minha culpa se ele fez aquilo! E tem outra, eu posso fazer oque eu quiser! Você não é meu pai e muito menos meu namorado! Caralho!-eu já estava praticamente gritando. Meus olhos marejaram. Me sentia triste por brigar com ele. Mas ele não tinha o direito de fazer aquilo.

-Eu só não gosto que ele...ele...-ele hesitou por um instante-Quer saber, eu não gosto que ele fique perto de você! Ta satisfeita?!-agora era ele quem gritava. Me assustei por um instante. Ele percebeu.-É, eu não gosto que ele fique perto de você! Ele tirou tudo de mim! Namorada, amigos...Tudo! Eu só...-ele abaixou a cabeça-Não quero te perder também.-falou quase como um sussurro. Me senti totalmente culpada pelo que fiz. Cheguei perto dele, mas ele se virou e saiu andando rápido.

-Cast...-ele já havia ido embora. Abaixei a cabeça e segui para o clube de jardinagem. Sentei em um banco qualquer e comecei a chorar. Por que estava tão triste? Ele é só meu amigo, amigos brigam,certo? Então por que estou assim?Será que...Não! Eles não podem estar certos! Eles não estão! Ouço alguns passos atrás de mim. Me viro bruscamente e me deparo com Castiel de cabeça baixa vindo em minha direção. Levanto e corro até ele lhe dando um abraço em seguida.Ele retribuiu afundando a cabeça em meu pescoço. Podia sentir sua respiração pesada sobe minha pele, fazendo meu corpo arrepiar. Comecei a acariciar seus cabelos.-Quer falar sobre isso?-perguntei calma.

-Me des...desculpa.-ele me apertou mais contra si.-Desculpa por ter sido um otário com você agora pouco. Eu queria que esse fosse o melhor aniversário que você já teve. Mas como sempre, eu estraguei tudo!-sua voz estava rouca, alguns pingos caíram em meu nariz. Olhei para o céu e vi que estava chovendo.

-Você não precisa se desculpar. Eu preciso, eu não sabia,ainda não sei, mais tudo bem.-ele riu.

-Sabe, eu queria te dar o seu presente.-ele se afastou e foi até a mochila. Revirou por um tempo e tirou uma caixinha retangular preta de veludo e me entregou.-Espero que goste.

Minha roupa já estava colada ao corpo, meu cabelo agora se encontrava todo molhado com algumas mechas coladas ao rosto. Eu continuei parada ali, apenas observando ele com a caixinha em mãos. Seu cabelo estava como o meu. Sua roupa agora delineava todos os seus músculos. Olhei para a caixinha e abri. Dentro havia um colar, aparentemente, de ouro com um pingente de violão preto, da mesma cor que o meu. O olhei confusa, ele deu um sorriso e se aproximou de mim.

-Não pense que eu não vi aquele seu violão embaixo da cama, mocinha. Só queria ouvir você tocar.-ele passou uma mecha do meu cabelo para de trás da orelha e me deu um beijo na testa-Então? Gostou? Se quiser eu posso trocar e...

-Eu amei.-dei um abraço rápido-Agora vamos sair daqui que eu já to toda molhada!-ele riu malicioso-Afe, deixa de ser idiota!

-Tudo bem baixinha.-ele pegou minha mão e me puxou para dentro do colégio até pararmos em frente a Rosa.

-Meu Deus menina! Oque aconteceu com você?!-ela quase gritava. As pessoas que passavam nos olhavam estranhos, só então percebi que ainda estava de mãos dadas com o Castiel, tentei soltar mas ele apertou mais, fazendo com que eu ficasse vermelha.-Vamos até a sua casa, ainda faltam vinte minutos.

-Mas, e a Nina?-perguntei.

-Ela e o Lys-fofo foram "passear". Ele falou algo sobre um encontro...-ela tomou uma expressão pensativa. Será? Ai meu Deus! Vou vomitar arco-íris!-Castiel, você leva ela?

