História Complicada e perfeitinha - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Asuma Sarutobi, Fugaku Uchiha, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Kabuto, Kakashi Hatake, Karin, Kiba Inuzuka, Kisame Hoshigaki, Kizashi Haruno, Konan, Kurenai Yuuhi, Madara Uchiha, Maito Gai, Matsuri, Mebuki Haruno, Mikoto Uchiha, Naruto Uzumaki, Obito Uchiha (Tobi), Orochimaru, Pain, Rin Nohara, Sai, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha, Shikaku Nara, Shikamaru Nara, Shion, Shizune, Suigetsu Hozuki, Temari, TenTen Mitsashi, Yamato, Zetsu
Tags Complicada, Drama, Irmãs, Itachi, Naruto, Perfeitinha, Romance, Sakura, Sasuke, Sasusaku
Visualizações 7
Palavras 6.055
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


[REPOSTAGEM]

Capítulo 6 - Amigos chapados e banheiros vazios


Fanfic / Fanfiction Complicada e perfeitinha - Capítulo 6 - Amigos chapados e banheiros vazios

Capítulo 6



SAKUYA ON



O que, o empresário da Akatsuke queria comigo?  Eu ficava com ódio só de pensar naquela banda e sei que coisa boa não era, aqueles idiotas estragaram o momento mais importante da minha vida e pisaram na minha chance mais palpável de ingressar no mundo da música de vez. 


-Temos que tratar de negócios senhorita. 


- Eu não tenho nada para tratar com ninguém. Agora da o fora da minha casa.


-Que educada, deve ter sido por esse tipo de temperamento que extravasou tanto no palco. 


-Nossa mas que esperto senhor empresário. Agora se me der licença- Falo a última parte ironicamente- tenho que arrumar um emprego, porque a sua banda tirou a minha chance de... nem sei porque eu estou falando isso pra você. 


Ele bloqueia a porta me impedindo de sair. 


-Se aceitar falar comigo, prometo que caso esta conversa não tiver nada de seu interesse eu vou embora e nunca mais perturbo sua paz.


-...- paz, eu precisava muito disso, era uma proposta tentadora, a presença dele meio que me deixava tensa ele era ameaçador e eu NUNCA me sentia ameaçada. - que seja. 


(...)


Pude ver a expressão enojada dele ao sentar no meu sofá gasto e velho. Talvez um empresário de uma banda de sucesso não estivesse acostumado a frequentar lugares tão desprovidos de glamour. 


-Eu realmente duvido que saia algo de vocês que possa me interessar.


-A sua banda tem muito futuro você sabia? 


-Talvez você nao saiba, mas a sua akatsuke não enxerga bem assim.


-Só por causa do acorde de ouro? Pois, saiba que o fato de vocês não terem vencido não significa que não sejam bons. Só que meus meninos são...


-Tarados? Idiotas? Cretinos? Bakas?...


-Okay eu já entendi, eles realmente passaram um pouco da conta, porém você tem conhecimento que o contrato é assinado somente se...


-Ta olha só, eu sei dessa parte-Eu estava para variar perdendo a paciência que me restava- a akatsuke aprovar após uma audição técnica. Olha só, você pode ser mais direto Marada?


-É Madara!- Ele fala irritado, que ótimo,  agora ele sabia como eu estava me sentindo.- Quero propor da Anbu assinar com a gravadora da Akatsuke. 


Okay ele não podia estar falando sério não é? 


-HAUHAUHAUHAUAHUAHAUAHAUAHAUAHAUAHUA-Ele me fita atônito com a minha reação-Ta , essa foi boa tio.


-Tio? Escuta, eu estou falando sério.


Meu sorriso se apaga mudando para uma expressão de incredulidade. 


- se vocês queriam tanto assinar conosco porque não nos escolheram no dia do concurso? 


-São garotos com hormônios eles acabaram deixando seus instintos mundanos falarem por eles. 


-Pondo em jogo um contrato tão importante... Acho que maturidade não é forte deles, e quer saber, eu não me importo mais com isso, eu já sei que essa merda de show business apadrinha somente aqueles que passam uma imagem que venda, uma imagem onde a porra da aparência predomina e o talento se da um jeito depois. A cultura está morrendo Marada e eu não vou fazer parte disso. 


Ele dá um sorriso de canto e pega o celular, digita algo e volta a atenção à mim.


-Pela última vez é Madara...Eu levo fé no seu potencial e no seu talento e por esse fato,  vou ousar mais. 


- Acho que eu não entendi. 


-E se você se juntar a Akatsuke?-Ele não perguntou isso-  Pode ser vocalista junto ao Ita, vocês fariam um dueto incrível, ja consigo ver os holofotes em vocês e toda a platéia shipando a nova dupla que entra em sincronia só de estar no mesmo palco arrebentando e ...


-Hahahahahhahahahhahahah.


-Você vai rir de tudo o que eu disser? 


-Mara...


-É MADARA!!


Aquilo estava cada vez mais engraçado. 


-Aahh já entendi. É uma pegadinha não é? 


