História Confession - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Metal Gear
Tags Mgs, Otacon X Snake, Otasune
Visualizações 17
Palavras 2.127
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Gente... Me bateu uma inspiração danada pra escrever isso kkkkk Então estou trazendo pra vocês uma das minha fanfics de Metal Gear Solid... e não será a ultima... Não há quase nenhuma fic de MGS então vou colocar uma aqui kkk

Espero que gostem. Beijos!!!

Capítulo 1 - Our Love


Às vezes eu acho que somos eu e ele contra o mundo, juntos conseguimos derrotar inúmeros Metal Gears, evitamos vários conflitos mundiais, e aqui estamos nós, juntos novamente, sentados no sofá, olhando Sunny brincar com o Metal Gear Mk.II, um protótipo de tamanho consideravelmente menor que construímos para acompanhar Snake em sua ultima missão. Exatamente, ultima missão. Graças ao vírus implantado em seu corpo, FOXDIE, meu parceiro tinha apenas mais um ano de vida. E após tudo que vivenciamos juntos, há uma coisa que sempre me incomodou, eu nunca fui capaz de dizer o que eu sinto. Snake não é do tipo que aceitaria qualquer um, sabe? Ele sempre tentou sua sorte com mulheres que ele encontrava em suas missões, mas, e se um homem, que o acompanhou quase em todas as suas jornadas, que vive ao lado dele, que cuida de uma menina junto dele, decidisse, do nada, dizer que o ama. Eu não quero perder tudo que construímos com uma simples frase. Então eu preservei isso com sucesso dentro de mim, por vários anos. Porem agora, que eu sei que ele vai desaparecer, não posso mais aguentar.

- Tio Snake! Tio Snake! - Sunny começou a puxar a camisa do mais velho, chamando sua atenção e cochichando em seu ouvido, - Otacon está muito pensativo hoje, não é mesmo? – talvez ela já tenha percebido, para sua idade Sunny era muito, mas muito inteligente. Como eu, ela tem um lado progênito para computação, robótica e etc. E, além disso, ela me conhecia muito bem.

- Ahn? O que quer dizer, hein? – Afago os cabelos loiros quase cinza dela. Ela conseguia ser tão delicada e incrivelmente independente. Sunny tenta cozinhar ovos para nós, mas digamos assim, computação é o seu forte mesmo. E ela sempre me acompanhou, pois, quando Snake estava fora, acabávamos tendo horas e horas de conversas, e obvio Dave acabou sendo um dos assuntos. – Vamos, já esta tarde.  – Ela encarou profundamente em meus olhos, por alguns segundos, e sorriu. Certamente ela sabia.

Chegando ao seu quarto, deitei-a confortavelmente em sua cama, e quando sai, fui parado.  Acho que eu já esperava isso, um dia essa conversa ia acontecer, só não queria que fosse agora, sabe? Não me sinto nem um pouco pronto para isso.

- Tio Hal, o senhor... sente algo pelo Tio Snake? – Nossa, se fosse para eu descrever o tamanho de seus olhos ou o brilho inocente, eu nem saberia com o que comparar de tão inéditos que são. – O senhor parecia tão pensativo ao lado dele, - Ela abaixou a cabeça e sua voz estremeceu, - É porque o Tio Snake vai viajar para bem longe? Sem nós... –

- Sunny! Eu...

  - E... Eu sei também porque... meus ovos previram isso! – Ah, sim, os ovos. Além de ela cozinhar para nós, a moça também faz uma espécie de previsão com eles. Se seus ovos saíssem bem feitos era porque algo ia dar certo, porém, se seus ovos dessem errado ou estragassem, era porque algo ruim ia acontecer. Bem, não podemos dizer que suas previsões funcionam, mas, em relação a essa digamos que está 100% correta. 

- Ha ha... e o que exatamente você apostou dessa vez? – Perguntei por curiosidade, só para instigar mais a menina, que estava tão animada com tudo isso.

- Uhm... eu disse que... o Tio Hal e o Tio Snake se amam... só isso, hehe! – Ela começou a gargalhar, escondendo seu sorriso por baixo do lençol.

- Sunny! – Comecei a rir junto a ela totalmente sem jeito, provavelmente eu estava muito vermelho, não, com certeza eu estava. – Agora é serio, vamos dormir okay? Depois conversamos sobre isso, tá bom?

- Mas Tio Hal!

- Shh, Sunny, já esta muito tarde. Eu prometo que amanha conversaremos sobre isso.

- Só mais uma coisa Tio Hal.

- Sim?

- Não tenha medo.

- O-okay... – Apaguei as luzes e sai às pressas. Quando ela disse isso, meus olhos se encheram de lagrimas, como pode? Tão pequena, e já entender tudo isso.

