História Confia em mim - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Shingeki no Kyojin (Attack on Titan)
Personagens Annie Leonhardt, Armin Arlert, Bertolt Hoover, Connie Springer, Eren Jaeger, Erwin Smith, Hange Zoë, Historia Reiss, Jean Kirschtein, Kenny Ackerman, Levi Ackerman "Rivaille", Marco Bott, Mikasa Ackerman, Petra Ral, Reiner Braun, Sasha Braus, Ymir
Tags Bissexual, Ciumes, Drama, Eren, Homossexual, Levi, Possessividade, Riren, Romance, Sexo, Shingeki No Kyojin, Yaoi
Exibições 170
Palavras 3.288
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Saudações terráquios <3 eu não venho em paz kkkkk
Gentiiii, as ideias para essa fic estão explodindo >< acho que faço 15 caps, não sei kkkk só sei que tenho pena do Eren (e muito) Levi não vai fazer merda, mas Eren vai pensar que sim.
Nesse cap vamos presenciar um momento diva da dança com duas bixa loka: Eren e Erwin. Meu shinigami, Levi aguenta esse moreno, please HEUEHUEHUE

Boa leitura!

Ps: quando a música começar a tocar, vcs a escutem, please, fica muito engraçado e divo (vão entender no momento certo) link tá nas notas finais.

Capítulo 5 - Milésima chance


Fanfic / Fanfiction Confia em mim - Capítulo 5 - Milésima chance

Havia se acordado com bastante cansaço e preguiça, algo que não era muito comum para si que sempre teve muita coragem. Tinha se acordado primeiro que Erwin, pois este tinha bebido muito na noite passada durante horas a conversárem  na cozinha, e mesmo que também tenha bebido, foi em quantidades poucas comparado com o amigo que ainda estava esticado na cama com a respiração pesada. Sorriu. Se lembrou da discursão boba com o loiro quando foi para se decidir onde iria dormir, quando escolheu o sofá o outro só faltou explodir, dizendo que de forma alguma ia deixar ele dormir ali, pois iria ficar todo dolorido de manhã pela posição incômoda que ficaria. Praticamente ordenou que ele dormisse na cama com ele, sendo assim foi inevitável que o moreno pensasse besteiras no mesmo instante, corando e recebendo uma risada divertida de Erwin que o chamou de tarado. Beeem, a culpa não é de total do rapaz, pois as palavras "vem dormir junto comigo na cama" não é tão boa interpretada sendo dita assim, ainda mais por um amigo chapado.

No final da discursão, acabou por aceitar o convite, resultando em uma conversa que durou até umas 02:40 da madruga em altos risos e zoeiras. Fazia tempo que não conversava tanto e tão livremente com ele daquela forma desde que aceitou namorar com Levi, depois daí não se lembra de ter ficado mais tão avontade com algum amigo como estava naquele momento. 

Ao amanhecer, se levantou da cama com muita preguiça, entretanto muito bem, bem o suficiente para sorrir largo ao se acordar, mas com preguiça de se levantar por está tão bem deitado ali na cama muito confortável e alheia. Não conseguiria se levantar a tempo para ir a aula, e ao se lembrar que esqueceu os livros na casa do namorado, simplesmente desejou jamais sair da cama. "Diaxo, moleque. 'Cê tá solteiro, terminou o namoro ontem e não tem namorado. Coloca isso na cabeça seu imbecil." quando olhou para o lado viu o amigo todo esticado e a boca um pouco aberta. "Terminou o namoro ontem e já tá na cama de outro." ficou suspreso com a brincadeira que fez a si mesmo sem nem perceber, caindo com a cara no travesseiro e rindo sem se conter "Seu idiota" imaginou da possível reação que seu ex teria caso visse a cena dele de boxe junto com o amigo na mesma cama, talvez fosse muito ilário. "Sim, seria ilário." riu um pouco mais antes de criar coragem para dar o primeiro passo para fora da cama.

Não era muito bom fazendo café antes, mas os anos a morar com aquele baixinho o fez aprender a cozinhar muitas coisas, e inclusive um maravilhoso café, tal como seu ex Levi sempre gostou, pois o mesmo o ensinou com muito prazer. 

