História Confidencial - Capítulo 74


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony, Justin Bieber, Sasha Pieterse, Zayn Malik
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Justin Bieber, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camren, Fifth Harmony, Hentai, Justin Bieber, Normally, Norminah, Yuri
Exibições 64
Palavras 2.186
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yuri
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sadomasoquismo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hoje é dia de q?????????????????
Siiiiiiim mais um caaaaap


Eu estou com 3 capítulos prontos, incluindo este ( dããããn )
Portanto eu vou postar, o primeiro, espero q saia na ordem

Capítulo 74 - Insane - 1. Eu já estou morta


Fanfic / Fanfiction Confidencial - Capítulo 74 - Insane - 1. Eu já estou morta


Flashback´s  


REF. Cap, 58, 59, 60, 61

 



POV


~ Camila ~ 


Fim de tarde e as aulas tinham acabado. Não via nem Lauren, nem Mani, nem Dinah. A escola estava quieta e sem alunos. Os corredores eram minimamente iluminados por as luzes brancas e fracas no teto, dando um clima meio dark para o interior da escola. Essas coisas não em davam medo, aliás, já me acostumara com escuridão desde nova


POV 


~  Normani ~


- Lauren? - murmurei ao meu redor da sala de aula. Só restava eu na sala e claro, na escola, resolvi tirar esse tempo para estudar, ou ao menos ficar sozinha... até escutar um barulho. Era alguém, e batia muito, mas muito mesmo, desesperadamente na porta, me assustando cada vez mais. Eu me aproximava, podia ser alguém ruim, ou alguém fugindo... ( jura, Normani? ) não hesitei e prendi minha mão à maçaneta, a girando de vez e abrindo, para ver alguém caindo de joelhos na sala, dei um mini-pulo com o ser humano de preto que se arrastou até o canto da sala assustado, eu olhei para através da porta e não vi nada, mesmo assim a fechei, preocupada com o que seria
- Mani? - o ser sussurrou ofegante, se encolhendo ainda mais
- Você podia me dizer o que foi isso? - me virei para Lauren, com as sobrancelhas unidas
- T-tem... é... eu ... - ela respirava mais e mais forte - ele... tem... Deus..!
- Deus? - eu me aproximei dela e estendi a mão. Ela olhou para ela, antes de aceitar e se levantar, se limpando, logo seguindo para a janela na porta, eu a segui, observando por ela também - o diretor pegou você fazendo besteira de novo?
- Você poderia me dizer para que inferno isso?
- Eu estava em um local isolado pensando na vida, até passar da hora da reunião com a Camz e os assistentes terminarem, para que eu pudesse ir para casa com ela - falava ela, voltando a olhar pela janela da porta - eu pensei que não tinha ninguém na escola. Até tentar sair daqui e tudo ao meu redor estar trancado
- Como assim trancado?
- Trancado! - ela se virou - fechado, inacessível, interrompido...
- Eu entendi - falei
- Alguém trancou todas as portas do lugar onde eu estava, aí eu subi até a saída de ar, quase fui estrangulado por um ventilador 
- Saída de ar? Os tubos de ventilação? - perguntei, Lauren havia ficado doida?
[ ... ]
Nós saímos da sala esquisita, para procurar as meninas
- Da próxima vez tenta não fazer barulho! - reclamei perto á ela, quando tomava a perna da pobre cadeira da mão dela
Lauren se levantou com dificuldade. Ela havia se escorregado feio e a porcaria daquela " arma " bateu no armário gerando um estrondo que ecoôu  por o corredor - não tenho culpa! Me dá isso - disse, se esticando para pegar o metal
- Não - o joguei em outra mão para longe dela - tenho mais experiência com coisas assim que você
Lauren espremeu a testa, tentando compreender e eu dei um sorrisinho de canto, seguindo em frente
- Eu entendi essa - disse, fazendo uma careta
Ela veio ao meu lado, mas parou logo em seguida. Olhando para o chão
- O que foi dessa vez? - perguntei, acompanhando seu olhar
Pingava. No chão, gotas fartas de... 
- Sangue...? - arfei, meu coração batia mais forte
Lauren levou seu olhar para o teto, e eu fiz o mesmo. A tampa do tubo de ventilação. Escorria grande quantia de sangue, que se acumulara lá
- Ah, meu Deus.. - sussurrei, assustada
[ ... ]
Assim que encontramos as meninas, explicamos o que estava acontecendo conosco
- E eu encontrei a Mani na nossa sala - Lauren disse - eu estava esperando você sair da reunião, até alguém tentar me trancar e... eu escapar por a ventilação
- Perto do jardim botânico? - DJ uniu as sobrancelhas, tentando similar algo
- Sim - disse Lauren
- VOCÊ ESTÁ LOUCA? - Mila a empurrou - PODERIA TER SIDO MORTA!
Mila virou-se de costas, colocando a mão em sua cintura, e Lauren se virou para outro lado, afastando o cabelo e respirando forte, aparentemente com o rosto meio confuso