- Você pode ser a mais famosa rockstar do Japão e ganhar reconhecimento mundial. sakuya, eu vi você no palco, você tem conflitos internos e lida com essa guerra que há dentro de você em cima do palco. Imagina fazer isso profissionalmente? 


 Ele era mais observador do que eu pensava, e ouvir aquele tipo de proposta vinda de um homem que tinha meu futuro em suas mãos me fez quase perder o equilíbrio entre a razão e o coração, o orgulho de auto preservação e o impulso incoerente. Mas como eu ainda era, bom, eu, dou a resposta que teria dado desde o começo. 


-Não obrigado, procure alguém que esteja interessado, alguém na qual os Akatsuke não tenham destruído o sonho. A banda vencedora do acorde de ouro-Meu tom era melancólico, mas naquele momento eu já não me importava mais com a forma com que as palavras saiam.


Ele me fitou triste pela primeira vez.


Eu queria de verdade estar em uma banda grande, mas essa banda teria que ser anbu, ou nada feito. Minha cabeça doía so de pensar em estar perto daqueles caras novamente, e minhas veias pulsavam com a ideia de cantar com aquele Uchiha babaca. Eu realmente o detestava.


  E lá se vai o meu sonho. Saindo pela porta. E junto a ele, a esperança de fazer música profissional em um amanhã próximo. 


Agora o que me restava era arrumar um emprego e ajudar Kurenai com as despesas. 


(...)


1 semana depois



- Vou vender minha guitarra Naruh!- Falo de uma vez antes que o arrependimento não deixe as palavras se libertarem.


- COMO ASSIM?


Estávamos em um parquinho no nosso bairro e era domingo, meu dia de folga, já que eu tinha conseguido um emprego na lanchonete dos pais da Hina, não era nada top, mas grana é grana. 


-NARUTO PRA DE GRITAR SEU BAKA! EU TO DO SEU LADO.


-Fica calma sakuya-chan, você pode ficar com a pressão alta.


-A única pressão aqui vai ser a do meu punho na sua cara, seguido de um tranquilizante com silenciador em você. 


-Tá bem, ta bem, não quero nada com agulhas no meu corpinho lindo. 


-A modéstia ta ausente aqui hein! 


-Hehe!- Ele me cutuca- Eu não acredito que você vai vender a Luky... essa não é  você... Não pode ser pelo que houve, ou é?  Esse sempre foi seu sonho, e agora você dizendo que vai vende-la, é uma forma indireta de desistir de tudo.


-O que você quer que eu faça?  Já era! cabou.


-Mas o próprio empresário da akatsuke ...


-Não importa o que ele quer de mim. Eu quero distância daqueles... ARRRG.- Precisava mudar de assunto não estava aguentando o rumo que a conversa havia tomado- como anda o reino encantado. 


- Então... eu preciso muito te contar uma coisa sakuya-chan.-Meu radar apitou na hora, Naruto estava a mais de um mês estranho e agora ele ia me contar, e eu tinha certeza que coisa boa não era, pois algo dentro de mim não deixava de apertar meu peito. 


-Fala logo ...


-Sakuya-chan- Era shino e Deidara interrompendo - Naruto baka! Partiu bira hoje? 


-Mas hoje é domingo seus bakas amanhã a gente tem aula- Naruto se opõem ao convite deles. 


- E quando ele diz " a gente " ele tá falando de vocês também- eu falo completando o argumento de oposição do loiro. 


-Ah para! Estão virando guriazinhas? Sempre rola a bira de domingo e hoje é domingo! Qual é vamos aproveitar a nossa juventude- Fala Deidara em um tom de sarcasmo ao dizer juventude tirando sarro do professor Gai.


-Hahahahahahahah-Rimos em uníssono. 


-Naruh??-  jogo a decisão em cima dele.


-Cara! Taaaa vamos!


-Aeeeeeew!- eles gritam animadamente. 


(...)


Beber com os garotos sempre me fez mega  bem, bebíamos à vida e  depois esses maricas vomitavam até a morte, eu sempre ria deles. O bom de não ter  carro é não precisar dirigir na volta. 


-Hey pra onde vocês estão indo bakas? O império da bira é aqui- Aponto para o costumeiro bar onde sempre íamos beber, pois no império da bira como chamavamos ( o nome verdadeiro era beer senpai) conseguíamos comprar bebidas mesmo que fossemos de menor, pois o dono já era nosso chapa. 


-Não vamos nesse hoje. Vamos um pouco mais além, vamos para a zona oeste. 


Olho desconfiada para eles, aquilo estava estranho,  e Naruto em um passe de mágica lê a minha mente. 


-Mulher? 


Shino abre um sorriso malicioso. E Deidara cai na gargalhada. 


-Eu não acredito que o shino vai perder a virgindade. -Tiro com a cara dele que me lança um olhar mortal, já Deidara e Naruto caem na gargalhada. 


-HAUAHAUAHAUAHAUAHAUHAUAHUAHHAUAHAUAHUA...


-Aposto que é uma prostituta... HAUAHAUAHAUHAUAHUAHUAHAU... Porque nem as estranhas da escola te querem cara!-Naruto fala em meio aos risos.


