História Confusões e Decisões - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Black Pink, EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lisa, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Amor, Baekhyun, Blackpink, Chanyeol, Chen, Exo, Intrigas, Kai, Kris, Kyungsoo, Lay, Lisa, Luhan, Romance, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Visualizações 19
Palavras 1.233
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Escolar, Festa, Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá povão! 😁
Então, era pra esse capítulo ter saído ontem, mas como eu tava estudando pra prova não deu tempo de postar, me desculpem. 🙏

Enfim,
Boa leitura! ❤

Capítulo 10 - Capítulo 10


Fanfic / Fanfiction Confusões e Decisões - Capítulo 10 - Capítulo 10

 

P.O.V. KRIS

 

 

 

Separamos as equipes para fazer o trabalho e S/n acabou por cair num grupo com dois meninos: Jongdae e Baekhyun. Eles riam, se entreolhavam, brigavam... Aquilo estava uma loucura. Em todo o tempo de aula, eu queria estar no meio deles, que apesar de ser o grupo mais agitado também era o mais esforçado. Eles tentavam, não eram como os outros que quando estavam com dúvida marcavam qualquer alternativa. O modo como eles olhavam pra ela e como eles se fuzilavam com o olhar era engraçado, mas tenho que admitir que fiquei com ciúmes. Ó céus, por que eu estou com ciúmes?

Quase no fim da aula, os três brigavam entre si, um tirando a folha da mão do outro, mas depois Baekhyun me entregou o trabalho correndo e saindo da briga, tenho que admitir, foi engraçado. Logo quando ele voltou, os três começaram a se “bater” mas depois começaram a rir, se eu fiquei com raiva? Fiquei. Ah, eu não acredito...

Saí da sala e parti para a próxima e última aula.

 

(...)

Na saída vi os três rindo de algo e Jongdae mexendo no cabelo dela. Baekhyun bateu na mão do outro e fez uma cara nada boa, ri baixo, estava escondido. Os dois se despediram e cada um foi para um lado, S/n virou o corredor e acabou batendo com um garoto... Minseok?

 

O livro que ela segurava caiu, e quando foi se agachar para pegá-lo, ele fez o mesmo e acabou colocando a mão em cima da dela.

 

 

P.O.V. S/N

 

 

 

— O-oh, m-me desculpe. — disse se levantando enquanto coçava a nuca envergonhado.

 

— Não foi nada, eu que devo pedir desculpas. — me levantei e sorri. Ficamos um bom tempo nos encarando e sorrindo até que ouvimos um alto barulho de alguma coisa caindo, me despertei de meu transe. — A-ah, eu já vou indo. Tchau Xiumin! — sorri e me virei.

 

— Espera! — ele segurou meu braço antes de eu dar o primeiro passo.

 

— Posso te acompanhar até a sua casa? — falou me encarando e quando estava corando, abaixou a cabeça. — É que... preciso conversar com o Miguel. — sorriu ladino levantando a cabeça novamente.

 

— A-ah... Claro! — sorri e começamos a andar juntos, saindo da escola.

 

(...)

 

Estava abrindo a porta de casa e quando destranquei a mesma dei de cara com Miguel sentado no sofá, como sempre. Assim que nos viu, sorriu. Quando estava colocando o pé dentro de casa, ouvi alguém me chamar.

 

— S/n! — me virei e logo me deparei com um Luhan sorridente.

 

Olhei para trás e Xiumin e Miguel me encaravam confusos. Apenas sorri amarelo e me apressei em dizer:

 

— Eu já volto, Miguel. — encarei o mesmo que mantinha o cenho franzido. — Até Xiumin. — sorri e ele mesmo sem entender nada, retribuiu e entrou no apartamento. Corri na direção de Luhan e puxei-o pelo braço para o outro corredor. — Seu doido! Você quer me matar?

 

— Quê? — franziu o cenho.

 

— Miguel vai me interrogar de novo, ah, eu mereço! — disse levantando os braços e olhando para o teto, ele riu.

 

— Calma. — sorriu sem mostrar os dentes.

 

— Calma? Você não sabe como é o Miguel! Ele vai ficar me enchendo o saco. — dava tapas em minha testa até sentir sua mão segurar a minha me fazendo parar.

 

— Calma. Você não precisa dar satisfações de nada pra ele, nós somos só amigos. Não estamos fazendo nada de errado, estamos? — dizia calmo.

 

— Não. — encarei Luhan que sorriu.

 

— Pronto. Agora vem! — sorriu e me puxou para o elevador.

 

— Quê? — perguntei enquanto ele apertava os botões da cabine.

