História Completamente Sua - Capítulo 1


Escrita por: ~ e ~PriscilaSM

Postado
Categorias The Originals, The Vampire Diaries
Personagens Davina Claire, Klaus Mikaelson
Tags Davina Claire, Hentai, Klaus Mikaelson, Romance, Sexo, The Originals, The Vampire Diaries, Tvd, Universo Alternativo
Visualizações 17
Palavras 1.301
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá meus amores, mais uma fic no ar o/

Novamente uma fic com o amor das nossas vidas, Klaus Mikaelson ♥ HAHA' Acho que o Klaus enraizou, né? :P ♥

Bem, tenho (quase) certeza de que vão amar essa fic. Pelo menos eu espero que sim!

Bem, vamos ao capítulo então...

Capítulo 1 - Capítulo 1- Namorada de Aluguel.


POV Davina.

- Como é?- Perguntei chocada a minha tia depois do que ela sugeriu.

 

- Sim, seria a solução perfeita para a sua situação Davina.- Ela disse.

 

Suspirei. Ótimo, Johnny me deixou em um bela de um enrascada. Minha tia, Isobel, tem uma empresa que ela agencia modelos e acompanhantes de aluguel. Eu estou trabalhando aqui com ela porque meu sonho é ser modelo, e ela me paga bem e consegue trabalhos legais. Não sou conhecida, nem nada, mas por enquanto ajuda. As acompanhantes, claro, ganham BEM mais, mas eu nunca pensei em ser uma, até porque perco autonomia da minha vida, de certa forma. Não pensei, pelo menos, até Johnny me deixar sem opção.- Tudo bem então. O que vou fazer, não é mesmo? Estou sem opções.

 

- Não é tão ruim Davina. E você só vai transar se quiser.- Ela disse.

 

- Isso está totalmente fora de questão. Pode até tirar do contrato a cláusula “se ela quiser”.- Já ficava tonta imaginando que por um ano passaria pelas “mãos” de doze homens diferentes. As acompanhantes ganham 50 mil por mês, mas minha tia disse que por eu ser virgem, poderá cobrar mais. Agora minha virgindade rende dinheiro, pelo menos isso. 100 mil por mês deve manter aquele desgraçado longe do meu pai. Ainda teria que me encontrar com ele para falar disso.

 

- Não vou. Quando você conhecer os clientes muito provável mudar de ideia.- Ela disse.

 

- Tia, eu sou virgem e não pretendo perder minha virgindade com um desconhecido, muito obrigada.- Suspirei.- Você vai cuidar da Hope, não é?

 

- Claro que vou. Sempre estive junto de vocês, não é?- Ela questionou.

 

Assenti. Agora com meu pai em coma no hospital, sem sabermos se teria sequelas, Hope só tinha a mim e minha tia. Pelo menos com esse dinheiro fico livre do Johnny e depois, além de voltar a trabalhar de verdade, tenho economias. Guardo grande parte do meu salário como modelo numa poupança.- O contrato.

 

- Pare de agir como se fosse a pior coisa que você pudesse fazer Davina.- Ela pegava o contrato.

 

Suspirei. Ela nunca entenderia mesmo. Depois de assinar o contrato, minha tia disse que colocaria fotos minhas no site e ligaria assim que um cliente me quisesse. Sai dali e entrei em um táxi para ir para o hospital. Hope estava lá com as enfermeiras. Pedi esse favor hoje. Cheguei no hospital e antes de entrar, peguei meu celular e liguei para Johnny. Teria que fazer isso cedo ou tarde.

 

- Oi gostosa.- Ele atendeu.

 

Revirei os olhos.- Cem mil por mês.

 

- Calma linda. Você poderia resolver isso mais fácil sendo minha.- Ele disse.

 

- Cem mil por mês e começo mês que vem. Onde te darei o dinheiro?- Perguntei.

 

- A gente marca e se encontra.- Ele disse.

 

Desliguei o celular e suspirei. Esse cretino filho da puta. Ele mandou os “capangas” dele baterem no meu pai até ele apagar, em outras palavras, entrar em coma. Ele era um cretino mesmo, sem escrúpulos nenhum. E fez isso só porque recusei transar com ele. Ok, depois acabei descobrindo que ele é de gangue e essas coisas. Não sei direito ainda, mas ele é gente da pesada. Eu tenho uma sorte, que vou dizer. Entrei no hospital e fui para onde deixei Hope com as enfermeiras.- Hey.

 

- Dav.- Ela sorriu.- Estava mostrando a Geni os meus desenhos.

 

Sorri e fui até ela, me abaixando na sua altura. Não que isso fosse super difícil, sou tão baixinha quanto um smurf.- Eles são lindos, não são?- Perguntei a Genevieve.

