História Complicada e perfeitinha - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Asuma Sarutobi, Fugaku Uchiha, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Kabuto, Kakashi Hatake, Karin, Kiba Inuzuka, Kisame Hoshigaki, Kizashi Haruno, Konan, Kurenai Yuuhi, Madara Uchiha, Maito Gai, Matsuri, Mebuki Haruno, Mikoto Uchiha, Naruto Uzumaki, Obito Uchiha (Tobi), Orochimaru, Pain, Rin Nohara, Sai, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha, Shikaku Nara, Shikamaru Nara, Shion, Shizune, Suigetsu Hozuki, Temari, TenTen Mitsashi, Yamato, Zetsu
Tags Complicada, Drama, Irmãs, Itachi, Naruto, Perfeitinha, Romance, Sakura, Sasuke, Sasusaku
Visualizações 6
Palavras 3.066
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


[REPOSTAGEM]
A música que o sasuke vai cantar, chama-se : so far away , da banda avenged sevenfold!

Capítulo 10 - Incêndios desastrosos e músicas tristes


Fanfic / Fanfiction Complicada e perfeitinha - Capítulo 10 - Incêndios desastrosos e músicas tristes

Capítulo 10


 


SASUKE ON



Aquela festa estava um saco, sair dali era meu plano seguinte, iria tomar mais um gole de wysk e me mandar, ir para casa, acreditem ou não eu estava muito afim de compor e não de passar o rodo. Depois que a sakura entrou na minha vida me tornei um poço de inspiração, os rapazes ficaram abismados com a quantidade de músicas que eu compus, eles não precisariam mais compor, se não fosse pelo apelo emocional em minhas letras. 


  As garotas da festa se atiravam para nós, como de costume, o Itachi tentou disfarçar com aquele papo de garanhao, mas era notório  a ansiedade dele ao esperar a sakuya chegar, até que ela chegou, junto a outras pessoas incluindo Ino, mas foi uma outra cabeleira rosa que me chamou a atenção, uma cabeleira longa. E Kami-Sama, ela estava de vermelho, realçando sua pele clara, seus cabelos tomavam suas costas, o que era novo para mim já que estavam sempre amarrados,  linda pra cacete era pouco comparado ao que sakura realmente estava naquele momento. Ela não tinha notado a minha presença ali, o que me permitiu a admirar ainda mais, ela falava com um loiro ao seu lado e seu sorriso só me deixava mais perto da loucura eminente, como eu a queria, nenhuma outra brilhava naquela festa tanto quanto ela.  


  Foi quando Gaara foi para um local mais reservado com a Ino, pain foi pegar mais bebidas, e previsivelmente Itachi foi falar com Sakuya que imprevisivelmente aceitou dançar com ele, eu aproveitei, ela estava sozinha e "indefesa", era a hora de agir, precisava falar com ela me desculpar pela forma como eu agi, fiquei puto ao pensar nela com o itachi, e minha chance havia chegado, ela senta no bar ainda sozinha, e nenhum marmanjo havia chego perto para a sorte do mesmo, obrigado universo. 


 O cheiro de cereja que emanava dela era entorpecente, me segurei para não beija-la ali mesmo, é sério, me segurei muito .


   Conversamos e eu tive a oportunidade de me desculpar, quando ela tocou em minha mão senti um choque atípicamente gostoso, quase não resisti ao sentir seu toque, e fitar aqueles olhos verdes só fazia aumentar minha vontade de agarra-la ali e tomar seus lábios, como seria um beijo de Haruno Sakura? Sim, mesmo sendo eu,Uchiha Sasuke ainda não havia beijado ela,claro que no começo eu achava que era por isso que ela me fascinava tanto, mas a resposta veio mesmo quando olhei  em seus olhos, ela tinha algo,  estar perto dela me fazia incrivelmente bem de uma forma absurda. 


  Ela corava toda a vez que seus olhos encontravam os meus, ou quando nos encostavamos "sem querer", me deixando cada vez mais próximo de tomar seus lábios, eu a fitava com a sobrancelha arqueada tentando decifra-la, mas diferente das outras sakura era única. Me dei conta que perto dela, eu era mais falante, ainda sério, porém falante, até isso aquela rosada linda despertava em mim.