-As estranhas nem quero seus bakas, mas a sakuya-chan aqui ja pirou na minha, morram de inveja. 


-A SAKUYA?- Deidara gargalha mais ainda quando dou um soco na cara de Shino- Cara se nem as estranhas te querem tu acha mesmo que uma garota do nível da sakuya-chan iria te querer? 


-Cara! Muda de time na real, com homens quem sabe tu tenha mais sorte.


-Vai se foder Naruto. 


E assim foi indo a nossa conversa madura e calorosa, os meninos me divertiam demais e isso me distraía de todo o resto. 


(...)


Chegando no bar , podemos ver que o nível era maior que o dos outros da nossa área, mas eu ainda preferia o império da bira. Ia ser difícil conseguir bebidas ali sendo menor de idade. 


  Foi então que entendemos o porque de Shino querer ir para o outro lado da cidade, a bar tender sorria para ele de forma convidativa e ele foi até ela conseguindo bebida para nós. 


-Cara onde conheceu ela? -Se nem Deidara sabia, quem dirá nós. 


-Em uma festa. Eu sou lindo o sexo oposto não resiste.-E me joga uma piscadela, me fazendo revirar os olhos. 


Estávamos bebendo e rindo pra caramba, nós não eramos fracos para bebida e isso sempre foi um fato, mas uma coisa leva a outra. Entendam eu estava em um momento meio hard da minha vida, Naruto por sua vez estava tenso e parecia carregar algo pesado dentro de si, algo que eu ainda desconhecia. 


Shino estava se exibindo para a garota, contando vantagem e pagando de rei da bira bebendo ainda mais, Deidara era o único tranquilo à principio, e depois de ... eu nem sabia mais quanto tempo havia passado, eu só sabia que tudo girava e eu meio que ria por tudo, mas não era somente eu.


 -Vamos sair... daqui!- Eu procurava as palavras e cara, eu estava com dificuldades.


-Vão Vocêzz!! Qui eu... eu vo fica bem aqui- shino aponta para a mesa- e sssentado nesssa cadeira. Não vou sair pra foooora.


-Ufa ainda bem...- Naruto nem para nós mais olhava, ele fitava o copo vazio, como se nós fossemos o copo- porque se você saísse pra dentro cara!  Se ia see um ... um... um ninja.


-HAHAHAHHAHAHAHAHAHHHAHAHAHAHHAHAHHAHAHAHHAHAHAHHAHAHAHHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHHHAHAHAHHAHAHAHHAHAHAHAHAHHAHAHHAHAHHAHAHAHHAHAHAHAHHA.


Todos caímos na gargalhada e quando Deidara cai da cadeira quebrando a mesa somos expulsos. 


Shino decide ficar na frente do bar para esperar a garota dele.


-Vai se foder dono do bar. -Digo mostrando o dedo do meio.


-Sakuya-chan ele vai chamar a polícia pra gente... aah minha cabeça ta girando- Naruto falava enquanto me puxava- E o nome dele não é dono do bar qual é o nome dele? Ah que se foda o nome dele.


-HAHAHAHAHA!- Deidara ri enquanto aponta para nós. - Vocês estão podres tipo, tipo...-Ele põem a não na boca.


-Vomita guriazinha- E então sinto uma sensação horrível tomar ninha cabeça e entro no primeiro local que vejo.


Estou um pouco tonta mas vejo claramente que é um restaurante super chique, e antes que alguém pudesse me impedir eu já estava caindo de boca na privada. 


Ouço alguém entrar, mas não me importei se era segurança ou quem fosse, eu só queria soltar o que estava querendo sair.


Sinto minhas tripas latejando ao soltar tudo que dentro de mim residia. Enfim, pulando os detalhes sórdidos, respiro fundo.


Meus olhos lacrimejavam e minha garganta ardia. Isso nunca tinha acontecido comigo e agora eu sabia o quão desagradável era a sensação. "Recuperada" e mais sã, saio da cabine imaginando que alguém me tiraria dali aos tapas, e no estado que me encontrava não ia ser difícil. Não mesmo.


 Checo minha roupa e vejo que minha camisa do acdc está ilesa, e todo o resto também, ou seja, a integridade física está mantida. 


Mas a psicóloga é colocada a prova, quando saio da cabine e vejo o impossível que me faz ter certeza que bebi demais. 


 Na minha frente, vejo uma garota, EXATAMENTE IGUAL A MIM, imaginem vocês se olhando no espelho e se deparando com o próprio reflexo, era como eu me sentia naquele momento, ela usava um vestido rosa supergay seus cabelos eram compridos (imagina a merda do trabalho que ela não deve ter pra cuidar, credo), ela era o oposto de mim no sentido personalidade e isso estava evidente.  Ela por sua vez, me fitava atônita, como se tivesse visto um fantasma e eu não a culpo , pois eu acho que eu estava da mesma forma. Comecei a esfregar os meus olhos para ver se não estava viajando, porque eu tinha bebido pra cacete, e se em algum momento da minha vida eu passasse por algum tipo de "loucura visual" a hora seria aquela. 


