História Conexões (Em Revisão) - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Akamaru, Anko Mitarashi, Asuma Sarutobi, Chiyo, Chouji Akimichi, Deidara, Fugaku Uchiha, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hanabi Hyuuga, Hinata Hyuuga, Hizashi Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Kakashi Hatake, Karin, Kiba Inuzuka, Killer Bee, Konan, Kurenai Yuuhi, Kushina Uzumaki, Matsuri, Minato "Yondaime" Namikaze, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Orochimaru, Pain, Personagens Originais, Rock Lee, Sai, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Shion, Shizune, Temari, TenTen Mitsashi, Tsunade Senju
Tags Fanfic, Inosai, Naruhina, Naruto, Romance, Sasusaku
Visualizações 54
Palavras 6.275
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bom, aqui vai um aviso rapidinho.
Gostaria de me desculpar pela demora, mais tive uma semana bem corrida e já estou escrevendo esse capítulo a tempos sem chance de terminar.

Me desculpem se não for o que vocês estavam esperando, to meio dodoi esses dias e minha criatividade tá bem bloqueada, mais prometo que daqui a dois capítulos as coisas vão melhorar.

Amanhã estou saindo de viagem então, provavelmente postarei um capítulo por semana.

Música de inspiração para o capítulo - Keane/ Somewhere Only We Know.

Espero que gostem bebês, ainda assim prometo melhorar nos próximos.

🌸😘

Capítulo 18 - Polaroid


Fanfic / Fanfiction Conexões (Em Revisão) - Capítulo 18 - Polaroid

Não poderíamos terminar a festa de Tenten da melhor forma, eu perdi toda a diversão e ao menos cantei os parabéns a minha amiga, mas vê-lo ao meu lado, cantando para mim, me encheu de luz, é como se eu estivesse constantemente a observar o nascer do sol, seus raios de luz entraram e minha alma, me aquecendo, e eu podia sentir essa sensação sempre que eu olhava pra ele, quem diria que Sasuke Uchiha, com seus cabelos negros e olhos que mais pareciam duas pedras Ônix, poderia me encher de tanta luz? Eu perdia todo o conceito de quem eu era ao estar com ele, toda a minha pose de garota decidida se esvaía, deixando sair de mim sempre os melhores sorrisos, desde que cheguei a Tóquio estive tentando lutar contra esse sentimento que tanto me amedronta, ninguém nunca havia tido o poder que ele tem sobre mim, nunca pensei que seria tão difícil lutar contra isso, todo o meu pensamento sobre estar apenas encantada e ser somente uma atração já não era suficiente para mim, e eu não poderia mais me enganar e negar que talvez estivéssemos mesmo ligados um ao outro. Recostei minha cabeça sobre seu ombro, desejando mais daquela melodia e viajando sobre minhas lembranças, sobre tudo o que passamos e como foi bom estar ao seu lado por esse dia, não queria mais fugir, por mais que fosse difícil, por mais que fossemos diferentes, por mais que reunisse um milhão de coisas contra na minha cabeça, eu não poderia mais fugir, só agora eu vejo que seria mais difícil te ló longe de mim.

Treze horas antes.

O nascer do sol, com certeza, era uma das coisas que eu mais gostava de observar na vida, comecei fazendo isso com o meu pai, sempre que viajávamos e depois Ino, Naruto e eu pegamos esse habito. Fiquei chateada por perder os parabéns a Tenten, mais feliz que no final tudo deu certo, e não podia deixar de notar a expressão serena de Tenten ao lado do meu primo Neji, até minha porquinha parecia ter se acertado com Sai, fiquei feliz em não ver a figura de Deidara ali, realmente ele já me causou muitos problemas, embora essa noite tenha sido uma noite difícil e eu me sinta brevemente culpada por ter cedido aos caprichos dele e de Shion. Haku também não estava mais no local, o que me deixou aliviada e nbo final tudo deu certo, a vó de Tenten ainda estava dormindo, e ao que tudo indica os garotos já tinham limpado o interior da festa retirando qualquer rastro que entregue que consumimos bebidas alcoólicas. Por mais que eu estivesse adorando o momento eu estava morta de cansada, e mesmo com o astro-rei brilhando intensamente a nossa frente iluminando todo o mar, o vento ainda era muito gelado! Cantamos mais umas três músicas, mas ao cantar eu ainda sentia meu corpo repuxar por conta da bebida e por ter dormido toda torta em cima de Sasuke, imagino como seu corpo estaria.

―Gente, acho que já vou, vamos Ino? ―Disse indicando meu estado deplorável a Ino.

―Vamos amiga, também preciso descansar. ―Disse ela se enrolando mais ao cobertor por conta do frio que fazia a esse horário.

―Nós também já vamos. ―Disse Shikamaru que estendia a mão para Temari se levantar.

―Acho que todos nós deveríamos ir, até porque hoje é o nosso último domingo livre, semana que vem começam as provas e trabalhos para o fim do semestre, poderíamos aproveitar o dia de hoje e sairmos todos juntos? ―Disse Karin se aproximando de nós, com Kiba.

