História Condition - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Itachi Uchiha, Madara Uchiha, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Itachi Uchiha, Itasaku, Madara Uchiha, Madasaku, Naruto, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Sasusaku
Exibições 486
Palavras 1.793
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá!!! Estou postando mais uma fic do casal Sasuke e Sakura, espero que gostem!!! :3

Capítulo 1 - Comunicado


O dia estava tedioso, principalmente por ter que agüentar a presença dos seres que não lhe davam sossego: Itachi Uchiha e Madara Uchiha, ambos os irmão e tio do futuro vice-presidente da corporação Uchiha, Sasuke Uchiha.

Há anos vinha abominando o fato de ter que aturá-los na empresa e agora em casa. Sim! Em casa. Os três moravam juntos desde a morte precoce do poderoso Fugako Uchiha – pai de Sasuke e Itachi e irmão de Madara – junto da esposa Mikoto. Desde então, Madara passou para a presidência e futuramente receberia o sobrinho como vice – já que Itachi optou pela vocação como advogado por não suportar administrar algo tão grande – contudo esse ainda não era o real motivo de sua preocupação, na verdade ele, ou melhor, ela, tinha nome e sobrenome: Sakura Haruno.

Sakura era de uma beleza exótica, possuía cabelos rosados e lindos olhos verdes; sem deixar de lado as belíssimas curvas que compunham seu corpo. Curvas e beleza que não passou despercebido de dois pares de negros olhos muito atentos, e que irritava por deveras certo moreno enciumado.

 A rosada era conhecida de Sasuke desde os tempos de colégio; o amor que a garota nutria pelo mesmo era do conhecimento do moreno, entretanto esse amor nunca foi recíproco da parte dele, nunca a viu como uma boa companheira, mas o destino fez-se irônico para ele. Após cada um seguir caminhos diferentes, após alguns anos, Sasuke sofreu um acidente e foi levado ao hospital e lá foi recebido por ela, Sakura. Seus olhos não acreditaram no que via, seu coração acelerou principalmente depois que a rosada o reconhecera então, finalmente, acordara pra vida: “perdi uma linda mulher... Ou não!”. Quando menos se esperou descobriu-se apaixonado pela moça e, há oito meses, era noivo da mulher que amava e, a cinco, a jovem mudou-se para sua casa após a morte da mãe, sua única parente.

Assim como Sasuke, Sakura também se via obrigada a aturar Itachi e Madara, entretanto levava o modo excêntrico, extrovertido e, por muitas vezes, malicioso na esportiva. Gostava de conversar com aqueles dois, mas Sasuke não via dessa maneira, ele odiava qualquer palavra ou gesto que Sakura trocava com eles; o olhar de desejo e luxúria se fazia evidente naqueles pares de negros avermelhados, mas tinha mais receio ainda do tio. Madara era maluco às vezes, tanto, que quis matar o tio ao saber que o mesmo havia ‘traçado’ – como o tio gostava de dizer – sua mãe Mikoto, antes dela casar-se com Fugako, porém o irmão também se via traiçoeiro, então, não podia dar brecha a eles, entretanto ficava cada vez mais difícil depois que Sakura veio para casa do jovem. Tio e irmão eram como urubus rodeando a presa; sua ‘missão’ era apenas “protegê-la” das garras fétidas dos dois. Sakura achava um absurdo a “proteção” e o ciúme de Sasuke quanto a isso, mas também não podia deixar-se levar pela conversa deles; apesar de admitir ao próprio Sasuke o quanto achava Itachi e Madara atraentes, não deixaria seus hormônios à traírem, seria fiel a quem verdadeiramente ama.

Perdido em pensamentos, não notou a entrada repentina do irmão em sua sala; voltou-se para ele, apenas quando Itachi fez questão de bater violentamente a palma das mãos em cima da mesa. O estrondo assustador fez Sasuke elevar-se do acento alguns centímetros e receber Itachi aos xingos, porém como um ‘bom’ irmão, Itachi levou na esportiva.

- Nossa! Oi pra você também irmãozinho!

- Se não tivesse chego assim, talvez um oi eu te dissesse – disse ríspido.

