História Conceal, Don't Feel! - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Tags Alternativo, Drama, Naruto, Revelaçao, Romance
Exibições 191
Palavras 2.650
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Mistério, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi amores, desculpem pela demora, eu estive meio ocupada.

Agradeço á todos que deixaram sua opiniao no "Aviso" que postei aqui. Saibam que anotei e pretendo coloca-las em pratica. Começando desse cap. Agradeço á todos os favoritos e comentarios. Voces me deixam muito feliz <3

Como premio, titia Akane vai postar esse cap HOJE e o proximo no sábado já.(era um cap só, mas tive de dividi-lo em dois pra nao ficar cansativo) :D

Boa leitura...

Capítulo 14 - Ideia genial...Só que nao - parte I


Sinceramente, quando o infeliz do sr. Uchiha disse que eu não teria folga por um longo tempo, juro, juradinho, que não achei que ele estivesse mesmo falando sério. Mas me enganei completamente. 

Oh, que novidade!

Ele decidiu, assim, de uma hora para a outra me fazer trabalhar no sábado, dá para acreditar? 

Aquela coisa/projeto de robô inventou de iniciar uma espécie de conferência internacional aos sábados e assim, eu como Secretaria Executiva, tinha o dever de estar presente.  


Há três sábados consecutivos eu não ficava com meu filho e também não podia simplesmente dar ao meu chefe outra meia dúzia de desculpas esfarrapadas para não aceitar uma ordem dele.

Para piorar as coisas, o maldito Madara Uchiha, foi quem deu essa brilhante (só que não) ideia para o meu chefe e, ele feito o cachorrinho que era, aceitou. Vi claramente o sorriso cínico daquele vampirão me olhando, depois de ter dado a ideia e visto que seu sobrinho querido, burrinho e amado aceitou e ainda o parabenizou.


Depois disso, ficou bem claro que ele só fez isso para me irritar ainda mais. Claro, agora que ele sabia da existência do meu filho, fazia de tudo para passar um tempo a mais com ele. “Depois as pessoas sofrem atentados terroristas e não sabem o porquê, não é mesmo?”

Ah, me esqueci de dizer né? O canalha do Madara visitava o meu bebe todos os dias na creche e ainda ficava com ele aos sábados. 

What?!

Sim, isso mesmo. Como ele não fazia parte da empresa aqui de Tóquio, não tinha a obrigação de ficar durante toda a conferência, então, apenas participava por algumas horas e em seguida saia e buscava meu filho na casa da minha madrinha e passava o restante da tarde com ele.

Genial, não é mesmo? Ah! Mas eu juro que um dia ainda arranco aquela pele dele para fazer um belo par de scarpins com salto de 10 centímetros para mim? Legal, né?

Sei que muitos não entenderiam como eu fui permitir isso, mas, a verdade é:
Eu não tive escolha.

No entanto, confesso que apesar de odiar aquele p.... do Madara Uchiha, percebi que talvez, ficar aos sábados com o tio, faria bem ao meu filho. Já que esse seria uma figura masculina, ele precisava disso e como eu não conhecia ninguém mais apto... Sabem como é: “A ocasião faz o ladrão”
E ele, para o meu total desgosto, se apegou demais aquele homem e ficava todo feliz da vida quando ficava com ele e com isso, não fazia mais qualquer birra quando o mesmo vinha trazê-lo de volta em casa ou quando eu ia busca-lo.
O que para mim era um alivio e tanto.
 

Além disso, o fato de saber que o maníaco do Itachi estava por aí rondando minha criança, me deixava angustiada demais e, trabalhando aos sábados, eu ficava pouco tempo com Kevin para supervisioná-lo e protegê-lo. De qualquer forma, Madara me prometeu que não deixaria o sobrinho se aproximar do meu filho e por alguma estranha razão, eu acreditei nele, ainda que parcialmente. “Claro, com uma faca de carne apontada para o pescoço, todas as promessas são eternas...

A parte ruim é que ele deixava Kevin cada vez mais mimado. Ele comprava tudo, fazia tudo o que o menino pedia e sem reclamar. Eu odiava isso, mas no momento, eu não tinha alternativas melhores.