-Claro!-ele me puxou ate sua moto, no estacionamento-Sobe.-subi na moto soltando sua mão. Seu toque....ele era tão bom. Ele me entregou um capacete(que surgiu do além) e colocou o outro. Saímos do estacionamento e ele me deu um aviso:-Se segura que eu vou bem rápido. Eu sei que você vai demorar mais de dez minutos, então...-ele pegou minhas mãos e passou em volta de sua cintura. Eu senti um choque percorrendo meus braços e um embrulho no estômago. Ele deu a partida e fomos. A chuva avia acalmado, apenas garoava.Eu sentia o vento acariciar meus braços e pernas delicadamente. O pingos de chuva escorriam pela viseira do capacete, embaçando a visão. Cast acelerou e eu apertei mais forte sua cintura ouvindo ele soltar um riso.-Eu avisei.-disse convencido.

-Besta.-eu sorri boba. Ele estava mexendo comigo, apenas eu não queria assumir. Mas conhecendo o Castiel, sei muito bem que ele só quer saber de farra e sexo. Sei também que ele já teve uma desilusão amorosa, uma que ele não me contou. Chegamos em casa e ele já foi entrando, meso sem pedir.-Ei, quem disse que você vai entrar?

-Primeiro, eu não vou ficar aqui fora no frio. Segundo, eu sei que você já ia me deixar entrar, porque eu sou seu melhor amigo.-convencido-E terceiro, a sua empregada, Bety não é? Eu gostei dela, quero conversar um pouco.-uma raiva tomou novamente meu corpo.

-Você entra, as vai ficar no meu quarto, preciso de ajuda pra escolher a roupa.-eu fechei a cara e entrei.

-ta bom, esquentadinha.-ele falou rindo.

Eu subi para o quarto seguida por ele. Entrei no closet e peguei uma roupa que, particularmente, eu achei muito linda. Um cropped cinza sem mangas com a estampa de 17 na frente, uma saia preta comprida e um tênis cano alto vermelho. Deixei as roupas em cima da cama, onde estava Castiel, e fui ao banheiro apenas com minhas roupas íntimas. Tomei um banho rápido e coloquei minha lingerie preta com bolinhas brancas. Penteei o cabelo e passei maquiagem. Quando me viro para a porta, vejo Castiel me olhando de cima a baixo com minhas roupas em mãos. No instinto, me encolhi e tapei os seios, corada.

-CASTIEL!-ele estava...corando?

-Eu....é....me desculpe. Eu só ia colocar sua roupa aqui, já que sei que o box tem o vidro escuro. Por favor, me desculpa!-ele falou mais rápido que o Eminem. Peguei minhas roupas, o empurrei para fora do quarto e tranquei a porta. Me vesti numa rapidez incrível e saí, como se nada tivesse acontecido. Ele não estava mais lá. Peguei minha bolsa e observei a caixinha preta que estava em cima da cama, o colar que Castiel me deu. Abri a caixinha e peguei o colar. Desci e vi Castiel sentado no sofá com as mãos na cabeça murmurando algo que eu não pode compreender. Me aproximei dele e ouvi:-Porra Castiel! Ela é sua melhor amiga! Seu otário! Eu sou um otário! É isso que eu sou!

-Você não é um otário.-ele me olhou assustado.-Relaxa. Põe pra mim?-mostrei o colar em minha mão.

-C-claro.-ele se levantou e pegou o colar. Eu levantei o cabelo para que ele prendesse. Quando sua mão esbarrou em meu pescoço, um arrepio me percorreu a espinha. Mas não era ruim, pelo contrário, era bom, muito bom.Ele prendeu o colar e saiu em direção a bancada, onde se encontravam a chave da moto  Bety, que estava apoiada na mesa fazendo pressão nos seios fazendo com que parecessem maiores, e para quem ela estava fazendo isso? Óbvio que para o Castiel! Mas ele nem deu bola, pegou a chave e saiu.-Vamos?

-Vai indo lá que eu vou falar umas coisinhas com a Bety.-ele assentiu e saiu.-Bety minha querida!-falei irônica.-Bom, eu só vou falar uma vez, então presta atenção.-eu fechei a cara-Para de dar em cima do Castiel, porque se você fizer isso de novo, eu vou pendurar a sua cabeça na frente de casa no Halloween.-ela me olhou assustada e engoliu em seco. Eu saí com um sorriso vitorioso no rosto.