Os dois bem que combinavam juntos, dariam um ótimo casal, mais o Kiba só queria saber de idolatrar a Hinata e brigar com o Naruto, se bem que não tive notícias de briga entre eles nessa festa o que é minimamente bom!

―Minha ruivinha amada, eu adorei a ideia, mas tem uma pessoa que quer tornar um pedido decente hoje, então não vou poder ir! ―Disse Hinata se explicando, estendendo as mãos a frente do peito enquanto torcia os lábios.

―Pera ai, pedido? ―Perguntou Karin, e eu logo entendi do que se tratava.

―Quer dizer que? ―Disse com os olhos brilhando, enquanto Sasuke fazia um leve carinho em meus cabelos e eu observava disfarçadamente Kiba virar os olhos, estava demorando!

―Não quer dizer nada! Depois eu conto a vocês. ― Disse ela levantando se a frente de Naruto, enquanto o mesmo se levantava segurando em sua cintura. ―Neji, já tá tranquilo para dirigir?

―Claro que sim irmãzinha, o efeito já passou e nem bebi tanto assim. ―Disse Neji acenando com a cabeça se desgrudando da morena ao lado.―Vocês três vem conosco?

Disse ele se referindo a mim, Naruto e Ino.

―Sim, vamos! Será que você pode dar uma carona para o Sasuke? ―Não custa perguntar né, além do mais eles moram bem pertinho.

―Espera gente, a Hinata não pode ir mais e vocês? Já querem irem embora sem se decidirem? ―Disse a ruiva interrompendo nossa conversa suplicando por uma saída mais tarde.

Assim que Karin terminou de falar Sasuke se levantou me fazendo levantar junto já que estava sentado a sua frente, recusando o convite.

—Eu já tenho outros planos para hoje e a Sakura também! —Disse ele respondendo por mim e eu não entendi nada. —Obrigado!

Sasuke a abraçou e por um segundo ficamos sem entender, inclusive Karin que paralisou por estes mesmos segundos não retribuindo o abraço, mas logo o fez. Assim que se soltaram pude perceber a troca de olhares entre eles, como se fossem cúmplices. Ino logo se aproximou de Karin passando o braço por cima de seus ombros, e a puxando para si.

—Eu e o Sai vamos com vocês dois. —Disse ela apertando a amiga.

—Nós também estamos livre. —Disse Shikamaru e Temari.

Logo Lee, Chouji, Karui e Tenten se ofereceram para ir também, e Sasori deu uma forcinha pra um amigo muito calado, que precisava de um empurrãozinho.

—Gaara, porque você não vai? Aproveite e pega a Konan na casa dela! —Disse Sasori batendo seus ombros nos ombros de Gaara, que deu um sorriso sem graça.

—Mas e você? —Perguntou Gaara.

—Eu tenho umas coisas para resolver hoje e não posso ir. —Eles pareciam ser bons amigos mesmo, estavam sempre juntos, e era muito difícil vê-los separados.

—Tudo bem então, pode ser após o almoço pessoal? —Perguntou Gaara.

Todos responderam positivamente, e Gaara então prosseguiu, “convidando” a garota envergonhada ao seu lado, que não parava de girar a bola de vôlei em sua mão.

—Posso te pegar as 14:00? —Disse ele, enquanto a mesma tentava esconder sua vergonha, parece que realmente ela sentia algo por ele.

—Hm. —Foi tudo o que pudemos ouvir enquanto ela criou coragem para encara-lo.

—Bem, pessoal! Tá tudo ótimo mais eu preciso mesmo ir, preciso devolver essas mocinhas em casa, antes que meu pai comece a me procurar. —Disse Neji, claramente se despedindo.

—Ne, Neji? —Tenten o chamava timidamente.

Em seu estado normal ela era tão descontraída e normalmente lidava com os garotos muito bem, acho que perdi várias coisas nessa festa e Konan não era a única envergonhada.

—Você, você quer ir conosco? —Disse ela o olhando pelas costas e dessa mesma maneira ele a respondeu.

—13:30, esteja pronta. —Disse ele de ainda de costas.

—Sem atrasos. —Disse ela dando um breve sorriso, enquanto ele apenas assentia com a cabeça, olhando devagar para seu rumo.

—Vamos, já prolongamos demais isso. —Disse Sasuke segurando em minha mão.—Tudo bem se eu for com vocês então?

—Sem problemas Sasuke, vou deixar os três primeiros e depois passamos a sua casa. —Disse Neji.

—Sim, obrigado. —Assentiu Sasuke

Todos adentramos a casa, pegando nossos casacos e pertences que haviam ficado lá dentro e nos despedimos. Assim que íamos ao encontro do carro de Neji, senti Sasuke apertar minhas mãos, e a sensação de tê-las entrelaçadas me fazia arrepiar por inteira. Após ele apertá-la mais um pouco, despertei para o que ele havia dito anteriormente e então perguntei!

—O que quis dizer com planos para hoje? —Perguntei caminhando ao seu lado calmamente sobre a areia, trazendo sua atenção para mim.