-Você sabe cantar? -Perguntei no momento em que nossas mãos se tocaram, eu estava prestes a beija-la, e precisava mudar de assunto para me distrair. 


-Eu nunca tentei, mas tenho pânico de palco.- tão diferente da irmã.


-Ia ser legal tocar algo e escutar você cantando.-Mau sabia ela, que eu estava compondo uma música para nós, um dueto, torcia para que ela tivesse o dom da irmã, mas em todo caso, eu ja estava com uma pronta para cantar pra ela no momento certo. Olho para nossas mãos e ela ainda toca na minha mão. Droga sakura!-Você notou? Nossos irmãos sumiram.-Mudo de assunto novamente, mas confesso que estava ficando sem cartas, ia ser inevitável, inevitavelmente gostoso. Minha atenção foi tirada de Sakura, quando a música parou,  Gaara estava tenso, pude ver que uma correria e gritos tomavam conta do local, e uma fumaça escura vinha lá de cima, era fogo? O pior de tudo era que Itachi e Sakuya estavam lá em cima. 


-O que aconteceu? -perguntei para Ino.


-Os quartos estão em chamas e está vindo aqui para baixo. 


 Arregalamos os olhos ao ouvir tais palavras. 


-Em chamas? Como assim?- 


Itachi e sakuya estavam lá em cima, e se o fogo estava  se alastrando,  significava que havia tomado conta do andar de cima e eles... saio correndo descontroladamente -Sakura! Fique aqui. 


-Sasuke-kun...


Subo as escadas em meio a fumaça, não me importava se corria algum risco, eu precisava salva-los...salvar meu irmão, por isso não me importei com aqueles que me pediam para não ir.


 Chegando no segundo andar não dava para ver nada, somente fumaça escura,o ar já me faltava por conta da mesma, mas eu não me importava,  eu seguiria até acha-los.


-NII-SAN!-Grito de forma falha em meio a fumaça, vejo um quarto entre aberto, em meio a fumaça, eu imaginei que fosse tamanha fumaça por conta do fogo que já havia queimado , com exceção de poucas coisas.  Entro no quarto e a " neblina escura" dividia espaço com dois corpos aninhados na cama, a cena era sufocadora, senti um amargo tão grande,  a cena era indescritível, meu irmão e sua garota estavam mortos, tomados por queimaduras. Senti meu coração parar,  e voltar com adrenalina total, meus sentidos já me escapavam, e o único som presente eram meus batimentos alterados.  Sinto uma mão coberta por uma luva me pegar por trás,  e outros caras entrarem no quarto apagando o restante do fogo e acabando com a névoa de fumaça. Eu não conseguia parar de olhar a cena, eu estava em estado de choque total, fui levado para o piso de baixo e todos já estavam na rua. 


(...)


Haviam duas ambulâncias socorrendo os possíveis feridos, enquanto era levado pelo bombeiro via os lábios de meus amigos se mechendo a medida que eu ia passando, mas eu ainda não escutava, meus sentidos ainda se encontravam ausentes.  Vejo no outro lado do pátio Sakura sentada na ambulância com um cobertor sobre si, ela tinha se machucado?  Talvez. Ela me fita de longe esperando uma resposta, e eu só balanço a cabeça negativamente, ela baixa a cabeça e começa a se derramar em lágrimas. Duas macas são colocadas dentro da ambulância e eu sabia de quem eram, mas não conseguia olhar, não mais.


(...)


Já no hospital, sento em uma sala à espera do inevitável.


 Vejo agora um loiro sentado ao meu lado, espera ele estava na festa, o que ele estava fazendo aqui? E a quanto tempo havia chegado?  Sakura chega com os pais e em seguida os meus, ela estava claramente abatida, seus lindos olhos verdes estavam vermelhos e seu rosto esboçava uma tristeza atípica, eu deveria estar pior, pois quando ela me ve sua expressão piora.


 Minha mãe me abraça com força,  e meu pai estava se contendo ao telefone. 


-Não importa... Não importa pai, ele não vai falar...pai não ouviu? Não pai, depois nos falamos tenho que desligar. 


-Meu bem, que bom que está bem,já teve no notícias do Ita?


Eu só balanço a cabeça negativamente, não seria eu a dar a notícia.