-Vamos logo que só faltam 2 minutos!-ele falou em tom de alerta.-Aliás, oque você queria falar com a Bety?-coloquei o capacete.

-Só resolvendo uns probleminhas aí.-subi na moto e abracei a cintura de Castiel.-Vamos?-ele não respondeu e acelerou. Chegando lá o colégio já estava vazio.-Mas que merda! Nem no meu aniversário eu consigo chegar no horário!

-Ei, relaxa. Não é tão ruim assim.-ele passou um dos braços em volta do meu pescoço.

-Ah é? E qual o lado bom disso?-eu fiz bico.

-Você passou mais tempo comigo e já conseguiu uma cabeça para o Halloween.-me espantei com oque ele disse. Ele tinha ouvido nossa conversa?-Eu só ouvi a última parte O.K?-suspirei aliviada.

-O.K.-chegamos na sala e entramos. Todos nos olharam. Tirei o braço dele do meu pescoço e segui para o meu lugar de sempre, ao lado de Nina, mas, ele já estava ocupado por Lysandre. Sorri ao pensar que os dois poderiam estar juntos. Sentei na carteira de trás  seguida por Cast.

-Vocês estão atrasados. 2 minutos.-a professora disse.

-Meu Deus! O mundo vai acabar por causa disso!-eu disse fazendo drama.-Ah vai se foder vai!

-Senhorita, pra direção, agora!-Castiel me olhou com reprovação e orgulho ao mesmo tempo. Me aproximei de seu ouvido e sussurrei:

-Me espere. Eu já volto.-me levantei e sai da sala. Andei pelo colégio por um tempo depois voltei pra sala.-Ela não me deu suspensão. Só uma bronca.-a professora assentiu e eu sorri maldosa.

-Oque é que você foi fazer senhorita Lola?-Nina perguntou assim que eu sentei no meu lugar.

-Fiquei andando pelo colégio por um tempo e depois voltei.-falei dando de ombros.

-Você não tem jeito mesmo né?-ela disse rindo. ela se aproximou de mm e vi Cast olhando para as pernas dela. Dei um tapa em sua cabeça.-O Lys me chamou pra sair.-ela sussurrou. Em minha boca se formou um perfeito "O".

-Sério?

-Sim.

-Meu Deus! Vou vomitar arco-íris!

-Mas não fala pra ninguém. Pelo menos por enquanto.

-Posso falar pra Rosa?

-Ela já sabe e o Alexy também.

-E o Cast?

-Pode contar.-me aproximei do ruivo e sussurrei em seu ouvido:

-Ruivo, o Lys chamou a Nina pra sair.

-Sortudo.

-Ei!-dei um tapa em sua cabeça.

-Oque foi? Ta lokona de pão de queijo?

-Não pense que eu não vi você olhando pras pernas dela! Seu tarado!-ele me puxou para um abraço-Me solta Castiel.

-Eu não olhei pras pernas dela. Eu olhei para o desenho que esta na parede, atrás dela. Mas confesso que olhei pras suas.-eu corei.-Principalmente agora que sei como elas são.-sussurrou em meu ouvido, me fazendo arrepiar. Dei outro tapa em sua cabeça.-Ei!

-Besta.-ele me soltou.

-Tá bom, esquentadinha.

[...]

As aulas acabaram, finalmente! Sai da sala apressada, seguida por Nina, Castiel, Rosa, Alexy e Lys. E ali, eu vi, a pior pessoa que eu já conheci. Andei rapidamente na direção dele, que segurava um buque de flores e uma caixa vermelha com formato de coração. Assim que me viu, sorriu. Minhas mãos fechadas em punho. Passos largos. Olhos marejados, mas ainda assim, a expressão fechada. Parei em frente a ele. Braços cruzados. Mãos suadas. Pernas trêmulas. A  raiva e a tristeza dividindo espaço. Por que ele tinha que voltar? Logo agora que estava tudo bem. Por quê?

-Oi pequena. Sentiu minha falta?-falou sorrindo. Como ele pode ser tão cínico?

-Nunca.-respondi seca.-Oque você quer aqui Felipe?

