História Confidence - Capítulo 28


Escrita por: ~

Postado
Categorias Guns N' Roses
Personagens Axl Rose, Duff Mckagan, Izzy Stradlin, Personagens Originais, Slash, Steven Adler
Tags Axl Rose, Drogas, Duff, Hentai, Izzy, Rock N' Roll, Sexo, Slash, Steven
Exibições 93
Palavras 3.323
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá amoras ❤

Não demorei viu u.u.

Quero agradecer aos comentários de ontem e os favoritos. 😍❤

Espero que gostem.
Katherine na capa sz.

Boa leitura!
Enjoy!

Capítulo 28 - Doce Ilusão?


Fanfic / Fanfiction Confidence - Capítulo 28 - Doce Ilusão?

P.O.V STEVEN

Eu não entendia como eles ainda encontravam-se do meu lado depois de tudo que fiz,  apenas pagava por tudo que causei a mim próprio, e mesmo assim, eles não soltavam minha mão.

Após Slash me ajudar a sair daquela marca, seguimos porta a fora, dei uma última olhada naquele local e prometi mentalmente que nunca mais iria pisar ali.

O cabeludo, passa seu braço entre meus ombros auxiliando-me a andar, muitos olhares de pacientes e funcionários foram trocados, no entanto não dei importância, só queria ve-los novamente, e para minha surpresa não era só aqueles filhos da puta que estavam a minha espera, Katherine e Anelize também encontravam-se entre eles, em um passo dado por mim sobre o chão daquela sala de espera, fora escutado por todos, imediatamente Katherine levanta-se de sua cadeira e corre em meu encalço, dando-me uma abraço de urso, no entanto, cuidadoso.

 

— Loira…

— Popcorn, não faz isso comigo.— Suas palavras e seu abraço exprimia o medo de largar-me, respiro fundo, e ela desfaz o mesmo passando a me encarar.

— Desculpas…— Abaixo meu olhar, e Katherine levanta minha cabeça com o dedo indicador.

— Não precisa pedir desculpas.— Seus lábios são preenchidos por aquele sorriso único.— Você é um cara muito sortudo sabia? Olha o tanto de pessoas que não te largam por nada…

Aponta, para eles, que sorriem, e eu não acabo aguentando e Rendo-me ao choro.

— ABRAÇO COLETIVOO!— Sem nenhuma vergonha, Duff berra, e todos vem em minha direção, e logo estava envolvido nos braços das melhores pessoas do mundo.

— Olha, você deve ficar muito honrado, por eu ainda está aqui, sendo que podia está dormindo na minha mansão seu trouxa.— O ruivo bagunça meus cabelos, Axl como sempre não largava seu egocentrismo, mas não vou mentir isso que o tornava diferente.

— Que honra senhor Rose.— Gargalho e ele faz o mesmo.

— Duff e Izzy até brigaram por preocupação sua viu Stee.— Ane deposita um beijo molhado em minha bochecha.

— Lógico! 

— Oi que? Mckagan e Stradlin? Ah não gente! Podem parar, façam as pazes agora, eu já estou bem! Não iria conseguir ficar com a cabeça leve sabendo que os meus melhores amigos, brigaram por mim.— Puxo o narigudo e a girafa para perto um do outro .— Vamos….

Eles repelem por alguns segundos, integralmente cruzamos os braços, esperando pelo menos uma aperto de mão, até que Duff revira os olhos e bufa.

— Eu não ia conseguir ficar brigado com você mesmo, quem eu iria recorrer sobre alguns assuntos?— Ele tira a carranca do rosto e Desfere um soco leve no peito de Stradlin.

— Viado.— O albino devolve.

— Mas não é só a Stradlin que o Duff deve desculpas…— Diz Saul, e olha para Lize que desvia seu olhar.

— Depois eu a desculpo de outro jeito.— Sorri descaradamente para a loira, a qual rápidamente fica vermelha.

— Michael!— O repreende.

— Vocês as vezes passam do necessário.— Rose nega com a cabeça de um modo enojado.

— Ué mas…

— Duff! Não precisa entrar em detalhes, podemos ir agora?— O ruivo Indaga.

— Podemos senhor Rose!— O respondemos em uníssono, e ele mostra o dedo seguindo a frente de nós.

 Katherine entrelaça sua mão na minha, no entanto a cada olhada que a dava, lembrava-me perfeitamente dela nos braços daquele cara, mas achei melhor não comentar nada por enquanto, não queria estragar o momento.