—Você disse que precisa contar algumas coisas sobre você. —Disse ele prendendo seu olhar ao meu.

—Sim eu preciso. —Disse soltando um breve suspiro, sentindo meu peito subir e descer lentamente.

—Fico feliz que não tenha se esquecido. —Disse enquanto soltava aquele breve sorriso, que eu conhecia bem.

Demorei demais a perceber que eu não precisava saber tudo sobre a vida dele, as pequenas coisas que ele me demonstravam já eram o suficiente.

—Bem, então eu te espero após o almoço. Leve seu Skate e seu violão, o meu está desafinado e estou um pouco sem paciência. —Disse sentindo seus dedos relaxarem entre os meus.

—Sabe que não precisa ficar colada a pista comigo o tempo todo, podemos fazer outra coisa. —Disse ele sugestivo.

—Sim eu sei, mas também sei que daqui a duas semanas você irá correr em um campeonato e com as provas chegando, vai ficar difícil para você treinar, pelo menos hoje você pode remar um pouco e eu preciso me exercitar. —Disse explicando meu ponto de vista enquanto me soltava de suas mãos, ajeitando meu casaco que deslizava pelo meu ombro. —E também eu não disse que iriamos a pista.

—Para eu remar e tirar algum proveito disso, tenho que pelo menos estar em uma grande ciclovia ou em ruas não movimentadas e não vou conseguir ficar perto de você ao fazer isso.

—Bom ciclovias temos bem aqui em volta a praia, e enquanto a ficar próximo a mim, fica tranquilo não pretendo me perder de você. —Disse parando em frente ao carro de Neji, enquanto o mesmo destravava.

—Ela pode não ser muito boa com manobras, mais rema como ninguém! —Disse Naruto dando espaço para Hinata entrar no carro. —Acho que já te contei uma vez que a Sakura se aventurava comigo no Skate?

Apenas parei em sua frente o olhando nos olhos em uma espécie de desafio, enquanto o mesmo me lançava um sorriso desafiador e ao mesmo tempo safado, desviei meus olhos do seu me abaixando pra entrar no carro enquanto o mesmo ficou parado ao lado de fora.

—Entra no carro Uchiha! —Disse o puxando pela mão, ele parecia encantado ao saber que eu realmente quebrava um galho ao andar de Skate.

A pequena viajem até em casa foi tranquila, Sasuke fez carinho em meus cabelos o tempo todo e eu deitei minha cabeça em seu peito na intenção de descansar um pouco. Assim que chegamos a frente do prédio, nos despedimos dentro do carro com um selinho, vendo Naruto e Hinata fazerem o mesmo. Quando chegamos ao apartamento Naomi estava nos esperando com um belo sorriso e um delicioso café da manhã, não sei o que seria de nós sem ela. Contamos um pouco sobre a festa, quer dizer a Ino e o Naruto contaram, porque eu só estava observando enquanto comia aquele café morrendo de fome. Após o café subi ao meu quarto acompanhada de Naomi, ela me ajudou a preparar um banho de banheira e quando sai do banho pude sentir o ar quentinho dentro do meu quarto e notei que Naomi já não estava mais! Coloquei um pijama quentinho que já havia separado e cai na cama, dormindo até às onze e meia da manhã. Assim que levantei tomei mais um banho só que dessa vez bem rapidinho, assim que sai do banho fui até a sacada do meu quarto abrindo as portas e deixando a luz entrar, não poderíamos ter escolhido um dia melhor pra ver o sol nascer, ele estava brilhando no céu, e mesmo com o ventinho gelado que ainda fazia, com certeza o clima hoje seria mais agradável. Fui até meu guarda roupa e coloquei um macacão preto com estampa floral, deixando minhas pernas magrinhas mais definidas de fora, nunca fui de fazer exercícios, uma hora pegava firme, outro a hora nem lembrava, mais bem eu gostava das minhas pernas e com o frio eu quase não as mostrava, coloquei um moletom preto deixando somente o shortinho aparecer, um tênis preto da vans velhinho! Deixei meus cabelos soltos como de costume, batiam na cintura e logo precisaria de um corte, hidratei bem a pele do rosto e não passei nenhum maquiagem sobre ela.

Após terminar de me arrumar desci as escadas sentindo o cheirinho do almoço ficando pronto, Ino estava derrotada ao sofá, aparentemente pronta para o seu encontro com o pessoal, mais bem derrotada. Sasuke combinou de me pegar à uma da tarde então não tinha tempo de conversar com a porquinha agora. Fomos para a cozinha juntas para almoçarmos, assim que terminei o almoço subi ao meu quarto novamente para escovar os dentes e pegar o meu long board, que estava parado a tempos, por sorte trouxe ele para Tóquio. Assim que descia as escadas escutei a campainha tocar e vi Naomi indo em direção a porta para recebe-lo.

—Entre, entre, você veio ver o Naruto? —Disse Naomi fitando a pessoa para a sua frente.

