História Complicada e perfeitinha - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Asuma Sarutobi, Fugaku Uchiha, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Kabuto, Kakashi Hatake, Karin, Kiba Inuzuka, Kisame Hoshigaki, Kizashi Haruno, Konan, Kurenai Yuuhi, Madara Uchiha, Maito Gai, Matsuri, Mebuki Haruno, Mikoto Uchiha, Naruto Uzumaki, Obito Uchiha (Tobi), Orochimaru, Pain, Rin Nohara, Sai, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha, Shikaku Nara, Shikamaru Nara, Shion, Shizune, Suigetsu Hozuki, Temari, TenTen Mitsashi, Yamato, Zetsu
Tags Complicada, Drama, Irmãs, Itachi, Naruto, Perfeitinha, Romance, Sakura, Sasuke, Sasusaku
Visualizações 4
Palavras 4.025
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


[REPOSTAGEM]

Capítulo 13 - Uchihas apaixonados e velhos vingativos


Capítulo 13



SASUKE ON



Eu estava afogado, sim era um mar de sofrimento. Não bastava meu Nii-san estar morto, a imprensa tinha que deixar tudo pior, eles queriam uma coletiva minha, imbecis, não estavam nem aí para o Itachi ou para a Sakuya, eles queriam somente ganhar matéria para o ciclo vicioso de fofoca deles, como eu os odiava. 


   Em uma ida até a gravadora com os rapazes, fomos abordados pela imprensa, eles estavam no nosso encalço, e não paravam de nos perseguir. Saímos do carro e os flashes agrediam meus olhos.


-Sasuke Uchiha? Vocês já sabem quem foi o autor do incêndio criminoso?


-Uchiha Seu irmão te deixou alguma herança? 


-Sasuke, vocês pensam em dar continuidade à banda? 


 Eram nuitas perguntas, e em meio a elas eu surtei, acertei um gancho no rosto de um dos malditos, que sorriu com o meu ato.


-Uchiha sasuke, o garota que morreu ao lado do uchiha, a futura vocalista da akatsuke era a mesma garota que estava na sorveteria com vocês outro dia? 


-Vocês diviam o mesmo affair?


-Era um triângulo amoroso? 


E sem perceber já havia socado a cara de outro, fazendo Shikamaru me segurar e o segurança nos puxar para dentro da gravadora. 


(...)


-[...] Eu teria feito o mesmo cara!-Gaara fala batendo nas minhas costas.


-Você não está ajudando Sabaku-Shikamaru fitava a sala de áudio do estúdio da gravadora. 


-Entrem.-Diz meu avô ao aparecer em uma porta. 


(...)


 Estávamos na sala de áudio da gravadora,  e Zetsu o dono entra pela porta com uma cara de poucos amigos. 


-Primeiramente, quero quero saber, Uchiha... que ceninha foi aquela com os paparaziz? Você quer piorar a imagem da banda?


-...


-O sasuke está enfrentando uma fase difícil, Zetsu, é só isso.-Diz neu avô com um tom tranquilo. 


-A mídia vai cair em cima da akatsuke agora Madara e...


Eles falavam, mas eu não escutava, seus lábios se mechiam, mas eu tinha a plena certeza que mesmo eu tentando, minha cabeça não estaria ali, ela não estava.


 (...)


Cheguei em casa, mais uma vez com dificuldade, a mídia e os fãs estavam em peso por todos os lados, embora o carinho contido nos cartazes dos fãs fosse admirável,  eu só queria que ela estivesse ali, me aguardando para eu enterrar meu nariz em seus cabelos com cheiro de cereja. 


 -Meu bem, como foi a reuniao?-Pergunta minha mãe ao me abraçar. 


-O mesmo de sempre mãe-Minha voz soou fria- só dinheiro, eles não se importam com mais nada, nem mesmo vom o vocalista morto.


 Ela da um tapa em meu rosto.


-Nunca mais diga isso sasuke, nunca mais se refira ao seu irmão desta forma.


 Não digo nada, apenas subo as escadas. 


