História Company - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber, Sarah Hyland
Personagens Justin Bieber, Pattie Mallette, Personagens Originais, Sarah Hyland
Exibições 41
Palavras 2.812
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Adorei escrever esse capítulo para vocês 😍😍 Espero que gostem. Bem vindas leitoras novas

Capítulo 12 - 12- Esclarecendo


Fanfic / Fanfiction Company - Capítulo 12 - 12- Esclarecendo

Três dias depois

Justin Bieber POV

Eu não falei com Sarah por três dias porque me sentia envergonhado ao extremo. Porra ela tinha namorado e eu estraguei tudo mas droga foi tão bom, aquele beijo, aquele toque. Nada disso saia da minha cabeça, todos os momentos, o gosto de seu beijos, seu toque quente, e jeito que nossos corpos se encaixavam. Droga, porque tinha que ser assim.

Por algum momento eu até esqueci de Selena o que foi muito bom porque daqui em diante eu não queria mais se quer pensar em Selena Gomez e no mau que ela me fez. E agora meus pensamentos estão em Sarah, ela não é modelo, nem atriz, nem cantora mas conseguia ser mais bonita que qualquer outra garota, com seu jeito simples me dando vinho barato naquela noite dividindo uma pizza. Fiquei imaginando que, se nós namorássemos nós teríamos feito amor até de manhã, teríamos nos conectados. Droga preciso parar com isso o mais rápido possível.

Eu tinha uma consulta com Sarah hoje e eu não sabia com que cara apareceria lá, da última vez umas simples tentativa de beijo fez ela me ignorar totalmente e até desmarcar a minha consulta mas hoje não teve nada parecido com isto e eu não posso negar que estou nervoso demais para olhar Sarah porque eu me lembrarei do beijo automaticamente. Eu já me encontrava na sala de espera e suava nervoso, droga Sarah é tão linda que fica difícil não sentir algo. E eu ainda fui otário o suficiente para pedir uma chance. Não que ela não fosse digna mas se alguém sonhasse que eu e ela estávamos nos relacionando seria um inferno para ela então tetaria deixar as coisas o mais possível escondido de todos até que a bomba estoure.

-Senhor Bieber, Doutora Hyland irá ve-lô agora -A secretária disse e eu me levante indo para o consultório já conhecido por mim

Quando entrei a primeira coisa que notei foi que ela tinha pintado o consultório. Agora ele era branco com um tom de rosa bem claro que deixou tudo bem mais calmo e quebrou o contraste de tudo aquilo. A segunda coisa que reparei era que Sarah estava de costas para mim observando o que tinha lá fora.

-Oi -Disse mordendo os lábios, ela me encarou e tinha um sorriso pequeno no canto dos lábios.

-Oi -Isso estava sendo pior do que eu tinha em mente

-Acho que já podemos começar -Disse e me deitei no divã como sempre, ela se sentou em sua cadeira branca abtual e então começou

-Como se sente hoje Justin?

-Nervoso -Fechei os olhos

-Nervoso? Porque? -Perguntou

-Bom, eu fiz uma coisa que não deveria com uma garota e não sei como me desculpar -Abri os olhos e lhe encarei -Mas o pior é que eu não me sinto culpado porque foi tão bom -Olhei seus olhos e pude ver ela suspirando

-Justin... -Me repreendeu

-E eu estou louco para fazer novamente, acho que eu estou enlouquecendo de vez Doutora -Seus olhos tinha um brilho incrível mas logo se fecharam mordendo os lábios

-Então faça -Disse

-O que? -Perguntei surpreso agora me sentando

-Faça o que quer fazer Justin -Repetiu e eu não pensei duas vezes antes de me levantar e lhe beijar

E foi exatamente como na outra vez, minha língua procurou pela sua com pressa e logo as mesma se encontraram acalmando meu coração que batia forte dentro de mim. Ela se levantou ficando a minha altura então pude sentir seu corpo junto do meu. Apertei sua cintura fina, ela usava um jaleco, uma calça branca que parecia ser social e um cropped preto com saltos azuis. Droga estava tão bonita. Minhas mãos entrelaçavam em seus cabelos a puxando o mais possível para mim. Procurei pelos botões do jaleco o abrindo com um pouco de dificuldade e em dois minutos ele estavam em nossos pés.

