História Confissões Adolescentes - Capítulo 33


Escrita por: ~

Postado
Categorias Turma da Mônica Jovem
Personagens Carmem, Cascão, Cascuda, Cebola, Denise, Do Contra, Magali, Mônica, Titi, Xaveco
Tags Adolescentes, Cebonica, Colégio, Docônica
Exibições 147
Palavras 981
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi, oi gente <3
Tudo bem?
Capitulo novinho e uma coisinha: vocês me pediram para contar o segredo... Parte dele está por aí ><

Capítulo 33 - Venenosas


Fanfic / Fanfiction Confissões Adolescentes - Capítulo 33 - Venenosas

Amanda não era uma pessoa ruim, mas desde que chegou ao bairro do Limoeiro ficou totalmente fissurada em Cebola. Já havia ficado com outros, claro, mas jamais desistira dele. Dessa vez ela teria sua oportunidade! Mônica nem bem havia começado a fazer parte da turma e já queria sua vaga agora que o ex-troca-letras estava querendo se desfazer de Camila. 

O que Amanda não sabia era que Cebola estava desistindo de Camila justamente por causa da morena recém chegada. De qualquer forma, ela já estava preparada para tirar quem fosse da sua frente, quem quer que seja que se colocasse entre ela e seu objetivo, infelizmente, teria que estar preparado, pois ela não estava de brincadeira.

Aquela noite, Cebola acabou tendo que estudar para uma prova importante que teria no dia seguinte, portanto, avisou que não encontraria a turma no lugar de sempre. Ainda assim, todos se reuniram, até Cascuda, que passara muito tempo afastada estava ali. 

O fato da ex namorada de Cascão começar a se enturmar novamente, deixava Magali tanto feliz, quanto com o pé atrás; não que o garoto desse alguma abertura, mas a moça sempre que podia mandava umas indiretas ou fazia brincadeiras que faziam todos sentirem-se sem graça. 

– Então, como é que o mais novo casalzinho está indo? – Cascuda perguntou cheia de malícia, já que sabia que Magali ainda se sentia um pouco culpada por ela. 

– Muito bem, obrigado. – Cascão respondeu abraçando Magali e se afastando antes que a ex começasse a destilar mais veneno. 

Mas Cascuda estava numa noite totalmente inspirada, não queria deixar barato e tinha necessidade de incomodar. 

– O Cascão já começou a encher seu saco pra assistir aqueles filmes do Capitão Pitoco, Magali? – Perguntou aparentando uma conversa normal. 

– Nós já assistimos a um. – A moça respondeu achando que aquela era uma pergunta inocente. 

– Então fica atenta, porque, querida, isso é só desculpa pra te ter na cama dele mais facilmente. – Riu uma risada amarela e carregada de veneno. – Pelo menos era isso que fazia comigo sempre quando estávamos juntos. 

A expressão que Cascão armou na cara fez com que Xaveco acendesse um sinal de alerta, rapidamente ele tratou de tirar a atenção do amigo para aquele papo sem noção. Mônica também cutucou Denise e puxou Magali para um lado; a ruiva fez o mesmo com Cascuda e começou a dar uma bronca na garota em voz baixa. 

As conversas paralelas eram exatamente o que Amanda queria para papear com Mônica, seria perigoso fazer aquilo com Magali tão por perto, mas sabia que depois da cena que Cascuda armou, Maga estaria com a cabeça num lugar bem longe dali, pelo menos ela esperava, do contrário, aquilo só daria certo pela metade. 

– Essa Cascuda é um pouco louca, não é mesmo? – Perguntou para puxar assunto com a Mônica e a ex-comilona que trocavam palavras em voz baixa. 

– Isso não é de hoje! – A morena foi quem respondeu quando viu que a amiga não prestava mais a menor atenção no que as outras falavam, apenas olhava do Cascão para Cascuda com uma expressão assassina no olhar. 

– É chato esse lance de ter ex na mesma rodinha de amigos, sempre rola uma treta. – Amanda continuou. – Ainda mais quando o caso aconteceu durante muito tempo, tipo os dois... Foi desde a infância, né? 

– Parece que sim. Mas não sei muito bem porque acabou. – Mônica soltou sem deixar de olhar para Maga, que parecia estar perdida em algum lugar, pelo visto ficara bem incomodada com o comentário que Cascuda fizera. 

– A Maga nem pisca! Mas consigo entender ela, sabe? Os caras sempre querem... Hum... "Chegar lá" – Fez aspas com os dedos. – na nossa idade. Provavelmente ela tá insegura porque não tá preparada... E saber, em primeira mão, que ele já ficou desse jeito com alguém não deve ser nada fácil. 

– Você acha que a Cascuda tá falando a verdade? – Mônica perguntou meio desconfiada. – Tipo, que eles já...? Bem, você sabe! – Ruborizou só de pensar em dizer algo daquele tipo, a menina tinha dezessete anos, mas nem cogitava em estar com um rapaz dessa maneira ainda. 

– Não acho que ela tenha mentido. Você já viu a idade dos meninos da nossa turma? Todos bem mais velhos! Vou te dar um exemplo: O Cebola não tá mais nem tão afim assim da Camila, mesmo assim não larga o osso! É óbvio que isso é porque ele sabe que quando tiver com vontade, ela vai estar ali pra satisfazer as vontades dele, dar tudo o que ele quer; e isso não é qualquer garotinha que vai poder fazer, né amiga? – Jogou no ar e observou Mônica passar de vermelha para branca como papel, objetivo alcançado. 

Mônica não era experiente, não era mais velha, e, com certeza, não poderia e nem queria dar “tudo o que ele quisesse". Certamente isso a deixaria no fim da fila para o Cebola! As meninas já haviam observado há algum tempo que o namoro do garoto não vinha dando certo, apenas agora que Mônica descobrira o porquê dele não ter terminado ainda. 

Fazia tempo que não falava com Magali ou Denise ou qualquer pessoa sobre aquilo, mas era hora de conversar com as amigas antes que ficasse louca. Amanda, obviamente, não era a pessoa mais indicada para desabafar.

– Talvez você tenha razão... – Mônica disse em voz baixa. 

– Talvez? Amor, eu tenho certeza do que falo. Pode confiar. Cebola precisa de uma pessoa mais madura, mais confiante, até mais do que a própria Camila! Além disso, ele tem coisas no passado que o aterrorizam até hoje, não é qualquer um que sabe lidar. 

– Passado? Do que cê tá falando? – Mônica perguntou curiosa. 

– Achei que ele tivesse contado, afinal, vocês estão tão próximos… – Ela fez uma pausa antes de contar o que deixara para o final, deveria ser bem impactante. – Enfim, é algo meio pesado, então se prepara, tá? – Mônica balançou a cabeça afirmativamente. – O Cebola matou alguém. 

 


Notas Finais


Acho que conseguiram ler parte do segredo... Mas tem uma dica: sem conclusões precipitadas! A Amanda não é exemplo de sinceridade, então cuidado com as interpretações.
Até quinta, amo vocês <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...