Ela continua me fitando estática. Me aproximo mais e levo meu dedo até o braço dela e ela da um pulo para trás batendo na pia.


-Eu acho que eu bebi demais dessa vez.-Falo mais para mim do que pra ela franzindo a testa.


-Q-quem é você? - Foi estranho ouvir ela falar, sua voz era igual à minha, porém era mais doce, mais suave e mostrava uma certa calma, e fragilidade.


-Eu é que pergunto... por que... Você tem o meu rosto?  -Aquilo só podia ser um sonho muito louco, o que falta agora?  Unicórnios voadores aparecem com bolsas de couro. Eu nem havia dormido ainda e minha cabeça já estava doendo. 


Não conseguíamos parar de nos encarar, eu queria tocar nela para ter certeza que era de carne e osso.


-Você... como? Eu nem sei...- Ela parecia confusa e perdida, tentava procurar algo em sua mente que não conseguia encontrar, e eu tinha certeza do que era: respostas. 


-Escuta meu nome é Sakuya yuhi- A garota está pasma e agora está sentada no chão olhando para mim ainda- S-A....


-Não.. Não não e  não... Eu não posso crer em algo assim... Você eu... eu fui clonada?


Minha expressão muda de confusão para irritação. Aquela garota não podia ser minha irmã, não mesmo. Porque se fosse acho que teve problemas genéticos de autismo. 



SAKUYA OFF



SAKURA ON



Fiquei pensando em como meu dia havia desenrolado, e sem dúvida foi um dos dias mais agitados da minha vida. Deitada em minha caminha macia a única coisa que meu corpo implorava era descanso, mas a  minha mente estava a mil. Sasori, o que eu deveria fazer para ele sair do meu pé? E Ino? Como ela estava? Depois do show da akatsuke ela sumiu e me deixou sozinha com... sasuke ...


Que garoto era aquele? Mais lindo impossível , e aqueles olhos escuros, quando estavam em mim era como se eu flutuasse? Era atipico me sentir assim com um desconhecido,me dei conta do fato de que enquanto conversávamos, não pensei em sasori em nenhum momento. Olho para o cabide e vejo o casaco marrom dele, na qual seu cheiro estava impregnado.


Hortelã. 


Me dou conta que também estou com cheiro dele e me sinto extasiada com o mesmo.


Uchiha sasuke.


(...)


-Saky-chan!- Lee me toca meu braço me acordando de um cochilo na sala e salvando-me de uma possível bronca do professor.


-Lee, oi.- Falo soltando um bocejo e me espreguiçando. 


-Têm notícias da Loira?


-Ino... É mesmo!-Não falava com ela desde a briga dela com o sai de ontem. - Ela foi embora do show separada de mim. 


-Por que?  Vocês brigaram? 


-Não. Foi o sai, ele estava lá com uma garota. 


-No show da Akatsuke? Mas a Ino disse que ele não curtia rock.


-A Ino não sabia nada sobre ele e nós dois sabemos disso.


Ele concorda e me fita curioso.


-Como você chegou em casa? Por que não me ligou? Eu te buscava.


- O amigo dela me levou.


-Que amigo? O Uchiha? Por que você está sorrindo? 


Eu estava sorrindo?  Não sakura não. Nem pense nisso.


-Por que... o show foi muito legal.- Óbvio que não era isso, mas que diferença fazia? Nem eu sabia porque eu estava sorrindo. 


Lee ia perguntar algo quando sasori entra na sala junto à kiba, que por sua vez me fita sério. 


-Gata, precisamos conversar -quando dei por mim ele já estava na minha frente. 


Meu coração não acelerava mais ao ver sasori, não palpitava nem sequer sofria algum tipo de alteração, porém meu estômago se retorcia de repulsa.


Quando comecei a namora-lo, pensei que tivesse encontrado o meu verdadeiro rumo, mas cair de cabeça foi um erro e eu não cometeria novamente. 


-Sasori, por favor, deixa eu assistira aula em paz a professora ja vai chegar.-Eu nem olhava para ele, eu não conseguia. 


-Só se prometer que vai me escutar. 


-Cara que papo mais cliché- Olho para a classe de trás e Naruto ria da cara de sasori, quando ele havia chegado?  Lee começa a rir junto com ele, agradeci pelos dois estarem ali comigo. - o que vem depois?" Não é o que parece".


-"Eu posso explicar"- Lee completou a zoação em cima do ruivo. 


Olho para sasori e vejo seu olhar de ódio pulverizando meus amigos. 


-Eu não falei com vocês, criatura estranha e uzumaki viado.


-É assim que você rebate?  Ta precisando praticar. -Naruto ainda fita ele com um sorriso bobo, ele não fazia ideia do que se passava entre eu e sasori, mas ele estava me ajudando de uma maneira que ele não fazia ideia.


-Cai fora cara. -Lee fala agora mais sério do que eu estou acostumada. 


Ele fita a todos nós.


-Nós vamos conversar. 


