História Confidencial - Capítulo 75


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony, Justin Bieber, Sasha Pieterse, Zayn Malik
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Justin Bieber, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camren, Fifth Harmony, Hentai, Justin Bieber, Normally, Norminah, Yuri
Visualizações 132
Palavras 2.728
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yuri
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sadomasoquismo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Obrigada, agora sim <3

Capítulo 75 - Insane - 2. " A Promessa de Dedinhos "


Fanfic / Fanfiction Confidencial - Capítulo 75 - Insane - 2. " A Promessa de Dedinhos "

 


 POV


~ Ally ~


Eu decidi sair um pouco do hospital. Lauren ainda não tinha acordado, mas sua mãe chegara bem cedo para ficar ao lado dela. Resolvi deixar as duas á sós. Tanto elas quanto eu, precisávamos de um tempo apenas para... pensar. Pensar em tudo que havia ocorrido
E embora minha mente relutasse tanto contra isso, eu resolvi para onde iria
Eu peguei um táxi, que me deixou em frente ao local tão arejado. Empurrei o gelado portão de ferro, e adentrei no cemitério
Segui lentamente até a minha lápide, e me surpreendi com o que vira. Eu parei de andar, e meu corpo travou com a imagem
A lápide ainda estava um pouco longe, mas eu ainda conseguia ver bem
Eu voltei a andar lentamente, enquanto via isto. E isto, quebrou meu coração. Em milhões de pedaços
Me aproximei mais, e pude sentir o aromático cheiro de pétalas de cerejeiras. Normani estava sentada, com uma flor em seu nariz, enquanto uma coroa de flores estava aos pés da pedra onde meu nome estava escrito... eu já tinha visto essa cena antes. Quando eu ainda me escondia
- Ainda vem aqui? - perguntei, tentando ainda me manter fechada por ontem
Mani se virou subitamente, se assustando
- Como soube? - perguntou arfosa
- Eu não soube - falei - vi você aqui antes
A morena se levantou, ainda com o olhar baixo - eu senti você aqui, antes. Entre as árvores
- Naquele dia você quase me viu - eu disse
- Naquele dia, eu estava implorando para ser você entre as árvores e vir até mim, me abraçando e dizendo que era você mesmo, e que iria ficar tudo bem... - Mani engoliu suas palavras, eu sabia que se sentia culpada, por isso resolvera falar tudo sem pausas  - mas você não apareceu.. e eu fui para casa, onde Dinah me esperava..  para nos livrar-mos de todas as drogas - ela acrescentou - infelizmente, a tal substância que a Sasha colocou em minha bebida, quando ela me raptou, me viciou, e eu procurei esses meses todos por ela, apenas para preencher a falta que sua presença me fazia
Mani olhou para mim
- Eu ia viver sem você - ela continuou - e eu precisava me acostumar a isso de qualquer maneira...
- Eu voltei por você - eu falei
- Você voltou tarde demais, Ally... e.. e-eu... e-eu não sei o que sinto, tá? - ela disse, ela estava parada, mas eu sentia sua alma desesperada - quer dizer... eu sinto muitas coisas, mas eu não.. não sei o que sinto, Ally
- Mani...
- O choque que sua morte me causou foi... intenso! Você não faz ideia! 
- Mani, não precisa se...
- Eu demorei muito para acreditar que você realmente se foi, e... eu simplesmente não consigo acreditar que você voltou!
- Mani, pare.. - eu me aproximei dela, quanto mais falava, mais o caos aumentava em minha mente, e mais culpada e arrependida eu me sentia por deixá-la
- Eu tentei esquecer você, eu tentei esquecer os momentos com você, eu tentei odiar você, e por um momento, eu achei mesmo que te odiava, e...
Minha mente explodiu e meu corpo queimou de tamanho incêndio que suas palavras me causava. Então eu fiquei na ponta dos pés em frente a sua estrutura alta e puxei o tecido de seu casaco para perto de mim, fazendo sua cabeça se curvar e minha boca tocar a sua
O corpo de Mani se amoleceu e eu juro, por aquele instante onde ela permitiu que meus lábios dançassem por o seu, eu me senti novamente estabilizada... onde eu realmente queria estar
O nosso já leve beijo, se leveou ainda mais, e quando Mani olhou para mim, eu vi seus olhos lacrimejados
- Mani... - eu sussurrei - m-me desculpe
Então ela fechou seus olhos com força, fazendo mais lágrimas saírem por eles
- Eu não posso! - ela sussurrou, se afastando de mim - eu amo a Dinah, Ally!
Eu apenas abaixei a cabeça, e limpei meus olhos antes que as lágrimas saíssem
- Eu sei.. - respondi, sugando meu nariz - eu sei que ama... mas olhe... - eu levantei meu olhar para o dela - eu precisava disto
- Eu sei... - ela sussurrou arfosa, sugando o ar que podia dar conta - eu sei... eu também prec... - Mani negou a si mesma e desistiu concluir sua frase - tudo mudou tanto... 
- Eu quero fazer tudo voltar a ser como antes, Mani - eu falei - fazer tudo ficar bem como antes
- Você sabe que desta vez eu não poderei estar com você, não sabe?
- E-eu.. eu não ligo... eu conheço você a muito tempo, e você antes de qualquer pessoa deveria saber de tudo que aconteceu comigo para tomar essa decisão tão.. idiota
Mani estava tímida se olhava para mim ou não
- Eu também estou confusa - eu disse - eu também estou com ódio e vazia... Mani, eu preciso ao menos de minha melhor amiga de volta, se não eu vou fazer alguma besteira, e...
- Pensei que não me via mais como melhor amiga
- Eu ainda vejo. Antes de tudo, como minha irmã, não é? - sorri incerta de lado e me surpreendi quando ela sorriu também. Fraco, mas sorriu - então, Mani...
Eu fiz o movimento típico, mas inseguro... levantei meu dedo mindinho e ela o olhou perplexa com o ato
- Isso não é uma jura, e não é comprometimento... não é um pedido de desculpas, e tampouco uma falsa paz recheada de raiva por tudo que mudou entre nós... entre todas nós, na verdade. Eu quero você de volta... eu quero minha melhor amiga de volta
Eu mal terminara a frase, e Mani se aproximou, levantando seu dedinho e prendendo no meu
Sorri satisfeita com o feito, e ela sorriu também, mas dessa vez mais intenso
Então, seu sorriso saiu apenas para perguntar:
- Você achou mesmo saudável seu beijo naquele momento?
- Era algo que estava entalado em mim por meses.. me desculpa, por fav...
- Eu senti falta - ela sorriu de lado novamente, e eu lhe retribuí de forma tímida