"Bota prazer nisso... A pika foi rude, uma semana sem andar direito é destruição total." pensou o moreno, sorrindo sem perceber o ato e os pensamentos enquanto colocava o café no copo, mas a música que se iniciava naquele instante em seu celular não o deixava ficar com o traseiro parado, o rebolando sem parar de leve com o início da canção, pegou seu celular e o colocou próximo a orelha, imitando as ações da cantora.

Hello, hello, baby

You called, I can't hear a thing

I have got no service

In the club, you see, see

Wha-Wha-What did you say?

Oh, you're breaking up on me

Sorry, I cannot hear you

I'm kinda busy

Fez um rebolado num tanto zoeiro e nada sexy, se divertindo com suas loucuras de costume, deixando o celular sobre a mesa enquanto fazia a coreografia simples da cantora naquele momento, agindo como se usasse um colete de couro como a mulher, logo mudando o ritmo simples para algo num tanto engraçado e louco como no clipe. Começou a desfilar degavar no local pequeno, rebolando um pouco.

Já havia visto o vídeo muitas vezes, o suficiente para saber todos os passos em cada parte da música, e mesmo fazendo aquilo de zoeira pois sabia que estava sendo observado pelo loiro que tentava conter o riso, a verdade é que mesmo assim não perdia um passo sequer. Fazendo os movimentos, mesmo de forma atrapalhada de propósito, nunca errando nada.

Eh, eh, eh, eh, eh, eh

Stop telephoning me!

Eh, eh, eh, eh, eh, eh

I'm busy!

 

Can call all you want

But there's no one home

And you're not gonna reach my telephone!

Out in the club

And I'm sippin' that bub

And you're not gonna reach my telephone!

Nessa mesma parte da música da qual mais mexia o corpo, percebeu que o amigo vinha para em sua direção, prestando atenção em seus passos e, inacreditavelmente, tentando o acompanhar, algo bem impossível pois demorou semanas para aprender, e ele com certeza iria pagar mico tentando o acompanhar numa música tão louca como aquela. O que se espera de Lady Gaga, não?!

Era cômico a cena dos dois amigos dançando naquela minúscula cozinha somente de boxer, tal como se acordaram. Cabelos bagunçados e só de peça intima. O mais louco era que o loiro acompanhava bem o moreno. Seja quem fosse que visse os dois ali, dançando desajeitadamente aquela música, pensaria: Tão gays.

Stop callin', stop calling

I don't wanna think anymore!

I left my head and my heart on the dance floor

Stop callin', stop calling

I don't wanna talk anymore!

I left my head and my heart on the dance floor

 

Eh, eh, eh, eh, eh, eh

Stop telephoning me!

Eh, eh, eh, eh, eh, eh

I'm busy!

Ambos não ouviram o barulho que a porta da entrada fez ao ser aberta, a pessoa que estava na entrada nada fez além disse, só ficou a obervar os dois a dançarem de costas naquele cubículo de cômodo só de boxer, rebolando e fazendo movimentos num tanto complicados e desengonçados por conta do pouco espaço, porém no ritmo e momento certo.

A música estava ao final, e a dança de ambos ainda mais engraçadas, sem preocupação fugiam um pouco da coreografia, fazendo movimentos vergonhosos e sem ritmo ao da música. Os dois riam enquanto rebolavam zueiros a rir ao final, enfim, da música. Os dois amigos riram um do outro em exagero. O jovem de olhos verdes se virou para pegar seu café e bebê-lo para se acalmar. "O que não tem nada haver." riu  um pouco mais, logo percebendo o silêncio subito do loiro parado ao lado.

- Que 'cê tem? - sorriu um pouco, vendo o olhar "chocado" do amigo para a porta com sua boca um pouco aberta. Seguiu o olhar do amigo, percebendo só ai o motivo de sua tensão - Levi?

O outro nada disse, ficou parado na porta com aquela expressão tão impossível no rosto. Eren nunca imaginou poder estar vivo até o dia em que podesse ver um semblate naquele homem que não fosse indiferença, tédio ou malícia. Ele estava incrédulo olhando para os dois na cozinha, e sim, pela expressão dele era possível que tivesse os visto dançar. 

"Eu queria ao menos um dia, uma porra de um dia em que não estivesse correndo risco de morte com meu amigo desse anão." suspirou pesado, sentindo um tremor em todo corpo.

