História Complicações através das revelações. - Capítulo 3


Escrita por: ~, ~Miss_Lovergirl e ~Tia-Dhieni

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alix Kubdel, Alya, André Bourgeois, Chloé Bourgeois, Félix, Gabriel Agreste, Hawk Moth, Jalil Kubdel, Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Mylène Haprèle, Nathalie Sancoeur, Nathanaël, Nino, Personagens Originais, Plagg, Sabine Cheng, Sabrina, Tikki, Tom Dupain
Tags Ação, Adrinette, Drama, Ladrien, Ladynoir, Marichat, Miraculous, Revelaçoes, Romance, Suspense
Exibições 146
Palavras 3.187
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Super Power, Suspense, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Cupcakes. ☆_☆
Capítulo novo, e eu estou no 3G então sem enrolar.

Tchau ~Beijinhos

Capítulo 3 - Confusão


Fanfic / Fanfiction Complicações através das revelações. - Capítulo 3 - Confusão

Ladybug reagiu rápido, correu e jogou o ioiô que prendeu nas pernas do Chat, que ficou a milímetros do chão, Ladybug estava usando todo sua força e foi soltando as poucos até que ele estivesse no chão.
  Com ele já no chão, ela pula até ele e se abaixa para ver se ele estava bem.

- Chat, OH MY GOD !!!! VOCÊ ESTÁ BEM ? - Dizia a joaninha que estava apavorada.

  Chat Noir se levanta e ignora Ladybug, se vira e vai andando mancando um pouco por tê-lo torcido quando deu o passo em falso. Ele estende seu bastão e vai pulando de prédio em prédio para casa, deixando uma heroína completamente confusa.

  Cansada, decidiu ignorar o acontecimento por hora e foi para sua casa.

  Assim que se esgotou o tempo da transformação, foi para sua cama, decidida a esquecer o dia de hoje.

-Marinette...

-Agora não, Tikki.- Suspirou a garota, caindo na cama.- O que eu fiz de errado pro Chat me tratar desse jeito? Quero dizer, ele também teria feito isso por mim não? Salvar ele da morte?

-Não é por isso que ele tá chateado, e você sabe disso.

-É só que... eu ainda não acredito que o Chat me tratou dessa forma.

- Você também não foi legal com ele. Acho que o seu parceiro estava disposto a esquecer o que aconteceu, mas você continuou insistindo no assunto.

-Ai, Tikki...- Choramingou Marinette.- O que eu fiz ?

- Calma, tenho certeza que vocês logo se resolvem.

- Espero...

  Marinette desligou seu abajur e foi dormir, ainda com a briga rodeando seus pensamentos.

                 ----- ☆ ☆ -----

  Na mesma noite, LadyBug teve um sonho muito estranho.
Em seu sonho ela estava em um prédio, ela olha para todos os lados e se vira, mas nada indicava onde ela estava exatamente. Ela fecha seus olhos e quando os abre esta escorada em um prédio qualquer beijando Chat Noir ferozmente e com bastante intensidade, ela não entendia o que estava a acontecer mas mesmo assim continuava a beija-lo e estava amando aquela sincronia que estavam fazendo com suas línguas. Ela começa a puxar carinhosamente seus cabelos loiros e sedosos fazendo um leve carinho que fez Chat Noir ronronar, aquele som era algo agonizante que a fazia ficar cada vez mais excitada. Ela sentia um fogo enorme internamente e não sabia o que era, mas continuava a beijar ele com toda intensidade, fazendo ambos dos corpos ficarem mais e mais quentes e excitados. Os lábios de Chat se vão em direção ao seu pescoço como um vampiro querendo sugar todo o seu sangue. Ele chupa seu pescoço, o lambe e da leves mordidas carinhosas que fazem a pequena joaninha ir ao delírio por completo. Ela não sabia o motivo, mas era como se ela estivesse a ir no céu e voltando para beija-lo. Seus braços entrelaçados ao pescoço do gato e as pernas do gato sobre as coxas da joaninha, o que dificultava poder segurar-se. Chat segurava em uma barra para que os dois não caíssem do prédio a baixo. Com os rostos de ambos colados, eles voltam a se beijarem com muita intensidade.