 E então depois de uma semana, sem comer, sem contatar amigos ou a gravadora, ainda estava afundado em meu mar profundo de lamuria. Escutei batidas esporádicas na porta vez ou outra, mas eu sequer os mandei embora.


 E minha "paz" foi interrompida ao escutar Gaara na porta de meu quarto, ele iria desistir, assim como os outros, eu tinha certeza. 


 Gaara sempre foi um dos mais próximos de mim, a personalidade séria dele e silenciosa me agradou, ainda não faço a menor ideia de como ele está namorando com a louca da Ino, passamos por grandes inconsistências juntos, um exemplo era a sexualidade dele que ja havia sido posta a prova pelo Madara e a mídia, pela falta de interesse dele com mulheres aleatórias, mau sabiam eles que eram complexos refletidos na infância difícil que teve quando seu pai traiu sua mãe, tenho que dizer, ele viu seu pai no sai quando o mesmo traiu Ino daquela forma tão inescrupulosa. 


 Ele era um irmão, mas naquele momento a solidão era a melhor aliada.



Sasuke? Abre aí cara!-sua voz era indiferente. 


-...- não respondi, eu não queria. 


-Sasuke, eu sei que você ta aí! Só... abre a porta.-Uma tristeza tomou sua voz, mas eu sempre fui meio frio, e agora, eu estava no auge. 


-...


-Ta, vamos fazer assim, se abrir a porta, só pra eu ver que está vivo, eu prometo que vou embora.- Sério que ele achava mesmo que funcionaria comigo?


-Eu estou vivo, agora vai embora! -Me pronuncio ainda de forma fria, fazendo eu estava destruído internamente. 


-A Sakura está vindo pra cá, ela vai vir te ver.-Sua voz soava esperançosa, pobre Gaara, não fazia ideia de que eu nao queria ver ninguém... nem mesmo Ela.


-...


-Não quer ve-la?-Naquele momento eu era uma péssima companhia, eu não sabia quando voltaria a ser uma boa, eu provavelmente a magoaria com a minha frieza.


O maldito do telefone começa a tocar, e com certeza era a Ino.


-A sakura já está chegando, junto com a Ino, o Nara ia vir também, mas eu achei melhor vir sozinho.-Oh devo agradecer a ele?


-Não devia ter vindo, e atende esse telefone, você sabe que esse toque me irrita.


 Sim aquele toque me irritava. E muito. 


  Em troca de recompensa sexual, Gaar deixou a maluca da Ino mudar o toque do Gaara, ou seja, toda a vez que ela em específico ligava para ele, aquela porra de música tocava, por que toques de celular que envolvia mulheres me irritavam tanto?  O que me fe lembrar que Sakura havia trocado o dela, para algo de nível superior, aquela era a minha garota. Era?


-Se você não abrir a porta, eu não vou atender, afinal,  deve ser para falar sobre o sapato que ela tanto queria que eu comprasse e ...


 Sem aguentar mais aquela palhaçada abro a porta, arranco o celular do bolso dele e atendo colocando no ouvido dele. 


 O que eu não contava, era que sua expressão fosse me deixar intrigado, ele arregalou os olhos e saiu correndo para a janela. 


(...)


 Enfim perseguir um carro com dois sequestradores, não parecia algo que eu faria nessa vida, porém satura corria perigo, ela e Ino foram arrastadas carro a dentro, e mesmo tendo as salvo, meu desespero não diminuiu, sakura estava desacordada, fazendo eu me arrepender de não te-la procurado todos esses dias. 


(...)


Sakura e eu, estamos a sós em meu quarto, após Gaara bater  retirada com a Ino , e a rosada ter acordado.


-Vocês... nos salvaram certo? 


-Sim, por muito pouco eles não levaram vocês. Foram eles que...- não conseguia terminar, me subia o sangue pensar que sakura quase deixou de estar aqui perto de mim.


-Eu sei... me dei conta disso depois que entendi que me confundiram com ela.