Vira as costas e senta ao lado de kiba. Me perguntava se Karin se sentia vitoriosa, afinal ela transava com ele, mesmo ele estando comigo. Pois não havíamos transado(não por faltas de tentativas dele, óbvio).


-Obrigado meninos- abro um sorriso de gratidão para ambos. 


-Não foi nada sakura-chan.


-Estamos aqui pra isso mas você nos deve uma explicação. 


Fiquei feliz por Lee e Naruto estarem se entendendo, parece que o Lee finalmente o aceitou. 


(...)


Ino não tinha ido para a aula, não visualizava o watts desde as 18:57 de ontem e isso era mais do que  PREOCUPANTE. Daria tudo para saber onde ela estava. 


Saio  pelo portão e tento ligar para ela, mas a mesma não me atende. Era a décima nona ligação só hoje,  eu realmente estava preocupada.


-Nada saky-chan?- Lee parecia tão preocupado quanto eu olhando para o celular- Agora, me conta qual  parada entre você e o ruivo aguado?- Naruto se aproximava pronto para ouvir. 


-Eu prometo que conto tudo depois, só me deixem descobrir onde a porca anda.


-Ela também não me atende. - Lee tentava ligar novamente. 


-Gente preciso ir-Naruto se despede- Aí tentem algum amigo dela, pode ser que ajude.


-Boa!!-Falamos em uníssono. 


(...)


Meu motorista havia chegado, mas o dispensei, pois eu iria tentar descobrir algo sobre a porquinha para ver o que tinha acontecido. 


-Lee você vai tentar a casa dela, se ela te ligar ou estiver em casa você me retorna imediatamente.


Quando Lee se afasta começo a digitar novamente o número da loira, até ver uma sombra me cobrindo. Se fosse sasori eu iria usar um teaser.


-Sakura?-Uma voz rouca fez minhas pernas tremerem como nunca antes. 


-Sasuke?- Fito os olhos ônix daquele monumento arquitetado por um projetista muito bem formado. 


-Precisamos conversar. -Ele esperava uma resposta, mas confesso que era meio difícil com ele bem na minha frente. 


-F-fala Sa-sasuke.


-vamos sair daqui? Se eu for reconhecido, só vamos sair daqui amanhã. 


-O..ok- eu estava gaguejando igual a uma anta. Que pessoa mais autista ele vai me achar. 


(...)


No carro dele novamente fico recordando nossa última conversa e como foi surpreendente a atitude dele , eu  não esperava e achei super fofo. 


-Para onde estamos indo? Para um matadouro de alunas do colegial? 


-Nao, para o mercado negro dos uniformes.


-Hauahauahauah! Ok.


-A Ino quer te ver. 


Ino.


-Onde ela está?  Com você ...- Naruto tinha razão. 


- Ela está na minha casa sim. Ela está meio mau ainda então não repara.


-Ok. E o sai?


- Apanhou do Gaara,mas é uma história pra depois. 


Eu não olhava para ele, fitar sasuke e ser fitada pelo mesmo, me deixava envergonhada e corada. Que ridícula eu era.


-Uau! Que noite que ela deve ter tido. Pobre Ino. Sei bem...- Lá ia eu falar demais. Shhh ele não precisa saber dos seus chifres. 


-Sabe o que? 


-A mãe dela?


-...- Ele me fita desconfiado- A mãe dela sabe, nossas mães também são amigas. 


-Menos mau. E conseguiu comemorar depois que me largou em casa?


- Não, por conta do ocorrido com a Ino, mas vamos dizer que a parte com você foi... a mais legal. 


É sakura ... Você é uma garota legal.  Uau... Ele nunca te olharia, é um astro do rock... que pensamentos são esses? Não e não,  ele é um astro você nunca namoraria alguém assim, nunca.


-Me sinto honrada já que sua noite foi repleta de confusão, pelo menos não te matei de tédio- Óbvio que comigo ia ser legal, até porque a noite dele não teve nada especial só a Ino sendo traída. 


-DROGA...- Meu celular toca e eu já sinto meus olhos marejarem, era sasori, porque?  O que eu fiz para merecer?  Eu só conseguia sentir ódio. 


Sasuke olha para meu celular.


-Ta tudo bem sakura?- A forma como ele falava meu nome e me fitava me fez paralisar por um momento. Eu me encontrava em um conflito interno.- Seu celular vai me enlouquecer, juro que respeito o gosto alheio, mas katy Perry ta começando a me irritar, mais do que já irrita. 


-Desculpe e-eu...


O único som que se escutava era a trilha sonora do meu celular. 


-Você tá chorando? 


NÃO. 


Limpo as lagrimas o mais rápido possível, pagar de chorona assim de cara, nem pensar. 


-I-impressão sua.


Quando ele ia dizer algo,  chegamos e ele teve que estacionar sem terminar o que tinha pra dizer. 


(...)


Entramos na mansão, e pude ver a vasta extensão do local e para astros do rock, eles estavam usando bem o dinheiro. 


-Meus pais não estão, eles viajam a cada 3 meses à trabalho durante duas semanas, por isso a Ino vai ficar mais uns dias aqui. 