Ela estava tão bonita naquela roupa, lhe caia muito bem. Chupei sua língua logo depois precisando de ar. Sua atitude seguinte me chocou um pouco e não vou negar, eu adorei. Suas mãos me empurraram direto no divã então eu recuperava o ar, ela se sentou no meu colo enquanto minhas duas mãos alisavam suas costas, o beijo se tornou mais lento e nossos atos mais exitantes, ela estava sentada bem em cima do meu pênis, era uma área perigosa. Fechei os olhos e inclinei a cabeça para trás sentindo seus lábios em meu pescoço, ele dava pequenos beijos e deixava sua língua brincar por ali sentindo alguns chupões sem seguida.

Suas mãos entraram por dentro de minha camiseta e suas unhas passaram por ali me deixando arrepiado. Tombei a cabeça para trás sentindo todos seus carinhos na minha pele, queimando pelo contato. Afastei ela levemente e tirei meu casaco puxando ela para mim novamente chupando seus lábios com força, me aconcheguei debaixo dela levantando uma perna a deixando confortável em cima de mim. Minha ereção já era notável dentro da minha calça e conseguia sentir ela roçar em mim vez ou outra entre os beijos. 

Apertei suas coxas fazendo a mesma se sentar de uma vez em cima de mim. Sarah arranhou com força meu abdômem e eu tenho certeza que aquilo vai ficar a marca mas não me importei. Toquei a barra de seu cropped e o subi um pouco e não fui repreendido de tal ato, então o tirei lhe deixando apenas de sutiã, parra olhas esses peitos! Mordi os lábios e senti seus lábios nos meus novamente. Apertei um de seus seios, ela não tinha peitos do tamanho do mundo mas porra, era perfeitos. Ouvi seu resmungo entre o beijo e depois um pequeno barulho.

Beijei seus ombros subindo para seus pescoço. Seu sutiã preto dava contraste na sua pele clara. Dei um chupão perto de seu seio que amanhã ficaria a marca na certa e ela me olhou com um olhar bravo mas depois abriu um sorriso. Fiz menção de abrir seu sutiã, minhas mãos estavam no feixe e era só eu abrir para poder realmente sentir seus seios.

-Eu posso? -Falei baixo beijando seu queijo descendo até chegar em seus ombros, ví ela morder os lábios devagar

-Pode -Sussurrou e enterrou a cabeça em meu pescoço envergonhada

Abri seu sutiã devagar e o passei por seus braços o tirando por completo deixando o mesmo ir parar no chão. Abracei seu corpo com cuidado acariciando suas costas com as pontas dos dedos, senti seu corpo se arrepiar.

-Vire de costas para mim baby -Sussurrei

Ela ficou confusa mas fez o que eu pediu, se sentou de costas para mim. Me aproximei dela por trás e toquei seus dois seios deixando minhas mãos ali então comecei uma série de beijos por suas costas observando as reações que seu corpo tinha com meus toques. Foi ali que eu me liguei que já estávamos a um tempo ali dentro.

-Sarah, temos que ir, tem mais gente la fora, daqui a pouco alguém bate aqui -Disse me afastando dela um pouco

-Você está certo -Ela disse que começou a se vestir, ajudei a mesma a colocar suas roupas e logo ela estava apresentável novamente

-Passa lá em casa hoje a noite? Eu faço um jantar para gente -Convidei

-Você fazer? -Sorriu duvidando

-Se prepare para o melhor jantar -Sorri -Tenho que ir baby, até mais tarde -Lhe dei um abraço calmo -Essa foi a melhor consulta que tivemos -Sussurrei em seu ouvido

-Até mais tarde, Bieber -Ela sorriu

...

Sarah Hyland POV

Era muito errado eu não estar me sentindo uma completa vadia por quase ter transado com Justin? Aquilo me fez sentir sensações que Otávio nunca me fez sentir e foi tão bom sentir Justin daquela forma. Falando desse jeito até pareço aquelas adolescentes que se sentem confusas e era exatamente dessa forma que eu estou, confusa. Justin me fazia sentir sensações jamais sentidas antes, meu coração disparava só em estar perto e olhar seu sorriso e depois que provei de seus beijos e de seu toque eu me viciei, era tão bom e não parecia tão errado assim. Eu estava traindo uma pessoa que confiava em mim e o pior de tudo é que eu não me sinto nem um pouco culpada de ter feito isso. A sensação era boa demais.

