História Conexões Perigosas - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alvo Dumbledore, Dolores Umbridge, Draco Malfoy, Harry Potter, Hermione Granger, Lord Voldemort, Lucius Malfoy, Minerva Mcgonagall, Narcissa Black Malfoy, Neville Longbottom, Ronald Weasley, Severo Snape
Tags Harry Potter
Visualizações 30
Palavras 1.130
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Mistério, Suspense, Violência
Avisos: Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Nesse cap e no próximo a personagem principal será a Lin, vcs provavelmente já entederam ou entenderão o que realmente aconteceu com ela.
SH

Capítulo 7 - Chá ou café? Part.1


Fanfic / Fanfiction Conexões Perigosas - Capítulo 7 - Chá ou café? Part.1

Já havia se passado uma semana desde o acidente de Jacob, e Lin ainda não parava de pensar em algo, não sobre seu pai, mas sim sobre as imagens que viu e as dores de cabeça que teve antes antes de receber a ligação da mãe que a avisou sobre o acontecimento. Foi a primeira vez que algo assim havia acontecido enquanto ela estava acordada, pois uma vez ou outra sonhava com algo sem grande importância que certo tempo depois se realizava da mesma forma como havia sonhado.
 Lin era cética, mas sabia que de alguma forma era incomum, mesmo estudando, tendo família, amigos e fazendo outras coisas básicas de pessoas normais. Ela sentia algo singular dentro de si, como se aquilo a aquecesse sempre, era extraordinário de uma forma impossível. A última vez que teve um “sonho revelador” como tinha eventualmente, foi no mês anterior ao acidente do pai. Sonhou que Amelia, fora assaltada por uma homem com roupas escuras ao voltar de um plantão do hospital em que trabalhava, e assim lhe ocorreu no dia seguinte.
 Esse não era o único pensamento que a cercava, mas também aqueles que envolviam os seus pais biológicos, dos quais não guardava lembrança alguma. Tinha apenas o colar de turmalina do qual nunca se separava e que acreditava ser um objeto relacionado com a sua verdadeira família.
 Aquele dia ensolarado havia começado para ela com a péssima dor de cabeça devido a mais um sonho que tivera, e nesse, ela só conseguia ouvir o nome “Marvin”, e isso era estranho, pois nesses sonhos sempre via algo. Tourmaline já estava a caminho da sua universidade após ter descido do mêtro, e por não ter se alimentado em casa decidiu ir a uma cafeteria perto do campus para comprar um macchiato, seu café preferido. Ao sair do lugar já com o café em mãos e entrando num beco para voltar ao trajeto, um homem alto e forte se aproximou bruscamente pegando-a brutamente pelo braço, e com uma arma na mão, disse:
-Eu quero a bolsa! Agora!  -Por algum motivo ele estava eufórico e com as pupilas dilatadas. Tourmaline continuou imóvel e assustada, e vendo isso o homem tentou arrancar à força a bolsa que estava em seu ombro esquerdo consequentemente derramando o café das mãos dela, e nesse mesmo espaço de tempo a arma que estava na mão esquerda do ladrão foi arremessada magicamente contra a parede daquele beco, então o homem pasmo dava pequenos passos para trás, até que o mesmo rindo e achando que o que assistiu fora consequência do narcótico que havia experimentado anteriormente, prosseguiu com o assalto e antes de encostar nos pertences de Lin ele também foi arremessado contra a parede, causando um desmaio.
