História Concomitantemente - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Shippa Vall, Taegi, Taeyoonseok, Vhope, Yoonseok
Exibições 113
Palavras 4.618
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OIIIE GENTE
Eu sei, eu sei, ta todo mundo desesperado por TOE e eu aqui postando uma OS em pleno feriado.
Gente, sério, ta muito lindinha essa história *o*
EU PRECISEEEEEI POSTAR.

Essa fic é presente de dia das crianças pra minha criança mais inteligente e que ama uma treta, a lindíssima Vall, que depois disso vai andar com TAEYOONSEOK escrito na testa.
EU TE AMO SUA LINDA ❤

FELIZ DIA DAS CRIANÇAS A TODOS, E QUE AQUELES QUE AINDA TEM IDADE, GANHEM MUITOS PRESENTES, PORQUE EU JÁ NÃO GANHO NADA A ANOS. *chora*

Também vamos desejar um aniversário maravilhoso pro nosso Jiminie fofinho, lindinho e com a mais e mais linda raba do planeta. PARABÉNS CHIMCHIM ♡♡♡

Agora vamos aos agradecimentos:
Primeiro a Isa maravilha que betou divinamente mesmo estando doentinha. MELHORAS ISA, NÓS TE AMAMOS ❤
Segundo a minha Baby Cris que escolheu o nome da história além de ter também me ajudado a escolher o final (Eu tinha 2 possíveis), então se não gostou desse final a culpa é dela SKOPAOPKOASKPOAKPSOPKOASKPOKASP
MENTIRA, EU TE AMO BEBÊ ❤

Bom gente, é isso, boa leitura e até as notas finais *o*

Capítulo 1 - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction Concomitantemente - Capítulo 1 - Capítulo Único

Se me perguntassem de onde surgia o amor, eu provavelmente responderia que poderia surgir do nada, ou do tudo, dos detalhes, ou do todo, do calor, ou da frieza. Sinceramente, o amor para mim poderia surgir de qualquer coisa, ou até mesmo estar ali sempre presente sem nem mesmo ser percebido, ele poderia aparecer da maneira mais idiota, ou pelo motivo mais bonito, mas independente disso faria uma confusão em nossas vidas.

Meu primeiro amor surgiu em um dia quente de verão. Eu tinha oito anos e andava saltitante pela praia, quando vi a figura branca embaixo do guarda sol se lambuzando de protetor solar na tentativa inútil de passá-lo em suas próprias costas. Minha vontade era de ir ajudá-lo, mas por mais que eu fosse uma criança sociável, aquilo pareceu demais até para mim. Porém, isso não me impediu de soltar um pequeno riso da situação, atraindo a atenção do menino baixinho que me olhou com tédio. “Espero que se queime até arder” foi o que eu ouvi em seguida, e por mais que aquilo tivesse sido rude o suficiente para que sua mãe o olhasse horrorizada, eu não consegui fazer nada além de rir ainda mais, me aproximar e pegar o tubo de suas mãos “Eu te ajudo e você brinca comigo, pode ser?” , as bochechas branquinhas do garoto se tornaram levemente rosadas enquanto ele acenava com a cabeça.

Aquela foi a primeira vez que eu achei uma pessoa tão adorável.

Meu segundo amor surgiu em um dia frio de inverno. Eu tinha 9 anos e andava me arrastando pela calçada que estava coberta pela neve, usava tantas blusas que era difícil me mover. Eu queria passar o dia todo brincando no quarto junto a Yoongi, do lado de um aquecedor, tomando chocolate quente e comendo biscoitos. Mas infelizmente, naquele fim de semana meu melhor amigo havia viajado para ver seus avós, me deixando sozinho com uma mãe resfriada que precisava de remédios, estes que eu estava levando para casa.

Como se meu dia já não estivesse ruim o suficiente, senti uma bola de neve vir de encontro com meu rosto. Olhei de forma irritada para a direção em que ela veio, vendo um garoto um pouco mais baixo que eu com uma expressão assustada. “Não era pra acertar você, me desculpe. Estava tentando tacar do outro lado da rua”, o garoto deveria ser algum tipo de maluco, vestia uma simples blusa de lã, nenhum gorro ou cachecol, suas mãos estavam vermelhas por conta da neve, seu nariz e suas bochechas rosadas pelo frio, e em sua cabeça vários flocos de neve derretiam fazendo seus cabelos castanhos ficarem úmidos. “Você é maluco? Precisa colocar mais roupas e secar esse cabelo, onde está sua mãe?”, após isso um largo sorriso retangular tomou conta de seu rosto e sem nem mesmo hesitar o garoto pegou na minha mão entrelaçando as duas; “Hyung, vamos brincar?”.