—Na verdade eu vim buscar a Sakura, para darmos uma volta, se não se importar! —Disse ele meio que pedindo permissão a Naomi.

—A claro! —Disse assentindo com a cabeça. —Sakura querida?

Naomi me chamou já sentindo minha presença no local, enquanto eu apenas a encarei.

—Não volte tarde, amanhã vocês dois tem aula. —Disse ela dando espaço para que Sasuke entrasse ao apartamento, mas ele não o fez.

—Pode deixar Senhora, não voltaremos tarde. —Disse Sasuke retirando o long board da minha mão no momento em que me aproximei dele.

—Pode me chamar apenas de Naomi querido, agora vão estão perdendo o tempo de vocês. —Disse Naomi se retirando da sala.

—Peças profissionais e das melhores, fico pensando em como um ser tão pequeno anda pra cima e pra baixo com algo tão pesado!—Disse Sasuke claramente se referindo ao longo board em suas mãos, enquanto eu olhava Naomi se distanciar, quando prontamente voltei o meu olhar ao seu.

—Eu sou magrinha, mas não fraca! —Disse o empurrando devagar, fechando a porta atrás de nós, puxando ele para mim, selando nossos lábios com um selinho demorado.

—Vamos até a praia do que? — Perguntei passando por baixo de seu braço que agora estava apoiado na parede.

—Vamos de metrô! —Disse ele me segurando pela cintura enquanto eu chamava o elevador.

—Se vamos de metrô, cadê suas coisas? —Disse adentrando o elevador com ele grudado ao meu corpo.

—Eu deixei tudo na portaria! —Prontamente ele encostou o long board na parede do elevador, desvencilhando por segundos de nossos corpos, me puxando pra perto, logo selando nossos lábios mais uma vez, mas de forma mais agressiva, enquanto me prensava a parede.

Suas mãos passaram por de baixo do meu moletom não encontrando pele exposta, por um segundo sorri entre o nosso beijo percebendo seu desespero, é certo que ambos éramos muito jovens e eu não havia tido relações com ninguém, enquanto Sasuke já havia estado com outras garotas. Infelizmente eu não conseguia me conter ao estar perto dele, então deveria me manter firme para não me entregar de bandeja, eu gostava de estar com ele, a sensação de nossos corpos juntos era eletrizante e me fazia arrepiar a cada toque desferido sobre minha pele, mas não queria apressar as coisas com ele, e acredito que ele não me pressionaria com isso. Sasuke passou suas mãos por minha nunca, enrolando seus dedos entre meus fios de cabelo, aprofundando ainda mais o beijo, diminuindo o ritmo deixando o seu beijo mais lento, profundo e apaixonado, bem era como me sentia no momento, não posso dizer por ele mais, a cada beijo, carinho que trocávamos um com o outro eu parecia mais extasiada. E então para meu desgosto ele nos separou por alguns segundos pedindo por ar e antes que pudesse voltar a me beijar a porta do elevador se abriu.

—Bem, está na hora. —Disse ele ofegante ao olhar para porta aberta a nossa frente, enquanto eu estava imensamente corada.

Entrelacei meu dedo entre os seus e fomos até a portaria pegar suas coisas, assim que tínhamos tudo o que precisávamos, fomos a estação de metrô, que ficava a quatro quadras dali.

—Bom uma coisa que você precisa saber é que nunca andei de metrô. —Disse enquanto via o enorme metrô parar a nossa frente.

—Acho que vou mudar seu apelido de rebelde sem causa, para filinha do papai. —Disse ele me dando abertura para entrar no metrô antes que ele.

—É bem isso, meu pai sempre foi muito protetor, então desde pequena eu tenho o Estefan pra me carregar para todos os lados. —Disse dando um sorriso sem graça.

—E sua mãe? —Disse Sasuke causando meu silêncio por minutos. —Quando meus pais ainda eram casados ela quem me levava pra todos os lugares possíveis!

—Que a sorte a sua. —Disse dando um sorriso infeliz e ele me olhou apreensivo. —Achei que Naruto já tinha te dito algo sobre isso!

—Na verdade ele me fala pouco sobre você, na verdade ele fala de Skate e da Hinata o tempo todo. —Disse Sasuke coçando a parte de trás da cabeça meio sem graça com a questão.

—Bem, minha mãe faleceu quando eu tinha sete anos, então não tive muito tempo com ela, na verdade me lembro de poucas coisas já que era muito pequena. —Disse tranquila, não queria levar nossa conversa pra esse lado, era pra ser um dia agradável.

—Sakura me desculpe eu... sinto muito. —Disse Sasuke travando o maxilar sem olhar para mim.

—Tá, tudo bem! Uma hora eu teria que dizer não é mesmo? É difícil mais eu já me conformei. —Disse dando um sorriso leve enquanto fechava os olhos, eu jamais iria me conformar, mas ele não precisava saber disso agora.

Ele me olhou com olhos apreensivos, aquele par de Ônix me tiravam o chão, mas eu não queria um dia de fraquezas, queria ter um dia divertido ao lado dele, e eu teria.

