História Confiança Mútua - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Viúva-Negra (Black Widow)
Exibições 4
Palavras 852
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 7 - Imprevisto


                     Pov's Clint

Segui ela até chegar em um lugar mais afastado. Algo estava errado, dava para ver. Fiquei preocupado quando  Nat não contou o plano dela, senti que haveria alguma consequência na qual ela não quer falar.

- É feio seguir mulheres, Clint. - Ela disse. Eu sabia que não conseguiria pegá-la de surpresa, Natasha era incrivelmente perspicaz e cautelosa.

- Por quê você não vai contar? - Ignorei a brincadeira. Ela não respondeu, seu semblante era calmo mas ainda carregado de seriedade. - Tasha, o que é que você vai fazer?

- O que for necessário. - Ela respondeu. 

- É perigoso. Não quero que você vá. - Eu sabia que se ela não contava alguma coisa, quer dizer que existe a chance dela se machucar.

- Não é nada demais, eu só vou pegar uma coisa e já volto. - Não acreditei nem por um segundo que era algo simples assim. Mas não contestei, nada impede a Natasha quando ela tem um objetivo.

Ela saiu e eu voltei para a sala preocupado. Decidi naquela hora que assim que Natasha chegasse, eu diria como me sinto. Não demorou mais de uma hora e ela estava de volta. Em sua mão havia um tipo de pedra azul, logo reconheci:

- Essa é a pedra do centro do Loki?

- Sim, é ela. - O estranho era que a Nat não estava nervosa ou com medo do que a pedra ia causar. Ela só parecia cansada.

- Vem cá, como é que você consegue pegar ela sem virar pó? - O Sam perguntou. Ele tinha chegado pouco tempo depois da Nat sair.

- Eu não sei, mas é útil, então prefiro não pensar nisso agora. - Ela respondeu.

- Deixa eu ver. - O Stark pediu.

Nat chegou perto e estendeu a mão, mostrando a pedra/ jóia. Do nada, a jóia começou a levitar e quando chegou à altura do nariz deles, ela virou um tipo de fumaça azul estranha que entrou dentro da Natasha.

Parecia que ela ia desmaiar, então em um pulo, parei bem ao seu lado segurando o braço dela. Ela disse que estava bem e recuperou a postura inabalável que ela exibia de forma natural.

Fiquei muito preocupado com ela, mas sabia que pressionar não adiantaria em nada, então deixei que ela fosse para o seu quarto na Torre. Alguns minutos depois eu subi para o meu quarto, mas nem entrei nele, antes que eu me desse conta, já estava batendo na porta da Natasha. Senti que estava na hora de falar.

Meu coração acelerou a tal ponto que parecia que eu ia ter um ataque de pânico. Nunca fiquei assim antes com ninguém, algo nela me atraía, me puxava para perto dela.

A porta se abriu revelando a visão que eu mais amava. Os cabelos soltos, com uma mecha que insistia em cair nos olhos intensos dela, o corpo perfeito sendo destacado mesmo com um short e uma camiseta. E um detalhe que nunca mudou: o cordão de esmeralda que eu tinha dado para ela na nossa primeira missão juntos.

Eu ia começar a gaguejar,as antes mesmo de estragar o momento, ela falou:

- Clint, preciso te mostrar uma coisa.

Entrei no quarto e me sentei na cama. Ela se acomodou de frente para mim e pegou uma peça de xadrez. A mesma flutuou e se desintegrou quando a Nat estendeu a mão, voltando à sua forma normal com outro aceno. Definitivamente eu ia ter um ataque. Agora eu entendi o por quê tanto segredo, a jóia é muito poderosa e seria muito perigoso pois todos os criminosos estariam atrás dela. Natasha estava nos protegendo esse tempo todo, e agora eu vou perdê-la por não perceber o óbvio.

- Natasha, isso é muito perigoso, você vai acabar sendo morta.

- Vai dar tudo certo, Clint. Não fique apavorado. - Ela falou 

- Tarde demais. Eu não quero que você lute contra Thanos, não importa o plano que tenha. Não vou te perder.

Me destruía saber que ela pode realmente ser morta, ainda mais por minha causa.

-Eu não vou recuar, Clint, você sabe disso. Por quê está com tanto medo de me perder? - Ela pressionou sem perceber.

- Por que eu te amo! É tão difícil de perceber isso, Natalia? Sempre amei você e tudo o que você faz. Eu amo sua teimosia, amo o jeito que me entende, amo a sua forma de pensar, amo sua paciência, eu amo tudo em você com todas as minhas forças. E isso me apavora por que a ideia de te perder dói tanto quanto uma facada no peito e estar longe de você me deixa desesperado por que não sou nada sem você por perto. Se você morrer eu morro junto por que, honestamente, foi você que me salvou naquele dia na Sala Vermelha.

Um peso enorme foi tirado dos meus ombros depois de ter dito a verdade para ela. 

Ela estava muito surpresa, eu notei. Pensei que ela fosse rir dr mim ou me estapear, mas em vez disso ela se inclinou rapidamente para frente e me beijou. A sensação de ter desabafado era boa, mas a de sentir os lábios dela nos meus de novo era a melhor coisa que me aconteceu.






Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...