Aquela foi a segunda vez que eu achei uma pessoa tão adorável.

O meu quase vizinho passou a frequentar muito minha casa depois daquilo, assim como eu frequentava a dele. Eu tive um pequeno receio de apresentá-lo ao meu melhor amigo, não por medo dele não gostar do garoto brilhante que era Taehyung, na verdade eu tinha certeza que se dariam bem, mas algo no meu peito dizia que poderiam se dar bem demais.

No fim, após uma longa discussão com o branquelo que me disse tudo o que eu já sabia – mas não queria ouvir – acabei me dando por vencido e convidando ambos para dormirem em casa em um final de semana no final do inverno.

Após isso nós três nos tornamos inseparáveis, os dois garotos – assim como eu previra – haviam se dado incrivelmente bem, porque por mais que eles fossem totalmente opostos estavam ali para se completar. Às vezes eu me sentia um pouco enciumado por causa disso, mas logo passava, quando uma pequena briga se instaurava entre eles e eu precisava me intrometer fazendo com que fizessem as pazes e tirassem os biquinhos adoráveis que faziam quando eram contrariados.

Anos se passaram dessa maneira e em um piscar de olhos eu e Yoongi estávamos nos formando no fundamental e iniciando uma vida como colegiais. É claro que Taetae, como chamávamos meu vizinho, passou nossa formatura inteira emburrado e com um bico no rosto.

- Vocês irão fazer novos amigos e me deixar de lado - Era o que ele dizia com lágrimas nos olhos, assim que saímos do colégio e fomos comemorar em um restaurante.

- Ninguém seria assim tão fofo para tomar seu lugar Taetae – O mais velho apertou suas bochechas que ficaram levemente coradas antes do garoto pular no outro pedindo carinho com manha.

- Você é nosso melhor amigo Tae, jamais te deixaríamos de lado – Ele me olhou ainda um pouco emburrado – Nós vamos sentir muito sua falta no colégio durante esse ano – Dessa vez ele se jogou em mim afundando seu rosto em meu peito, enquanto o mais velho olhava para nós e sorria parecendo feliz e também triste.

Eu e Yoongi começamos a estudar na mesma escola assim que entramos no fundamental, e após um ano assim Tae se juntou a nós. Ficávamos o dia todo juntos, os três, não importava se o sol ardia com o calor do verão ou se a neve caia com o frio do inverno, não importava se era ou não dia de aula, sempre dávamos um jeito de brincar na casa de um de nós ou até mesmo em algum fliperama ou clube com piscina. O importante era estarmos os três juntos, nos divertindo.

Aquele ano se passou de forma lenta. Era realmente estranho passar metade do dia separado do mais novo. Yoongi, nunca foi de falar muito, mas com Taehyung longe ele se tornava ainda mais quieto, era frequente ele dizer o quanto estava feliz de sua mãe o ter atrasado um ano, e de como não aguentaria aquilo sozinho. Era triste vê-lo com tanta falta de Taetae, mas eu o entendia, já que me sentia da mesma forma.

No final do ano letivo, quando tudo aquilo estava finalmente acabando tivemos um péssimo momento, principalmente para Taehyung, que tinha os pais se divorciando. As brigas em sua casa eram frequentes, e muitas vezes eu o via pular minha janela de madrugada, entrando embaixo das minhas cobertas, com o rosto molhado e vermelho enquanto dizia “Hyung, posso ficar aqui?”.

Seus pais nunca foram tão presentes em sua vida, eles trabalhavam muito, e desde cedo o garoto havia aprendido a se virar sozinho. Era por esse motivo que eu e Yoongi cuidávamos dele como de ninguém mais, além do fato dele realmente se parecer com uma criança na maioria das vezes. Naquela época seu pai saiu de casa deixando todo o peso para sua mãe. Essa ficou realmente abalada e se sentiu culpada ao dizer para o único filho que não conseguiria pagar a escola que ele tanto queria entrar. Não estudávamos na escola mais cara, porém por ser um colégio preparatório e especializado em artes, ele era um pouco mais caro do que os comuns.

