História Conflicting heart - Malec - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias As Peças Infernais, Shadowhunters
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Clary Fairchild (Clary Fray), Isabelle Lightwood, Jace Herondale (Jace Wayland), James "Jem" Carstairs, Magnus Bane, Personagens Originais, Tessa Gray, Will Herondale
Tags Alec, Clace, Magnus, Malec, Sizzy
Visualizações 110
Palavras 901
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Crossover, Famí­lia, Festa, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá amores, aqui estou eu um pouco cedo eu sei, mas a continuação desse capitulo será postada mais tarde.
Percebi que sou péssima narrando jogo então me perdoem.
Nikmati ♡

Capítulo 11 - O jogo parte 2 e uma visita surpresa.


O primeiro tempo já tinha acabado o placar estava em 1x0 para o time da casa. Agora as lideres de torcida estavam no campo, animando a galera, dando um intervalo para os jogadores.

Enquanto isso Alec estava com muita raiva da tal mulher que torcia pra Magnus, podia perguntar a Simon quem era, mas não iria fazer isso.

O segundo tempo começou e tudo ia bem, até que um jogador do time adversário bateu muito forte em Magnus fazendo-o ir ao chão, todos na arquibancada estremeceram, Alec ficou com cara de preocupação e pensou em ir até o campo, mas não podia.

- Ei mano, você ta bem? – Jace perguntou quando chegou perto do moreno que assentiu.

Um paramédico foi até Magnus e disse que estava tudo bem, logo depois o juiz decretou pênalti e o capitão se prontificou a bater.

Nesse meio tempo o celular da tal mulher tocou e ela saiu apressada da arquibancada.

Antes de bater o pênalti, Magnus olhou em direção aos amigos e entristeceu-se ao perceber que a mulher não estava mais ali. Rapidamente olhou pra Alec e o mesmo o olhava admirado, sorriu e então bateu fazendo mais um lindo gol.

Todos os jogadores correram e jogaram-se em cima dele em comemoração.

*----*

O juiz apitou era fim do jogo 2x0 para o time da casa que por acaso chama-se Dallas. Os jogadores vibraram e logo perceberam as pessoas que estavam na arquibancada entrarem no campo e irem em direção a eles.

Magnus viu sua mãe e seus irmãos correrem até ele.

- Parabéns meu amor. – Sua mãe dizia. – Estou tão orgulhosa.

- Obrigado, mãe! – Foi então que percebeu a família de Alec ali perto e viu quando Izzy jogou-se em cima de si e o abraçou.

- Parabéns capitão. – Disse alto. – E futuro cunhado. – Dessa vez falou mais baixo apenas para que ele escutasse e o mesmo deu um sorriso confuso.

- Obrigado querida! Você também arrasou. – Ela sorriu. Os abraços continuaram até que chegou a vez de um moreno de olhos azuis.

- Jogou muito bem Magnus.

- Obrigado Alexander! – Então o puxou para um abraço.

Nunca tinham se abraçado e se perguntavam ‘’porque?’’ Era só um simples abraço, foi o mais próximo que já chegaram um do outro, um simples abraço que de alguma forma significava algo a mais. Por um momento esqueceram - se que estavam rodeados de gente até ouvirem alguém falar.

- Magnus! – Então eles se separaram e o moreno virou-se para o lado que a voz vinha e deu um sorriso, correndo até onde a mulher estava, abraçando-a logo em seguida.

- Eu senti sua falta, Naty.

- Eu também senti a sua, querido.

- Quando você chegou?

- Hoje, passei na mansão e deixei minhas coisas, depois vim correndo pra cá.

- Estou tão feliz que está aqui, vem quero te apresentar meus amigos.

Maryse e Jocelyn começaram a conversar sobre como estavam felizes pelos filhos quem nem reparam o que estava acontecendo ali.

Alec ficou olhando aquela cena com a cara mais fechada que conseguiu, não gostou nenhum pouco de ver Magnus abraçado com aquela mulher, então simplesmente virou-se e fez menção de sair, mas ouviu a voz do moreno aproximando-se.

- Ligtwood’s’ quero que conheçam uma pessoa muito importante pra mim, essa é Natalie Bane, minha prima, quase uma irmã, Naty esses são Izzy, Jace e Alexander. – Ela os cumprimentou e sorriu.

- É um prazer conhecer todos vocês pessoalmente, já ouvi muito falar de vocês. – Ela encarou Alec que ficou levemente vermelho.

Ao ouvir as palavras ‘’Bane’’ e ‘’minha prima’’ "quase uma irmã" Alec sentiu um peso sair de suas costas e sorriu.

- Então Mags, vocês ganharam o que acham de comemoramos? – Todos assentiram e comemoraram. – Ótimo, vão trocar de roupa vamos esperar vocês aqui. – Então eles saíram e ela se voltou para a mãe do moreno que estava ali perto. – Maryse é muito bom te ver, novamente.

- Natalie não sabia que estaria aqui.

- Foi meio que de última hora, nem eu sabia que vinha. – Alec as olhava confuso.

- Desculpa, mas da onde vocês se conhecem?

- Natalie está trazendo a empresa Bane da Indonésia para NY e contratou o escritório para cuidar dos tramites. - Sua mãe respondeu da forma mais natural do mundo e as três mulheres começaram a conversar.

‘’Então quer dizer que a mulher que eu fique querendo matar o dia todo é prima de Magnus e ainda por cima tem uma empresa e que está trazendo pra NY. E se precisava de um escritório grande como o que meus pais trabalhavam a empresa devia ser muito popular.’’ Alec pensou.

Deixou seus pensamentos de lado quando viu os irmãos e Magnus voltando do vestiário ficando próximos a eles.

- Então podemos ir? – Clary perguntou.

- Ir pra onde? – Maryse e Jocelyn falaram quase juntas.

- Chamei os meninos para comemorarem o resultado do jogo, se não se importam. – Natalie respondeu calmamente. – Podem vir conosco.

- Ah não. – A Ligthwood começou. – Vou pra casa preciso descansar, podem ir, mas comportem – se.

- Não cheguem tarde em casa. – Jocelyn concluiu e eles asssentiram. Logo as mães saíram.

- Então vamos?

- Como pretende levar todos nós daqui? – Simon questionou.

- Com a van que está estacionada na frente da escola. – Falou como se fosse a coisa mais normal do mundo. Então todos foram em direção a tal van.


Notas Finais


Esclarecimento:
Já li diversas fics e sempre percebi que os autores colocam um pouco de si na história, então eu pensei em fazer o mesmo, afinal já era uma vontade minha.
Natalie Bane é um nome completamente ficcional (o nome eu inventei o sobrenome é de autoria da Cassie), porém a essência, o caráter, a lealdade e a irmandade da personagem vem de uma pessoa muito importante pra mim. (Decidi não colocar o nome verdadeiro dessa pessoa, mas quando ler ela saberá que é ela.) Nunca gostei muito do fato do Magnus não ter ninguém do próprio sangue, então coloquei essa personagem.(Eu sei que pra ser família não precisa ser de sangue, mas eu queria que Magnus tivesse alguém, - a pessoa a que Natalie foi baseada não é do meu sangue, mas eu queria que fosse-). Essa personagem vai ser bem importante na vida do nosso casal maravilhoso. Eu espero que vocês gostem dela, ela é bem maluquinha.
Sugestões, críticas, Dúvidas? É só falar.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...