-Nossa.-falou impressionado.-Toma, de aniversário.-ele me esticou o buquê e a caixa, que percebi ser de chocolates. Peguei. Ele se ajoelhou e me lançou um sorriso. Retirou uma caixinha negra pequena do bolso e a abriu, dentro havia um lindo anel dourado com uma pequena pedra brilhante.-Volta comigo pequena.-todos estavam nos olhando.

-Não vai dar. Tô namorando.-ele riu.-Do que está rindo seu idiota?

-É que, eu fico imaginando quem seria este namorado. Eu não sei se você percebeu, mas, em sua vida inteira, eu fui o único menino bonito que você namorou.

-Como você é tolo. Eu poderia ficar com quem eu quisesse! Eu nunca te falei dos meninos que tinham pedido pra namorar comigo.-joguei as flores no chão e o chocolate em sua cara.-Você é ridículo. Vou te mostrar quem é meu namorado.-me virei para Cast que estava do meu lado e o beijei. Ele se assustou no momento mas logo relaxou. Pôs as mão em minha cintura me puxando para mais perto. Pediu passagem para sua língua e eu dei. Nossas línguas exploravam cada canto da boca um do outro, pude sentir um gosto suave de menta, que deu um gostinho de quero mais. Ele terminou o beijo com uma leve mordida em meu lábio inferior.

-Você é louca.-sussurrou com um sorriso no rosto. Olhei para o lado e vi Felipe com uma cara de taxo. Me soltei e fui até ele, que ainda estava ajoelhado, me abaixando para ficar na sua altura.

-Agora você sabe como é ser humilhado em público. Só mais uma coisa:-dei um tapa em sua cara, que deixou seu rosto vermelho.-Nunca, repito, nunca mais olhe na minha cara ou sequer fale comigo, a não ser que você queira sua cabeça pendurada na varanda da minha casa no Halloween.-seu rosto empalideceu, ele me olhou assustado. Levantei rapidamente.-Vamos, pessoal?-disse para meus amigos. Saímos deixando uma multidão de alunos que riam e um garoto assustado para trás. Eu comecei a rir.

-Menina, desde quando você é assim? Que ameaça foi aquela?-Rosa disse pirando.-A única arte boa disso tudo foi a do beijo.-eu parei de rir imediatamente e corei.

-Por falar nisso, m-me de-desculpa C-Cast.-eu falei evitando seu olhar.

-Relaxa. Até que a estressadinha não beija mal. Ia chamar de tábua, mas não posso mais.

-Porque não?-Alexy falou.

-Cast!-bati em sua cabeça e pus a mão em meu rosto, tentando evitar a vermelhidão.-Eu vou te matar Castiel!

-Oque aconteceu?-Rosa e Nina falaram juntas me olhando com cara de reprovação.

-Depois eu conto beleza?-fale.

-Ta bom.-falaram juntas novamente.

-Opa! Chegou!

-Não vai adiantar nada, a gente vai ficar aqui mesmo.-Alexy falou.

-Afe, sem graça. Vocês não querem pegar suas coisas e se mudar de vez?

-Partiu!-Cast falou. Olhei ao redor procurando Nina e Lys, não os encontrei.

-Gente,-todos voltaram a atenção para mim.-cade a Nina e o Lys?

-Não sei.-falou Alexy.

-Também não.-Rosa disse.

-Eles devem ter saído por aí. Acham mesmo que eles iriam querer ficar no meio da muvuca?-perguntou Cast. Eu estava um pouco preocupada e criando paranoias na cabeça.

-Mas, e se eles foram sequestrados?! E se o meu padrasto encontrou a Nina e a sequestrou então o Lys foi atrás?! Meu Deus, eu não devia ter tirado a atenção dela!

-Ei! Relaxa. O Lys com certeza é mais forte que o seu padrasto. Além de ser super responsável. Relaxa Lola.-Alexy falou.

-É. Se ela fosse sequestrada ou não, o Lys-fofo já deve ter salvo ela. Relaxa O.K?-disse Rosa.

-Mas só pra ter certeza eu vou ligar.-entrei em casa e sentei no sofá, logo em seguida entraram Alexy, Rosa e Castiel. Peguei meu celular e disquei o número de Nina. Em dois toques ela atendeu:

Ligação: on

-Alo?

