História Comodidade - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Piece
Personagens Roronoa Zoro, Sanji
Tags Dia Dos Namorados, Presentinho Pra Mim Mesma, Zosan
Visualizações 365
Palavras 1.401
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Só uma coisinha de leves pra não passar batido <3

HEEEEEEY!
A história está marcada como +18, mas é só pq ta com gênero yaoi. o/ Infelizmente não dá pra marcar um sem botar o outro ¯\_(ツ)_/¯

Capítulo 1 - A paciência faz o monge, ou nem tanto


 

 

Zoro chegou em casa desnorteado. Sem nem tirar os sapatos, seguiu para o sofá onde se sentou e ficou pensativo. Naquele dia mais cedo tinha saído num encontro com sua atual namorada – se é que podia classificá-la assim visto que nenhum dos dois fizera questão de nomear aquelas saídas sazonais – e não sabia dizer exatamente como o clima tranquilo do começo virou uma tempestade depois. Quando estavam indo a caminho de um hotel para finalizar a noite, Monet quis antes ter uma conversa séria que, de alguma forma, chegou ao nome de seu amigo de longa data, Sanji.

Fazia um tempo que tinha percebido que a simples menção do nome do loiro parecia deixar Monet desconfortável, mas nunca imaginaria que um dia discutiriam sobre ele. Quer dizer, ela lançou umas acusações estranhas e sem fundamento sobre coisas que Zoro não entendeu – ou talvez não conseguisse entender – muito bem. Contudo, o que mudou definitivamente o fim daquele encontro foi a fatídica pergunta:

"Quem é mais importante: eu ou Sanji?"

A resposta veio quase de prontidão e sem pestanejar Zoro respondeu:

"Sanji."

Monet lhe deu um olhar magoado e com tom de quem estava conformada, disse que a resposta não a surpreendia tanto assim e com um sorriso triste se despediu. Algo na despedida lhe soou como se dessa vez ela não fosse ser tão breve como das outras vezes. Talvez nunca mais voltassem a sair daquela maneira.

Zoro mirou o tapete distraidamente. Porque ela tinha lhe feito escolher entre o namoro e seu amigo? Sanji era uma parte bastante importante de sua vida, fora ele que o ajudara quando teve um caso severo de depressão e também o apoiara em muitas outras situações. Nele tinha encontrado uma importante amizade que valorizava muito, como poderia se desfazer dela assim?

O som da porta se abrindo e fechando logo em seguida o despertou do devaneio, não demorando muito a avistar um homem loiro de franja caída sobre um dos olhos emergir do pequeno corredor que antecedia a sala.

"Zoro? Achei que iria ficar o dia todo com a Monet... Por que estava olhando para o nada?" Perguntou Sanji enquanto passava rápido para ir deixar as sacolas pesadas das compras na cozinha.

Por um momento Zoro se perguntou do porquê de Sanji estar em sua casa se sabia que ele não estaria ali, mas não se demorou muito pensando nisso. Sanji tinha cópias das chaves da sua casa há anos e não era surpresa aparecer quando bem queria. Aliás, o nível de intimidade deles dispensava explicações para várias pequenas atitudes do dia-a-dia. Suspirou levantando-se e alcançou Sanji a tempo para tomar-lhe as sacolas pesadas e ele próprio ir deixar sobre a pia da cozinha.

“Tomei a liberdade de fazer umas comprinhas pra sua geladeira já que ela estava meio vazia." explicou, pegando os itens nas sacolas e guardando cada coisa no seu devido lugar. Conhecia aquela cozinha tanto como a sua própria, portanto não via dificuldade alguma naquela atividade.

Zoro resmungou um tudo bem enquanto se encostava numa bancada, desabotoando as mangas da camisa social que vestia. Retirou o relógio e o botou sobre a mesa.

"Já jantou?" Sanji observou o menear da cabeça do amigo. "Bem, eu também já jantei e estava planejando ver um filme."

"Desde que não seja outro filme de romance como o último..."

Sanji sorriu para ele, mas não retrucou sua exigência. Em silêncio o loiro retirou uns potinhos do armário e outros da geladeira, distribuindo sobre a bancada ao lado da pia. Depois pegou um pedaço de carne já previamente separada das compras e começou a tempera-lá.

"Monet terminou comigo." falou de súbito, ainda com as questões levantadas pela sua ex-namorada horas atrás na cabeça.

Sanji ergueu uma sobrancelha sem desviar o olhar da carne que preparava.

"Hm, essa até que durou muito..." disse, pensativo. "Não se preocupe, marimo, ela quem saiu perdendo. Agora me passa o pote de pimenta-preta que está naquele armário ali e vai botar uma roupa confortável enquanto termino isso e faço pipoca."