-Ela está bem mau não é? 


-Mais do que você pensa. 


O uchiha era um bom amigo, ofereceu asilo à Ino e fez tudo o que ela pediu na noite do show, ok astros do rock não eram taaao ruins assim. Mas eu não namoraria um, mesmo sendo um sasu...


-sakura?


-Sasuke?


-Hauhauhau!- Ele se diverte com a situação- Em que mundo você vive? 


-A pergunta certa é, em qual eu quero viver. 


-E em qual você quer viver?


Ele me fita com os olhos Onix me prendendo aos mesmos da forma mais eficiente possível.  Era impossível quebrar essa corrente invisível que me prendia aos olhos tão escuros e desconcertantes dele, era uma sensação até então desconhecida para mim, e realmente, quando ele me fitava todo o tipo de pensamento deixava por completo a minha mente.  Socorro.


-Saky.- Ino quebra nosso contato visual abrindo a porta do quarto,  quando fomos parar ali?


-Amiga- Eu a Abraço passando a ela todo o meu carinho.


o que realmente tirou a minha atenção dos olhos Onix foi a voz fraca da minha amiga, o fato de ela não ter gritado meu apelido ou algo assim.


Sentamos na cama e logo deduzi que era uma espécie de quarto de hóspedes, pois não haviam fotos, Ou quaisquer coisas que indicassem que ali residia um dono.


-Eu e o Lee estávamos morrendo de preocupação com você porquinha.-Ela sorri fraco.


-Eu devia ter avisado vocês. Por isso que eu pedi ao sasuke-Olho para a porta, mas ele não estava mais lá- ir te avisar que eu estava aqui, fiquei surpresa pelo fato de ele ter te trazido, eu não pedi isso à ele, mas que bom que ele fez isso-Ela estava me dizendo que o guitarrista lindo, me trouxe por livre e espontânea vontade??????? No way. Será que... Não, ele sabia que a porca precisava de uma amiga. É isso. NÃO? -Acho que ele simpatizou com você- Ela fala dando um sorriso malicioso. 


Eu coro simultaneamente e baixo a cabeça. 


-E-eu acho que ele sabia que você precisava de uma amiga. Foi só isso.-Ela me fitava com um sorriso fraco, Ino estava descabelada, com os olhos tão inchados de chorar quanto os meus estavam no dia em que eu descobri a traição de sasori, e parecia não ter dormido.- E o que aconteceu ontem depois que eu sai?


-Eu fui atrás do sai.



Flasback on◆◆



Eu estava fora de mim naquele momento e só queria bater nos dois.


Eu sabia que como ele havia sido expulso com a piranha estariam na porta dos fundos, e se eu fosse rápida, ambos ainda estariam lá. 


E eu estava certa, eles estavam parados ao lado de uma lixeira, pareciam se beijar, era difícil dizer, pois só um feixe de luz de um poste se projetava neles. 


-Que legal sai que você está aproveitando o show- Agora vejo com um pouco mais de clareza que ele agarrava a garota e ela abria um pacote de camisinha- parece que você e a sua companhia estão bem à vontade no meio da rua.


-Ino... Você está sendo imatura, não esperava menos de uma menina do colegial. 


As lágrimas começavam a cair sem permissão alguma. Cerro meus punhos completamente indignada com a situação. 


-Vo-você  ... VOCÊ DISSE QUE ME AMAVA SAI. E-eu ia te dar tudo.


-Não que você tivesse muito a me oferecer não é? Você nunca sequer desconfiou Ino?- Ele estava sendo um babaca e nem se esforçando estava, dava para ver que saía naturalmente- nos vemos a cada duas semanas-  Ele solta a garota e acende um cigarro-mal te ligo, e quando você me pediu para te apresentar aos meus pais, o que eu disse mesmo? 


-" Eles não vão gostar de você... Eles não querem que eu namore..."- Eu repito caindo na real, enquanto ele abre um sorriso falso- Então era mentira? 


-Nem tudo, eu realmente estou na faculdade, eu curso artes visuais, mas todas as coisas que eu disse bom, você acreditou,  e acreditou tão fácil.  Igual a essa aqui.- Ele aponta para a garota que para de sorrir imediatamente e o fita com ódio. 


-Sai você ... seu desgraçado- Ela fala dando um tapa no rosto dele indo embora. 


-Então era por isso, como eu não me toquei antes? Eu não sabia nada sobre você e... seu merda, você é um merda e vai acabar sozinho, egoísta desgraçado...


-Ino ... chega nada que você faça ou diga, vai me atingir. 


E em uma fração de segundo uma mão atinge com força tão bruta que o faz bater na parede com tudo.


- Isso atingiu.- O ruivo da akatsuke fala enquanto limpava as mãos. 


Sinto alguém me pegar pelo braço, era itachi que me fitava com preocupação. 


- Está tudo bem Ino?- Ele e Gaara me fitavam esperando uma resposta, mas eu acabei desabando. 


Gaara se aproxima mais uma vez de sai.