 

- Demais. Acho que temos um talento de verdade aqui.- Genevieve disse.

 

Sorri e beijei Hope no rosto.- Vamos ir ver o papai?

 

- Vamos!- Ela respondeu animada.

 

Sorri para Genevieve agradecendo e peguei Hope pela mão, levando-a para o quarto onde nosso pai estava. Suspirei quando cheguei na porta. Ele estava completamente imóvel e parecendo sem vida ali. Peguei Hope no colo para ela vê-lo e dar um beijo nele como sempre fazia.

 

- Quanto tempo ele vai ficar dormindo assim?- Ela perguntou.

 

- Não sei meu amor, espero que por pouco tempo.- Os médicos diziam que ele estava bem clinicamente. Já fazia quinze dias desde do ocorrido, e ele estava bem, só que não acordava. Os machucados pareciam menores, mas até ele acordar não saberíamos das sequelas e talvez nem tivesse. Estou torcendo para que não tenha.

 

- Tô com saudade.- Ela disse.

 

- Eu sei, eu também.- A abracei e beijei seus cabelos.- Agora vamos, vamos passar no MC Donalds e comprar lanches.

 

- Vamos e eu quero o brinde novo.- Ela disse.

 

Sorri.- Ok.- Saímos de lá e fomos comprar os lanches, e depois fomos para casa. Comemos, tomamos banho e agora estávamos no quarto do papai, que era onde nos sentíamos mais perto dele, vendo filme e tomando chocolate quente. Agora, depois de duas horas de filme, ela dormiu e fiquei pensando em como diria para ela que passaria muito tempo longe dela.

 

 

POV Klaus.

 

Isso era maluquice do meu pai, só pode. O segui até o escritório dele.- Como assim vou ter que arrumar alguém? Não sou obrigado a namorar ninguém.

 

- A imprensa já está falando e comentando. Você não precisa largar sua vida de farra, mas pelo menos contrate alguém para fingir ser sua namorada por pelo menos seis meses. Acho que ai vão calar a boca.- Meu pai disse no seu tom de voz mais tranquilo.

 

- E o que a minha vida tem a ver com a imprensa? Dane-se eles.- Respondi irritado.

 

Ele mexeu no notebook.- Aqui. Encontrei esse que parece muito bom e profissional. Escolhe uma.- Ele deu o notebook para mim.

 

- Não vou escolher nada pai. É a minha vida isso, não um negócio.- Disse.

 

Ele suspirou.- Tudo bem então, é a sua imagem, você que sabe.- Ele saiu da sala.

 

Até parece que ia fazer algo assim. Eu tinha 26 anos e fazia o que bem queria, dane-se a imprensa. Sério, nunca me importei, mas a minha família era importante e famosa e minhas saídas estavam começando a dar a ideia se éramos sérios no que fazíamos, o que é um absurdo, nossa empresa era uma das maiores do país. Minimizei a página que meu pai botou e olhei as notícias sobre mim; todas era, sobre onde eu estava, o que estava fazendo e com quem estava. Até mesmo em notícias sobre a empresa eu saia como o filho irresponsável, bêbado e até quem sabe drogado da família. Que porra era essa? Eu me matava de trabalhar e era isso que saia? Seus filhos da puta vou fazer vocês enfiarem  essas notícias no rabo. Ah, se vou. Voltei a página que meu pai colocou e dei uma olhada. Para ser bom tinha que ser cara de boa moça, doce e sutil. Algumas eram lindas, mas tinham um ar mais maduro, e eu queria algo mais... Epa, espera. Voltei ao anúncio que tinha acabado de colocar. Cacete, que gostosa e linda, com essa carinha de anjo devia saber fazer loucuras. Cliquei na garota e abriu uma descrição; quando terminava de ler tinha uma cosia que fez meu pau ficar mais vivo que nunca. Ela era virgem. Não, isso é armação. Olhei a idade dela e ela tinha dezoito, ainda um bebê perto de mim. Davina, esse era seu nome. Não era uma namorada que eles queriam que eu tivesse? Pois bem, era o que eu ia ter e esfregar na cara de todo mundo, só esperava que ela não fosse um saco e sim tão gostosa quanto na foto, porque eu vou poder me divertir pra cacete e ainda em paz. Peguei o número e liguei, uma mulher me atendeu passando para o responsável. Ainda essa semana ela seria minha.

 


Notas Finais


Então, gostaram? Espero que sim! ♥ :3 Como sabem, começo de fic é bem "nebuloso", então se puderem, deixem seu comentário nos dizendo o que estão achando e tudo mais, é muito importante! ♥

Bem, nos vemos nos comentários e até o próximo! ;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...