—Ei, você pode sorrir só um pouquinho? — Perguntei posicionando minha Polaroid a sua frente, fazendo um clique da pessoa séria em minha frente a revelando na hora.

—Então você gosta de tirar fotos? —Perguntou ele claramente tentando se desvencilhar do assunto anterior.

—Bem, é uma das coisas que eu mais gosto de fazer, tipo você com os desenhos? É algo que eu gosto mas, não é o que mais amo fazer. —Disse tirando mais uma foto do Nerd Perfeitinho ao meu lado.

—Como sabe que eu não gosto tanto assim de desenhar? —Disse ele puxando a nova foto de minhas mãos.

—Bem eu sou bem observadora, e nunca vi você fazer algum desenho sequer em horário de aula, enquanto o Sai só fazia exatamente isso, logo deduzi que ele é o mais apaixonado por desenhos enquanto você é o mais apaixonado por andar de Skate.

—Realmente desenhar não é o meu forte, e eu comecei a desenhar com o Sai e ele começou a andar de Skate comigo. Seus desenhos são bem melhores que os meus, eu sou apenas um amador. —Disse ele tirando a câmera de minhas mãos. —Como eu faço pra usar isso, senhorita observadora?

—Sabe que eu gosto de você quando está de bom humor! —Disse colocando minhas mãos sobre a sua. —Você só tem que apertar o botão de disparar, primeiro irá sair o cartão protetor do filme, depois você dispara novamente e teremos a foto, assim que a foto sair você terá de balança-la assim como eu fiz, para ela ir sendo revelada aos poucos.

—Bem parece fácil. —Disse ele se desfazendo do meu toque posicionando a foto em minha direção, me fazendo corar. —Falta só uma coisa…

Disse ele retirando uma mecha de cabelo da frente do meu rosto a prendendo atrás da orelha deixando minha pinta na testa em evidência e só então fazendo a foto.

—Gosto da sua pinta, é diferente!—Disse ele prendendo os olhos a foto que acabara de tirar. —Ela veio de quem?

—Da mamãe! —Respondi enquanto ele ainda fixava seu olhar sobre a foto.

—Então é mesmo uma herança de família. —Disse ele se virando pra mim. —E o cabelo? É herança de quem?

Ele claramente falava sobre os meus fios rosados, motivo pelo seu apelido carinhoso de “rebelde sem causa”.

—Você até que está bem falante hoje. —Disse retirando a Polaroid de sua mão.

—Uma irritante disse que pra ficarmos juntos, tínhamos que conhecer um ao outro! Enão digamos que estou me esforçando! —Disse ele revirando os olhos, mas me roubando um selinho logo em seguida, ele estava mesmo empenhado.

—Eu pintei de rosa antes de vir pra Tóquio, senti que deveria mudar. Meu pai quando adolescente tinha o cabelo rosa, mais escuro que o meu, e é claro que me baseei nele. —Disse dando minha breve explicação. —Agora eu tenho o cabelo do meu pai e a manchinha da minha mãe.

Assim que eu conclui a minha resposta deu um leve sorriso fechando os olhos, é só abri quando senti que ele tocou minha testa com o dedo indicador e o médio.

—Bem, eles devem ter muito orgulho de você. —Disse ele com seus olhos parado aos meus e nesse momento senti meu rosto ruborizar, o brilho em seu olho era tão intenso que não consegui formular nada como resposta, apenas o observei. —Hei, vamos a próxima parada é a nossa!

Sasuke tirou seus olhos dos meus e se levantou jogando o violão em suas costas e pegando o seu skate, assenti com a cabeça após a sua constatação guardando a Polaroid na minha pequena mochila e pegando o long ao meu lado.

Assim que descemos do metrô começou a nossa aventura, caminhamos até a ciclovia em volta a praia que estava do outro lado da rua, assim que coloquei meus pés nela soltei o long board no chão, vendo o Sasuke fazer o mesmo com o seu skate, tirei meu moletom em seguida e o amarrei na cintura, deixei minha bolsa bem rente a mim, enquanto Sasuke mantinha o violão em suas costas.

—Esta pronta? —Perguntou já com o pé esquerdo posicionado em cima do Skate.

—Mais do que pronta! —Falei posicionando meu long. —O violão não vai te atrapalhar?

—Não, e se atrapalhar talvez você tenha uma vantagem. —Disse soltando seu breve sorriso de canto de boca.

—Vantagem em que? — Perguntei colocando meus fones de ouvido sem apertar o play.

—Bem a frente passando o local de onde foi a festa da Tenten, tem um boliche, se você chegar lá primeiro que eu, poderá escolher qualquer castigo para mim, e se eu chegar antes que você, você terá que implorar a Tsunade pra ter o seu posto ao meu lado de volta! —Disse ele se dando por vencido, admiro sua coragem mais acho bem difícil Tsunade me deixar cuidar dessa tarefa novamente.

—Você sabe que eu vou perder e que ela não vai ceder, não sabe? —Isso era impossível, uma ciclovia com várias pessoas caminhando eu teria de desviar de todas e ainda assim não seria mais rápida que ele, nem que estivéssemos sozinhos.