Era engraçado ver a atmosfera entre a fotografa e o baixista, todo mundo percebia que eles não conseguiam dividir o mesmo oxigênio sem se pegarem, claramente conseguia perceber a vontade que eles tinham de se atracarem ali na frente de todo mundo, mas preferiam apenas agir como "amigos", todavia percebia que aquela situação entre eles não envolvia nenhum tipo de afeto mais forte que o da amizade, e eu defato queria que isso acontecesse comigo e Katherine.

Por nossas sortes, não havia nenhuma imprensa do lado de fora, pudemos seguir despreocupadamente, e eu com uma pouca dor no corpo até o carro de McKagan, pois ele veio de sua casa para o hospital.

Axl foi dirigindo, ao seu lado Slash, atrás Duff na ponta esquerda, Anelize, eu no meio, e Izzy na outra ponta, com Katherine em seu colo, eu juro que se não fosse o meu estado, nunca iria deixar a loira sentar no colo do albino, por que sua cara de satisfação com aquilo era imensa…

— Vish, cuidado ein Stee, Stradlin só tem cara se trouxa.— Axl provoca.

— É eu sei bem.— Olho de sosleia-o para ambos que gargalham.

— Ai Stee, você não pode pegar peso.— Kath Acaricia meus cabelos.

— Mal aí cara.— Izzy, desvia seu olhar para a rua escura.

— Garotas, se importam de passarem a noite lá no nosso inferno bem confortável? É mais próximo do que da casa de vocês.— Hudson diz, e elas entreolham-se.

— Tudo bem!— Afirmam.

— Virou a casa da mãe Joana agora?— Como sempre o demônio, vulgo Axl rose, fala.

— Ih ala, tá parecendo um viadinho, são mulheres cara.— McKagan.

— Se fossem mulheres sem rolo com vocês até que ia.

— Rolo? — Lize arquea a sobrancelha.

— Poupe-me fotógrafa.

— Poupe-me você querido.

— Calma crianças.— Izzy pronuncia-se.— Axl pega leve.

— Não disse nada demais.— Volta sua atenção na rua.

 

Uma e meia e nós ainda não havíamos chego na Hell House, e meus olhos já começaram a pesar de sono.

 

P.O.V ANELIZE

Chegamos na casa dos garotos era exatamente duas horas, devido a o excelentíssimo William Axl egocentrico narcisista Rose ter entrado num caminho totalmente errado, e como sempre culpando algo ou alguém, que dessa vez fora a falta de luz na rua, porra estamos em Los Angeles!

Meu corpo não sobrecarregava mais aquele peso tido de mal-estar como encontrava-me naquele hospital, agora nele apenas regia a felicidade por esta tudo bem com nosso pipoca, o que mais me admirava no Steven era: Mesmo ele tendo sofrido tudo aquilo, não tirava o sorriso no rosto, e aquilo aumentava cada vez mais perto de Katherine, os dois não se desgrudavam de maneira alguma.

Todos estavam muito cansados e abatidos, então em pouco tempo  haviamos tomado nossos banhos, e eu e Katherine trajamos duas blusas bem gigantescas de Duff, quais iam até nosso joelho, cedendo um quarto para nós.

Axl nem deu boa noite e já se trancou no quarto, enquanto Duff, Slash, Izzy e eu encontrávamos sentado à mesa fazendo um lanche antes de irmos dormir.

 

— É cada experiência que eu tenho com vocês, e olha nem faz tanto tempo que nos conhecemos.— Digo, despejando o café em minha xícara.

 

— Não esquente, só está começando.— Slash arranca um pedaço do seu pão.

— Você ainda tem tempo de fugir.— Izzy ri.

— Se ela fugir eu irei ter que prende-la.— Duff brinca e eu o olho seria.

— Esqueceu que você não me desculpou? Ainda estou brava contigo.— Cruzo os braços.

 — Sinto cheiro de DR.— Stradlin Sussurra para Slash porém eu o ouço e piso no seu pé.— Xiu.

— Ah Ane, esquece aquilo vai.

— Tá de brincadeira não está?— Reviro os olhos.

 

— vamos sobrar mesmo?— Indaga Saul.

— Claro que não poodle.— Aperto sua bochecha e ele recua.

— Onde está Kath?— Questiono.

— Da última vez em que o vi, ela ajudava Steven a se deitar…

— Mas isso foi mais de meia hora.— Sussurro.

— Tudo ficou quieto de repente— McKagan.