-Você sabe- alcanço um copo de suco à ela me certificando de que ela iria tomar- Que agora você é o alvo deles, certo?


-Não somente eu, a akatsuke também é. 


-A akatsuke acabou- proferir aquelas palavras foi mais difícil do que eu imaginava, mas eu tinha  que manter a força e olhar para ela- Você cortou o cabelo. -Ela estava linda. 


-Estava precisando renovar.- Ela corou, linda como sempre, mas de repente começou a chorar baixo


-A culpa foi minha Sasuke-kun, se eu não tivesse levado ela...- a interrompo pondo meus dedos em seus lábios roseos, ela não iria se culpar mais.


-A culpa não foi de ninguém Sakura, eu passei uma semana inteira arrumando mil motivos para crer que o culpado fui eu, mas...- não havia sido...


-Foi o Danzou com o pai dele.


-Eu vou matar aquele maldito, com as minhas próprias mãos-  A raiva estava voltando com tudo.


-Não Sasuke-kun, não...


-Sakura- A fito sem acreditar- ele matou nossos irmãos, ele tentou matar... matar você, ele não vai desistir.- Ninguém iria encostar um dedo na minha Sakura.


-Deixa isso para a polícia,eu...- Ela faz uma pausa, e fico aguardando com expectativa o que ela tinha a dizer, sinto uma ansiedade atípica ao pensar no que ela poderia dizer. 


-Você o que? 


-Eu não quero te perder também. -O frio que sentia em meu peito foi tomado por um calor aconchegante. Não resisti e a abracei. 


 Envolver meus braços naquele corpo pequeno, sentir o calor de seu corpo e inalar aquele aroma de cereja me deixou muito dependente... sim sasuke uchiha estava dependente, e era da garota mais incrível que eu ja conhecerá. 


-Sasuke-kun, eu..  Eu sei que você não quer ver ninguém- quando ela começou a falar, a contra gosto a soltei, e fitei-a no fundo de seus olhos-... eu só precisava saber que você estava bem ....- Ela se levanta,  por que ela se levantou? - Eu não vou mais incomodar okay? Vou pra casa que amanhã eu tenho aula e...


-O que está procurando? -A interrompo sem entender sua atitude repentina. 


-Minha sapatilha. 


-Por que? 


-Eu vou pra casa, você quer ficar sozinho, eu não vou atrapalhar mais, mas se precisar de alguém-Levanto da cama e paro atrás dela, quando ela vira fito tão fundo seus olhos que ela cora ao olhar pra cima.


 Um amargo maior tomou meu peito, eu não queria que ela fosse, eu já havia perdido o Itachi, não poderia perde-la também, não ela.


-Fica- Encosto meu nariz no dela, tirando uma mecha rosea de seu lindo e delicado rosto,  ela estava entregue, eu podia sentir, porem não mais que eu, cada célula do meu corpo gritava por ela,  era uma onda de sentimento na qual eu estava envolvido. 


-E-eu achei que... V-você quise-quise-sse...-Ela estava nervosa e corada, nossas respirações estavam ofegantes. 


-Eu quero você...- Ao fechar dos olhos dela, entendi. Não esperei mais, ja tinha esperado o suficiente.


  Envolvi minhas mãos na cintura dela, apertei e pude sentir ela soltar um gemido. A sensação da língua dela tocando a minha era indescritível, seu beijo era tão viciante quanto seu cheiro, pude sentir ela puxar meus cabelos e me puxar mais pra si, eu não podia acreditar no que estava acontecendo, a minha Sakura era só minha. Separamos nossos lábios, pela inconveniente falta de ar, porém trocando selinhos demorados, ela era maravilhosa, eu queria mais, mais, muito mais.


  -Uchiha star... achei que você não... -Ela estava muito corada-me via dessa maneira -Não podia acreditar que ela tinha dito aquilo, como ... mas como? Ela era o anjo mais perfeito, como ela poderia pensar isso? 


  -Eu demorei demais- Digo roubando um selinho dela- me segurei demais-E outro mais demorado -mas agora... agora eu não vou mais perder tempo algum- Puxo-a para outro beijo apaixonado, outro de muitos e muitos. 