Era um dia chuvoso e abafado de primavera quando Taehyung chegou em minha casa chorando dizendo que não poderia estudar conosco. Yoongi o acalmou com um abraço apertado enquanto eu pensava seriamente em alguma solução. Se fosse necessário eu trocaria de colégio por ele e tinha certeza que o mais velho não hesitaria em fazer o mesmo. Mas quando sugerimos isso o mais novo mostrou-se incrivelmente maduro ao negar dizendo que conseguiria dar seu próprio jeito.

No próximo mês não vimos Taehyung nenhuma vez.

O branquelo tinha sempre um olhar triste e confuso no rosto e tudo aquilo estava me matando. Era como se uma parte de nós houvesse sido arrancada sem qualquer aviso prévio. Estávamos totalmente incompletos.

A primavera estava quase acabando e o clima quente de verão era sentido em nossa pele. Eu estava deitado no chão com a cabeça em cima do colo do mais velho. Esse lia um livro grosso enquanto acariciava meus cabelos quando, em um baque da porta, se assustou deixado o livro cair bem na minha cara.

- Ai hyung – Reclamei sentindo ele se levantar mais rápido do que eu jamais havia visto ele se movendo na vida. Ao olhar para porta lá estava o motivo: Taehyung estava ofegante, segurava um papel em suas mãos e nos encarava com um olhar brilhante e aquele perfeito sorriso retangular no rosto.

- Eu consegui hyungs, eu passei – De início ficamos confusos, mas então ele mostrou o papel em sua mão que dizia que ele havia passado no processo seletivo e conseguido uma bolsa de 50% para estudar no mesmo colégio que a gente.

Ele nos contou que havia passado o mês todo estudando muito para a prova e também estudando canto com uma amiga de sua mãe, para que pudesse entrar na repartição de música do colégio com uma bolsa de estudos. No fim ele havia realmente dado seu próprio jeito.

O ano seguinte passou tão rápido que quando entrei para o terceiro ano mal acreditei. Era o último ano como estudante do colegial e depois eu seria um estudante de dança. Yoongi, eu e Taehyung havíamos conversado sobre isso e decidimos ir para a mesma faculdade, já que com as notas e a voz de Taetae, ele conseguiria uma bolsa integral facilmente.

Foi mais ou menos nesse período que comecei a questionar meus sentimentos e a relação que eu mantinha com meus melhores amigos. Que eu os amava era absolutamente inegável, a questão era como eu os amava. Havíamos planejado todas nossas vidas juntos, considerando apenas nós três. Mas e se algum deles conseguisse uma namorada? O quanto nossos planos seriam afetados? O quanto nossa relação seria afetada?

Eu tinha absoluta certeza de que não aconteceria comigo. Era impossível eu conseguir amar alguém mais do que eu amava aqueles dois, era impossível eu precisar de alguém mais do que precisava deles. E foi assim que todos aqueles malditos desejos começaram.

Antes eu tinha muita vontade de os abraçar, de os deitar em meu colo e acariciá-los, dando a eles o máximo de carinho que fosse possível. Isso não era novo, e eles até mesmo mostravam gostar bastante de toda essa minha demonstração de amor e afeto, assim como demonstravam da mesma forma comigo e também entre eles. Porém, naquele momento, meus hormônios de adolescente começaram a pedir por mais. Pediam para que eu beijasse os lábios finos de Taehyung até que eles ficassem inchados e vermelhos e chupasse o pescoço branco de Yoongi vendo-o arfar com os lábios entreabertos. E meu maior medo passou a ser o deles se afastarem de mim por causa disso.

Também foi nessa época que comecei a ler inúmeros romances. O mais velho se mostrava orgulhoso por eu estar finalmente entrado de cabeça na literatura que ele tanto amava, mas sempre me questionava sobre o porquê de eu não ler algum gênero diferente. Mal sabia ele que eu buscava naqueles romances, uma resposta para meus próprios sentimentos.