- Quero falar contigo. - disse meio baixo, olhando ainda incrédulo para o moreno.

- Calma, Levi, eu posso explicar. - se alarmou, se aproximando do ex rapidamente, mas este ignorou seu pavor.

- Não é contigo que quero falar. - foi curto e grosso, olhando Erwin seriamente. - Não por agora... - desviou o olhar para os olhos verdes que tanto gostava - Pode nos deixar a sós, Eren? - sua calma era tanta que deixou o garoto num tanto receoso em deixar o amigo e Levi sozinhos. Entretanto pisaria o risco.

- Nada de briga?

- Nada de briga! - afirmou, fechando a porta atrás de si com a maior calma que Eren desconhecia e tanto tinha medo, ao menos, foi o que percebeu naquele momento.

- Certo... - se distanciou devagar, olhando Levi até chegar a escada, desviando o olhar para o loiro que olhava o homem com a mesma calma. Preferiu bombardear o amigo de perguntas depois, subindo as escadas e deixando de lado a vontade de ouvir a conversa.

O loiro somente se aproximou do outro quando teve a certeza que o amigo tinha, de fato, entrado no quarto. Suspirou aliviado ao se sentar no sofá, olhando pro homem de braços cruzados escorado em sua porta.

- Dormiram juntos? - perguntou baixo, engolindo o nó na garganta.

- Sim, mas não teve nada, fica tranquilo. 

- Saquei... - descruzou os braços e suspirou, se sentando no sofá a frente do loiro - Ele deve ter dormido bem para dançar daquele jeito.

- Ah! - riu divertido, falando - A música era inresistível, ele tem um rebolado muito bom que nem eu consigo acompanhar, e teve uma parte da dança que ele foi até o chão e...

- Menos, garoto. Menos... - levou a mão para sobre os olhos, dando uma lenta massagem nas palpebras pesadas em pavor de imaginar a cena que presenciou antes do seu garoto e aquele loiro dançando Lady Gaga. "Francamente, depois dessa nada mais me suspreende." - Não quero imaginar isso.

- Então nem saiba que já houve uma dia que ele me desafiou a usar uma calcinha e dançar Bonde das Maravilhas.

- Foda-se, caralho. - levou as duas mãos ao rosto, tentando tinha a imagem da cabeça - Credo, isso é horrível. - sentiu até calafrios no corpo, fazendo uma careta de nojo.

- Não é como se detestasse a fruta.

- Mas a pika que gosto é do Eren.

- Não quis dizer iss... Pera, como? 'Cê é passivo? - quase gritou ao imaginar a cena do traficante mais respeitado do morro ficar de quatro para o amigo. "Céus, vai chover."

- Tu tá maluco, muleque? Tu acha que eu dou o cu? - elevou a voz, e ia se levantar mas o outro apressou-se em dizer.

- Não não! Calma, só que 'cê não disse bem.

- 'Tava dizendo que o pirralho é o único homem que me atrai.

- Oxi, isso não é novidade, ué. - disse como se fosse óbvio.

- Então não me diga essas merdas. Imaginar tu ou qualquer outro de calcinha dançando quadradinho de oito me dá nos nervos. - fez uma careta, dando um tapa forte na cabeça tentado afastar os pensamentos nojentos.

- Tu é bi?

- Sou! Quer dizer, não... Ah, quer saber. Foda-se! - xingou - Olha, vamos pro papo certo, sacô?! - tirou o calibre do cós da calça, jogando no sofá e se escorando no mesmo, cruzando os braços. - Ele disse algo?

- Nada! - suspirou - Só que tinha terminado contigo e queria ficar num lugar que 'cê não desconfiasse.

- Aqui foi o segundo lugar que pensei. - sorriu satisfeito. - Aquele muleque ainda é vigiado.

- Ainda? - sorriu incrédulo - Se ele souber vai te matar.

- Ele vai saber, eu vou contar.

- Suicida.

- Problema?

- Nenhum, Rivaille. 

- Só quero que o leve amanhã no baile funk, eu te ligo e 'cê o leva. - disse apressado, indo em direção a escada, sem antes pegar sua calibre.

- Ué, por quê? - perguntou confuso.