-O que o Madara disse Fugaku?


-A imprensa toda está na frente do hospital, eles querem uma coletiva com o sasuke sobre o ocorrido, parece que fontes indicam que o incêndio foi criminoso. 


Direciono minha atenção imediatamente para meu pai,mas não somente eu, olho para o pai de Sakura que também o indagava exatamente o que eu estava pensando, pude notar uma tensão ali, entre nossos pais, meus pais não olhavam os da sakura, e faziam o mesmo os dela,


-Como assim senhor Uchiha? Acha que foi premeditado?-O pai da sakura pergunta friamente, evitando olhar meu pai, deveria ser a situação não? Eles nem se conheciam. 


-Parece que sim, mas ainda não se sabe e...- O médico interrompe os dois trazendo notícias. 


-Família de sakuya Haruno e Itachi Uchiha? 


(...)



Ele suspira derrotada.


-Ambos tiveram uma extensão absurda do corpo queimada, mais de 70% do corpo de ambos foi queimado, a epiderme foi dilacerada, eles não resistiram... eu sinto muito. 


 Confirmar o que eu não conseguia acreditar só me deixava mais zonzo, minha mãe cai nos braços do meu pai desolada, sakura é abraçada pelos pais, a mãe dela se entrega aos prantos assim como a minha, o loiro baixa a cabeça enterrando-a entre os joelhos, provavelmente era amigo da Sakuya.


-Eu sei que não é uma boa hora- A médica continua- mas eu preciso que um de cada família faça o reconhecimento dos corpos, através da arcada dentária. 


(...)


  Fui com o loiro pegar um café para a minha mãe, já que meu pai ainda não tinha voltado, enquanto minha mãe e a de sakura não trocavam palavras, e ficavam em silêncio sentadas admirando um ponto fixo.


-Você era irmão dele certo? -Ele me pergunta em um sussurro, mas foi suficiente para eu escutar.


-Uhum.-Respondo friamente. 


-Geralmente quando alguém diz pra você"Eu sei como se sente" relacionando à algo desse nível é mentira. 


-Como assim?- O loiro desperta o meu interesse. 


-Eles não sabem como você se sente, não aqueles que não passaram por isso.- Ele fala enquanto serve o segundo copo de café. 


-E você? Sabe como eu me sinto?-Pergunto da forma mais sarcástica possível. 


-Não, na verdade em parte sim, eu perdi minha mãe quando eu tinha três meses, eu nunca a conheci, minha imagem dela limita-se a retratos e histórias do meu pai.


-Não se sente falta do que nunca se teve.


-Eu sei, mas querendo ou não ela deixou um buraco, que eu ainda não fui capaz de preencher, a propósito, me chamo Uzumaki Naruto.


 Aquele loiro era um cara legal, ele parecia ser sincero em suas palavras, e confesso que fiquei pensando naquilo, poderia eu preencher o buraco que meu Nii-san deixou? 


(...)


Naruto entregou um café à mãe de sakura e tomou o outro, fiz o mesmo à minha, quando nossos pais voltam, ainda piores do que antes. 


-E então? -Naruto foi o único que se encorajou. 


Meu pai só assentiu, fazendo as mulheres no recinto cair em lágrimas novamente, fazendo meu coração sangrar. 


-Como eles podem não ter acordado em meio as chamas?-A mãe de sakura pergunta tentando manter um equilíbrio emocional razoavel, e aquela pergunta... fazia todo o sentido, comecei a faze-la na minha cabeça. 


-Nós também perguntamos isso aos médicos, eles disseram que só será possível afirmar quaisquer coisas após a autópsia. 


Pude ver que sakura dormindo calmamente em um banco à minha frente, resolvemos deixa-la descansar, pois quando acordasse a realidade a magoaria da pior forma possível,mas devo ressaltar que ela estava linda, seus cabelos cobriam um pouco o rosto da mesma lhe proporcionando uma imagem mais delicada, ela estava linda, um anjo dormia ali. Queria abraça-la, afagar seus cabelos, e dizer à ela que eu estava ali e que tudo ia ficar bem,mas eu não tinha forças nem mesmo para mim, por isso quando ela acordou foi Naruto que a abraçou, o problema foi o que  fez acordar. 