Algum tempo depois quando estávamos quase no meio do ano letivo, Taehyung novamente se afastou. Mas dessa vez ele não desapareceu, parecia apenas distante e sua alegria e brilho de sempre estavam menores. A janela sempre aberta de meu quarto havia se tornado inútil já que o garoto não aparecia mais ali de madrugada enquanto dizia ter tido um pesadelo. Ele não se jogava mais em cima de Yoongi enquanto este lia, pedindo por carinho e atenção de um jeito manhoso, como se fosse uma criança. Seus olhos pareciam perdidos na maior parte do tempo, e seus pensamentos distantes do nosso mundo.

Isso durou por quase dois meses até um dia fresco de outono. O vento era suave e o clima fresco, pedindo apenas um fino suéter ou uma simples blusa de lã. O vermelho e o laranja predominavam na paisagem e conseguíamos ver claramente o bom humor de Yoongi pelo clima estar – de acordo com ele – perfeito.

Estávamos sentados embaixo de uma grande árvore em frente ao rio superficial que ficava no maior parque da cidade. Sempre íamos ali durante o outono e também durante a primavera que eram as estações intermediárias, onde o clima era bom e a paisagem era sempre bonita e colorida. A maioria as pessoas preferiam aquele parque durante os verões, para verem seus filhos correndo pelo gramado, ou apenas aproveitar a brisa fresca enquanto liam um livro embaixo de uma das árvores do local. Nós gostávamos disso, pois assim o lugar ficava só pra gente durante as outras estações.

Eu estava deitado de olhos fechados e com a cabeça nas coxas de Yoongi. Este lia um livro grosso como sempre enquanto Taehyung estava sentado um pouco afastado, mergulhado em seus próprios pensamentos. O mais velho estava incomodado com tudo aquilo desde o momento em que começou, assim como eu, mas eu podia ver o quanto ele estava inquieto.

- Taetae – Chamou atenção do mais novo e também a minha, me fazendo abrir os olhos enquanto o encarava. Seu rosto branco e traços delicados o faziam parecer uma boneca. Deu um pequeno sorriso destinado ao mais novo e eu sorri junto. Aquela era minha parte preferida em ambos os garotos, seus sorrisos. Tae tinha um sorriso infantil e muito fofo enquanto Yoongi tinha um sorriso gentil e doce – Porque não nos conta o que tanto lhe incomoda?

O mais novo chegou mais perto olhando para mim e para Yoongi, logo sorrindo, aquele perfeito sorriso retangular. Deitou-se ao meu lado, abraçando meu corpo e colocando sua cabeça também no colo de nosso hyung que fechou o livro e pousou uma mão em cada cabeça, nos afagando carinhosamente.

- Como você pode saber se está apaixonado? – Olhou atentamente para o rosto do mais velho enquanto pegava uma de minhas mãos e entrelaçava nossos dedos – Quero dizer, como podemos diferenciar esse tipo de amor, com o amor normal, como o de irmãos ou amigos?

- Você não sente vontade de beijar ou fazer outras coisas com seus amigos ou irmãos – Eu disse recebendo em seguida um tapa leve na cabeça e um olhar reprovador do mais velho o que fez o garoto ao meu lado rir.

- Eu acho que é diferente para cada uma das pessoas, Tae, mas os livros descrevem como uma sensação de borboletas no estômago, uma aceleração no coração, a vontade de estar cada vez mais perto da pessoa, de forma que estar apenas ao seu lado não é suficiente.

- Uma garota da minha sala disse que quando você ama duas pessoas, na verdade não ama nenhuma, e que é uma coisa errada – Disse enquanto fazia um bico com os lábios, o qual eu apertei com a mão livre o fazendo rir – É errado amar duas pessoas, hyung? – Yoongi sorriu novamente enquanto abaixava a cabeça selando a testa do mais novo. Seu pescoço indo de encontro ao meu nariz e seu cheiro doce e suave impregnando minhas narinas me deixando tonto. Se amar duas pessoas fosse errado, então não existiria ninguém nesse mundo tão errado quanto eu.

- Não existem regras no amor Taetae – Disse o mais velho voltando a encostar-se à árvore – O importante é que o amor sentido seja correspondido e que faça bem para todos, sejam duas, três ou quatro pessoas, não importa.

O mais novo sussurrou um “Entendi” enquanto sorria timidamente e se aconchegava ainda mais em meu corpo. Yoongi me encarou rapidamente, sorrindo e pegando novamente o livro que descansava ao seu lado. Havia sido mais uma tarde agradável.