—É por isso que você vai ter que implorar, mas bem achei que depois daquele comentário você fosse páreo pra mim! —Mais uma vez ele soltou seu sorriso insuportavelmente lindo.

—Bem, se é assim! Proponho que se eu ganhar, você terá que cantar comigo no show de talentos na primavera! —Disse sem olha-lo procurando uma playlist boa em meu celular, ele jamais iria cumprir seu desafio.

—Eu topo! —Disse ele colocando seus fones de ouvido. —Você já sabe que vai perder, não é mesmo?

Além do sorriso insuportavelmente lindo que ele exibia, era muito convencido e metido também.

—Chega de conversa Uchiha. —Encontrei uma playlist adequada e sai disparada em sua frente, não poderia perder.

Em meus fones de ouvido tocavam The Vamps – All night, não sei o porquê mais eu gostava de escutar músicas mais eletrônicas ao andar de long, me dava uma sensação de liberdade. Sai um pouco mais a frente pra tentar evitar o meu fracasso, já havia visto Sasuke andar de Skate e ele com certeza se igualava a Naruto, e na época em que acompanhava Naruto em Londres, ele era o melhor, Sasuke era realmente tão bom quanto ele. Flexionei meus joelhos para pegar impulso fazendo um leve Zig Zag, por sorte as pessoas não trombavam em mim a esse momento ou melhor eu tentava não trombar nelas! O sol brilhava essa tarde e ainda assim conseguia sentir meu corpo arrepiado por conta do vento gelado, fazia tanto tempo que eu não fazia isso, eu e Naruto costumávamos sair aos sábados de manhã para andar em volta as ciclovias das praias em Londres, quando não era em ruas desertas. Gostava de sentir a brisa batendo em meu rosto, e ver meus cabelos voarem com a força do vento! Realmente era como estar livre, como um pássaro, deixei os raios de sol me invadirem junto com o vento fresco, a brisa beira mar que tanto me acalmava. Por um segundo parei de prestar atenção em minha competição e a única coisa que me trouxe de volta foi o toque de sua mão, que bateu de raspão a minha, me fazendo tirar os fones rapidamente.

—Se continuar assim vai perder. —Disse ele se afastando cada vez mais de mim.

—Não vou mesmo. —Disse aumentando o fluxo de remadas e as fazendo com mais precisão para alcançar a pessoa a minha frente, bom pelo menos tentando.

Com muito esforço consegui chegar ao seu lado, estava ofegante, mas permaneci no meu caminho, estávamos cada vez mais perto de nossa linha de chegada, Sasuke estava concentrado, ele não iria cantar na frente de várias pessoas. Mas graças a uma senhora que deixou seu cachorrinho escapar eu pude chegar a frente ao local combinado! Para não bater de frente com o cachorrinho que corria desgovernado sobre a ciclovia, Sasuke se jogou para o lado em um chão gramado, o que me deixou mais aliviada, podendo assim ganhar a suposta corrida..

—Acho que você perdeu. —Gritei acenando para ele parada em frente ao tal boliche.

Ele apenas soltou uma lufada, enquanto a senhora conseguia recuperar seu cachorrinho, que assim que Sasuke caiu deu várias lambidas sobre ele.

—Você sabe que isso não valeu , certo? —Disse ele se aproximando com as mãos raladas, parece que cair na grama não ajudou muito.

—Claro que valeu! Eu desviei de todas as pessoas. —Disse me gabando por meu sucesso. —Já você caiu por causa de um cachorrinho!

—Você não desviou das pessoas, elas é que fugiram de você!— Disse ele enquanto chutava o Skate até mim, chegando cada vez mais perto.

—Tudo bem? —Disse um tanto preocupada.

—Sim, só ralei as mãos, mais pelo menos o violão e o cachorrinho estão bem. —Disse ele se assegurando de os dois estavam verdadeiramente bem. —Afinal eu não posso ir embora sem ouvir você tocar.

—Nada disso, quem vai cantar pra mim hoje é você! —Disse pegando seu skate ao chão sentindo seu olhar sobre mim! —Te livro de cantar no festival da primavera! O que acha?

—Vem vamos entrar pra eu lavar as mãos e comer alguma coisa, depois pensamos sobre a sua ideia. —Disse levantando meu rosto para si, repousando um selinho em meus lábios novamente.

Assim que entramos ao boliche Sasuke foi direto ao balcão conversar com uma cara ruivo, mais a tonalidade de seus fios era diferente da de Sasori e Gaara, era puxado pra um laranja, seus olhos eram castanho e seu porte físico era mais avantajado e além do mais ele parecia ser bem mais velho. Sasuke então pediu para o rapaz guardar os Skates e o violão atrás do balcão.

—Hei Sasuke Uchiha! —Disse o ruivo tocando as mãos de Sasuke. —Achei que não te veria mais aqui!