A parte boa é que pude perceber que de fato, ele não queria tomar o meu filho de mim, apenas se aproximar dele. Até acredito que iniciamos uma relação de cordialidade. Não me atreveria a chamar isso de amizade. Não somos amigos e eu não quero a amizade de um Uchiha. Mas ele estava me tratando de uma forma melhor, não que tivesse se desculpado pelas coisas horríveis que me disse quando veio pela primeira vez em minha casa, e eu não esperava algo assim dele mesmo.
 

Entretanto, ele reconheceu eu sou uma boa mãe para o Kevin e segundo ele, isso era admirável e eu acabei tomando como um elogio. Essa trégua entre nós, já me deixava bem mais aliviada e isso fazia bem não só o Kevin, mas a mim também.


Eu não me atrevi a discutir mais com o Sr. Uchiha por causa do meu horário ou do fato de trabalhar aos sábados. Primeiro, porque ele pagava hora extra e segundo, porque eu não queria dar a ele mais motivos para desconfiar de mim. Sim, eu sabia que ele já estava desconfiado de alguma coisa, mas, era discreto o bastante ou canalha o bastante para não tocar no assunto.

Hoje em pleno sábado, estamos todos sentados na sala de reuniões há mais de tres horas. E Madara Uchiha está ao meu lado com uma carranca estampada no rosto, batendo irritantemente, a caneta de ouro sobre um papel à sua frente.
Era evidente o desgosto dele por aquela reunião.

Eu achei foi bom, não foi ele quem deu a ideia? “Pimenta em outros olhos é refresco, já em meus olhos...”
Pois bem, pois agora aguente.
 

Dessa vez, ele teve de ficar até o fim, já que o assunto envolvia também a sede de Dubai, da qual ele era Presidente. Com essa conferência, as quatro Sedes da Uchiha Corporation estavam participando e com isso, eu pude ver o Sr. Fugaku Uchiha frente à frente.

Notei algo estranho: Ele não se parecia em nada com o meu chefe. Como eu já imaginava o filho mais velho - a qual eu não quero nem citar o nome - era idêntico ao pai. No entanto, Sasuke Uchiha se parecia muito com o Madara.

Até demais... 

E é claro que eu não perderia a oportunidade de lhe perguntar sobre isso, depois. Não era algo relevante, mas eu adoraria fazer ter uma “carta na manga” contra o Madara Uchiha. Para o caso de ele tentar me sacanear, sabe?!

- Não quero nem imaginar o que se passa em sua cabeça agora Srta. – despertei com a voz de Madara próximo a mim.

- Nem queira saber, Conde Drácula. – falei provocativa.

Ele franziu o cenho e em seguida balançou a cabeça em negação.

- Apenas preste atenção na Reunião. – ele disse autoritário.

Vi de relance o meu chefe olhar para nós dois com cara feia.

Sorri falsamente para ele. “Olá, benzinho

 


Duas fucking horas mais tarde...

- Bem, a reunião está encerrada... – meu chefe anunciou e todos começaram a se levantar. –Haruno, você fica. – ele disse, cruzando ambos os braços e eu bufei em resposta, lhe lançado um olhar mortal. “Au, Au...”

Meu filho... Droga!

Como se lendo meus pensamentos, Madara se inclinou discretamente perto de mim e sussurrou ao meu ouvido.

- Pode deixar, eu o busco na casa de sua madrinha, fique tranquila. Sabe que comigo, o garoto está com Deus.

Eu sorri levemente e assenti com a cabeça. “Ou com o vampiro, não é mesmo? Mas vá lá...”

Sim, ao menos quanto a isso eu podia confiar plenamente naquele homem assustador; embora eu me perguntava seriamente sobre se deveria me preocupar se um dia o Kevin apareceria em casa com presas no lugar de dentes e preferiria dormir em um caixão ao invés da cama...

Assim que todos se retiraram da sala, o Sr. Uchiha deu a volta na grande mesa e veio em minha direção com a rapidez de um predador. Sentou-se sobre mesa a minha frente e eu continuei sentada na cadeira, evitando olhar para ele. Eu já sabia o que ele tinha para me falar.

- Haruno, eu achei que você odiasse o meu tio... – ouvi sua voz cínica. – No entanto, vejo que estão se dando muito bem. Não sei se vejo isso como algo bom ou... – ele parou para aproximar seu rosto do meu e buscar os meus olhos – ruim.

Suspirei e revirei os olhos. Oh! Homenzinho chato viu? Será que eu posso implicar com ele só um pouquinho? Sim ou claro?