Logo todas as folhas estavam no chão sendo levadas pelo vento ou varridas para sacos plásticos pelos donos das calçadas que resmungavam pela quantidade de folhas acumuladas todos os dias durante aquele outono. O inverno veio de forma rápida e logo a paisagem era de galhos pelados acumulando uma fina crosta branca, que ao se tornar grossa o suficiente, caia ao chão, às vezes atingindo a cabeça de algum pedestre ou até mesmo assustando algum gatinho que passava por ali.

A primavera logo floria tudo e mais rápido do que parecia possível, meu último ano do colegial havia acabado. Novamente Taehyung havia passado a cerimônia de encerramento emburrado com um bico nos lábios. Seria mais um ano passando as manhãs longe dele. Imaginava que para ele deveria ser ainda pior, já que eu teria a companhia de Yoongi enquanto ele não teria nenhum de nós dois. Apesar disso ele parecia feliz por termos conseguido entrar na faculdade sem maiores problemas.

Esta ficava um pouco longe de nossas casas, então precisávamos acordar mais cedo. Isso somado com a falta de Taetae em nossas manhãs deixava o mais velho incrivelmente irritado. Ele sempre estava com um bico nos lábios, os quais eu sempre fazia questão de apertar, o fazendo rir um pouco enquanto beijava minha mão e dizia um “Obrigado” em forma de sussurro.

Assim como nosso primeiro ano no colegial, o primeiro ano da faculdade estava passando da forma mais lenta possível. De alguma forma nos primeiros meses, boatos foram espalhados por todo o lugar sobre um suposto namoro entre mim e Yoongi. Não que aquilo me surpreendesse. Durante a escola esse tipo de boato foi evitado por muitos de lá saberem da amizade de longa data que nós dois e Taetae tínhamos, porém isso não era de conhecimento do pessoal da faculdade. E digamos que não é a coisa mais normal do mundo ver dois caras praticamente abraçados todos os dias embaixo de uma das árvores do campus, ou andando por este de mãos dadas como acontecia todos os dias entre nós. O mais velho sabia que não era normal, eu sabia que não era normal, mas nenhum de nós sequer pensou em mudar algo. Eu imaginava o quanto todas aquelas pessoas ficariam chocadas no ano seguinte, quando Taehyung, com toda aquela alegria e carinho, passasse a estar conosco, já que eu e Yoongi éramos mais discretos, apesar de tudo.

Foram dois meses até o boato ter se espalhado totalmente e mais algumas semanas até uma garota de cabelos rosa tomar a coragem que ninguém havia tido de perguntar se aquele boato era ou não verdadeiro. Tudo o que ela recebeu foi um sorriso malicioso do meu hyung, seguido de um “O que você acha?”. Nem preciso dizer que após isso o suposto namoro passou a ser um namoro confirmado.

Nada do que essas pessoas falavam importavam realmente para a gente. Era fato de que a relação entre nós três não era apenas de melhores amigos comuns, mas nós nunca tínhamos conversado sobre isso. Eu tinha em minha cabeça que estava apaixonado por ambos os garotos, mas não tinha certeza sobre a reciprocidade desses sentimentos. Eles pareciam sentir o mesmo, e agiam como se sentissem o mesmo, mas meu medo de estar errado e de correr o risco de perder qualquer um dos garotos era muito maior do que meu desejo de realmente assumir um namoro com eles.

Foi em um dia quente de verão, enquanto estávamos os três sentados na borda da piscina do clube que Taehyung tocou no assunto pela primeira vez. Naquele dia ele parecia realmente chateado com algo e eu me segurava para não perguntar e deixá-lo falar por conta própria.

- Hyungs, vocês estão namorando? – Ao contrário de quando a garota havia perguntado, dessa vez a reação de Yoongi havia sido de completo espanto. Ele praticamente cuspiu todo o suco que tomava olhando para mim totalmente incrédulo.

- Você saberia se estivéssemos Taetae – Eu disse enquanto sorria para o mais novo.

- Um colega da minha sala, tem um irmão mais velho da faculdade e me disse isso, e como vocês realmente se amam muito, eu pensei que... – Fora interrompido pelo mais velho.

- Eu amo vocês dois na mesma proporção e da mesma forma, então se namorasse o Hobi, namoraria você também – Aquela frase poderia ser interpretada de mil jeitos diferentes, mas nem eu e nem Taetae perguntamos sobre seu significado. Apenas sorrimos para Yoongi que encostou a cabeça no meu ombro e segurou uma das mãos de Tae que repousava em minha coxa.