—Juugo, essa é Sakura! Sakura esse é Juugo! —Disse ele me colocando a sua frente, passando seu braço direito por meu pescoço, segurando em meu ombro.

—Então você é razão dele ter voltado aqui? —Disse Juugo me estendendo a mão.

—Na verdade eu nem sabia que vinha a esse lugar, é muito legal. —Disse retribuindo o aperto de mão.

—Sakura, esse boliche pertence a família do Deidara, vamos apenas pegar os lanches e sair daqui. —Disse Sasuke ainda por trás de mim, me fazendo sentir seu hálito fresco e respiração perto aos meus ouvidos.

—Sasuke o que viemos fazer aqui? Perguntei colocando as duas mãos sobre seu braço que estava perto ao meu pescoço.

—Juugo é um amigo de longa data, e ele mantém os olhos em Deidara nos dias em que ele está por aqui.—Disse Sasuke. —Juugo peça duas especialidades da casa.

—Como você pode ficar tão tranquilo? Nem devíamos estar aqui. Disse soltando seu braço de mim.

—Sakura fica tranquila, a “família” de Deidara sou eu. Essa cafeteria pertence a minha mãe, madrinha de Deidara. —Disse Juugo tentando me tranquilizar.

—Juugo, você tem observado alguma coisa? —Perguntou Sasuke apreensivo.

—Só o fato dele ter vindo pra cá após a festa de ontem, Sasuke ele está arrebentado e de alguma forma vai usar isso contra você. —Juugo logo respondeu. —Mas infelizmente não sei de muita coisa, eles não me dão abertura. Fazem umas semanas que ele não sai daqui e tem sempre uma loira com ele, uma tal de Shion.

—Entendo, qualquer descoberta que tiver, você sabe como me encontrar, eu tenho que por um fim nisso e provar que sou inocente de uma vez por todas. —Disse Sasuke cerrando os pulsos.

—Achei que tivesse desistido. —Disse Juugo colocando um pacote a nossa frente.

—Finalmente as coisas começaram a dar certo pra mim e para minha mãe, se quiser ficar de vez com ela, vou ter que começar provando minha inocência. —Disse ele pegando as coisas atrás do balcão, enquanto eu pegava os lanches, colocando-os em minha mochila. —Até mais Juugo.

—Até, Sasuke, Sakura! —Disse ele assentindo com a cabeça assim que Sasuke colocou o dinheiro sobre o balcão.

—Até Juugo, foi um prazer! —Disse repetindo seu aceno de cabeça.

Poderíamos sair da lá e continuarmos a ter o nosso dia incrível, mas é claro que não poderíamos deixar de trombar com a garota mais insuportável que já conheci na vida.

—Vejo que vocês se acertaram? —Assim que escutei sua voz meu sorriso se esvaiu, nesse momento Sasuke brincava com meus dedos em uma forma de pedir desculpas por me trazer ao covil sem me consultar, mas bem Juugo parecia importante pra ele.

Tudo o que damos a ela no momento foi nosso silêncio, e um aperto caloroso de Sasuke a minha cintura que me colocou ao seu corpo, abrindo caminho para a insuportável entrar, enquanto nós saímos, assim que demos as costas a garota pudemos ouvi-la novamente com suas provocações.

—É uma pena que essa felicidade não vai durar muito tempo, se precisar de alguém que te console da maneira correta Sasuke, sabe onde me encontrar. —Meu sangue ferveu, cerrei os punhos em desaprovação e quando pensei em dar uma resposta, Sasuke apertou ainda mais a minha cintura.

—Não dá moral Sakura. —Ele disse bem baixinho me tirando pra fora do local. —Se você responder vai ser pior, já não basta eu de estourado, deixe que se tiver de ferrar com tudo, eu faço isso sozinho.

Sasuke a esse momento já estava de frente para mim e falava enquanto sua mão direita segurava meu queixo.

—Ninguém vai ferrar com tudo, vamos dar um jeito. — Disse retribuindo o olhar intenso em seus olhos.

—Você não precisa se manter nisso, entendeu? —Disse ele enquanto continuava a me olhar, mais seus olhos estavam inexpressivo a esse momento.

—Mas, Sasuke... —Tentei argumentar com o mesmo e ele logo me cortou mudando de assunto.

—Vem vamos seguir aquela trilha, ali tem um lugar legal para ficarmos enquanto eu pago meu castigo. —Disse ele saindo em minha frente sem me dar chance de opinar.

O segui até a trilha em que ele havia dito, logo de cara pude ver alguns indícios da primavera e o final do inverno para o mês de março, chegamos ao local e haviam várias rochas e um gramado verdinho com algumas flores que já insistiam em nascer, mais a frente o mar continuava lindo, sentamos as pedras rochosas e enquanto ele me explica sobre o que havia acontecido em sua família e o porquê de suas faltas no colégio, eu fazia algumas fotos com a Polaroid, fiquei imensamente feliz ao saber que ele iria morar com a sua mãe, mesmo sendo guarda compartilhada, já era um passo a frente. Assim que o assunto morreu enrosquei meu braço ao seu pescoço, tirando uma foto de nós dois juntos.