  Cada vez mais quente e intenso, com ambos ofegantes. Se separam para poder respirar, quando percebem duas crianças os olhando como se estivessem pensando *"O que eles estão fazendo?"* eles os olham e como um passe de mágica os dois estão na casa de Adrien, o que deixou a heroína bastante confusa.

  Ela não teve tempo para pensar nisso, pois logo após a chegada, ela e Chat voltaram a se beijar intensamente, como se aquela fosse a última vez.

  Quando se deu conta, já estava na cama de Adrien e com o beijo se tornando mais feroz e mais urgente. A excitação estava bem explicita tanto nele quanto nela, e nenhum dos dois fazia questão de destruir o momento.

  Ainda fazendo um carinho que ao mesmo tempo era feroz e suave no cabelo de Chat, sentiu os lábios do mesmo voltarem para seu pescoço e ela sabia que não iria mais aguentar.

  Precisava dele agora e naquele exato momento. E não interessava o que o destino fizesse para eles pararem, seria ali e agora.

  Começou a puxar o zíper do uniforme dele para baixo e assim que iria inverter as posições e ficar por cima, escutou um barulho forte.

          ----- ☆ ☆ -----

  Marinette acordou em um salto, com o despertador tocando no volume máximo ao seu lado. Desligou o alarme se pegou pensando no sonho que tivera.

  Nunca havia pensado em ter um relacionamento além da amizade com o gato, mas achava estranho o fato de ter tido um sonho quase erótico com ele.

  Tentando tirar isso de sua cabeça, Marinette pulou da cama e começou a se arrumar. Teria chegado cedo, se não tivesse se pegado pensando no sonho durante o banho.

  Ela achava aquilo engraçado, pois havia de algum modo conseguido sentir o toque dos lábios de Chat na sua pele e acordou tão ofegante quanto estava no sonho.

  Entrando na sala, Marinette apenas sentou e se deixou fluir por pensamentos , que de certa forma, voltavam a Chat.

  Era impressionante como sua linha de pensamento sempre ia pra aquele gato, seu lindos olhos verdes desumanos, seu cabelo selvagem e suave ao mesmo tempo.
Marinette tentou de tudo pra tenta esquecer aquele gato preto que invadiu sua mente em um piscar de olhos, mas simplesmente não conseguia. Parecia ser algo impossível.

- Marinette - Diz a pequena Tikky aparecendo, interrompendo os pensamentos que por certa formas, eram "pervertidos". - Por que acordou tão excitada? O que sonhou?

- N-Nada não, Tikki. Mas como vou explicar meu cabelo para meus amigos? - Perguntou tentando mudar de assunto, seu cabelo estava no seu ombro um pouco ondulado mas não alto parecia um corte moderno -

- Fala que você decidiu mudar de visual, sentiu saudade da antiga Mari. -Sorriu a Kwami.

- Será que isso convence ?

-Tenta.

- É claro que eles irão acreditar, não é Tikki? Irão aceitar facilmente que eu quero voltar a ser a velha Marinette trouxa de antes.

- Marinette, não importa quanto tempo passe. Você sempre será trouxa, então fica quieta e vai pro Colégio, antes que chegue atrasada novamente.

- E não importa quanto tempo passe, sempre achará que tem alguma autoridade sobre mim.

- Hm... Parece que agora estou te colocando no lugar de Chat Noir e a fazendo pensar como ele. Interessante.

- Nossa Tikki, eu também te amo - Marinette revira os olhos com um pouquinho de raiva.

- Mas eu nunca disse que te amo. Infelizmente, eu tenho que te suportar - Dizia a pequenina flutuando com os bracinhos cruzados e sorrindo.

- Tá, eu entendi. Eu vou tentar melhorar, mas eu não sou boa com meus sentimentos e você sabe disso.

- Não, não sei. Não me importo com seus sentimentos mesmo. - A pequena continuava a "atuar" em seu suposto papel de Ladybug.

- Tikki, por favor. Parou, eu já briguei com Chat não precisa me colocar lição de moral porque eu sei que estou errada - Marinette apenas pegou sua mochila e colocou nas costas e foi em direção a escada, cabisbaixa.