- Porque é o aniversário dele. - se virou, explicando - 'Cê disse que ia ficar o dia todo com ele comemorando, e como estou me segurando para não te dar uns cascudos e ficar com aquele muleque, vou ao menos aproveitar o final da noite com ele, e vamos festejar um pouco juntos.

- E o resto da Rocinha toda. - riu divertido.

- Isso aí, cacete. - se empolgou - Por isso, se tu quiser ganhar um pouco da minha confiança e meu perdão vai ter que ficar com a boquinha fechada. - aquela voz rouca misturada com a mira da arma para si o fez ficar meio receoso, mas o sorriso ansioso de Levi o fez perceber que era zoeira dele - Vou lá falar com o esquentadinho. - sumiu pelos degraus.

"É, 'cê pode ser um pouco otáro as vezes, Rivaille. Mas o amor que tu sente por ele te salva em muitas vezes."

Os passos calmos de Levi foram ouvidos por Eren que estava na janela vendo o exterior com uma certa inquietação.

- O que 'ceis 'tavam falando?

- Nada importante! Eu quero falar algo importante contigo. - se aproximou do moreno por trás que não se virou para si.

- Como sabia que eu estava aqui? - foi direto.

- O Mike te viu vindo aqui.

- Mandou ele me seguir? - se irritou ao perguntar, se virando para o outro a bufar de raiva.

- Não! Ele 'tava proximo e te viu pegando o beco pra cá. - levou a mão para a cintura do moreno, o puxando devagar para perto de si, mas o outro tirou sua mão de lá, o olhando com reprovação. - Oxe, que foi?

- Não, Levi. Nós...

- Não digo eu. Escuta, Eren. - suspirou - Eu não quero que tudo entre nós termine assim.

- Eu te pedi para escolher, e tu escolheu. - deu um passo para trás, se escorando na janela e viu o outro chegar muito perto de seu corpo, colocando os braços um de cada lado do seu corpo, se apoiando no batente da janela. - Já te disse que... - os lábios do outro o interromperam, invadindo sua boca sem permissão e explorando cada canto, agarrando sua cintura de novo. Não conseguiu o afastar como antes, retribuindo o beijo com a mesma energia que Levi. Agarrou seus cabelos e se deixando levar por aquela língua atrevida. "Não, Eren. Ele está brincando de novo." pensou o moreno, cessando o beijo ali, escorando sua testa na de Levi - Não faça isso...

- Eu escolhi, Eren. - segurou o queixo do rapaz, o fazendo olhá-lo nos olhos. - Eu pensei bem.

- É tarde...!

- Não! Não é! - sussurrou, fechando os olhos, logo os abrindo novamente - Foi mal, Eren. Agora percebo que não controlei meu ciúmes.

- Agora? - sorriu debochado. - Levi, eu te conheço, sei que vai continuar com isso.

- A prova que estou tentando mudar é que Erwin tá vivo lá na sala.

"É, isso é uma boa prova. Sacanagem, Levi. Sacanagem." pensou, colocando sua mão sobre a mão em sua cintura. 

- Tenho medo de me arrepender como tantas vezes. - admitiu.

- Não vai se arrepender. - disse, olhando no fundo dos verdes - Eu juro, meu pirralho.

- O temido Rivaille me jurando algo?! - debochou divertido.

- Calado que para tu sou Levi, idiota, louco, namorado, nego, mô, qualquer coisa. Menos Rivaille. - enfatizou na última palavra. Ah, como ele detestava ser chamado de Rivaille pelo seu pirralho.

- Quem disse que namoramos? - cruzou os braços, provocando o outro.

- Eren. - disse em tom de aviso. - Tsc, quê que eu faça o quê pra parar de cu doce?

- Que fique comigo amanhã. - sorriu, colocando seus braços nos ombros do namorado.

- Assim que se fala. - riu a dar vários e vários selinhos nos lábios pouco carnudos do seu moreno que também sorria.

- É sério, nada de mandar ninguém me vigiar.

- Certo, já disse que vou parar. - fez bico, como criança pidona. - Quero um beijo.

- Não não.

- Ah sim, eu quero, Eren.

- Querer não é poder. - deu um tapa na bunda do namorado. - E que me lembre, tens que sair hoje, né não?! 