Peguei meu celular e disquei o número da minha mãe, ela poderia me ajudar neste momento. Tocou algumas vezes até que ela atendeu

-Oi filha, tudo bem? -Pude ver ela com um grande sorriso bem na minha frente, sorri também

-É mãe, tudo bem. Podemos sair e tomar um café? -Perguntei

-Hum, o que está acontecendo minha pequena? -Sorri

-Melhor falar pessoalmente, mãe -Disse

-Você não está grávida né Sarah? -Já perguntou afobada, gargalhei

-Não mãe, não envolve nenhum bebê -Ri

-Certo, tenho um tempo agora então daqui há uns vinte minutos te encontro naquela cafeteria perto da revista tudo bem? -Olhei a hora, quatro e quarenta, a cafeteria era meio longe do meu trabalho

-Tá, vou tentar não me atrasar

-Tchau filha, eu te amo -Sorri

-Até mais mãe, eu também amo você -Disse e desliguei

Me apressei em pegar minhas coisas e colocar meu blazer, porque tenho certeza que lá fora está bem frio, e logo estava dirigindo pelo caos de NY em pleno horário de 'pico'. Com cinco minutos de atraso eu consegui chegar e encontrar minha mãe esperando em frente a cafeteria observando algo no celular

-Oi mãe -Lhe dei um beijo e um abraço apertado, por mais que eu já fosse grandinha eu sempre sentia falta da minha mãe por perto

-E ai querida? Vamos entrar e eu quero que me conte o que esta acontecendo, você está com uma ruguinha de preocupação no meio da testa querida -Dei risada

Pegamos uma pesa pequeno no canto, longe da porta e do frio que ela trazia. Pedi uma xícara de café forte com açúcar e um pedaço de bolo de laranja enquanto minha mãe ficou com apenas um capuccino

-Pode começar e não me esconda nada -Sorriu deixando o celular em cima da mesa

-Bom, é uma longa história mas eu vou tentar resumir, bom eu e Justin nos tornamos amigos nesse meio tempo sabe? Ele é adorável e até ai tudo bem, mas droga, eu começei a ver ele com outros olhos -Disse lhe encarando vendo sua expressão divertida -E ai acabamos nos envolvendo -Suspirei

-Hey, não há nada de errado em gostar de uma outra pessoa filha, você é jovem e tem o direito de se apaixonar quantas vezes quiser antes de encontrar a pessoa certa. Como fica Otávio nessa história? -Perguntou

-Bom, eu fiquei com Justin duas vezes mãe e me dói um pouco dizer isso mas Justin me fez sentir coisas que Otávio não conseguiu em um ano mãe! Eu devo estar ficando louca, ele é famoso, imagina como viraria uma loucura? -Estava dizendo aquilo mais para mim do que para ela

-Então porque não deixa Otávio livre para viver a vida dele filha? Não precisa dizer o que aconteceu para sua decisão seja terminar tudo, mas o deixe livre assim a sua consciência não vai ficar pesada e será mais fácil de você ter algo sólido com Justin -Nossos cafés chegaram naquele momento

-Eu sei, mais eu tenho medo. Medo de ficar com Justin e dar tudo errado e eu ficar na pior no final e com Otávio ralmente não está essa maravilha toda mas me da mais segurança -Bebi um pouco do café

-Então converse com Justin sobre isso, sobre tudo que sente e sobre suas inseguranças filha, tudo dará certo mas para isso acontecer você tem que tomar logo suas decisões -Sorriu

-É, você está certa mãe, obrigada -Sorri

-Mãe é para essas cosias pequena -Sorriu

Algumas Horas Depois

Lá estava eu, tomada banho e com uma maquiagem leve feita e cabelo arrumado em um coque bagunçado e despojado. Tirei mais uma roupa do cabide a observando, parecia que hoje nenhuma roupa estava boa, bufei. Acabei optando por um cojunto, sai branca com o cropped branco também e um salto branco com uma bolsa vermelha. Passei um pouco de perfume e vi que já era quase oito horas, meu celular apitou e vi uma mensagem de Justin ali "Estou te esperando, baby"

Sai de casa com calma e hoje, por incrível que pareça NY estava calma e não tinha trânsito então cheguei rápido na casa de Justin. Os seguranças já me conheciam e me deixaram entrar sem problemas, tudo parecia muito calmo. Um dos seguranças abriu a porta para mim e disse que Justin me esperava e que ele mesmo estacionava ao carro, agradeci e fui até a porta tocando a campainha.