- E então, como anda os negócios?

- Melhor impossível, principalmente depois que ganhamos aquele processo contra a empresa.

- Maninho, mas é claro que a corporação Uchiha ganharia o caso; o advogado era eu. Não era pra menos.

- Não se gabe, Itachi – revirando os olhos, Sasuke cortou o barato do irmão enquanto o mesmo gargalhava andando na direção da porta.

- Bem, já vou, só passei para infernizar.

- É só isso que você sabe fazer mesmo.

- Qual é Sasuke, não sou tão chato assim.

- Está bem, agora vaza Itachi.

- Ei! Não fale assim comigo!

- Tchau...

- Ok... Ah! Sua noivinha maravilhosa ligou e disse pra você chegar mais cedo, pois ela quer falar contigo.

- O quê? E você só me avisa agora!

- Desculpe.

- Espera... Por que não foi à secretária quem me avisou sobre isso? – Itachi sorriu malicioso deixando, por fim, um Sasuke irritado ao notar a forma como o irmão sorria por Sakura.

- Saia daqui! – esbravejou atirando-lhe o peso de papel; olhou em seguida para o relógio e contatou ser 16h30min, ele saía as 17h00min e Sakura só chegava às 17h30min; teria tempo de sobra para chegar na hora... Será?

Saiu no horário normal, contudo o trânsito era caótico, o horário de pico não o ajudava em nada. Permaneceu imóvel em meio ao trânsito por vinte minutos tendo buzinas, palavrões e pessoas mal educadas como distração. 17h30min marcava o relógio e, quando realmente se viu atrasado, os carros resolveram se mover. Irritado com o caos, acelerou ao máximo para chegar a tempo; Sakura sempre chegava uns dez minutos depois.

Finalmente, pode estacionar em sua garagem; saiu correndo imaginando não encontrá-la. Tarde demais! Ao entrar no hall da casa foi recebido por Itachi.

- Chegou atrasado irmãozinho – ironizou.

- Vai levar bronca – caçoou Madara, aparecendo de repente.

- Calem a boca! – subiu as escadas ouvindo ao fundo, as risadas zombeteiras. Irritado e imaginando o sermão da noiva quando entrasse no quarto, tratou logo de relaxar; retirou a gravata sufocante, desabotoou o blazer despindo-se do mesmo para, no final, se ver de fronte à porta correspondente aos dois; receoso, abriu-a lentamente constatando que Sakura estava a banhar-se. Fechou a porta atrás de si. Decidido a lhe fazer companhia, despiu-se por completo e, sorrateiro, adentrou no banheiro laçando por trás a cintura de sua desejada noiva. A garota assustou-se de inicio, mas sabia muito bem quem era: o atrasadinho do noivo! Irritava-se quando Sasuke não atendia seus pedidos, todavia, por alguma razão, não conseguia manter-se assim por muito tempo, Sasuke era irresistível demais.

- Está atrasado – disse calma ao receber um delicado beijo no ombro esquerdo.

- Perdão Sakura, mas o trânsito estava horrível – tentou amenizar a situação.

- É sempre o trânsito como desculpa, não é Sasuke? – estranhamente, continuou calma.

- Sakura, por favor, olhe... A culpa também foi do Itachi, ele me avisou muito tarde que você ligou-

- Não coloque a culpa no Itachi ele-

- Sakura... – interrompeu-a – Esqueça ok? Que tal fazermos algo mais interessante? – sorriu malicioso. Antes que pudesse protestar, a rosada teve os lábios tomados pelo sedento Uchiha.

As sensações provocadas pelo beijo lascivo retiraram qualquer sinal de irritação da jovem; sentir seu moreno explorando cada canto de sua cavidade oral era incrível. O beijo havia cessado; o chuveiro desligado e Sakura tomada nos braços por Sasuke. Um gritinho acompanhou a jovem com o susto do movimento e, sem nem mesmo enxugar os corpos, Sasuke levou a amada noiva para a cama, depositando-a sob a mesma em seguida.

- Sasuke... Eu preciso falar-lhe – tentou interromper o ato.

- Depois – disse tomando novamente os lábios da moça.