Paralisamos um segundo, e o único barulho predominante ali era do vento batendo nas janelas de vidro, olhamo-nos e como se tivéssemos o poder de ler a mente um dos outros, sorrimos de canto, levatamo-nos rapidamente correndo até as escadas.

— Eu to até com medo do que possa encontrar lá em cima.— Digo.

— Duas pessoas transando que não é, Steven não está podendo.— Slash comenta e eu tampo minha boca para não rir.

— Tá, vamos logo.— Izzy me puxa pela mão e eu o Sigo, até chegarmos no quarto de Steven, qual estava com a porta aberta, possibilitando-nos de ver a cena "fofa"

Adler dormia calmamente com Katherine ao seu lado, porque não estou com a minha câmera numa hora dessas? Estava muito lindo os dois.

— Isso ainda vem enrolar tanto.— Duff Murmura em meu ouvido, e eu afirmo com a cabeça.

— Não vamos atrapalha-los, Steven precisa descansar, amanhã irei acordar mais cedo para comprar seus remédios.— Afirma Izzy voltando para a escada.

— Esses dois…— Slash nega com a cabeça.— Vou descer também vocês vem?

— Vou no banheiro.— O baixista da de ombros.

— E eu vou cobrir eles.— Respondo e ambos assente, antes de adentrar ao quarto completamente, olho de soslaio vendo ambos me secando, porém fingo que não vejo-os, até que Hudson sussurra para Izzy:

 

— Duff tem sorte pra caralho…

Paro na porta e dou meia volta.

— Slash! Eu ouvi isso!— Tento o repreender, entretanto não podia falar muito alto.

— Só é verdade loira.— Izzyp Piscae Slash manda um beijo no ar, logo descem, reviro os olhos e adentro no cômodo, fecho as cortinas, e com movimentos sutis, pego a coberta sobre um cadeira ali  cubrindo os dois, Adler meche-se mas nem se quer acorda apenas puxa Kath mais para próximo dele, não pude deixar de sorri com aquilo.

Desligo a luz, e fecho a porta, ouço um ronco vindo do último quarto, o mais isolado de todos, percebi que a luz estava acesa pela fresta por de baixo da porta, caminho devagar e sorrateiramente abro a porta, fico abismada com oque vejo, Axl dormia pelado, a única coisa que tampavam seu nude era um fino lençol branco, fico paralisada ali o observando por alguns segundos, estaria blefando se dissesse que Axl não era bonito, por que porra ele parecia um anjo, só parecia mesmo, porque quem o conhece sabe o demônio pé no saco, qual ele é acordado.

Saio do transe quando ouço o barulho da pia, no banheiro onde Duff encontrava-se, dou uma última olhada no ruivo, e também apago a Luz do seu quarto, fechando a porta e rumando para o meu.

 

Como Katherine não iria dormir comigo, joguei seu travesseiro para o canto, quando inclinei-me para arrumar o forro do colchão que insistia em sair, um ser humano me encoxa numa ferocidade, que desequilíbro e caio de cara com a cama, logo ouvindo gargalhadas.

 

— Arrrrghhh! Tinha que ser! — Viro-me vendo Duff.

— Foi engraçado o jeito que você caiu.

— Desnecessário.— Cruzo os braços e levanto.— Pode sair do quarto? Já vou dormir.

Encosto-me na porta.

— Está me expulsando de um cômodo da minha própria casa é isso?— Arquea a sobrancelha.

 

— Entenda como quiser.— Aponto para o corredor.— Não quero papo com você.

Ele aproxima-se de mim.

— Rancorosa.

— Rancorosa? Você viu o jeito que tu me tratou naquele hospital Duff? Até o Axl ficou perplexo.

— Ane…Desculpas…Foi a preocupação com o Steven eu não queria ter falado daquele modo contigo.— Aproxima-se mais ainda, no entanto eu recuo voltando a sentar na cama.

 

— Tá bom, pode ir.— Desfaço o coque de meu cabelo.

 

Ele respira fundo e sai do cômodo. Jogo meu corpo para trás fechando os olhos, porém, para o meu azar, surgiu aquela curiosidade, do que Duff me falou "desculpar de outro modo",  aquilo não deixava-me dormir de modo algum, ou pelo menos tentar, bufo socando a cama.

— Filho da puta!— Digo a mim mesma, jogando tudo para o lado.— Eu ainda te mato por isso.

Comecei remexer sem parar sobre a mesma, e o calor começou a surgir em meu corpo, havia arrancado a blusa de McKagan, porém foi vão, então decidi tomar outro banho bem gelado.