-EU SABIA,  SUA FAMÍLIA, SÓ ATRAI DESGRAÇA MEBUKI, SUA FILHA MATOU O MEU BEBÊ!-Minha mãe falava com ódio e tristeza,  ela conhecia  a mãe da sakura? E que que conversa era aquela de "sua família só atrai desgraça"? 


-NÃO ME VENHA COM ASNEIRAS MIKOTO, A MINHA FILHA NÃO TEVE CULPA DE NADA, MUITO PELO CONTRARIO, ELA FOI PRA AQUELA FESTA, E TENHO CERTEZA QUE POR CULPA DO SEU FILHO.


-MEBUKI! -O pai de sakura tenta acalmar Mebuki afastando-a de perto da minha mãe, mas por que elas estavam brigando? E para piorar tudo a imprensa invade o hospital fotografando a briga daa mães, sendo contidos somente pelos seguranças. Só que antes eles nos encherem de perguntas enquanto se aproximavam, pude ver que sakura estava assustada. 


-Sasuke você sabe quem foi que tocou fogo na mansão No Sabaku?


-Fugaku? Madara ja arrumou alguém para substituir o vocalista falecido? 


-A garota que estava naquele quarto era um afair do Uchiha? 


-Não vamos dizer nada por favor saiam- meu pai e o pai de Sakura tentam ao máximo expulsa-los para fora.


Flashs disparam de todos os lados fazendo Sakura se encolher, eu estava de luto e começando a ficar com ódio, Naruto a abraça protegendo-a dos Flashs. 


-Dona Mikoto, a a senhora disse que essa mulher foi  culpada?


-SAIAM-Meu pai pareceu sair de si, eu só co seguia assistir tudo atônito. O segurança chega e junto com ele vários outros. Sakura me fita com tristeza. 


(...)


-Que perguntas absurdas-Naruto fala indignado ao dar para sakura um copo de água. 


-Eles não se importam Naruto...-Sakura parecia longe. 


-Mikoto, Mebuki vocês estão bem?-Meu pai pergunta arrancando um olhar mortal da minha mãe. 


-Fugaku, preocupe-se apenas com a SUA Família. 


Meu pai apenas baixa a cabeça ea balança negativamente. 


-Mikoto, você não mudou nada!


-Fale por você Mebuki, sempre acaba traindo uchihas para sua vida e ...


-CHEGA-Meu fio de paciência havia arrebentado- estamos em um hospital, o Itachi ... o Itachi e a sakuya morreram, e vocês ficam aí se engalfinhando.


-Ele tem razão- Kizashi repreende a esposa- Chega vocês duas, aqui não é lugar-Seu olhar é imponente. 


-como vamos sair com toda a imprensa lá fora? -Meu pai fala ao dar água para minha mãe.  Sakura se levanta e vem em minha direção, mas a mãe dela a impede no caminho. 


(...)


A imprensa estava em peso na rua e passavam uns por cima dos outros para falar conosco. Naruto tampou o rosto da sakura e meu pai o meu.  Entramos com dificuldade nos carros, para finalmente irmos para casa. 


   Seguimos para casa, mas só para tomar banho e comer, no meu caso deitar, eu não iria dormir naquela noite, minha cabeça estava em pleno funcionamento, e quando entrei em meu quarto senti  vazio imenso me tomar, sentei na cama, e logo me dei conta que não ouviria mais a voz do Nii-san em meu quarto, as  duas batidas que ele dava na porta, eu poderia até ouvir a voz dele ecoar em meu quarto de forma harmonica:



 "-Irmazinho tolo, vejo que virou homem, tirou seus rabiscos de gay e mudou para os pôsteres de banda que um homem de verdade deve ter!


-Nii-SAN SAI DAQUI!!!! MAAAE O NII-SAN TÁ ME BATENDO!!


-MOLEQUE SEM VEGONHA!NÃO MAAE EU SÓ...


-ITACHI?  O QUE EU TE FALEI SOBRE BATER NO SEU IRMAO? ELE SÓ TEM DEZ ANOS!!


-Foi mau oka-san! "


(...)



"-Irmaozinho tolo? Tão quieto? Brigou com o namorado? 


-Não te interessa! E  ELE NÃO É MEU NAMORADO.