Vencida pelo desejo, só restou-lhe acompanhar a língua ávida do noivo e, por si só, provocava-o arranhando-lhe os músculos do peito e as costas, obtendo como resposta, baixos gemidos do moreno que já se encontrava excitado. Sentiu quando o mesmo roçava-lhe o membro em sua intimidade. Novamente as bocas separaram-se para que Sakura tivesse o alvo pescoço tomado pelo Uchiha; beijos, chupões, mordidas, todos levando Sakura ao delírio. Como retribuição aos carinhos de Sasuke, a rosada foi mais ousada, levou as mãos, que antes percorriam o peitoral do Uchiha, para a bunda, apertando a mesma, ouvindo um gemido de satisfação para logo em seguida, ocupar-se com o membro do jovem. Fazia movimentos lentos, mas que proporcionava um prazer incrível em Sasuke; apertava-o, hora movia-se rápido, hora devagar. Aproveitou então a vulnerabilidade do moreno e o virou, deixando-o deitado. Rapidamente, Sakura pôs-se por cima, abocanhando sensualmente o falo rijo do Uchiha.

- Ah! – o gemido soou mais como um grito, excitando até mesmo a rosada. Sasuke já podia sentir o ápice chegando.

- Sakura pare... – disse sôfrego, mas a ordem não fez Sakura acatar os movimentos, simplesmente a moça foi ainda mais rápido sentindo a seiva do moreno apossar-se de sua boca. Sorveu em seguida. Sensualmente, Sakura engatinhou até alcançar a boca do Uchiha e beijou-o.

Toda aquela sensualidade fez o fogo do moreno se alastrar pelo corpo novamente; precisava imediatamente “dar o troco” na sua noiva ousada. Tomou o seio de Sakura com a boca, porém, não demorou muito ali, partiu para entre as pernas da rosada; afastou-as pelo tornozelo e afundou-se em sua cavidade. O trabalho realizado pala língua meticulosa, ocasionava demasiados gemidos incessantes na moça. Para Sasuke, olhá-la enquanto fazia os movimentos era alucinante. O olhar deleitoso de sua noiva excitava-o ainda mais, necessitando imediatamente possuí-la e, sem rodeios e nem esperando o orgasmo da moça chegar, levantou-se num único movimento penetrando-a, obtendo um grito de susto misturado ao prazer de Sakura.

Os movimentos eram rápidos e frenéticos; a luxúria embalava o casal dentro do quarto e, do lado de fora, sem que ambos notassem, os gemidos chamaram a atenção de um par de ouvidos bem atentos. Madara passava pelo corredor no momento de prazer do casal e, claro, os gemidos chamavam-lhe a atenção, mas apenas um gemido podia ser ouvido nitidamente: os de Sakura; e para o deleite do moreno mais velho, imaginou-se no lugar do sobrinho, fazendo a rosada gemer para ele; por ele. Mas antes que não pudesse conter-se naquele corredor, tratou logo de afastar-se; era tentador demais.

Dentro do quarto, o ápice havia tomado conta dos corpos suados. Cansados, ambos deitaram aconchegados, abraçando um ao outro.

- Sasuke, precisamos conversar.

- Diga o que é de tão importante assim para querer me comunicar nessa situação? – apontou com as mãos para a nudez de ambos. Sakura riu divertida, Sasuke sabia como encabulá-la.

- Amanhã terei que viajar – Sasuke espantou-se por um momento – Irei junto de minha chefe Tsunade, fazer algumas palestras numa universidade de medicina – o moreno ouviu atentamente. A saudade já invadia seu peito; odiava quando Sakura viajava à trabalho, ficar sozinho sem a noiva para satisfazê-lo era um mártir, mas tinha que aceitar, o trabalho dela envolvia isso então, o melhor era aceitar.

- E por quanto tempo ficará por lá?

- Três dias. Não é muito. Você ficará bem? – perguntou, notando o desapontamento no semblante do Uchiha.

- Hum. Acho que sim.

- Own! – Sakura abraçou-o tentando conter a face manhosa de Sasuke. Acomodados e tranquilos, adormeceram, pois amanhã, começaria os três dias tediosos para Sasuke.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...