- Não é lição de moral, é apenas a realidade. "Aceite que dói menos"

  Marinette suspirou, desceu as escadas não querendo mas ouvi uma palavra, ela beijou a bochecha de seus pais pegou um croissant para comer antes de perguntarem sobre o cabelo dela.

  Chegando na escola, Marinette sentiu todos os olhares caírem sobre ela é por um momento, pensou em por um chapéu e ir para a sala, mas foi andando reto até a escada onde Alya, Nino e Adrien estavam conversando .

-Oi gente ...

-Oi... MARINETTE DO CÉU O QUE ACONTECEU COM O SEU CABELO? - Gritou Alya .

- Decidi cortar. Tava me irritando ter cabelo grande. -Marinette apenas deu de ombros , até que reparou no tornozelo de Adrien, que estava enfaixado.

-O que aconteceu com seu tornozelo? - Marinette falou com tanta espontaneidade que só percebeu depois de um tempo que não gaguejou.

-Dei um passo em falso na escada ontem e acabou resultando nisso. - Riu timidamente .- Adorei o cabelo curto.

-O-Obrigada ...

-Gente, a Mari chegou 3 minutos antes do sinal bater. É pra glorificar de pé .- Brincou Alya.

- Tive um sonho estranho, só isso.

Logo, o sinal bateu e todos foram andando para a sala.

- Quer me contar seu sonho estranho? Estou aqui para ouvir. Sabe que sou sua amiga, não é? - Dizia Alya que percebeu o quão estranha estava sua amiga essa manhã.

- Apenas foi um sonho estranho, nada de mais - Marinette se senta em seu lugar junto a Alya, que continua com a desconfiança.

- Okay, então. - Alya sabia que tinha algo incomodando sua amiga e ficou um pouco decepcionada por ela não querer contar, mas respeitava a escolha da amiga. - Não quero ser chata mas qual o verdadeiro motivo de ter cortado o cabelo?

- Um acidente - respondeu suspirando

- Como aconteceu? - Alya se apoia em sua mão com o cotovelo na mesa e o outro braço e Marinette ficava desenhando enquanto aguardava a professora chegar.

- Prendi o cabelo na máquina de costura .- Mentiu Marinette, rezando para que Alya acreditasse.

- Você é o desastre em pessoa, Marinette - Alya ri um pouco da amiga que tentava omitir a verdade. - mas ficou bonito.

- Obrigada - Diz Marinette suspirando pesadamente, até um completo estranho perceberia que algo estava incomodando a garota e ela achava que conseguia esconder, o que deixava a amiga mais preocupada.

- Marinette, por favor. Me diga o que lhe aflinge, quem sabe eu possa ajudar... Me deixe saber, pode desabafar, amiga.

- Você vai rir ... - Marinette abaixou a cabeça.

-Depende...

-Tá certo. Sabe o ...

-Bom dia alunos ! Abram seus livros de literatura na página 282 . - Disse a professora.

- Depois você me conta.- Sussurou Alya.

  Marinette agradeceu internamente pela professora ter chegado e por um curto período de tempo, esqueceu do sonho que afligia tanto a sua mente.

  Enquanto Marinette deixava de lado o sonho que estava na sua cabeça. Adrien por outro lado estava pensado sobre o que aconteceu na noite anterior.

  Ao mesmo tempo que o loiro se sentia feliz por ter falado para Ladybug tudo o que pensava naqueles dois anos, se sentia triste por ter visto a mágoa no seu olhar.

  Como se por instinto , levou o olhar para o tornozelo enfaixado . Mesmo com analgésico, ainda sentia dor ao tentar forçar o passo.

  Ele sabia que se a joaninha não tivesse segurado seu tornozelo, era a morte batendo na sua porta com salgadinhos e refrigerante.  Se sentia culpado por não ter agradecido, mas não era algo que admitiria tão cedo.

  Temia a próxima batalha, pois sabia que as mágoas ainda estavam lá, e tanto ele quanto ela iria levar para o pessoal na hora da luta, podendo prejudicar seu rendimento.