 

P.O.V DUFF

 

Remorso batia, porém ela tinha que entender, que encontrava-me num momento difícil, e nem reciocinava mais oque era o certo ou errado, se Anelize não queria papo comigo, tudo bem, não iria insistir.

Desço encontrando apenas Izzy lavando uns copos.

 

— Por que não faz isso amanhã?— Questiono.

— Não, se não amanhã vamos ficar com preguiça.— Fecha a torneira, seca suas mãos e vira-se.

— Ué cada a Ane?

— Foi dormir.— Suspiro.

— Tu pegou pesado com ela cara, eu já estou acostumado com vocês, mas ela não.

 

— Mas eu não entendo, Anelize é super durona com o Axl, não se deixa levar com ele, sabe jogar seu joguinho.— Digo.— Mas só por que eu gritei com ela, ela ficou assim..

 

— Cara entenda, Anelize sabe como o Axl é, ela sabe que ele é imprevisível, não é atoa que as vezes eles não se batem, então para ela é normal, agora você que tem um relação tão próxima.— Apaga a luz e seguimos para a sala.— Com certeza ela ia ficar assim, não é normal você fazer isso, apenas.

 

— É tem razão, mulher é um ser tão complicado.— Rio.

— Põem complicado nisso meu caro.— Da um tapinha em meus ombros.— Anelize é orgulhosa, ela não vai pedir desculpas pra você, então é melhor você mexer os pauzinhos.

 

Da de ombros à mim e sobe as escadas, logo faço o mesmo, ouço barulho de chuveiro ligado vindo do quarto da loira, entro no cômodo e fico sentado sobre a cama.

 

Foram 10 minutos ouvindo-a cantar Eric Clapton, sua bolsa estava ao meu lado, a curiosidade começou a surgir e quando  vi já encontrava-me vasculhando-a.

Continha maquiagens, carteira, e uma agendinha, fiquei impressionado com a organização das tarefas que tinha, vasculho mais um pouco e encontro mais três daquela, percebo que cada uma tinha exatamente 365 folhas, ou seja, uma para cada ano, uma me chamou atenção por não ter um de seus dias, entretanto, tomo um susto quando Anelize sai do banheiro e da de cara comigo mechendo em suas coisas.

 

— DUFF TIRA A MÃO DA AI AGORA! OQUE VOCÊ PENSA QUE ESTA FAZENDO?— Exalta-se de uma maneira inesperada, puxando sua bolsa de mim.

— A-ne, desculpas…eu só estava...

— Mexendo nas minhas coisas!— Afirma.— Você não tem esse direito de sair vasculhando minha bolsa.

— Calma…vendo assim parece até que está escondendo algo.

— E se estivesse qual o problema?— Abre a porta.— Sai agora Duff! Eu já não tinha falado com você? 

— ANELIZE CALMA! Eu preciso conversar com você.— Seguro em seus ombros.

— Amanhã Duff, amanhã…— Desvencilha-se de mim, e consegue-me empurrar para fora do quarto.— Boa noite.

 

Fecha a porta com força na minha cara, bufo colocando a mão no rosto e trancando-me no meu quarto.

Mas, se não havia nada demais, porque ela se exaltou daquela maneira? Duff você só faz bosta!

 

 

P.O.V IZZY

Na manhã seguinte...

Tampouco consegui dormir, por conta da alta dor de cabeça, qual sentia, parecendo que um hipopótamo dançava música flamenga sobre a mesma, oito horas e o sol já reluzia forte, sem delongas fiz minha higiene matinal, peguei minha carteira e a receita médica dos remédios de Adler.

Ao sair do quarto dou de cara com Ane fazendo o mesmo, já trocada.

 

— Bom dia loira.— Sorrio, e a fotógrafa vem ao meu encontro abraçando-me.

— Bom dia moreno!— Deposita um beijo em minha bochecha.— Já vai sair?

 

— Comprar os remédios de Steven.— Afirmo, enquanto seguimos para a escada.

— Ah sim, pode me dar uma carona até o apartamento da Kath? É muito mais perto daqui do que o meu.— Pede.

— Claro que sim, mas você vai ficar por la?

— Não, não só preciso pegar um negócio rápido.— Adentramos a cozinha.

— Quer que eu te espere? Assim voltamos juntos.

— Se não for lhe atrapalhar, não tenho nada pra fazer na revista hoje glória.— Eleva as mãos para o alto.

— Então irá poder passar a tarde junta conosco.— Começo a preparar o café.