(...)


Ino entra abruptamente em meu quarto, fazendo eu querer que um meteoro caísse nela e no Gaara-foi mau irmão- para eu continuar ali com a minha garota.


-AAAAAH!-Ela da um grito agudo ao nos ver grudados com os dedos entrelaçados. 


-INO-Gaara a repreende, muito bem Gaara.


-Que?  Meus migoes estão in love!! Eu já eu disse que vocês ficam perfeitos juntos? - ta, disso eu gostei. 


-Porca...-Sakura a repreende corada.


-Então sasuke... o Madara quer falar com a gente,  é sobre o futuro da banda, e sobre o tal Danzou.


-Você falou pra ele Sabaku!


-Hey! Relaxa!-Sakura ainda corada e linda, fala ao beijar minha mão. 


-Quando? 


-Hoje, tipo agora.


-Aii Gaa! Vocês não tem vida?


(...)


 Gaara e eu fomos ao encontro do meu avô, e eu a MUITO contra gosto me despedi da minha Haruno, apos largar ela e  ino na casa da rosada. Algo me dizia que se a akatsuke voltasse, eu não teria muito tempo para ela, e isso eu não ia suportar, eu era um viciado em estágio avançadissimo.


 -Finalmente cara! Para um Uchiha você demorou hein! Gosta mesmo dela não? 


-Pra cacete- Era estranho admitir isso em voz alta.


-Você é muito gay cara!


-Eu?- O fito indignado, antes de voltar meu olhar até a estrada-" A Ino é tão incrível que eu fico no céu com ela"- Faço uma voz afeminada zoando com a cara dele.


-Vá se foder eu nunca disse isso, não ... assim!- Ele fala tímido arrancando uma gargalhada minha. 


-Que bom que está melhor cara, a Sakura te faz muito bem. 


Ele tinha toda a razão, ela era a minha cara e nada me completava mais.


-Precisamos descobrir onde aquele maldito se esconde, ele não sairá impune, eu vou...


-Você vai?- Meu avô me indaga enquanto eu desligo o carro, Gaara estava pálido. 


(...)


-Eu sei que você quer vingança Sasuke, mas as coisas vão além disso. Esse cara é perigoso, ele não tem somente uma dívida com o Fugaku ele também tem uma dívida com o pai da Sakuya, eles tem um passado. 


 Isso explicava o assassinato do Itachi e da Sakuya, e toda aquela briga das nossas mães no hospital. 


-Isso envolve nossas mães também?


-Fortemente. 


 Ótimo um passado mau resolvido.


-Já vi que isso será problemático. -diz o Nara com tédio. 




SASUKE OFF


 


FLASHBACK ON



Konoha 1977 



Após retomar sua vida normalmente Fugaku e Mikoto, se casaram,  eles viviam relativamente felizes, Fugaku não sentia mais nada por Mebuki, aprendendo a amar Mikoto da forma que ela merecia. No início Mikoto se convenceu disso, mas sempre que eles brigavam ela retomava ao passado. 


-VOCÊ NÃO QUER TER FILHOS COMIGO FUGAKU, POR QUE ? PORQUE EU NÃO SOU ELA?


-Não é isso, nao precisa gritar. Já disse somos jovens, temos que aproveitar um ao outro meu amor. 


-SEU MENTIROSO.


Ela bate a porta da mansão uchihae vai embora.


-Essa garota é chapa quente filho mas não mais que a outra explosiva de cabelos loiros.


-Ela não acredita que eu a amo pai.


Madara suspira e senta ao lado de seu filho. 


-Filho, você é quase tão lindo quanto seu pai, ela vai voltar e...


 A campainha toca interrompendo a sessão terapia de Madara.


Quando ele abre a porta, da de cara com um homem todo enfaixado.


-Desculpe mais, o setor de desabrigados fica na parte central da cidade. 


-Quero falar com Fugaku-O homem tinha o semblante seriamente assustador, mas sendo Madara uchiha isso não o afetaria.