  Começou a balançar o tornozelo torcido, e como se não fosse óbvio, a região começou a doer. Mas aquilo não se comparava a dor que estava sentindo no coração.

  Marinette tentava com toda sua disposição que já não era muita, se concentrar na aula, ela girava sua caneta com os dedos, rabiscava o caderno, ficava observando a turma, até contava carneirinhos imaginários que surgiam em cima da cabeça da professora. Tudo menos se concentrar na maldita aula de literatura.

  Alya percebia que a amiga realmente não estava bem, mas decidiu apenas não dizer nada por enquanto. Apenas continuou a prestar bastante atenção na aula, já que literatura era uma das poucas matérias que ela gostava. Raramente, ela tinha algum problema.

  Adrien estava com problemas em sua atenção também, pensando no que a Ladybug, e tambem no que ele mesmo havia tinha dito. Sua vida era difícil mas pareceu que a Ladybug tem complexo de inferioridade, pensar que é indigna de um Miraculous, com todo aquele discurso que ela ainda se perguntar do porquê foi escolhida.

  Depois de alguns minutos, o sinal bate sinalizado o final da primeira aula. O que era um alívio tanto para Marinette quanto para Adrien, que não aguentava mais a professora falando sobre coisas que eles nunca terão que utilizar na vida.

  Marinette vai até a biblioteca e pega seu caderno de desenhos e começa a desenhar algo aleatório, ficou tão concentrada no desenho e ao mesmo tempo não sabia o que estava a desenhar, pois seus pensamentos estavam em um gato preto.
  Tão "concentrada", que não notou a presença de um ruivinho que lhe observava.

  Adrien entra na biblioteca para buscar paz e tranquilidade, mas quando viu Nathanaël se aproximando da Mari um ciúme inaplicável tomou conta dele, ele foi em direção a Marinette mais rápido que Nathanaël.

- Oi Mari - Adrien cumprimentou a azulada.

- Oi...Adrien? É... precisa de algo? Quer ajuda para estudar? Ou está procurando algum livro? - Perguntava a azulada, surpresa com a aparição repentina do garoto.

  Marinette se surpreendeu consigo mesma, quando conseguiu dizer uma frase inteira perto de Adrien sem gaguejar. Ela não achava isso ruim, mas para ela, era muito estranho. De uma hora para outra poderia se esquecer um sentimento tão lindo e especial, que era a paixão que Marinette sentia por Adrien.

  Esse sentimento, por dois anos a fez se sentir muito bem. Mas uma hora ou outra isso poderia acontecer, porém Marinette ainda não sabia isso. E tentava enganar a si mesma, em relação ao que sentia por Chat Noir.

- É...Ahn? O que? - O garoto notou o que estava a fazer. E por alguma razão desconhecida para o mesmo, ele corou.

  O garoto estava sentado no banco da biblioteca, ao lado de Marinette com seus rostos a poucos centímetros para o outro. O que fazia os dois corarem bastante.

  O tom rubro das bochechas de ambos, estavam em uma tonalidade, que poderiam ser facilmente confundidos com um tomate.

  Falando de tomate, poderíamos lembrar de um certo ruivinho que estava observando a cena.
  Ele estava triste por Marinette nunca o ter notado, mas sabia o quão grande deveria ser a felicidade dela agora. E para o garoto, se ela estava feliz, ele estaria também.

  Quando se ama alguém de verdade, não importa se o sentimento seja correspondido, não importa se ela ama outra pessoa, não importa se ela estará sempre ao seu lado. Pois você sempre estará ao lado dela, e apenas a presença dela lhe fará feliz, saber que essa pessoa está bem é tão incrível. Ver o sorriso dela lhe deixa bem, e você faria de tudo para mantê-lo.

  Era o que Nathanaël pensava a respeito, então ele preferiu ignorar e ir para outro lugar. E assim o fez.

- Adrien, você está bem? Esta vermelho. Aconteceu algo? Lhe fiz algo de errado? - Voltando aos dois que estavam a pouco mais de 5 minutos se olhando sem dizer absolutamente nada.

- M-Me desculpe, eu só estava procurando um lugar tranquilo. Eu vim se poderia ficar vendo você desenhar - Adrien disse vermelho.