—Toma, essa aqui é pra você por ao lado da fotografia da sua mãe. —Disse entregando a foto para ele.

—Sakura, o que você mais ama fazer? — Ele perguntou enquanto olhava para foto.

—Porque a pergunta? — Disse estranhando seu tom de voz.

—Sinto que é algo que ficou pendente entre nós. —Claramente ele se referia a nossa conversa de mais cedo.

—Bem o que eu amo mesmo, o que mais faço com amor é cantar. —Disse com um brilho evidente nos olhos.

—E você pretende viver da música um dia? — Ele me lançou uma nova pergunta.

—Não, acho que não. O sonho dos meus pais é que eu siga o caminho deles e cuide das empresas Haruno algum dia, então provavelmente eu serei arquiteta. — Respondi com precisão. —Mas porque a pergunta?

—Meu pai ele, disse que só irá abrir mão da minha guarda se eu assinar alguns contratos em que eu me comprometa a estudar direito em Harvard e assumir as empresas junto ao meu irmão, antes de isso acontecer, ele não vai ceder. — Disse ele cerrando os pulsos.

—E você quer viver do esporte é isso? —Perguntei diretamente.

—Bom, era o plano, mas acho que vou ter de mudar. —Disse ele dando um breve sorriso desanimado.

—Hei, vamos terminar de curtir o dia de hoje e depois pensamos nisso ok? —Disse tentando desperta-lo para o que tínhamos em nossa frente. —Além do mais o sol está se pondo e logo terei de voltar pra casa.

—Hm, você tem razão. —Disse ele tirando o violão da capa.

Sentei me mais perto dele, e enquanto ele estava tirando o violão passei meus dedos por de baixo de sua camiseta, fazendo um leve carinho, enquanto via o mesmo arrepiar.

—Sakura? —Ele se virou pra mim e pousou seus olhos aos meus enquanto eu via sua pupila dilatar.

—Hm? —Foi o único som que conseguir emitir no momento, ao sentir aquele olhar queimar sobre mim.

Assim que o breve sussurro saiu de minha boca, Sasuke tomou meus lábios puxando meu lábio inferior para si, fazendo com que eu arrepiasse dessa vez, seu cheiro amadeirado, com almíscar e um leve floral provavelmente já estava em toda a minha roupa, após esse dia, mais ainda assim era o melhor cheiro que eu poderia sentir ao ver o pôr do sol, sua língua habilidosa explorando cada canto da minha boca me fazia delirar, seu toque, seu cheiro era tudo o que eu precisava, não me cansada de sentir o sabor dos seus lábios, de ter calafrios com o seu toque e de viajar com o seu perfume, a brisa do mar era intensa e sentia meus cabelos bagunçados em meu rosto, mesmo com Sasuke entrelaçando seus dedos por trás de minha nunca, nossos corpos pegavam fogo quando estavam tão perto um ao outro, o vento que estava cada vez mais gelado com o final do dia, não incomodava desde que tivéssemos um ao outro pra se esquentar. Gemi baixinho em sua boca quando senti sua mão descer a minha coxa exposta e aperta-la com força, passei minhas mãos por sua nuca puxando seu cabelo para trás e terminando o beijo mordendo seu lábio inferior, poderíamos passar horas ali, mas eu tinha de estar em casa antes do jantar.

—Sa su ke? — O chamei ofegante assim que separei nossos lábios.

—Hm. —Disse ele voltando a me dar vários selinhos.

—Você tá tentando escapar. —Disse pausadamente entre um breve espaço de nossos beijos.

Então ele me deu um último selinho demorado e pegou o violão em mãos.

—O que você quer que eu toque?—Perguntou ele.

—Bem, vamos ver! —Disse pensativa enquanto levava o dedo indicador a minha boca que parecia levemente inchada. — Você conhece Somewhere Only We Know do Keane?

Ele apenas assentiu com a cabeça e começou a dedilhar a melodia sobre o violão.

-

Oh, simple thing, where have you gone/ Oh, simplicidade, para onde você foi?

I'm getting old and I need something to rely on/ Eu estou ficando velho e preciso de algo em que confia

So tell me when you're gonna let me in/ Então me diga quando você vai me deixar entrar

I'm getting tired and I need somewhere to begin/ Eu estou ficando cansado e preciso de algum lugar para começar

And if you have a minute why don't we go/ E se você tiver um minuto por que nós não vamos

Talking about that somewhere only we know?/ Falar sobre isso num lugar que só nós conhecemos?

This could be the end of everything/ Isso poderia ser o final de tudo

So why don't we go/ Então por que nós não vamos

Somewhere only we know?/ Para algum lugar que só nós conhecemos?

(Somewhere only we know)/ Algum lugar que só nós conhecemos.

-

“Mas vê-lo ao meu lado, cantando para mim, me encheu de luz, é como se eu estivesse constantemente a observar o nascer do sol". 


Notas Finais


Meus amores qualquer sugestão só deixar nos comentários abaixo.

Beijos e boa leitura.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...