-Você é pior que nada, e olha que eu já conheci muitos nadas.- soca a cara de sai mais um vez.- Você não é um fã digno,  tenho vergonha de saber que lixos como você curtem o som da Akatsuke.


-Vamos para a minha casa. -Itachi pega meu ombro e me conduz até o carro.


-E a comemoração de vocês- Minha voz era embargada pelo choro- Não quero estragar a noite de ninguém ... Espera...


Volto correndo e paro ao lado de Gaara, olho para cima e encontro seus olhos azuis, ele assente com a cabeça, viro a lata de lixo em cima de sai após dar um chute no saco do mesmo. 


-Vamos Gaara, temos que comemorar o show de vocês. 



Flashback off ●●



-Nossa!- Eu estava perplexa, sai era mais imbecil do que Lee e eu pressentíamos - E depois?  Vocês foram comemorar? 


-Não, só falei aquilo para não mostrar fraqueza na frente dele.


-Ele é um cretino e ARG!!! O lixo que você tocou foi pouco perto do que eu vou fazer se eu vir ele um dia. Mas... e o Gaara amiga?  Que legal o que ele fez por você. 


-Eu também achei, ele chegou na hora certa, só não entendi porque ele me defendeu daquela forma.


Dou um sorriso malicioso e ela cora ... DE NOVO? 


-Você tá corada? Ino yamanaka corada? 


-I-isso é febre...


-Hahahaha! Sei 


-Agora eu sei como você se sentiu quando viu o sasori amiga. 


-...- Aquele assunto me trazia à realidade e eu sabia que ele não desistiria tão fácil. 


-E como você está? Deu tudo certo com o Sasuke?


-Oi? O que?  Sim ah... -bochechas quentes? Eu estava corando? - Ele foi bem legal. 


-Olha agora quem tá corada é você Haruno. 


-Eu não, você sabe o que eu penso sobre astros do rock. 


-Ta, então você não vai querer saber o que ele me disse ontem depois que te largou. 


-O que ele disse- Droga sakura, sério? Tão rápido assim? 


-Hmm que interessada. 


-Não, é que... ele me deu uma carona sabe... isso ... Você deve um favor a ele.


-Acho que ele vai te chamar pra sair. 


Ela não disse isso. "Ok sakura se controla". Por que meu coração me esmurrava no peito? Que sensação era essa? 


-Testuda?


-Oi?-


-Você gostou do uchiha não foi?


-Que ideia sua porca- Eu não gostei eu...- precisava tirar aqueles olhos da minha cabeça- O que ele disse?


-Ele disse que...


-Ino - Itachi entra com uma bandeja-Olha -Ele me fita daquela mesma forma da noite anterior-  rosinha ta aqui, aposto que foi o sasuke que te trouxe. 


-por que você acha isso?


-Itachii- Sasuke surge com sua guitarra na não- vamos encontrar o Madara.- Sasuke o fitava com um olhar de reprovação, parecia até que ele era o mais velho, itachi ao contrário se divertia. 


-Ok maninho. Meninas, vamos encontrar nosso empresário, fiquem a vontade. 


-Qualquer coisa me liga Ino- Sasuke falava com Ino, mas era a mim que ele fitava, fazendo meu coração e corpo me trair. 


Meu telefone toca, tirando minha atenção do Uchiha mais novo.


Era a mamãe. 


(...)


Entro em casa e vejo que minha mãe sorri. 


-Mamãe? Está tudo bem você...


-Não posso crer que vocês terminaram. 


-Como você sabe?


- Ele esteve aqui te procurando, e você nem pra me contar. 


-Eu só não queria falar sobre isso.


-Oh! Tudo bem, e como você está?


-Melhor do que antes, sou mais forte do que pensava. 


-As coisas não são assim filha. 


-Como assim mamãe?  


-Se você conseguiu superar e manter o equilíbrio emocional, existe uma grande chance de o que você sentia por ele ter sido fogo de palha. 


-Traduz mamãe. 


-Você achava que amava ele. 


Essa me pegou de surpresa, será que era por isso que eu não me sentia a vontade de dar o passo seguinte com ele? 


-Mas filha- Ela senta no sofá- Vamos falar sobre a escola como esta indo?


-Ótimo, tudo está ótimo, mamãe eu vou descansar ok? Depois nos falamos. 


Corro para meu quarto e fito a parede,  pensando no que minha mãe tinha acabado de falar. 


E se fosse só uma paixonite? E se eu realmente apostei minhas fixas em um cara que não era " o cara" como eu achava.


-Vou estudar.


(...)


 Se passou um mês desde então, Ino voltou a escola revigorada. Lee queria partir sai e sasori ao meio. Naruto e Lee se tornaram amigos. E eu bom, eu passei o último mês pensando em como não pensar em sasuke. Mas não era fácil , eu não o vi durante esse mês, pois eles estavam com fazendo shows de última hora em outra cidade. Ino acabou por não me falar o que ele tinha dito, só para me castigar , disse que eu veria por mim mesma quando ele voltasse.