- Terminou? Pois eu preciso revisar as propostas e enviar ao setor financeiro. – falei já me levantando sem dar a chance de ele me alfinetar com mais perguntas.

Estava me encaminhando á porta quando senti sua mão grande puxar o meu braço com certa brusquidão.

- O que diabos você e Madara tanto cochichavam aqui? – ele perguntou entre dentes, vi sua mandíbula contraída. 

Ele parecia... Possessivo, Enciumado... Não, era coisa da minha cabeça. 

– Responda! – grunhiu.

Olhei para a janela á esquerda para conter a minha raiva. E olhei para seus dedos em meu braço que começaram a perder a cor, provando a força com que ele me segurava. 

- Sr. Uchiha, interprete as coisas do jeito que quiser só me deixe em paz, sim? – perguntei com raiva. – E, por favor, me solte. Está me machucando.  – puxei meu braço com força, passando a mão sobre o local que ficou vermelho de imediato.


Ele olhou e pareceu arrependido.

- Te machuquei?  Desculpe-me, não quis fazê-lo. – ele se aproximou de mim, examinando meu braço, mas eu não deixei.

- Com licença, Sr. Uchiha. – disse e sai porta á fora.

__________________________________
 

 



- Ei, Teme de Uma Figa! Você está trapaceando! – reclamou Naruto, olhando para o moreno à sua frente na sala de reuniões.

- Do que você esta falando? – Sasuke perguntou de forma impaciente.

- A Sakura, você disse que a levaria para a cama em três meses e já se passaram quase dois e não vejo qualquer avanço. – riu – Você não está com nada. 

- Cale a boca Naruto! Já nem sei se quero continuar com essa aposta ridícula. – fechou os olhos – Eu não tenho chances com ela.

- Ei, cadê o ganharão que eu conheço? Cara, que queda! Você já pegou todas as mulheres dessa empresa com exceção da minha Hinata, mas...

Sua Hinata? Desde quando? – perguntou o moreno, com a sobrancelha arqueada. 

O loiro coçou a nuca.

- Hehe, é que... Nós estamos meio que namorando, sabe? – falou todo sem graça.

- E o Neji...? – Sasuke falou semicerrando os olhos.

- Não sabe claro. – Naruto apressou-se a abanar ambas as mãos. – Mas não mude de assunto.

- É só questão de tempo até ele descobrir. Você sabe como ele é com as irmãs. 

- É... Pior que sim. Ele acha que a Hanabi ainda é uma criança e... - 

- Mal sabe ele que a garota já passou pela mão de metade dos garotos da escola. Sim, eu sei... – completou Sasuke – No entanto, a Hinata é diferente. E acho que você não deveria se meter com ela. Sinceramente, você realmente não presta Naruto. – Disse Sasuke, com um leve sorriso.

- Você também não, meu amiguinho. Mas com ela será diferente, o que sinto pela Hyuuga não é só desejo físico. Não sei nem explicar. – o loiro olhou para cima e em seguida dirigiu os olhos azuis para o moreno á sua frente – E acho que você entende muito bem o que quero dizer.

O Moreno suspirou e tomou outro gole de conhaque.

- Vou tentar outra tática com ela. – falou o moreno dando de ombros.

- Sabe o que eu acho? Que você está se apaixonando... Isso sim – declarou Naruto, de forma séria.

- Não diga bobagens. Vamos almoçar. – o morero falou, levantando-se e ajeitando o terno.

- Sim, mas você paga. – o loiro falou, tirando o dele do encosto da cadeira.

Sasuke revirou os olhos. 

- Como sempre. – rebateu.
 



(...)

 


- Cara, a comida daqui é deliciosa – falou Naruto que já havia comido varias vezes. – E cara. Ainda bem que é você quem paga. – ele falou sorrindo.

 ”Sorte a sua que eu sou milionário...” Pensou Sasuke.

- Não sei como consegue comer tanto, Naruto. – Sasuke falou olhando para o lado e avistando uma cabeleira rosa sentada numa das mesas com a estabanada da Ino e a boneca Hyuuga. – Veja só dobe, olha só quem está ali na outra mesa. – apontou com a cabeça.

O loiro virou o rosto.

- É a Hina, minha deusa. – falou animado e Sasuke bateu na própria testa.

- Fala baixo... – reclamou. – Parece que elas já vão embora. – Sasuke disse.