Ficamos assim durante um bom tempo, eu no meio sentindo o odor de ambos, enquanto esses acariciavam a mão um do outro com seus polegares. As fragrâncias deles se tornavam melhores quando misturadas. Enquanto o mais velho possuía um cheiro doce e suave, o mais novo possuía um cítrico e amadeirado. Juntos formavam algo viciante, eram como um bosque em plena primavera. Nem frio, nem quente, mas sim perfeito.

Depois de um ano demorado, finalmente estávamos nós três juntos novamente. Nessa época os pais de Yoongi anunciaram que mudariam de cidade, o que nos deixou em completo desespero por algum tempo. No fim decidimos alugar um apartamento perto da faculdade onde moraríamos os três.

No começo achei que teria muitas brigas, mas nada mudou realmente. É claro que as discussões esporádicas entre o mais velho e o mais novo ainda aconteciam, mas eu sempre estava lá para resolver tudo.

Já estávamos no outono novamente, o vermelho e o laranja já eram visíveis em todo lugar. Estávamos os três na cama gigante que Taehyung havia comprado pela internet. Após muita discussão ele havia nos convencido de que se dormíssemos todos juntos seria melhor. Aceitamos, já que não era como se ele dormisse no próprio quarto de qualquer forma, ora dormia com Yoongi, ora comigo, mas nunca sozinho. Não nos importávamos e até mesmo gostávamos disso, às vezes quando o mais velho era o escolhido eu me sentia um pouco solitário e acho que foi pensando nisso que o mais novo tomou a decisão de procurar uma cama grande o suficiente para três pessoas.

Quando aquela coisa chegou, nós nem mesmo acreditamos. Ela era tão grande que era a única coisa que cabia no quarto, junto com dois criados-mudos e a TV que ficava na parede de frente para a cama. No fim aquela foi a melhor compra pra casa.

Estávamos nos preparando para dormir quando Taetae levantou-se com um bico nos lábios dizendo que não aguentava mais, fazendo aquilo que eu passei anos desejando, mas não tive coragem. Sem qualquer aviso segurou o rosto de Yoongi colando seus lábios nos dele, fazendo eu ficar totalmente estático. A surpresa havia sido tanta que nem mesmo percebi sua aproximação após soltar o mais velho, acordando de minha confusão de pensamentos apenas no momento em que senti  - finalmente – seus lábios finos e doces nos meus.

Tanto eu quanto Yoongi o olhávamos totalmente perplexos, não que não houvesse sido bom, eu havia adorado aquilo, e as bochechas rosadas do mais velho denunciavam o quanto ele tinha gostado também, mas ainda havíamos sido pegos de surpresa.

- O que nós temos? – Taetae perguntou se deitando no meio da cama – Nós moramos juntos, agimos como se namorássemos, dormimos juntos e nos amamos. E eu não tenho certeza sobre vocês, mas eu realmente queria beijar ambos há muito tempo – Ficamos em silêncio durante algum tempo, eu não sabia o que responder, já que aquela dúvida me martelava a anos.

- Eu também penso em beijar vocês há muito tempo – Suspirei confessando aquilo. Era como tirar todo um peso de mim.

Yoongi havia se tornado ainda mais vermelho e após parecer pensar um pouco sobre tudo aquilo o senti pular sobre mim colando nossos lábios em um beijo apaixonado. Não era um simples selar como o de Taetae, nossas línguas dançavam uma valsa lenta e profunda enquanto meus dedos dedilhavam sua cintura fina e os seus acariciavam o cabelo em minha nuca. Eu pude ouvir o pequeno riso de Taehyung que com certeza observava tudo. Quando o ar faltou e nós nos separamos eu pude ver a alegria em seus olhos antes dos mesmos se desviarem dos meus e se voltarem para o mais novo. Não demorou para que estivessem se beijando tão apaixonadamente quanto eu e ele estávamos antes. Depois de se separarem eu me deitei ao lado esquerdo de Tae enquanto Yoongi deitava ao lado direito. Recebi um beijo do mais novo que demonstrava o quanto ele estava feliz com tudo aquilo, além de um carinho sutil em minha bochecha que com toda certeza estava rosada. Após cessarmos o beijo, o vi se virar abraçando o mais velho por trás e o senti me puxar para que eu fizesse o mesmo nele. Dormimos assim, em uma espécie de conchinha tripla.