POV


~ Camila ~


Flashback 


" Leve " eu ouvi
Eles diagnosticaram o Zayn, com psicopatia LEVE
Assim que meus pais chegaram do internato, eles resolveram tomar vinho antes de dormir, eu já estava com um pijama e descendo as escadas, me intrometendo em sua conversa
- Ele me machucou muito - falei, incerta se descia todos os degraus. A atenção dos dois adultos foi voltada para mim
- Camila... - mamãe disse surpresa
- Zayn é um assassino, mamãe -falei 
- Camila... - meu pai falou - ele está longe agora, querida. E iremos garantir que ele não volte
- Estou com medo - eu disse
Eu vi meu pai sorrir fraco, olhando para minha mãe " pelo menos, ela tem sentimentos " 
" Até quando ? " - minha mãe perguntou - " é hereditário, Alejandro. E é gradativo "
- Eu estou aqui - chamei a atenção - o que é gradativo?
- É uma coisa que acontece pouco a pouco, querid...
- Eu sei o que é gradativo. Eu quero saber o sujeito indefinido. Por falta dele, sua frase está sem coesão
Vi a boca do meu pai, levemente ser aberta, e os dois se entreolharam sem saber o que falar
- Português não é o meu problema - eu disse, ainda esperando uma resposta. Estava começando a ficar zangada
- Camila - minha mãe chamara, me fazendo aproximar - precisamos saber o que seu irmão fez com você. Tudo o que não nos contou, certo?
Eu assenti com medo, olhando para ela
" Nossa filha já mudou, Sinuhe " - pude ouvir meu pai falar baixo - " eu  tenho medo que perca sua inocência precoce, como ele "
Mamãe me sentou ao lado de papai e dela, ambos esperavam que eu contasse. E eu contei. Todo o mal que passei