Justin abriu a porta sorridente, ele estava muito bonito, usava uma calça preta e algum tipo de sapato social também preto com uma camiseta branca e uma camisa dobrada até os cotovelos em um tom de azul bem claro quase puxando pelo cinza, sorri grande para ele.

-Se eu soubesse que você estaria tão linda eu teria me arrumado mais -Sorriu me dando espaço para passar

-Você também não está nada mal -Brinquei

-Eu sou lindo e um gostoso Hyland -Gargalhei alto

-Esqueceu do super modesto -Lhe encarei rindo

-Claro, claro mas devo dizer que você está maravilhosa Sarah -Sorriu e saiu me puxando pela mão pela casa como se eu não soubesse o caminho

Chegamos na cozinha, que estava com um pouco de louça na pia, e me sentei em uma das cadeiras do balcão deixando minha bolsa de lado. Justin me serviu um tipo de vinho tinto que era doce, parecia ser caro pela garrafa, ele se sentou ao meu lado fazendo "tim tim" com as taças

-Então, o que o mestre cuca fez para mim essa noite? -Sorri sentindo o cheiro de seu perfume de longe, One Million foi sentido de longe pelo meu olfato

-Fiz costela ao forno com molho e salada com frango gratinado com arroz -Sorriu

-Uau, isso sim é um mestre cuca! Espero que esteja muito bom porque eu estou com fome -Lhe dei um empurrãozinho

Me lembrei por um instante do que minha mãe tinha me dito, para conversar com Justin soobre o que estava me incomoando e me deixando confusa. Mordi os lábios observando o olhar de Justin em cima de mim

-Podemos conversar na sala? -Perguntei, agora lhe encarando

-Claro, vamos lá sweet -Andou na minha frente passando pelo extenso corredor até chegarmos a sala, meu salto ecoava por toda a casa

Chegamos na sala e eu me sentei confortávelmente no sofá, ele se sentou ao meu lado passando o braço pelo meu ombro. Daquela maneira pude sentir seu perfume mais forte, funguei em seu pulso que estava perto do meu nariz

-Estou confusa -Comentei

-Com o que sweet? -Senti sua mão tocar meu ombro apertando o mesmo quase fazendo uma massagem

-Sobre nós -O encarei mordendo os lábios, seus olhos tinham um brilho lindo

-Certo -Assentiu

-Estou com medo de dar tudo tão errado Jay, droga, você me fez sentir em dois beijos o que Otávio não conseguiu em um ano inteiro -Repeti para ele as mesmas palavras que tinha dito mais cedo para a minha mãe -Nós nos beijamos, e eu gostei e eu não me senti uma vagabunda depois de ter traído Otávio, mas dorga Justin! Você me faz sentir coisas que ainda são desconhecidas por mim -Fechei os olhos abraçando seu corpo

-Hey baby, qualquer decisão que você tome sobre nós ou Otávio vai estar tudo bem, eu sempre vou estar com você da mesma forma que sei que você vai estar comigo. Você me fez sentir coisas boas e ainda está fazendo Sarah, você é maravilhosa pequena. Não precisa ter medo -Sorri de olhos fechados

-Eu tenho medo de não ser o sufíciente para você e acabar com tudo, medo de deixar Otávio e não dar certo com você e eu acabar, no fim, de coração partido -Sussurrei a última parte, Justin levantou meu rosto com calma fazendo eu olhar em seus olhos

-Eu nunca quebraria seu coração Sarah, ele vale a jóia mais preciosa do mundo ou até mais baby, eu sei que deve ser difícil toda essa situação para você, ter que se arriscar com algo incerto já que você tem uma coisa 'certa' mas eu queria tanto chamar você de minha garota baby -Sorri e ele devolveu

-Isso é tudo muito novo para mim, Otávio foi o meu primeiro namorado Justin e isso me deixa ainda mais confusa -Suspirei

-Demore o tempo que precisar Sarah, você não precisa dizer nada agora ou amanhã, tudo vai dar certo pequena -Acariciou meu rosto

-Você é uma pessoa muito especial para mim Justin -Acaricie seus cabelos

-E você pra mim sweet -Se aproximou e me beijou, partimos o beijo com alguns selinhos

-Podemos comer? -Perguntei

-Yeah Baby -Disse animado se levantando


Notas Finais


Isso é tudo pessoal ❤ Vou tentar voltar logo. Alguma teoria sobre o Otavio ou quem ela vai escolher? Haha


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...