- Ah, bem... Pode ficar se quiser - Dizia Marinette também corada.

- Então, o que está desenhando? - Adrien diz curioso, ambos olham para o caderno e vêem Chat Noir apenas de cueca e máscara, ambos voltam a corar imensamente.

- Juro que não é o que está pensando. - Marinette pega seu caderno rapidamente e o aperta sobre o peito tentando esconde-lo, fechava os olhos fortemente para não ter que olhar para Adrien e corar, o que estava sendo difícil.

Adrien com os olhos arregalados, sem saber o que fazer. Simplesmente, olha para o lado e lança seu charme "Ala Chat" e coloca seu braço sobre os ombros da azulada.

- Então, você gosta do Chat Noir? - Ele diz lançando seu sorriso encantador e um tanto malicioso.

- O que? Não..... talvez- Ela cora mais, se fosse possível ficar mais vermelha do que ela já estava.

- Pode ser sincera, diria que ... É apaixonada por ele? - Ele continua com seu charme, e ela continuava a corar. Ela realmente, quer ser confundida com um tomate.

- Não exatamente.

- Como assim "Não exatamente" - Dizia ele rindo.

- Eu Gosto dele mas gosto de outra pessoa ao mesmo tempo, é uma confusão

- Hm... Mas você diz gostar como ídolo?

  Marinette ficou tensa, estava começando a suar frio. Nem ela mesma poderia responder a essa pergunta.

  Abria a boca e nada saía, até que sua salvação caiu na sua frente. Literalmente, Alya apareceu correndo. Acabou tropeçando e caindo sobre a mesa.

-Amiga.- Dizia Alya ente respirações curtas e desesperadas. -Preciso de você ... agora !

- ALYA? Respira e se acalme, depois me diga o que houve. - Dizia Marinette ajudando a amiga a se levantar.

- Adrien, posso roubar ela por alguns minutinhos ? - Alya foi empurrando Marinette para a saída , enquanto a azulada ficava sem entender nada.

  Sem entender nada mesmo assim seguiu a amiga, Marinette queria dar um beijo nela por te-la salvo.

- Vai com calma, Alya. Não somos Barry Allen para corrermos nessa velocidade. - Marinette puxa o braço fazendo com que as duas parem de correr. - O que houve?

- Você ... - Alya estava tentando voltar a respirar normalmente.-Você... disse ... que ... ia.... me contar do seu sonho. - Alya recupera seu fôlego e se põe a frente da amiga de braços cruzados - Menina o Barry fala que o homem mais rápido mundo mas sempre tem alguém mais rápido, você sabe disso.

- Eu não disse que iria contar meu sonho. Só disse que iria contar o motivo de eu... Bem, estar assim. E só para esclarecer, prefiro o Barry mesmo. Okay? OK.

- É a mesma coisa. - Revirou os olhos.

- Mas eu prefiro o Klaus. Qual sua série favorita, amiga? - Perguntou Marinette que ia discretamente mudando de assunto. - E como vai o LadyBlog? Conseguiu gravar a luta anterior?

- O Klaus é rei, meu amor.

- Você sabe que eu vejo varias series , Marinette ! E a maioria eu nem termino... falando em Ladybug, sabia que o Chat  quase caiu de um prédio ontem ? Se ela não tivesse... Ei, não muda de assunto!

- Eu não estou mudado de assusto só estou perguntado o que aconteceu ontem - falou tentando fingir inocência.

- Mas pelo o que me disseram a culpa mesmo foi da Ladybug, ela que o fez cair do prédio... Que absurdo, esse povo não sabe o que diz. Que blasfêmia.

- Mas voltando ao assunto que interessa. O que aconteceu? - Marinette estava prestes a inventar mais uma desculpa esfarrapada qualquer e se livrar logo mas o sinal tocou indicando o início da segunda aula.

  Alya olhou para Marinette com um olhar que dizia claramente "Você não me escapa". A azulada riu internamente e foi em direção a sala de aula. Chegando lá, nem ela e nem Marinette estavam acreditando no que viam, simplesmente, era...


Notas Finais


Então, foi isso. Comentem o que acharam e tchau !!!

~Abraços ☆


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...