História Confusões Da Juventude - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias João Guilherme Ávila, Thomaz Costa
Personagens João Guilherme Ávila, Thomaz Costa
Tags Brigas, Descobertas, João Guilherme, Romance, Thomaz Costa
Visualizações 126
Palavras 3.405
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi meus amoressss voltei, ta aqui o segundo capitulo da historia, espero que vocês gostem fiz com muito carinho, boa leitura.

Capítulo 2 - Depois Da Tempestade Vem A Calmaria


Fanfic / Fanfiction Confusões Da Juventude - Capítulo 2 - Depois Da Tempestade Vem A Calmaria

Fui até o Thomaz tirei minha camisa e amarrei em volta da cabeça dele pra tentar estancar o sangramento, parece que deu certo, agora eu precisava achar um jeito de tirar ele dali, o Thomaz e muito forte eu não conseguia carrega-lo, eu sei que ele é muito chato, que vive implicando comigo, não me deixa em paz e apesar do que ele tinha acabado de fazer comigo eu até que gosto dele, se não fosse o fato dele me detestar poderíamos ate ser amigos, não iria abandonar ele ali sozinho com risco de morrer, fui procurar em volta algo que pudesse me ajudar a tirar o Thomaz daqui, encontrei um carrinho desses que usam pra carregar entulho poderia usar ele para tira o Thomaz daqui, com alguma dificuldade consegui colocar o Thomaz no carrinho, carreguei ele até uma casa onde já havia visto algumas vezes ele entrar, provavelmente devia ser onde morava, bati a campainha e uma senhora atendeu e se espantou ao ver o Thomaz desmaiado dentro do carrinho, ela era mãe dele e se chamava Luciana, ela gritou pelo marido e os dois levaram Thomaz até o quarto dele, o colocaram na cama pra se recuperar, ligaram para o médico que lhes passou algumas indicações até que chegasse a casa deles, depois me chamaram pra conversar. 

 Luciana/Roberto: Quem e você é de onde conhece o nosso filho. 

 João: Meu nome é João Guilherme eu estudo junto com o Thomaz. 

 Luciana/Roberto: Porque nunca vimos você antes com o nosso filho e o que aconteceu com ele? 

 João: E que eu e o Thomaz só nos vemos na escola, só que hoje a professora passou um trabalho em dupla então voltamos da escola juntos pra fazermos o trabalho, só que no meio do caminho o Thomaz tropeço bateu a cabeça em uma pedra e desmaiou eu fiquei com medo de deixar ele sozinho então aproveitei que encontrei esse carrinho pra trazer ele, ah e eu trouxe ele pra cá porque eu já vi ele entrar aqui algumas vezes então imaginei que e aqui que ele mora. 

 Eles acreditaram na história que eu contei, ainda bem porquê não tinha como eu contar o que realmente aconteceu, pouco tempo depois o médico apareceu examinou o Thomaz deu alguns pontos na parte da cabeça onde tinha cortado e tinha saido sangue, passou receita com alguns remédios e disse que com mais um pouco de repouso logo ele estaria melhor, percebi que os pais dele ficaram aliviados com essa notícia e eu também fiquei muito feliz em saber que logo ele estaria bem melhor, a verdade é que eu gosto muito dele muito mais até do que eu devia, desde que eu vi o Thomaz na escola pela primeira vez eu me apaixonei por ele, senti um amor tão grande por ele que eu nem sabia explicar de onde vinha tamanho sentimento, só que o Thomaz me detestava e me perseguia tanto sem eu nem entender o porque que acabei negando o amor que sentia por ele é trocando esse sentimento por medo, mas ao ver ele no estado que estava aquele amor todo que eu sentia por ele dispertou de novo e eu apenas queria ficar ao lado dele e ver ele acordar e melhorar por completo, os pais do Thomaz me informaram que precisavam ir na farmácia comprar os remédios que o médico havia receitado para o Thomaz e me pediram pra cuidar dele enquanto iam na farmácia, aceitei na hora pois o que eu mais queria era ficar ao lado dele, logo que eles saíram aproveitei que estava sozinho com ele e segurei na mão dele, comecei a acaricia-la percebi que a mão dele estava reagindo aos meus toques então quando olhei pro rosto dele vi que ele tinha aberto os olhos, acabará de dispertar, estava com a aparência meio confusa e dolorida, sua cabeça parecia que doía um pouco, aos poucos sua feição foi melhorando e ele percebeu que eu estava segurando sua mão, fiquei todo vermelho e envergonhado com isso é acabei soltando, ele me olhava com um olhar mais confuso ainda.  