Flashback off

Eu sempre ignorei o rancor e sentimento de vingança que Zayn por alguns momentos, causara sobre mim. Eu voltei minha mente para meus propósitos, orgulhando meus pais que possível, e tentando fugir de uma vontade enorme, que eu tinha em fazer coisas que Zayn fez comigo... com as outras pessoas. Era algo que eu grandiosamente odiava
Então eu nasci com sentimentos, mas um leve sopro em minha personalidade. Isto nunca me afetou. Eu já amei, já me senti triste e culpada. E eu ainda não tinha visto meu irmão sentir tais coisas. Apesar de tudo... eu o amava, apenar de tanta tortura, tanto caos, ele era meu irmão. Eu não acreditava que era possível alguém como ele mudar grandiosamente, mas era eu, antes de qualquer pessoa, que tinha esperanças de que isso acontecesse

Depois de passar minha galeria inteira, vendo fotos de Lauren que eu havia protegendo esse tempo, meu celular, decido levantar... eu estava desmotivada. Sim, minha obsessão por encontrar o verdadeiro culpado, ou até mesmo quem nos perseguia... havia diminuído " gradativamente " e eu não entendia o por quê
Eu me levantei e acendi as luzes da casa, até..
- Eu devo parabenizar sua amiga Ally por tamanha coragem de vir falar comigo... - essa voz. Me virei de vez - você acha que ela confia em mim? Ouvi dizer que ela estava com medo de minha chegada, e do nada, ela resolve falar comigo... sobre você
Meus olhos caíram. É como se eu estivesse cansada de reagir a sua imagem toda vez que a via
- Nossa, Camila! - ele continuou - eu esperava um " o que você quer, Zayn? " , um " Vai embora! " ou um " Eu vou chamar a polícia! " - ele sorriu - ou quem sabe um " eu vou contar para o papai " ... mas você nunca conta mesmo
- É só me dizer o que a Ally falou a você, e pode ir embora - sorri falsamente
Zayn se escorou na parede ao lado e cruzou os braços
- Estou vendo que o que ela disse é verdade. Acho que eu deveria lhe parabenizar por ter matado uma de suas colegas, e ainda não saiu culpada na história toda! Deve ter passado noites planejando isso...
- Passei - falei 
- E é exatamente por isto que eu estou aqui
- Por quê eu matei uma gorda idiota?
- Por você estar perdendo os sentimentos, ratinho - o sorriso dele saiu e ele tomou uma expressão séria, me fitando a ponto de incomodar - até mesmo por aquela namorada gostosa que você esconde dos nossos pais...
- Você não faz idéia do quanto ela é - rangi, de raiva por tal termo, mas isso parecia apenas diverti-lo
- Você faz idéia daqueles olhos que a Lauren tem? O que aconteceria se jogássemos acido neles? E aquele corpo? Por Deus, você viu o que o Justin fez? Seria o sonho de um de nós, certo?
- Zayn, pare - eu fechei os olhos, tentando me acalmar
- Bom, não está completamente perdida - ele falou - ainda tem sentimentos. Só está perdendo uma pequena base
- E você acha que tem moral para falar sobre isso?
- Somos completamente iguais, Camila, mas temos um objetivo em diferente. Eu estou procurando achar sentimentos. Você está procurando não perder os seus
- Psicopata e sociop.... está insinuando que eu sou sociopata? Não tem mais nada pra chutar?
- Os médicos disseram que os dois irmãos herdaram, mas estavam errados. Eu herdei. Você adquiriu
- E o que te faz ter tanta certeza?
- Não é obvio? Sua doçura quando criança me deixava enojado. E tavez.... eu tenha contribuído um pouquinho com essa sua frieza. E eu vou manter essa sua frieza, para que ela não evolua e se torne um calor infernal
- Lindo de se ver. Agora, se quer mesmo ajudar, volte ao tempo e não faça nada do que fez comigo
- E você acha que eu não tentei? - ele falou
Eu abaixei minha cabeça, de surpresa por o que ele havia dito, pois não queria que ele visse meu rosto