-Alo o caralho! Onde você tá menina?! Sabe como eu tô preocupada?!-eu disse quase gritando, ou melhor, eu estava gritando.-Eu já tava achando que você tinha sido sequestrada menina!

-Ei, ei. Calma garota! Eu e o Lys estamos só tomando sorvete.Não estávamos afim de escutar o papo de vocês. Mas eu ainda quero saber oque aconteceu na escola.

-Passa pro Lys.

-Você não vai brigar com ele né?

-Passa logo!

-Ta bom.-fez-se silêncio por um instante-Oi Lola!

-Olha aqui Lys, eu espero que vocês tenham um ótimo motivo pra terem saído assim, do nada.

-Pera aí Lola. Ni, eu vou ali fora m pouquinho tá?-ouviu-se um "tá" ao fundo-Eu vou pedir ela em namoro. Posso?

-Tá bom, isso é um bom motivo.  Pede, mas não abusa não ta!

-O.K! Pode deixar!-respondeu entre risos. Eu sorri ao pensar na reação dela.

Ligação: off

-E então?-perguntou Rosa animada.

-Ele vai pedir ela em namoro.-eu e Rosa começamos a dar gritinhos estéricos.

-Parem de gritar meninas e vamos trocar essa deusa grega.-disse Alexy segurando minha mão e fazendo eu dar uma voltinha.

-Partiu! Mas pra quê?-perguntei.

-Hoje você vai pra balada!-disse Rosa correndo em direção as escadas.-Vem logo!

Subimos as  escadas deixando Castiel sentado no sofá.

Nina: on

-Então, oque ela queria?-peguntei para ele que sentava na cadeira à minha frente.

-Broncas.-rimos.

-Minha irmã é meio louca. Com o tempo você se acostuma.-rimos novamente.

-Sabe, eu queria te levar num lugar...especial.-falou me deixando curiosa.

-Aonde?

-Não vou te falar, vou te mostrar. Mas, para isso, você precisa por esta venda.-ele estendeu uma fita preta em minha direção.

-...-hesitei um pouco antes de falar, mas eu confio muito no Lys-Tá.

-Espere um pouco O.K.

-O.K.

Ele foi até o caixa e pagou os sorvetes, que ele havia insistido muito para que pagasse. Quando retornou pegou minha mão delicadamente e me levou até o carro.

-Feche os olhos, por favor.-fiz oque ele me pediu e logo senti o pedaço de pano tapar a meus olhos. Ouvi ele abrindo a porta do carro.-Tome cuidado ao entrar.-ele me guiou até o banco e fechou a porta, logo após, abriu a outra porta e entrou.

-É muito longe?

-Não muito. Quer que eu ligue o rádio?

-Sim.-ele ligou o rádio e começou a tocar "O nosso santo bateu"-Obrigado.

Passaram-se uns 15 minutos, mais ou menos, até que ele parasse o carro. Assim que saí, com a ajuda dele, pude sentir uma leve brisa acariciar meu rosto e ouvir o som de água. Estávamos na praia. Me pergunto oque tem de tão especial na praia.

-Deixe-me tirar a sua venda.-senti suas mãos desatarem o laço que havia sido feito na tira.

Demoraram alguns segundos para eu me acostumar com a claridade, mas quando vi...Não acreditei. Ele estava mesmo fazendo isso? Senti as pernas tremerem e os olhos se enxerem de lágrimas. Na areia, onde não havia ninguém, estava escrito "Namora comigo?" em letras grandes, logo abaixo, havia uma margarida, minha flor preferida. Eu o olhei. Os olhos encheram, e pude sentir algumas lágrimas saindo involuntariamente.

-E então?-ele se joelhou e pegou uma de minhas mãos.-Quer ser a minha julieta?-achei graça daquilo, ele utilizou oque havia dito a ele hoje mais cedo.

-Lys, desculpe.-ele me olhou incrédulo.-Desculpe mas você vai ter que me aturar pro resto da vida!-o abracei fortemente, ele retribuiu surpreso.

-Eu te amo Nina.

-Também te amo Lys.


Notas Finais


Oin zente, tou eu aq de volta. Espero que tenham gostado dessa melação no final.*vomitando arco-íris*

bjs na bunda e até o próximo cap.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...