Rolando os olhos, Zoro sorriu ao entregar o tal codimento nas mãos habilidosas do outro homem. Ficou observando ele temperar e em seguida guardar a carne dentro de uma vasilha com tampa para por dentro da geladeira. A companhia de Sanji lhe era tão natural quando piscar, então não conseguia compreender o porquê de Monet ter ficado tão insatisfeita com isso. Afinal, ela mesma devia ter alguém como Sanji em sua vida que valorizava muito.

Depois de dar um tapa na bunda do loiro que se sobressaltou e lhe soltou desaforos, Zoro foi para o quarto trocar de roupa. Quando voltou para a sala – dessa vez vestindo uma calça moletom azul e uma camiseta velha de banda desconhecida que tinha ganhado do seu tio hippie – encontrou Sanji já sentado no sofá-cama estendido com um pote de pipoca do lado e segurando o controle da televisão.

“O que você escolheu dessa vez?”

“Direi apenas que é um filme relativamente velho.”

Zoro se acomodou do outro lado – o que não havia pipoca – já imaginando que seria um romance. Dito e feito. Era de fato um romance, embora ao menos dessa vez envolvesse comédia também. Mas o que se podia esperar de um viciado em romances como Sanji? Com o passar dos anos ele tinha se acostumado com esse tipo de filme, apesar de não ser fã do gênero.

Em dado momento, quando resolveu pegar um pouco de pipoca para si, seus dedos acabaram tocando o fundo vazio do pote. Até tateou um pouco a área, mas só conseguiu sujar os dedos com um pouco de sal que havia sobrado por ali. Sanji já tinha comido tudo? Mirou o loiro, desacreditado.

“O que foi?” Sanji indagou com falsa inocência.

“Guloso.”

Sanji deu de ombros, voltando a prestar atenção ao filme que continuava a passar e foi nessa hora que Zoro percebeu o quanto os pelinhos do braço do outro estavam eriçados.

“Está com frio?”

“Um pouco. A temperatura parece que caiu muito, não é?”

Zoro não estava sentindo tanto assim, visto que não era de ter sensibilidade ao frio, mas logo tratou de arranjar uma manta macia, envolveu o próprio corpo e afastou as pernas para Sanji se acomodar ali. E claro que Sanji foi de prontidão, se acomodando como um passarinho no ninho. Apoiando as costas no peito do Roronoa e com os braços quentes se ajustando ao seu redor, Sanji não poderia ter pensado em uma posição mais confortável para ver um filme naquele friozinho.

Zoro, por outro lado, já tinha se esquecido completamente sobre as acusações que achara tão sem pé nem cabeça mais cedo, e ficou apenas se concentrando em tentar não dormir até o final da comédia romântica. Depois, quando relembrasse das palavras de Monet, ele acabaria começando a perceber que havia um sentimento diferente de amizade quando se tratava de Sanji, mas até lá, seu único pensamento era provar dos bolinhos de chocolate amargo que ganhara naquela manhã. Sanji nunca esquecia de presenteá-lo naquela data.

*

Por volta da meia-noite o celular de Nami começou a apitar, informando a chegada de umas cinco mensagens consecutivas. Franzindo o cenho, leu as mensagens enquanto afastava a cabeça de Luffy de sua perna já dormente do peso.

“Quem é?” perguntou Vivi ao seu lado, antes de levar uma enorme colherada de cobertura de chocolate para a boca.

“É Sanji. Parece que Zoro já terminou com a namorada de número 37...”

O garoto que estava deitado no chão alisando a barriga alta de tanto que tinha comido, colocou a mão no queixo ficando pensativo.

“Era aquela que gostava de passarinhos?”

Nami assentiu.

“Não sei porque ele não fala logo pra Zoro que gosta dele. Seria bem mais prático do que esperar que aquele cabeça de mato perceba por si só. Tô começando a achar que ele é um masoquista sentimental...” Nami comentou enquanto Vivi estendia a colher com mais uma porção de cobertura para ela. Contudo, antes que pudesse provar do doce, Luffy roubou a colher e enfiou na própria boca.

Nami revirou os olhos. Na sua próxima ida ao templo iria rezar pela agilidade no relacionamento daqueles dois. Ela nem estava diretamente envolvida, mas já não aguentava tanta enrolação.

Eles eram irritantemente acomodados.

“Sanji foi um santo em outra vida para ter tanta paciência assim.”

E lá se ia mais um dia dos namorados desperdiçado pelos dois idiotas. Eles realmente se mereciam.

 

 


Notas Finais


Também foi um presentinho pra mim mesma já que meu niver foi dia 7. E nada melhor do que escrever sobre o OTP! Já estava com saudades deles aosidjaiosdjasdioj

Bem, é isso. Bjins


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...