Sasori voltou com a karin, que por sua vez sempre me fitava mortalmente, mas mesmo assim o ruivo não deixou de me encarar, ou mandar mensagens pedindo para conversar, ele não tinha jeito e eu tinha pena da Karin de certa forma, mas chegar perto de mim ele não chegava, pois Lee e Naruto fizeram uma força tarefa anti-sasori.


(...)


 Em um domingo eu estava trancada  no quarto estudando, após ser reprimida pela Yamanaka porca, quando minha mãe entra no quarto. 


-Hoje à noite, jantar de negócios, você eu e seu pai.


-Maaaae não, por favor- eu não saía com meus pais ja fazia um tempo, mas aquilo era maldade. 


-Eu não estou pedindo, seu pai tem que levar a família, ou seja,  nós. Fique linda como sempre e nos encontre as oito lá baixo. 


O encontro era com o chefe dele e sua esposa, logo eu e a mamãe também teríamos que ir. Hump! Como se eles fossem um casal feliz.


(...)


Jantares de gala com a minha família,nunca foram lá meus Hobbes favoritos, ainda mais quando falavam apenas de negócios, era pior ainda. 


-Vou ao banheiro! -Digo e me ausento por um instante. Passo pelas mesas tirando suspiros dos homens ali, mas isso pouco me importava, eram todos velhos. 


Entro no banheiro para retocar minha make. Ouço um barulho na cabine atrás de mim, alguém estava vomitando, mas ignoro.Checo meu vestido cor de rosa de alcinhas, rodado na cintura e meu cabelo, que solto estava. Quando termino meu batom, uma garota sai da cabine, mas que porra? Ela tinha, basicamente o rosto igual ao meu, seus cabelos róseos eram curtos,  ao  contrário dos meus, mas isso não diminuía a semelhança entre nós. Ela trajava uma camisa do Acdc e um short preto, seguido de uma meia arrastão rasgada, seus olhos estavam marcados por um delineador preto, da mesma cor do resto de suas vestes incluindo seu allstar.


Ela me olhava boquiaberta, esfregando os olhos, como se estivesse limpando sua visão,a fim de ver com mais clareza a pessoa(eu), a sua frente.


Eu não estava entendendo nada, a única coisa que eu sabia era: Essa garota era no mínimo minha irmã gêmea. 


-Eu acho que eu bebi demais dessa vez.- Ela fala para si franzindo a testa.


-Q-quem é você? - Foi tudo que eu consegui dizer naquela hora, porque o fato de aparecer do nada uma pessoa com a mesma cara que você, não te leva exatamente a um delírio verbal.


-Eu é que pergunto... por que... Você tem o meu rosto?  -A voz dela era obviamente igual a minha, mas seu timbre era agressivo e impaciente. 


Ela me fitava tanto quanto eu a fitava, era assustador, era quase como olhar em um espelho, quase porque sua personalidade visual era ligeiramente diferente.


-Você... como? Eu nem sei...- Eu e me encontrava confusa, minha cabeça girava será que eu estava sob algum efeito psíquico de trauma por traição? 


-Escuta meu nome é Sakuya yuhi- Me sentei no chão ainda olhando para ela,  não podia a perder de vista, mas ficar de pé estava insustentável, eu estava a ponto de um surto total -S-A....


-Não.. Não não e  não... Eu não posso crer em algo assim... Você eu... eu fui clonada?-Eu tinha que considerar todas as possibilidades, por mais insanas que elas parecessem. Sua expressão mudou de confusão para irritação. 


-É sério isso?- Ela põem a mão no rosto em um gesto de decepção. 


-Eu acho que eu morri, e durante o processo de morte fui abduzida e levada direto para o limbo dos pecadores, duplicada, ressuscitada e como final do castigo- faço uma pausa reflexiva- tenho minha sanidade posta a prova 


-CALA A BOCA SUA MALUCA- A garota que tem o MEU rosto parecia gradualmente irritada- Tá me dando dor de cabeça. 


-Sakuya... certo?-Falei de forma cautelosa ela parecia ser stressada- Você deve ter as mesmas duvidas que eu certo?


-...- Paro um pouco e penso, fazendo toda uma retrospectiva da minha vida, e grande parte dela não fazia sentido- Onde você acha que podemos achar as respostas? De onde você é... que pergunta não é?  Você é daqui mesmo da oeste,  eu sou da parte Leste de konoha.- ela parecia mais calma.


- Sim- fito minha roupa e sabia à que ela se referia com o " que pergunta não é" - meio longe, o que faz aqui?  


- programa entre amigo- amigos- Cacete, meus brothers estão lá fora. 


-Escuta sakuya-san- Eu seguro sua mão e sinto algo estranho no peito- se formos irmãs,  quer dizer que alguém fez algo muito ruim, uma de nós foi seriamente sequestrada- Eu dizia preocupada , e sei que era recíproco. 


-E quem você acha que fez? 


Quando penso na resposta alguém entra no banheiro e vejo logo que era minha mãe, ela nos fita incrédula derrubando a bolsa no chão. 



SAKURA OFF




Notas Finais


Até!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...