 Lin ainda estática estava em choque já que tinha visto algo que teoricamente seria impossível. Então ela viu algo que parecia ser um portal se abrir logo na sua frente, e dele sair uma criatura de pele rosada e estatura baixa, de orelhas e nariz vastos assim como seus olhos que eram de cor clara, suas roupas eram panos velhos e sujos e seus pés estavam nus. Sem saber o que fazer Lin grita bem alto e antes de bater com a bolsa como forma de defesa naquela criatura que estava de pé logo a sua frente  e que aparentemente queria dizer algo, ela também é envolvida naquele portal que era algo parecido com uma fumaça escura e poeira,e em um milésimo de segundo estava no seu quarto em casa e com náuseas devido áquela viagem inacreditável. Seus pais deveriam estar trabalhando no hospital, e seu irmão Joseph, na escola, então sozinha e de pé no centro do quarto virou-se e viu aquele ser pequeno e estranho que a trouxera ali. E com os ombros encolhidos disse:
-O que… O que é você? Como fez isso? -dava pequenos passos para trás e a frase “estou louca ou tinha LDS naquele café” vagavam por sua mente.
-Marvin, elfo doméstico da família Iuglandis. Ruby, irmã de Tourmaline corre grande perigo. -O elfo disse preocupado.
-Eu não tenho irmã, apenas o Joseph. -Ela disse calmamente, mas em seguida arregalou os olhos.-Espera aí, você é o Marvin? Sonho com esse nome a quase duas semanas.
-Tourmaline não completou o estágio de transferência de magia. -ele justificou o sonho dela.
-O quê? Do que você está falando? -Em seguida pensou ”Meu Deus, estou falando com um, elfo doméstico”
-Tourmaline não deveria ter esses sonhos ou visões se completasse a transferência.
-Como sabe dos sonhos e das visões? -Ela disse surpresa e sentando na cama que estava ao seu lado anteriormente.
-Marvin cuida de Tourmaline desde a morte de seus pais, Marvin sabe de tudo.
-Morte? -perguntou pensativa.
-Seus pais verdadeiros estão mortos, e agora sua irmã corre perigo. Marvin prometeu a Sapphirus que iria proteger suas crianças. -Falou desviando o olhar para baixo fazendo uma expressão triste.
-E quem é Sapphirus? -perguntou curiosa fitando-o e levando a conversa como se o conhecesse a muito tempo.
Rapidamente respondeu: -Sua mãe verdadeira.
 Lin dessa vez estava em choque pois, realmente acreditava que seus pais biológicos estavam mortos mesmo que nada a confirmasse isso, mas não sabia se realmente acreditava no que o elfo doméstico dizia sobre ela ter uma irmã.
-Como você pode provar que está dizendo a verdade?
-Tourmaline pode ter todas as memórias de volta, acredito que deve se questionar por não ter lembranças de antes de os seus 6 anos.
 Agora ela estava realmente surpresa afinal, Marvin estava dizendo o que ela sabia que era verdade. Mas como ele poderia saber aquilo? Como poderia saber que ela não lembrava?
-E como poderia lembrar de tudo? -Tentava esconder sua enorme surpresa.
-O colar de turmalina. Sua memória e magia estão escondidas nele.
 Tourmaline riu não acreditando naquilo.
-Magia?
-Tourmaline é uma bruxa e vidente sangue-puro, mas devido a imprevistos teve de fazer a transferência de magia para a pedra preciosa, e como consequência não pode se lembrar de como era sua vida antes.
-Estou me sentindo uma idiota por ainda estar te ouvindo. -Disse revirando os olhos.
-Tourmaline precisa apenas pegar a pedra e dizer ”magicae translatio”, então irá recuperar a memória e também saberá porque tem esses sonhos e visões.
 Lin ficou de pé, tirou o colar de turmalina do pescoço e com ele em mãos estava desconfiada com o que tinha escutado, mas o sentimento que ela sempre tivera dizendo que era incomum estava mais forte agora, assim como aquele estranho calor que sentia quando tinha sonhos ou quando teve a visão de seu pai na semana anterior. Então, sentindo-se estúpida por dar ouvidos a Marvin, fechou as mãos com o colar entre elas e disse com um tom minimamente desconfiado e ao mesmo tempo nervoso:
-Magicae translatio.

 


Notas Finais


Eaí? Gostaram? Não esqueçam de comentar, além de ajudar a saber se estão gostando também me motiva a continuar publicando. BJSSSS.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...