 

— Tao comprou uns filmes, pediu pra mim vir te chamar enquanto ele arrumava as coisas. — disse sorridente.

 

— O Miguel vai me mat... — ele me interrompeu colocando seu polegar em meus lábios.

 

— Shhh... Ele não vai fazer nada, eu não vou deixar. — sorriu. — Se for pra avisar ele, manda uma mensagem. — o elevador pousou. — Vamos! — segurou minha mão me guiando e logo abrindo a porta do apartamento de Tao. — Chegamos!

 

O lugar estava completamente escuro, a única coisa que iluminava o ambiente era a TV. Encima da mesa tinham refrigerantes, pipoca, lanches e muitas outras coisas.

 

— Até que enfim! — Tao disse se aproximando. — Oi S/n. — sorriu e me abraçou.

 

— Oi. — retribui o abraço e logo me soltei dele.

(...)

 

 

Estávamos assistindo o segundo filme até então e eu já havia mandado uma mensagem para Miguel falando para ele não se preocupar. Esse filme era de comédia e só faltava a gente se engasgar de tanto rir. Deitei minha cabeça no ombro de Luhan e ele se virou para me olhar por um instante, beijou o topo de minha cabeça e logo voltou a fitar a TV.

 

(...)

 

Quarto filme, era de terror. Apesar do filme, eu e Luhan estávamos rindo feito uns loucos por causa dos gritos que Tao soltava.

 

— NÃO! NÃO SUA MULA! NÃO ABRE A PORTA! — Luhan e eu nos entreolhamos. — AAAAAAAAAAH! MEU DEUS! BONECA POSSUÍDA! SAI DAÍ MEN... AAAAAAAAAAAAH! — Voltamos a rir enquanto Tao agarrava meu braço escondendo seu rosto.

 

— Calma bebexinhu. — disse zombando do mais velho.

 

— Dongsaeng, tira esse filme. — sua fala saiu abafada pelo fato se seu rosto estar escondido no meu braço.

 

— Ah não Tao! — fiz bico.

 

— Por favor! — disse manhoso.

 

— Tá bom. — me levantei e tirei do filme. — Vai buscar mais refrigerante? — fiz aegyo.

 

— Affs, odeio quando você faz essa carinha. Sempre sou obrigado a ceder. — revirou os olhos se levantando e eu ri.

 

Quando estava me agachando para me sentar novamente ao lado de Luhan, me desequilibrei e acabei por cair em cima de seu colo. Minhas mãos estavam apoiadas em seu peitoral e nos olhávamos nos olhos, intensamente.

— D-desculpa. — tentei me levantar mas ele segurou minhas mãos enquanto ainda olhava em meus olhos.

Senti uma mão sua encima da minha levando-a até seu rosto e ele beijou-a antes de colocá-la em sua bochecha. Fomos nos aproximando até que nos lábios se encostaram e demos início a uma beijo calmo e profundo até que a falta de ar se fez presente e nos separamos, devagar. Ouvímos alguns barulhos vindos da cozinha e eu desci de seu colo, ficando ao seu lado novamente.

 

— Ah, aqui está. — colocou o refrigerante encima da mesa enquanto passava as costas mão na testa secando o suor.

 

— O que foi? — falei enquanto encarava Tao.

 

— Eu bati o dedinho do pé na quina da mesa e quando me virei pra trás bati num copo de vidro que quase caiu, aí quando eu fui segurar ele, derrubei uma panela no chão. — comecei a rir.

 

— Tá ficando atrapalhado que nem eu, Tao? — arqueei a sobrancelha e ele gargalhou.

 

(...)

 

Olhei para o celular, 23:41.

 

— Meninos, eu já vou indo. — sorri e me levantei.

 

— Ah, mas já? — Tao fez bico se levantando. — Fica mais um pouco. — insistiu.

 

— Não, não. Eu preciso ir, outro dia eu volto. — dei um beijo em sua bochecha. — Tchau Tao. — sorri e me virei para o lado fazendo a mesma coisa com Luhan. — Tchau Luhan.

 

— Tchau. — disseram juntos e eu saí do apartamento.

 

Entrei no elevador apertando os botões e o mesmo subiu para o meu andar, assim que a cabine abriu, saí da mesma e fui caminhando até a porta de meu apartamento. Respirei fundo e a abri.

Miguel dormia no sofá e a TV estava ligada. Subi as escadas, entrei em meu quarto e peguei um cobertor. Desci e cobri Miguel, desliguei a TV e voltei para o meu quarto. Logo peguei no sono.

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...