-Você precisa encontrar o amor - Zayn falou sério - precisa encontrar o que te mantinha bem, o que te fazia esquecer de mim, o que fazia agir de uma boa maneira, uma... âncora. Algo que você tivesse sentimentos verdadeiros
- Hm. Interessante - falei sem vontade - qual foi sua âncora? O que te fez " mudar " ?
Zayn abaixou a cabeça - minha âncora foi a pessoa que eu mais machuquei em todo esse tempo - então ele olhou para mim - foi a pessoa que saiu mais ferida de tudo isso, foi quem eu machucava, foi quem eu ameaçava, foi quem eu tinha inveja, foi quem eu principalmente queria o mal. Foi você, Camila 
Eu senti meu coração parar. E-eu? Sua âncora era a mim?
- No dia que eu explodi o internato, eu caminhei até o parque, antes dos policiais e jornais chegarem... e algumas pessoas já tinham saído, algumas pessoas mortas no chão... até eu ver você, desacordada, no meio daquele lugar completamente destruído. Eu pensei que estivesse morta, e pela primeira vez, não foi com meu propósito - Zayn então limpou o nariz, e fez algo que eu nunca pensei que faria. Ele estava chorando - eu vi você no chão, e eu pensei: eu matei minha irmã
Meus olhos se encheram de lágrimas também. Lágrimas intrometidas. Eu? Chorar por ele? Por coisas que dizia, por coisas que fez, por seu arrependimento? Eu, quem tinha tanto medo, tanta raiva, agora sentia...? Compaixão? 
- E foi nessa hora, que eu te vi como alguém para cuidar, para dar amor esse tempo todo, e todo o ódio que eu tinha de você, foi uma coisa completamente ridícula, por quê eu perdi meus sentimentos quando ainda era um moleque, e você apenas um bebê. Você não tinha culpa de nada, você era para ser minha garotinha, e eu te fiz como uma vítima do meu descontrole. Eu te ameaçava. Você ficava quieta. Eu te machucava. Você não chorava. Eu fazia coisas más, e... você não contava aos nossos pais
Eu me escorei no sofá, e abaixei minha cabeça, massageando minha testa. Não, eu não iria chorar
- Então, eu corri até você, e eu me senti tão aliviado, que estivesse viva. Aí eu coloquei você nos braços, e levei para casa
Zayn terminou o que disse, e ficou calado, com sua cabeça baixa
- Eu soube que mamãe e papai tiveram mais uma filha, e.. pensei que você faria tudo com ela o que eu fiz com você
- Eu jamais machucaria a Sofia - eu falei, mas isso de algum modo, fez Zayn apertar seus olhos, e eu vi sair mais e mais lágrimas
Ele então enxugou elas, e me olhou com os olhos vermelhos - psicopatia é uma coisa gradativa. Você vê coisas ruins ao seu redor, mas pensa apenas em você, é tipo... ver a escuridão e tirar proveito dela. E acredite, sair da escuridão não é fácil... não, não é - ele balançou sua cabeça - eu não estou pedindo para ser o que deveríamos ter sido.. uma linda família.. um irmão caloroso e dócil.. não, eu ainda sindo pontadas de gelo em minha mente me mandando fazer coisas horríveis
Eu o observava, mas sem dirigir nenuma palavra
- Eu.. cram cram ... não vou me manter por muito tempo, então uma hora ou outra eu vou ter que me entregar a polícia, e... você sabe..
Eu não respondi
- Eu queria que me ouvisse apenas por um minuto, e talvez impedir de você se tornar a criatura horrível que eu tive sido... eu estou admitindo que me arrependo de te levar a porta da escuridão, Camila.. 
Minha situação final, era olhos marejados e braços cruzados, enquanto ele se dirigia a porta de saída, pegando uma maçã da mesa, de costume. Então ele pegou na maçaneta
- E estou avisando a você.. que quando você entra por a porta... 
Ele a abriu, e olhou para mim por final
- Ela se tranca - falou e fechou atrás de si, me deixando estatuada na sala, sem absolutamente ninguém
 


Notas Finais


Goodbye <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...