Antes que Madara pudesse responder, fugaku aparece na porta.


-Eu ouvi meu nome...-Ele paralisa ao reconhecer o homem a sua frente -Você.


 Ele lembrava como se fosse ontem do dia do incêndio onde quase morreu enquanto brigava com Kizashi.


-Quero falar com você Fugaku, precisamos tratar de negócios.


(...)


-Quero acabar com Kizashi Haruno-O homem foi direto ao ponto. 


-Desculpe...-Madara parecia impaciente. 


-Danzou, meu nome é Danzou.


-Danzou, mas não estamos interessados, Kizashi Haruno não tem nada  a ver conosco. 


-O que pretende? -Fugaku pergunta receoso, afinal se algo acontecesse à kizashi Mebuki também seria atingida. 


-Quero acabar com ele, e com tudo que ele acredita.


-Eu e kizashi temos um passado conturbado sim, mas isso não significa que eu faria algo a ele ou a Mebuki. 


-Não quer se vingar? Mostrar pra ele o que um homem rico e influente é capaz.


-Como... como saiu vivo da casa? Mikoto me falou que você estava dentro da casa na hora da explosão. 


-Não pense nem por um momento que eu sai ileso daquela merda...


-Eu não estou interessado Danzou, não importa o que ele fez a você...


-Graças a ele, a Kunrenai... ela nunca vai me amar, ela...


-É melhor você sair daqui. -Madara foi firme e direto, causando uma enorme surpresa no homem enfaixado. 


-Imaginei que homens como vocês não teriam a decência e engenhosidade de acompanhar em plano desse nivel, até porque Uchihas não forma vocês que que tiveram grande parte do corpo queimado, aposto que se a Mikoto ...


-Não meta a minha noiva no meio, ou não responderei por mim. AGORA SAIA.


 Danzou fez jogo duro, e Madar com as próprias mãos o jogou porta a fora,  e aumento consideravelmente a desgraça do homem a mídia estava toda nos portões da mansão, e fotografaram o exato momento aumentando a humilhação interna que o homem sentia. 


-UCHIHASS! VOCÊS VÃO SE ARREPENDERR! EU JUROO!


 


FLASHBACK



SASUKE ON



Ótimo, descobrimos que meus pais e os da Sakura tem um impasse com esse Danzou, e ele estava falando sério mesmo, meu ódio era tão grande que os rapazes tiveram que me segurar para não quebrar tudo.


-Mas como? Esse Danzou é velho, o que ia cantar com a gente tinha a idade do itachi, não faz sentido Madara- Pain abriu um questionamento importante agora. 


-Aquele é o filho dele, herdou o ódio do pai. 


-Credo! É muita informação Madara!-Gaara fitava um ponto fixo ao me Cher sua cadeira em 180 graus.  


-EU VOU MATAR ELE...


-SASUKE! -a voz de meu avô era imparcial.-Controle-se, a garota é o alvo e você precisa cuidar dela, essa conversa não chegará nem nos uchiha ou sequer nos Haruno, entenderam?


-Sim-Ele tinha razão, eu teria que cuidar da Sakura, e era isso que eu faria.


-E agora ? Com toda essa situação problemática-Shikamaru fala com as mãos sobre o queixo- o que vai ser da Akatsuke? A polícia vai entrar nessa? A mídia vai enlouquecer. 


-Disso cuido eu, a akatsuke fará um recesso por tempo indeterminado, o zetsu já aprovou e assim será, continuem compondo, tente ao máximo não aparecer ou serem fotografados, não respondam nenhum tipo de pergunta,  e mantenham a CALMA- a última palavra ele fala olhando diretamente para mim.


(...)


A ida para casa foi igual às outras, imprensa, imprensa, fãs dando apoio em frente a mansão, e mais imprensa. 


 Entrei no quarto de Itachi que ainda tinha seu cheiro e sentei na cama, aquela foi a primeira vez desde que ... Bom, desde tudo.