Flashback´s off

 


POV


~ Camila ~

 


- Eu jamais disse a Lauren porque eu me zanguei tanto por ela ter " escapado " aquele dia, saindo por a ventilação da escola - eu falava a Ally, sem me arriscar a olhar pra ela - por quê eu havia matado alguém, naquele mesmo dia, e escondi o corpo no tubo de ventilação... e...
Eu havia desistido, coloquei o peso do cabeça nas mãos, tampando meu rosto. Ally provavelmente não acreditara no que eu disse
- E ela achou.. - minha voz falhou, um ponto em mim se encontrava quente de arrependimento e medo, mas a imensidade inerte, me fez achar esse sentimento estranho - o sangue pingou por a tampa, e ela e Mani descobriram... era uma garota, ela - falei sobre a vítima - seu nome era Nancy, e desde o primeiro ano, eu ignorava todo santo dia, quando ela pisava em minas sapatilhas ou achava algum apelido infantil para me... zoar, mas naquele dia... foi tão.. gostoso.. ver seu rosto, suas lágrimas, me pedindo desculpas por tudo que fez comigo e implorando para mais um dia de vida
Senti Ally olhando para mim, assustada. Ela estava prestando muita atenção em cada palavra que eu dizia
- Não, eu não senti ódio dela, na hora, eu apenas me diverti.. só que eu acabei me divertindo demais, e ela acabou morrendo - eu sorri de canto, me lembrando de seu rosto - desde então, eu não ouvi mais ninguém me chamando de " alienada " ou " babacona "
- Mas Mila... - Ally falou, baixinho - a Lauren chamava você dessas mesmas coisas, não era?
- No primeiro dia de aula? Sim. Aí eu coloquei ela em detenção, e... me apaixonei... por alguém que eu odiava. Então não me incomodava muito quando ela me chamava de " babacona " quando eu a chamava de " maloqueira tapada " ... de alguma forma, ela não dizia ofensivo, e isso me fez não ligar para os apelidos idiotas que eu suportava... mas eu fiquei impaciente com a Nancy, e você estava fora, e tudo estava uma bagunça
- O que aconteceu com o corpo?
- Eu denunciei - falei a verdade - disse que uma estudante estava morta, e acham que foi o ex namorado dela, diziam que ele era violento com ela... bem.. quem iria suspeitar da bondosa e super não-agressiva presidente de classe?
Ficamos em silêncio por alguns minutos, Ally olhava para o chão, pensativa e eu tentava advinhar no que ela estava pensando
- Tudo mudou muito - a ouvi sussurrar
Não era isso que achei que ela diria
- Mas você sabia desde o começo que havia se envolvido com mentes insanas como as nossas - eu falei baixo - por quê continuou?
- Por quê eu gosto de vocês 
Foi quando a porta de minha casa se abriu e Mani e Dinah entraram de mãos dadas
Pude notar que Ally não recebera aquilo muito bem, pois ficou olhando para as mãos juntas de forma bem... rude

 


POV


~ Ally ~ 

 