-Tão hostil, vocês são todos iguais? 


-Nós? 


-É, vocês Gays! 


-NII-SAAAAAN!"



Sinto as lágrimas começarem a cair sem nenhuma limitação, eu apenas as deixo, apenas me permito sentir aquilo que meu coração tanto anciou desde que viu itachi naquela cama morto. As lágrimas já molhavam o tapete, mas eu não me importava, eu estava pondo minha dor para fora.


 Passaram-se o que pareceu ser horas, e acabei dormindo depois de tanto choro. Quando acordei vi que era dia e o relógio marcava 06:43 da manhã, o dia estava triste, e eu sabia que seria um dia chuvoso.  Naquele dia, meu pai e minha mãe não foram no meu quarto e agradeci por aquilo, não sei se os garotos ligaram, pois meu celular estava desligado, não sabia nem mesmo onde ele estava, queria saber de Sakura, mas não tinha forças pra sair da cama. Resolvi fazer o que faço de melhor, música. Pego o violão e começo a tocar. 



[So far away]


Never feared for anything

Never shamed but never free

A life to heal the broken heart with all that it could


Lived a life so endlessly

Saw beyond what others see

I tried to heal your broken heart with all that I could/


Nunca teve medo de nada

Nunca se envergonhou, mas nunca foi livre

Levou uma vida para curar um coração partido com tudo o que podia

Viveu uma vida tão infinitamente

Viu além do que os outros veem

Eu tentei curar seu coração partido com tudo que eu pude




Will you stay?

Will you stay away forever?


How do I live without the ones I love?

Time still turns the pages of the book it's burned

Place and time always on my mind

I have so much to say but you're so far away/


Você vai ficar?

Você vai ficar longe para sempre?


Como eu posso viver sem aqueles que eu amo?

O tempo ainda vira as páginas do livro queimado

Lugar e tempo sempre na minha mente

Eu tenho tanto a dizer, mas você está tão longe


Plans of what our futures hold

Foolish lies of growing old

It seems we're so invincible

The truth is so cold


A final song, a last request

A perfect chapter laid to rest

Now and then I try to find a place in my mind/


Planos sobre o que o nosso futuro nos reserva

Mentiras tolas sobre envelhecer

Parece que éramos tão invencíveis

Mas a verdade é tão fria


Uma última música, um último pedido

Um capítulo perfeito sepultado

De vez em quando, eu tento encontrar um lugar em minha mente


Where you can stay

You can stay away forever


How do I live without the ones I love?

Time still turns the pages of the book it's burned

Place and time always on my mind

I have so much to say but you're so far away/Onde você possa ficar

Você possa ficar acordado para sempre


Como eu posso viver sem aqueles que eu amo?

O tempo ainda vira as páginas do livro que está queimado

Lugar e tempo sempre na minha mente

Eu tenho tanto a dizer, mas você está tão longe




Sleep tight, I'm not afraid

The ones that we love are here with me

Lay away a place for me

Cause as soon as I'm done I'll be on my way

To live eternally


How do I live without the ones I love?

Time still turns the pages of the book it's burned

Place and time always on my mind

And the light you left remains but it's so hard to stay

When I have so much to say but you're so far away/


Durma bem, eu não estou com medo (sem medo)

Aqueles que amamos estão aqui comigo

Guarde um lugar para mim

Porque assim que eu terminar, estarei no meu caminho

Para viver eternamente


Como eu posso viver sem aqueles que eu amo?

O tempo ainda vira as páginas do livro que está queimado

Lugar e tempo sempre na minha mente

E a luz que você deixou permanece, mas é tão difícil ficar

Quando eu tenho tanto a dizer e você está tão longe


I love you

You were ready

The pain is strong and urges rise

But I'll see you

When He lets me

Your pain is gone, your hands untied/Eu te amo

Você estava pronto

A dor é forte e insiste em aumentar

Mas eu verei você

Quando me for permitido

Sua dor se foi, suas mãos estão desamarradas


So far away

And I need you to know

So far away

And I need you to, need you to know/


Tão longe (tão longe)

Eu precisava saber

Tão longe (tão longe)

E eu preciso que você, preciso que você saiba.





Notas Finais


Até!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...