No outro dia, acordei recebendo beijos por todo o rosto, e ao abrir os olhos lentamente, me deparei com meu dongsaeng em cima de mim com seu perfeito sorriso retangular e infantil me fitando. Não consegui não sorrir também. Era o despertar mais bonito que eu já tinha tido. Olhei para o lado procurando pelo mais velho e lá estava ele, abraçado a um travesseiro, ainda dormindo.

- Eu tentei acordar ele, mas não consegui – Taehyung fez um biquinho – Faz isso pra mim hyung? Eu vou tomar banho primeiro – Ele saiu de cima da cama, indo em direção a porta enquanto eu me preparava para cutucar o mais velho, quando fui impedido pela voz do garoto a porta – Faça isso como um bom namorado, hyung – Sorriu antes de sair do quarto.

Eu estava tão feliz que me controlava para não sair saltitante pelo quarto. A palavra “namorado” me fazia sorrir, não havia nada no mundo que eu quisesse ser mais do que o namorado deles. Eu queria subir em cima de Yoongi e o encher de beijos, assim como Tae havia feito comigo.

Olhei para o mais velho ali deitado pensando em como o acordaria e o vi se mexendo deixando seu pescoço branco a mostra. Na mesma hora lembrei da primeira vez que desejei aquela pele branca em meus lábios e sorri ao ver, que mesmo depois de tanto tempo, eu poderia finalmente ter o que desejava.

Não hesitei em levar meu corpo para bem próximo ao do garoto adormecido, passando os dedos suavemente por seu rosto até o pescoço, vendo seus pelos se arrepiarem. Sorri com a resposta de seu corpo e não aguentando mais, levei meus lábios ao local em um simples selar, que logo se tornou uma mordida fraca antes de eu sugar sua pele de forma necessitada. Ouvi um arfar e ao olhar seu rosto, senti meu membro pulsar. Yoongi tinha as bochechas coradas e a boca entreaberta pela qual arfava.

- Hoseok-ah – Praticamente gemeu meu nome. Sorri e selei seus lábios.

- Bom dia hyung – Recebi um sorriso como resposta e acho que foi a primeira vez que vi Yoongi sorrindo ao acordar.

Resolvemos faltar na aula naquela manhã e aproveitar nosso primeiro dia de namoro oficial. Então passamos cada minuto daquele dia fresco de outono apreciando a cada toque, cada beijo, cada carícia. Era como um paraíso particular, eu me sentia totalmente completo. Eles me completavam. Taehyung era alegre como o verão, enquanto Yoongi era calmo como o inverno. Durante os verões éramos resfriados pela calma do mais velho, enquanto nos invernos éramos aquecidos pela alegria do mais novo. Se me perguntassem qual minha estação preferida, eu não saberia escolher entre essas duas. Eu amava o verão assim como amava o inverno. Eu amava Yoongi, assim como amava Taehyung. As pessoas que diziam ser impossível amar duas pessoas ao mesmo tempo, com certeza não sabiam sobre o que estavam falando. Eu amava os dois, da mesma maneira e na mesma intensidade, sem tirar nem pôr. Apenas um deles não era o suficiente, não completava meu coração, porque cada um era dono de uma metade. Naquele momento eu não me importava com o que viria em seguida, eu estava disposto a protegê-los de tudo e todos, eu estava disposto a amá-los para todo o sempre.

 


Notas Finais


VOCÊS GOSTARAM?
Por favor me falem se gostaram ou não. É a primeira vez que escrevo algo com taaaaanta narrativa e tão pouco diálogo.
Eu particularmente gostei bastante, mas quero muito a opinião de vocês *o*
Até pensei em fazer um extra com um lemon bem delicioso, mas não sei se ia ser legal nessa história.
Bom, me deem suas opiniões ✌(⊙ө⊙)

OBS: Vai ter capítulo de I'm your toy ou TOE nessa semana ainda, então por favor não me matem D:

Twitter: @Seoyoon_
Diz a lenda que quem fala comigo acaba recebendo uns spoiler por eu não saber calar a boca.

Novamente feliz dia das crianças a todos *-*
A tia ama vocês ❤
Beijos de luz (◠₃◠)♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...