— É…— Diz, num tom um quanto "desanimado" enquanto pegava os ovos e os bacons na geladeira.

— Aconteceu algo?— Ponho a água para ferver.

— Não nada demais.— Diz, e eu fingo que acreditei, terminando o café e ela o ovos mexidos com bacon, sentamo-nos a mesa, frente a frente e sem dizer uma sequer palavra, em alguns minutos terminamos o nossos desjejum.

— Vamos?

— Vou só escovar os dentes okay?

— eu vou subir também, esqueci as chaves da moto.

Ela assente e subimos novamente, pego minhas chaves e a espero, enquanto isso McKagan surge.

— Já acordado?Olha parabéns.

— Quem não acordaria com esse cheiro? Quem fez o café?— Questiona.

— Eu e Ane, vamos sair daqui a pouco.— Tiro um cigarro do bolso e ascendo.

— Ane? Junto com você?

— Algum problema?

— Não é que…

Duff iria prosseguir sua frase quando Anelize corta-o fechando a porta do quarto.

 

— Izzy estou pronta, podemos…— Percebe a presença do loiro.— Ah, olá Duff, Izzy querido podemos ir?

Sinto o clima tenso no ar.

— É podemos.— Olho para ambos que nem sequer se olhavam.

— Tá bom.— Passa por entre nós, e desce, fazendo Duff revirar os olhos.

 

— É, depois conversamos…

 

Rumo para fora, onde ela me esperava.

 

— Vocês estão bem?— Indago, entregando-lhe um capacete, logo em seguida subindo no veículo.

— Não muito.— Coloca o mesmo, e também sobe na moto, segurando minha cintura.— Mas é algo irrelevante.

— Será?— Ligo o mesma a partimos, a loira não diz mais nada, apenas começa a observar as ruas.

 

 

P.O.V KATHERINE

8:40 A.M

O ruído de algum bixinho no telhado fez-me despertar do sono, viro para o lado ainda com os olhos fechados e sinto uma respiração quente sobre meu rosto, abro-os devagar, vendo a figura loira dormindo calmamente, nem lembrava-me que tínhamos pegado no sono, apenas lembrava de está deitada ao seu lado conversando.

Ele dormia tão serenamente, que seria um pecado acorda-lo, porém não conseguia me levantar, pois, seu braço estava sobre minha cintura.

Apenas comecei a fazer cafuné, naquele maravilhoso emaranhado de cabelos louros macios, até o próprio mexer-se e despertar, preenchendo seis lábios com aquele Sorriso encantador.

— Se isso for um sonho, não me acorde.— Fala entorpecido me fazendo rir.

— Não não é um sonho popcorn.— Falo.— Conseguiu dormir bem?

— Como não conseguir?— Acaricia minha bochecha.

— Não sei, você pode está dolorido ainda.— Digo, enrolando a ponta de seu cabelo no meu dedo, e ele ri levantando meu rosto pelo queixo, fazendo-me encara-lo.

 

— Com você tudo fica melhor...

 

Aquilo foi um choque contra meu corpo, senti o próprio entorpecer-se por completo, ele fixa seu olhar em minha boca, e afaga sua mão em minha nuca, aproximando meu rosto do seu.

 

Já desejava seu beijo, almejava seus toques,  no entanto tudo que é bom dura pouco, de fato não durou nem pouco, pois nem se quer começou, no momento que Adler iria me beijar, a porta se abre bruscamente, dando-nos um susto.

 

— Duff está perguntando se você não quer…— Era Axl.—  Kath?! Steven?! Vocês?! Puta que pariu.

— Não pense merda Rose!— Afirmo.

 

— Tarde demais honey.— Ri.— Café está a mesa.

Pisca retirando-se do quarto.

Steven bufa indignado.

— Ele só aparece na hora errada.— Revira os olhos.

— Não tão errada assim, esse cheiro de cafe está me deixando com fome, vamos descer?— Olho-o

— Tudo bem, deixa eu só escovar os dentes.— Deposita um beijo em minha bochecha e levanta-se enrolado no cobertor.

— Okay.— Acompanho com o olhar, até ele adentrar ao banheiro.

Definitivamente não sabia oque estava acontecendo comigo, sentia-ne exageradamente bem ao seu lado, tudo ficava tão mais confuso quando Steven falava daquele modo comigo.

Será que...Talvez, aquilo tudo, no qual, sentia, era apenas um acetoso facto ou uma doce ilusão?


Notas Finais


Eai? ❤
Beijooos <3333


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...