- Sim, mas...

- Então pronto. - sorriu com a careta insatisfeita de Levi, olhando por cima do ombro alguns caras conhecidos olhando eles na janela - Ele já está indo.

Curioso, Levi se inclina para ver quem era, vendo seus homens o esperando do lado de fora já com tudo pronto. Suspirou frustrado pela situação, acenando que já ia, mas voltou a olhar para o moreno com uma cara pidona.

- Anda logo, Rivaille.

- To indo, pô. - falou alto para eles ouvirem, puxando Eren pela cintura e dando um selinho no seu garoto, distribuindo beijos até o pescoço moreno e agarrando os cabelos castanhos com lentidão. O rapaz já estava acostumado com aquilo, sabia que tinha alguns homens que trabalhavam para o namorado e mesmo assim agiam de forma suspeita próximo de si, e para não gerar briga de aliados, o outro tentava simplesmente ignorar e não revidar, porém, sempre provocava os imbecis que desejavam seu pirralho fazendo aquele tipo de coisa, como para afirmar, jogar na cara que Eren Jaeger é somente seu, de mais ninguém. O jovem deixava, assim se livrava dos idiotas e ainda podia fazer o mesmo com o outro caso as putas dessem em cima do seu homem. 

Sentiu Levi o marcar na curva do pescoço, sempre com movimentos possessivos enquanto olhava o suicida da qual já pegou olhando seu Eren de outras formas.

- 'Cê tem que ir, e acredito que ele já percebeu o que tu quiz dizer. - sussurrou próximo a orelha do namorado.

-  Vai ficar bem?

- Claro que sim! - sorriu - E eu vou ficar mais uma noite aqui com o Erwin, não quero ficar só em casa sem você. - deu um selinho fazendo bico.

- Como tu disse, tenho que ir. - virou o jogo divertido.

- Tsc, 'cê não pega leve.

- Nem tu, nego. - riu mais, dando mais selinhos que foram correspondidos. Era até engraçado, tanto para eles como para quem os tivesse vendo.

- Chega, vai logo.

- Certo, né. 'Cê quer se livrar de mim. - deu de ombros, fingindo está magoado - Então eu vou... mas não me espere voltar, eu não sei se consigo suportar suas brincadeiras com meu coração tão maltratado.

- Aham, sei. - cruzou os braços, vendo Levi atuar como se estivessse a chorar e limpar uma lágrima enquanto saía do quarto. E quando não pode mais o ver, seguiu-o a rir das loucuras do companheiro - Pára de drama, idiota.

- Drama nada, nem um beijo de língua eu mereço, mesmo depois de todo o sacrifício que fiz para te ter de volta. - abriu a porta da entrada, sobre os olhares e sorrisos divertidos do loiro que via a cena do casal e Eren que via as idiotices do outro. - Me pergunto se Deus me ama. - leva a costa da mão a testa, fingindo está passando mal.

- Tudo isso para pedir um beijo? - pergunta o loiro rindo.

- Né nada não. Isso é só ele se despendindo. - cruzou os braços.

- Despedindo para sempre, pois o louco do meu namorado está me negando.

- Pára com isso e vai logo, amor. - se aproxima dele, querendo fechar a porta.

- Tu vai fechar na minha cara, é isso? - choraminga.

- Vou se tu não ir logo. 

- 'Cê é malvado, mermão. - sorriu safado, dando um selinho no namorado antes de sair, dando um tchau para os dois.

Ao fechar a porta, o moreno ri com o amigo das palhaçadas de Levi. Ele era bem indiferente e sério na maioria das vezes, com a maioria das pessoas, porém nas vezes em que fica daquele modo, é quando seu pirralho fica malvado para si, negando algo que ele quer muito como acabou de acontecer.

O loiro puxou assunto de como Levi conseguiu reatar o namoro consigo, e nossa, o amigo do moreno nunca imaginaria que passaria até a hora de almoçar a falar daquilo.


Notas Finais


Meu deuzu Eren kkkkkkk eu tenho pena de ti. Levi, tome cuidado u..u
O que acharam? Ruim? Bom? Chato? Engraçado? Diva gay? (kkkkkkkkkk)

Link da música que eles dança: https://www.youtube.com/watch?v=lgpQzLPWiKY


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...