História Condemned by the past - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Capitão América
Personagens James Buchanan "Bucky" Barnes, Personagens Originais, Sam Wilson (Falcão)
Tags Bucky Barnes, Capitão América, Marvel
Exibições 47
Palavras 951
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Quero agradecer pelos favoritos, vocês são demais <3

Capítulo 10 - Sou meu pior inimigo


 

“Deus, ajuda-me a sair

Quebrar as cadeias e me libertar

Do outro lado de mim

 

Ao entrar no apartamento, estranhou o vazio da sala. Aquele era o horário em que Bucky geralmente assistia á um seriado de ficção científica de nome estranho. Deixou o que comprara no balcão e foi até o quarto, nada. Também não tinha visto o celular que lhe dera em nenhum lugar, então pegou o seu e ligou. Duas chamadas depois ele atendeu.

-Cadê você?- conseguiu deduzir que ele estava na rua, podia ouvir o som dos carros e o do vento fazendo um chiado no microfone

-Eu lembrei – sua voz saía vaga, da mesma maneira que ela havia ouvindo anos antes

-Do que?- pegou um dos cadernos que anotavam tudo para se localizarem nas datas, e o folheou

-De tudo. Lembrei de tudo de dentro da Hydra- seus dedos ficaram rígidos em volta do telefone, não passou pela sua cabeça que Bucky poderia simplesmente relembrar de anos de serviço forçado assim, em um estalo- Meu deus, todas aquelas pessoas, e eu matei cada uma delas- a inquietude na sua voz fez Kath sentir sua garganta fechar

-James, aonde você está?- abriu a porta, trancando-a e chamando o elevador

-Não sei, só sai e corri- pôde escutá-lo fungar- Eu não sei. Tive medo de machucar mais alguém, então vim para longe.

-Me fala o que você está vendo. E fica calmo.- aquilo não mudou muita coisa, ainda sentia que estava revivendo cada segundo das missões, era como se pudesse sentir as armas que usava na sua mão livre, e inconscientemente desejou, por um milésimo de tempo, ter uma ali. Para acabar logo com tudo.

Forçou-se à distanciar o apelo para a autodestruição de seus pensamentos, e passou a listar o que havia a sua volta pelo celular.

 

Quando Kath o encontrou, minutos depois, Bucky sentara em uma calçada na frente de  uma lanchonete fechada e estava com a cabeça abaixada, passando os braços por cima da mesma. Entardecia, e a luz alaranjada refletia na neve.

-James?- se abaixou ficando a sua altura, e ele aos poucos levantou a cabeça, seus olhos inchados denunciaram que chorava- Tá tudo bem?- sabia que era uma pergunta estúpida de se fazer, mas o que mais poderia ser dito?

-Eu vi tudo, vi o rosto de todos que me controlaram e todos que matei, me vi em missões em todos os países que defendi na guerra- ele falava baixo, e suas palavras pesavam toneladas, Kath sentou do seu lado

-Lembrei de Bruxelas, você estava lá. Mostrou como iríamos entrar em uma base subterrânea.- Naquele dia ela precisara entender cada particularidade do Soldado Invernal para que tudo saísse conforme necessário, no final deu tudo certo.

O silêncio derramou-se pelos dois, os únicos sons eram as respirações pesadas, e Kath pensara várias vezes em tentar comentar algo, mas Bucky parecia muito concentrado em ficar quieto apenas recordando tudo. Notou que a sua mão estava vermelha, e levemente inchada, e concluiu que ele deveria ter socado algo afim de descontar a raiva antes que ela chegasse.

-Vamos voltar? Já escureceu- disse por fim, algum tempo depois.

-Não consigo. Foi demais para mim, desculpe.- Bucky ergueu-se da calçada e começou a andar para o lado contrário que ela vira. Estreitou os olhos e se levantou, indo atrás do mesmo.

-O quê?- tomando cuidado com a neve, andou rápido e ficou do seu lado- Então, você vai embora? Vai sumir na noite?

-Você não entende

-Sei que não. Mas não faz sentido ir embora, não agora- suspirou, e um vento gelado soprou no sentido contrário de ambos  -Para, James- se colocou na frente dele, o fitando nos olhos

-Eu vi seu rosto naquele dia, no dia do assassinato dos seus pais- ele alterara a voz e a segurou pelos ombros- vi o pânico nos seus olhos, vi suas mãos tremendo. Apontei uma arma para a sua cabeça e só não atirei porque me mandaram não o fazer. - ele já quase gritava a última parte. Soltou-a e passou as mãos no cabelo, impaciente- Não é uma questão de querer ou não, porque adoraria continuar com você, mas e se eu surtar? E se te machucar?

-Não vai acontecer- sentiu o hálito de Bucky pela proximidade

-Sabe-se lá o que fizeram com a minha mente, Kath. Não vou te pôr mais riscos. Eu sou meu pior inimigo, não quero virar o seu também.

-Posso continuar a te ajudar. Eu estava conseguindo.- Bucky olhou para o chão, para então passar a mão na parte de trás de sua cabeça- Você estava bem melhor, não é?- assentiu levemente, e seu maxilar estava travado- Então o que mudou entre nós?

-Tenho medo de estragar tudo- surpreendeu-se quando uma lágrima escorreu  pela bochecha de Bucky, e  ele parecia atônico demais para limpar, talvez sequer tenha percebido que tinha voltado a chorar- Com você. Com Steve. Eu não consigo me achar, nem me reconheço, e não sei se um dia vou conseguir.

Kath se aproximou, passando seus braços ao redor de seu tronco e escondendo seu rosto próximo ao pescoço de Bucky, ela sentia quando ele respirava fundo, e ouvia seu coração batendo depressa mesmo com a camiseta e o casaco acolchoado que usava. Bucky apoiou seu queixo no topo de sua cabeça, e a abraçou da forma que achava que era certa.

-Você vai se redescobrir, prometo. E não se preocupe, sou uma profissional em estragar as coisas, então se alguém for fazer isso, provavelmente serei eu- como ela esperava, Bucky era desajeitado quando se tratava de demonstrações de afeto, e aquilo se refletia no seu abraço, ela sentia como estava tenso.

 

 


"Fique comigo um pouco mais
Eu vou esperar por você"

 

 


Notas Finais


Até, amores owo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...