 Seus pôsters estavam intocáveis , assim como todo o resto, seu favorito era o do Kiss, como ele gostava dessa banda, tinham outros também, vi que em sua escrivaninha tinha um livro de composições, que nunca mais seria usado. Antes que a tristeza me tomasse por completo, me assunto ao ver meu pai na porta todo engomado e perfumado, ele iria viajar. 


 -Lembra quando... ele senta na cama, você fez essa cobra do antebraço e ele se matou de rir.-Meu pai aponta para o meu braço esquerdo coberto de tatuagens. 


-Sim!-Sorri ao lembrar do dia- Ele disse que o corvo que ele tinha tatuado nas costas comeria a minha cobra viva, que eu era péssimo tatuando seres vivos.


-E que você era tão gay e adorava tanto cobras que teve que tatuar uma-A voz doce da dona Mikoto invade o local sentando ao lado do meu pai.


 Fitamos a mesa lateral ao lado da cama bem arrumanda do meu irmão e na mesa tinha um retrato meu e dele, deviamos ter 10 e 15 anos cada um, eu estava empurrado e ele fazia uma cara de deboche engraçada. 


-Filho, vamos viajar,  a negócios, sabemos que não é o momento, mas seu avô vai cuidar da empresa- Minha mãe fala calma e pacientemente. 


-entendo, vou ficar aqui e...


-Descanse filho-Meu pai aperta meu ombro. 


(...)


Eu estava só naquela casa enorme, e sem vida, resolvi seguir o planejado, ligar para a Sakura, com a desculpa de saber se ela tinha chegado bem, quando na verdade eu estava era morrendo de saudades. 


Ela atende. 


-Sakura?


-Sasuke-kun?


-Chegou bem?


-Sim, mas e você? - Era fofa a forma que ela sempre se mostrava preocupada comigo. 


-Eu estou bem relaxa, eu queria bom, saber se você quer ver um filme comigo? Aqui em casa, Posso te deixar aí depois,  ou, você pode dormir no meu quarto e eu no de...


-Eu aceito Uchiha-star-ainda bem que ela me interrompeu, eu Sasuke Uchiha estava me enrolando ao falar com uma garota, onde esse mundo iria parar?


-Eu te busco...


-Não precisa, eu tomo um taxi aqui.


-okay.


-Chego em 30 minutos. 


 Realmente, depois do ocorrido com nossas mães no hospital e a história que o meu avo contou, não deviamos dar sorte para o azar e tentar ser um casal na frente de nossos pais, e compreendo agora porque a mãe da Sakura me fitou tão surpresa naquele dia. E como a imprensa em frente a mansão não a veria? Temos uma saída estratégia pelos fundos da mansão, e foi por lá que saímos mais cedo.


(...)


Tomei um banho demorado, e fiquei lindo e cheiroso, aprontei a pipoca e peguei os refrigerantes, tinha um doce de leite que eu imaginava que ela fosse gostar então, o peguei também,  e levei tudo para o meu quarto, era uma noite fria, então ela iria ficar bem aconchegada em mim, espero que ela escolha um filme de terror.


 A campainha toca e eu abro, e o anjo de cabelos róseos entra pela porta com seu casaco longo vermelho e um vestido branco,  a deixando com uma aparência mais pura ainda. Perfeita. Seu cabelo não estava mais repartido, agora curto ela usava o mesmo para o lado. Como eu disse perfeita. 


  -Esta um pouco frio para você estar de camisa, não acha uchiha star? -Ela analisa minha camisa preta lisa. 


-Aqui dentro está melhor,  e tem cobertas lá em cima.


(...)


Subimos para meu quarto.


-Então... -Eu uebro o silêncio- Sakura,  já são 21:30, se você quiser, só se você quiser, após o filme, você pode dormir aqui- Eu estava mais confiante, muito bem Sasuke- E eu durmo no quarto de hóspedes. 


-Okay- ela sorri da forma mais linda que se pode sorrir. -E qual vai ser o filme? 


-A seu critério, hoje a dama que manda. 