   Fui direto ao banheiro, porem não olhei para o caminho, estava muito atordoado e o meu único objetivo era esconder tudo isso, e de repente, Snake aparece. Obvio. Igual aos animes que eu assistia. Cambaleando para trás, eu tento esconder meu rosto, mas isso só me causou mais problemas. As lagrimas começaram a cair e eu estava completamente avermelhado devido ao encontro repentino. Quando virei de costas, Snake me agarrou, puxando-me para frente dele.

- Otacon? Aconteceu algo?

- ...

- Otacon!

- Não... é nada...

- Está mentindo.

   Ótimo, Dave não ia me deixar escapar dessa. Infelizmente ele me conhece muito bem, e sua personalidade forte não deixaria nenhuma mentirinha sair de fininho. Principalmente minha. Estou preso, totalmente encurralado.

- Vamos... lá pra fora.

   A noite estava linda. As luas, as estrelas, estavam deslumbrantes. Parece que o dia que eu tanto temia finalmente chegou. Igual à noite em que Sniper Wolf, morreu. Eu e Snake estávamos lá, no frio, na escuridão, quando ela partiu. Naquele instante, Dave me viu no meu limite, foi a primeira vez que eu chorei tanto perto de alguém. Ela foi meu primeiro amor. A primeira pessoa na qual eu realmente me apaixonei. Eu me arrependi. Não pude fazer nada. Apenas observei-a de longe, chorando, soluçando, sendo fraco. E ele estava lá, seu olhar intacto, focado, perfeito. Perto dele, eu me sentia nada.

- Agora, me conte o que aconteceu. – Sua aparência podia estar envelhecida, porém ele permanecia o mesmo. O mesmo que eu conheci em Shadow Moses. O mais lendário herói da historia. O cara no qual me apaixonei.

- É que... – Entre soluços e lagrimas, tento dizer a verdade. Bem, já que estamos aqui, agora é minha chance. As condições não eram nada favoráveis, eu estou muito sensível devido a todas as memorias que de repente invadiram minha cabeça. Só queria me trancar no meu quarto e chorar sozinho, como eu faço desde quando eu descobri o efeito do vírus em seu corpo. – Snake... – Não dava, eu não posso admitir isso. Já aconteceram tantas coisas.

- Eu posso esperar.

   Esperar. Se esperarmos muito nosso tempo acabará. Assim como acabou para todas as pessoas que eu amava. Emma Emmerich, minha meia irmã, morreu aos meus braços. E eu esperei tempo demais para reencontra-la, para me desculpar. Eu esperei demais para dizer que eu a amo. Naomi Hunter, outro erro meu. Quando me achei preparado para amar alguém, quando eu achei que tinha superado tudo que já acontecera. Ela aparece, e me destrói mais ainda.

- Passamos tanto tempo... juntos... não é? – Recolhendo o pouco da força que sobrava dentro de mim, tento buscar palavras, formular frases, para que eu não estrague mais o que já está ruim. – Porém... tudo acaba...

   Um lado meu gostaria muito que Snake soubesse o que eu sinto, porém, e se acabasse como os outros? Como eu ainda estou vivo? Eu sei a resposta. Dave. Ele me manteve vivo esse tempo inteiro, ele foi minha razão. Por mais que eu mostrasse sentimentos por outras pessoas, sempre dentro de mim ele estava lá.

- Eu tenho medo... medo de que... – Snake parecia estar totalmente focado em mim. Seus olhos não desviavam um segundo se quer. Eu percebi que ele ia acender um cigarro, mas, de repente ele pôs o maço de lado, e começou a me encarar. Assim eu nunca vou conseguir falar. É impossível. Mas eu preciso. Não tenho mais tempo. Não tenho mais nada. – Eu tenho medo... de que você suma... como todos os outros que também se foram.

   Pronto. Um leve alivio. Mas nem um pouco perto do fim. Como que eu posso dizer isso? Há tantas coisas que pretendo manter comigo. Dave é o único que me entende. O único que me ajudou quando precisei, do jeito dele, frio, direto e insensível. Por mais que eu seja contra esse modo dele de se comportar, eu amo ele. Eu não consigo dizer isso.

- Isso é inevitável. – Ele dizia. E eu sei disso. – Eu vou morrer. – Eu sei. Eu só pensei que se me iludisse, talvez fosse mais fácil de aceitar depois. Quando eu estiver sozinho, vendo a Sunny crescer.

- ... – Apoiados na cerca da varanda, a minha maior vontade era de se jogar. Já nem tentava mais esconder minhas lagrimas, estava quase soluçando pensando no futuro. O que eu faria? Onde eu estaria? Com quem eu estaria? Com ninguém claro. Eu sei que eu ainda tenho a Sunny. Não estou excluindo ela, mas, é um sentimento diferente. A presença dela, o jeito como ela nos trata, me faz pensar que somos uma espécie de família. Sabe? Isso é tão doloroso.