Eu tentei ignorar aquela interação, e me fingir indiferente, quando Mani entrara na casa com as mãos dadas com a Dinah. Eu por alguns segundos olhava aquilo tão intensamente, que se tivesse visão de calor, a mão de Dinah derreteria em instantes
Mani notara meu olhar sobre suas mãos unidas, e ela as separou imediatamente, fingindo querer algo na cozinha da casa da Mila
- Eu vou beber água - a morena falou apressadamente e andou até lá
Então DJ se virou para nós, cruzando os braços
- Como a Lauren está? - perguntou
Mila abaixou a cabeça, olhando para seu lado e eu suspirei, enxergando tal situação. Depois de tudo que me contou...
- Ela está se recuperando - falei, a olhando. Dinah me olhava superior, e eu achei meio estranho de início, mas depois entendi sobre o que era. Mani. Óbvio
Então Mani voltara da cozinha e Dinah continuou rastreando meu olhar, que dançava em torno da morena. Eu senti saudade de todas, para ser sincera. Mas vi do pior modo como tudo mudou desde que cheguei, e tudo ao meu redor estava tão triste, que minha motivação de ser eu mesma, estava se acabando gradativamente. Então, eu sabia que isso incomodava a Dinah, por quê eu olhava para Normani, como modo de me sentir bem novamente, e apenas isso, me fazia ver como eu sentia saudades dela. Saudade que eu nunca poderei saciar. Uma saudade extrema, e única de Normani. Mas, exatamente por quê tudo havia mudado. Exatamente por a Mani estar tão feliz com Dinah... que eu exatamente sei que ela jamais me amará novamente...
Abaixei meu olhar com esse pensamento infeliz, e quando voltei Dinah continuava me fitando. Estava tentando ler meus pensamentos? Isso já estava me incomodando á tempos
- Vocês podem fazer esse negócio de não se atacarem por os olhos? - Mila perguntou ao meu lado. Ela coçou os olhos, estava cansada emocionalmente, era nítido - por favor?
- Talvez, se a Dinah não agisse como se fosse me estrangular a qualquer minuto...
- Eu poderia estrangular você, que diferença faria? Você já está morta mesmo
- Dinah, não... - Mila falou
Eu engoli o lábio para me calar. Mani olhava para mim, como se eu fosse retrucar, ou fazer algo do tipo. Mas ela viu que eu me incomodei bastante
- E mesmo morta, sua namorada sonhou comigo todas as noites quando você estava ao lado dela - eu saí de minha pose ignorante e começei a fazer o seu joguinho 
O queixo de Mani caiu e o de Mila também
- Ally?! - Mila murmurou, estava pensando se eu realmente disse isso
- Se no meio de um desastre onde Lauren está ferida, Justin está solto, e estamos tentando descobrir quem causou esse caos, você quer que eu realmente aja como uma criança igual você, então eu vou agir, DJ! - sorri largamente. Estava exausta, triste e morta, morta de raiva - vamos brincar, se você quer brincar...
- Ally... - Mani falou - não
Eu a olhei e depois olhei para Dinah, que continuava em posição de " ataque a qualquer momento " neguei a mim mesma
- Eu vou.. eu vou para o hospital ficar com a Lauren.. - falei 
- Ally... - Mila tentou falar, e eu me virei
- Eu vou ficar com a Lauren, Mila - falei, e senti uma onda de raiva aumentar em mim - ok? Dia, e noite. Até que ela melhore - olhei de canto para Mani, onde ela permanecia parada - Lauren não se drogou nem fingiu que não se lembrava de mim, quando eu estava lutando contra um câncer terminal
Ela olhou, agora. Mani olhou diretamente para mim.  Eu errei, admito. Mas esse foi o maior erro que Mani cometera em sua vida. Eu pude ver o pior jeito que agiu quando " fui embora " . E por um tempo.. desconheci totalmente a pessoa que se tornara. Até aquele dia em que eu pude vê-la na casa da reserva... depois de meses, agindo como uma pessoa rude e orgulhosa, eu vi Normani como ela realmente era. Foi quando pensei que não estava tudo perdido.. mas eu estava perdida, agora. Eu havia perdido algo para chamar de lar
Então eu desfoquei de meus pensamentos e voltei para a Mila - Pense no que eu falei a você - eu disse a ela - você só tem: sim ou não. E sabe o que vai acontecer se disser " não " ... eu estou realmente desapontada com você, Camila. De todas... - eu neguei para ela e me distanciei, cruzando o caminho onde Dinah estava - para com isso, DJ, está me assustando - então eu passei por ela e abri a porta
- Você não pode andar sozinha, Ally - ouvi a voz de Mani atrás - depois de tudo, estamos mais do que preocupadas com o Justin por aí
Eu parei e achei até graça naquilo. Normani, depois de tanto tempo demonstrando  preocupação com algo? Deixei escapar uma risada irônica, sem querer - primeiro - falei - como a Dinah disse, eu já estou morta. Segundo - eu me virei para elas - o Justin quem tem que se preocupar comigo
Fechei a porta, e saí daquele lugar. Resolvo pegar um táxi para o hospital
[ ... ] 

Lauren dormia intensamente. Eu havia dito a sua mãe que ficaria hoje. Ela assentiu, e relutante, foi para sua casa. Ela precisava descansar, descansar seu corpo que estava cansado, e principalmente sua mente. Vi a mãe de Lauren jurar infinitas vezes ao choro, que jamais deixaria a filha novamente, e jamais a trataria como antes. Ela pedia desculpas á uma Lauren adormecida
 


Notas Finais


Se chegar á mais de 7 comentários, eu posto outro ainda hoje :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...