-hmm, gracias uchiha-sama.


Começamos a caçar filmes, ela então escolheu sobrenatural 3. 


-Tem certeza? 


-Ta me chamado de medrosa?  Se eu escolhi é por que eu quero ver.


-Ta bem, ta bem, foi mau-Ela estava assustadora. 


 Então ela tirou o casaco, e as botas vermelhas, sentamos no chão em cima de uma manta de micro fibra preta,  e nos cobri com outra azul escura. Como ela estava somente de vestido-Para minha alegria- Ela se animou em mim.


-Melhor assim? -Perguntei a ela, que assentiu corada. A sensação daquele corpo pequeno no meu, me deixava com mais vontade ainda de protege-la, de tudo.


 O filme começou, e ela se atracou na pipoca, no decorrer do filme ela se agarrava em mim com as cenas mais pesadas, eu não achei nada demais, nem mesmo quando a velha foi até o lugar onde a entidade morava, mas a Sakura estava quase tendo um treco, o que para mim foi ótimo já que ela não desgrudava de mim.  


  Quando o filme terminou a expresso que ela esboçava era hilaria, visto que foi causada pelo susto final.


-Você que quiz ver.


-rumf-Ela cruza os braços ao me soltar e vira de costas pra mim.


-Hey- Eu a viro para mim segurando seu queixo de forma carinhosa- Não precisa ter medo- Fito-a fundo naquele par de esmeraldas- Eu estou aqui.


-Jura?- Ela parecia desarmada com a minha revelação. 


-Juro- Minha voz sai baixa, mas firme e determinada. 


 A puxo para mim em mais um beijo apaixonado, que somente nela eu poderia dar. Ela puxa meus cabelos e eu aperto-a mais, enquanto nossas línguas se entrelaçavam com volúpia da forma mais prazerosa já vista, e senti meu amiguinho despertar , sim ela me deixava louco, por isso fui parando o beijo. 


Ao me separar dela, afago seu cabelo, e mordo o labio inferior dela.


-Eu não vou deixar , eles chegarem perto de você.


-Eu sei que não- Ela me da um selinho delicioso- pode me levar para a escola amanhã? 


-Não precisa nem pedir.


 E assim ficamos conversando, ela aconchegada em mim, nos conhecendo e dando uns bons amassos, na medida do possível, pois o uchiha Jr já estava incontrolável perto dela e Sakura aconchegada em mim não estava ajudando, com aquele cheiro...


 -Amanhã você tem aula, precisa dormir. 


-Okay- Sua expressão havia mudado, talvez ela tenha achado que eu iria dormir ali e estava sem graça, melhor eu sair logo.


-Bom a cama já está pronta, é só você deitar, tem comida na geladeira, eu vou estar no 3o quarto à direita,  pode usar uma roupa minha se quiser-. Dei um beijo em sua testa e com muito pesar abri a porta, quando eu ia sair ela me impede, dizendo:


-Fica!-A voz dela soou manhosa, deixando o pedido ainda mais irresistível,eu não negaria o pedido de uma deusa.- Ta frio Sasuke-kun.


-Claro que eu fico.


 Enquanto eu levava as coisas para a cozinha ela se arrumava para dormir,  voltei e a vi com uma bermuda de moletom minha e uma camisa azul escura lisa, ela estava...


-Linda.


Ela sorri envergonhada e nos aninhamos embaixo das cobertas, envolvo ela em meus braços e ela cola seh corpo no meu enquanto eu passo todo o meu calor para ela  .  O frio la fora não nos encomodaria, muito pelo contrário, estava nos ajudando e muito.  Como eu me sentia? Em um sonho. 



SASUKE OFF



KURENAI ONN



-O kabuto, trabalha naquele necrotério, não foi difícil, afinal ele sempre fez tudo o que eu pedi, e já estava na hora de ele se redimir, mas o importante é manter o sigilo, isso não pode sair daqui, não por ora, ouviram? Sakuya? Olhe para mim por favor. 



KURENAI OFF







Notas Finais


Até!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...