- A morte é inevitável. Não temos o mínimo controle sobre ela. Nem sabemos quando ela virá. Mas no meu caso, eu tenho um prazo, como um simples objeto que tem duração.

- Snake! Não... você não é só... um objeto.

- Sou sim, Otacon. Eu fui criado, gerado, por isso tenho prazo definido. Não sou humano. Sou uma criação.

   Eu esperava por essas palavras. Afinal, no dia em que eu disse que ia ficar com Dave, ele disse as mesmas coisas. Sobre como ele é só um “monstro” criado para matar. Manipulado pelas pessoas. Usado para terminar missões que nem ele mesmo sabia para quem ou o que estava colaborando.

- Você... não é só um objeto... pode até ter sido criado... usado. Mas você está aqui agora... você decidiu estar aqui... – Acho que nem é preciso dizer que já estava soluçando completamente. Quero pelo menos o fazer entender que ele significa muito pra mim. – É essa escolha... que te faz ser diferente... é essa escolha que te faz ser importante... sem ela, nós não teríamos nada... e eu... não teria... você.

   Surpreso, Snake desvia o olhar. Droga, acho que estraguei tudo. Mesmo tendo dito essas palavras, que há muito tempo jaziam em meu coração, sinto que agora já era. Dave deve me odiar agora. O que eu faço? O que deveria ter feito? Cheguei ao bad ending? Como os de inúmeros dating games que joguei, e eu era tão bom nisso, mas na vida real... eu sou apenas um idiota. Derrotado, olho para baixo e observo minhas lagrimas acumularem no corrimão. Meu peito estava doendo como nunca. Eu só não havia deixado o lugar, pois, de alguma forma eu queria terminar isso.

- Otacon. – Snake parecia sem jeito, seus olhos perdidos, e agia inconfortavelmente. Havia chegado a hora, na qual eu mais repulsava e tentava esquecer ou nem sequer imagina-la. Mas eu permaneci e esperei até o fim, pela primeira vez não fugi. - Você sempre me ajudou, deu suporte a mim e... admito que nunca entendi o porque. Você por vontade própria decidiu me seguir. E esse tempo inteiro, fui cego em não perceber. – Respirou fundo olhando para a escuridão do céu enfeitada com o brilho da lua. Eu apenas aguardava. - Eu não percebi o quanto você se dedicava, criou equipamentos incríveis, técnicas de combates infalíveis e muito mais... isso não importa... o que eu quero dizer e que... – Travou, antes que terminasse a frase, virou-se em minha direção. Eu nem o encarava direito, não tinha coragem. Suspirou, segurou minha mão e... - ... Eu sei que já esta tarde demais para isso... melhor que nunca. – Olhou para o chão desesperado. Incrível como parecia que ao segurar minha mão, eu conseguia sentir seu calor e seus batimentos... pera, eu estou segurando a mão dele?! Sera que, Snake vai...? Meu coração... dói... tanto - Otacon, ou melhor, Hal Emmerich... esses anos inteiros que estivemos juntos, por mais que eu tentasse me enganar com outras pessoas, desde de nossa primeira missão em Shadow Moses... Eu... argh... eu te... amo.

- Ah! – O que? Como? Serio? Eu estou tão confuso agora. Começo a encarar Dave, meus olhos encharcados e nariz escorrendo, meu corpo suando, inquieto. Não estava bem, não estou bem. Hal, respire, não se esqueça disso. Recupero o folego apenas para encara-lo. Não tinha palavras, não havia o que ser dito. Até que Snake agiu primeiro, ele se aproximou, e abraçou-me. Dessa vez definitivamente podia sentir seu calor. Estava frio, nevando levemente. Porém nada disso importava. Então fechei os olhos, e me esqueci de tudo que estava acontecendo. Por um instante desejei que isso nunca acabasse, mas sabia que logo haveria fim. O amanha com certeza chegaria, junto com o dia de sua morte. Chorei mais, porque percebi que era tarde demais. Percebi que não tinha solução. Mas eu estava feliz, por mais que fosse difícil. Se eu lamentar pra sempre nunca vou aproveitar o presente, ou o que me sobrou dele. Tantas pessoas se foram, muitas memorias acumuladas, e muitas mais para vir, tristes ou felizes, não importam. - ... Obrigada, Dave.


Notas Finais


Bom, para aqueles que leram até aqui, muito obg... eu te amo kkk pq pra encontrar alguém que goste de MGS nesse mundo é dificil. TE AMO!!!1 xD


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...