- Ou não. – complementou Naruto, vendo somente Ino guardar o celular e resmungar que o “cabelo de fogo” estava lhe dando ordens.
Ino se levantou irritadíssima após um telefonema de Gaara dizendo que ela estava atrasada.

Na verdade, a loira saiu batendo o pé e Sasuke temeu pela segurança do amigo ruivo. Sabia o quanto aquela loira linda de pernas longas era capaz de fazer quando se sentia... Ameaçada.

Sasuke sabia que não era uma boa ideia coloca-la para trabalhar naquele setor, porém precisava tira-la de seu pé, além disso, sabia que No Sabaku sentia atração pela mulher e nada melhor do que coloca-los juntos para esquentar as coisas. 

Quase sorriu pensando nisso.

- Diz a verdade, você escolheu esse restaurante de propósito, né? – Naruto lhe disse.

- Não sei a quê você se refere. 

- Você só escolheu esse restaurante para ficar de olho nela não é? Na Sakura, e só me trouxe junto para não dar muito “na cara”. Já não basta tê-la ao lado da sua mesa dentro da sua sala? Eu to dizendo... Você está caidinho por ela. – riu abertamente.

O moreno já ia rebater quando viu a Rosada se levantar e ir até a porta do restaurante, voltando com um menino nos braços.

Espere aí? Aquele menino...

Era o mesmo da foto que ele pegou no celular. E só para ter certeza, ele retirou o aparelho do bolso e viu que sim, de fato era o mesmo menino, um pouco maior, talvez fosse mais novo na foto.

Quem seria aquela criança? 

- Naruto, olha só! – chamou atenção do loiro que tomava uma taça de vinho. – Você sabe quem é aquele menino?

- Hã? O quê? – ele voltou à atenção para a mesa ao lado .– Que garotinho fofo. – falou sorrindo e voltou a tomar o vinho.

- Quem será ele? Um irmão, talvez? – Sasuke insistiu.

- Ah é, sim!  É irmão dela. A Hina me falou dele um dia desses... – o loiro respondeu sem qualquer interesse. – Eu acho. Bem, quer dizer, nem prestei muita atenção sabe? Eu estava olhando para os peit...Quer dizer, para os brincos dela, hehehe – sorriu sem graça.

Sasuke olhou de forma mortal para Naruto.

- Então você já sabia e não falou nada? -

- Por que eu diria alguma coisa? Não é da nossa conta mesmo... – respondeu dando de ombros.

Sasuke voltou à atenção para as mulheres á mesa. Viu a felicidade estampada no rosto da Haruno, ela gargalhava descontraída, algo que ele nunca pensou que veria. O menino estava sentado no colo dela e tomava um sorvete de baunilha. 

Cabelos negros, olhos verdes...Sorvete de baunilha...

Na verdade, assim como na fotografia, o garoto lhe aprecia bastante famíliar. E ainda havia o sinal no antebraço esquerdo e ele notou o sinal, quando o menino estendeu um dos braços e levou o sorvete á boca da rosada, sujando o seu nariz no processo e ela riu abertamente.

Como ficava linda sorrindo...

Era um sinal de nascença e raro. Uma meia lua. Igual ao do seu irmão, Itachi.

Naruto era um imbecil e permaneceu alheio á tudo, mas ele não, Sasuke Uchiha era observador desde pequeno e ótimo para leitura labial. E apesar de estarem a uma distância considerável, nem perto e nem distante demais, ele notou algo que fez seu sangue gelar por uns instantes.

Naquele momento desejou não ser tão bom em leitura labial, mas ele era. Otimo.

O menino não chamou sua Secretaria de Irmã.

Através da leitura labial, ele percebeu que ele disse: Mamãe.

Mamãe? Então ela tinha um filho

Um filho?!

Um filho que se parecia demais com seu irmão, Itachi.

Isso não podia ser verdade.

- Naruto, você já terminou de comer? – perguntou o moreno 

- Sim, já. Por quê? – perguntou já se levantando.

- Venha, tenho algo interessante a descobrir e você vai me ajudar.

Uchiha Sasuke, o ninja paranoico ataca novamente!” Pensou Naruto.

 

Continua...


Notas Finais


Uiii #acobravaifumar

E ai, oque axaram?

Viram só, o Sasuke ja descobriu (ou quase) o.O

Voces vão amar o MEU MADARA <3 #inlove

O proximo cap eu ja vou podtar no SABADO.

Bjos e até.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...