Thomaz: O que aconteceu? Onde estamos? 

 João: Você caiu, bateu a cabeça e desmaiou, aí eu dei um jeito de te trazer pra sua casa.

 Thomaz: Sério que você fez isso por mim, e como descobriu onde eu morava e conseguiu me trazer até aqui?  

João: E claro que te ajudei, apesar de você viver implicando comigo e não merecer eu jamais te deixaria desmaiado sangrando sozinho, eu já vi você entrando nesse prédio algumas vezes esqueceu que moramos no mesmo bairro, então imaginei que você morava aqui é por sorte acertei, te trouxe aqui carregado dentro de um carrinho que por acaso encontrei onde estavamos. 

 Ele ia fazer mais perguntas mas percebi que ele estava sentindo fortes dores na cabeça, então fiz sinal pra que ele se acalma- se e ficasse quieto pra poder melhorar, ele segurou minha mão e olhou pra mim me dando um lindo e belo sorriso, no qual eu pude ver aparecerem duas covinhas lindas e fofas no meio de suas bochechas, ficamos assim trocando olhares puros até que os pais dele chegaram, soltamos a mão um do outro e os pais dele correram pra abraça-lo e beija-lo ao perceber que ele havia melhorado, aproveitei que o Thomaz havia melhorado, que os pais dele havia chegado e estavam numa especie de momento de confraternização​ familiar pra me despedir e ir embora. 

Luciana/Rodrigo: Muito obrigado por ter ajudado nosso filho e ter cuidado dele, você foi um ótimo amigo pra ele. 

 João: Não precisam agradecer foi um prazer poder ajudar o Thomaz, eu gosto bastante dele, se ele precisar de alguma coisa pode me chamar que estarei a disposição. Dei um abraço no Thomaz de despedida, ele aproveitou para tentar me agradecer mas como ainda não estava se sentindo muito bem não conseguiu dizer muita, trocamos novamente olhares e então eu fui embora. 

   NO DIA SEGUINTE 

 Thomaz Costa Pov On 

Eu havia acordado me sentindo um pouco melhor depois que tomei os remédios que o medico receitou, minha cabeça já doía bem menos, ainda estava meio atordoado com tudo que tinha acontecido principalmente com o fato do João ter me ajudado como ele me ajudou, de todas as pessoas do mundo o João e a última que eu poderia imaginar que me ajudaria, precisava muito conversar com ele como não tinha número de telefone dele fui no grupo escolar para estudos que tinha sido criado no Facebook, deixei uma mensagem pedindo que ele viesse aqui em casa pra gente poder conversar pois como eu ainda estava me recuperando não poderia sair de casa, ele respondeu que ia terminar de arrumar algumas coisas que tava fazendo na casa dele e que depois que acabasse vinha conversar comigo, meus pais teriam que sair pois tinham alguns compromissos a cumprir coisa que eu achei ótimo pois queria conversar com o João em particular mesmo, logo que meus pais sairiam o João chegou ele foi até o meu quarto, logo que o avistei senti uma sensação tão boa sorri para ele é o abracei com um abraço bem apertado e caloroso, percebi que ele havia se espantado com a minha atitude mas logo depois retribuiu o meu abraço. 

 João: Como voce esta Thomaz, já está se sentindo melhor? 

 Thomaz: Já estou bem melhor sim é tudo graças a você. 

 Joao: Que isso Thomaz eu fiz apenas o que qualquer um teria feito, ajudado alguém que estivesse precisando muito de ajuda. 

 Thomaz: Voce fez mais do que isso você salvou minha, mesmo eu sempre te perturbando, dando um jeito de mecher com voce, na hora que eu mais precisei que eu estava quase morrendo você ficou do meu lado, me ajudou de todas as formas possíveis, se esforçou pra me trazer salvo pra casa, não me abandou em momento algum até aqui em casa mesmo você ficou ao meu lado até eu acordar e voce ter certeza que eu estava melhor, vc fez isso tudo por mim mesmo seu eu merecer, mesmo eu sempre sendo um babaca e me comportando péssimamente com você, nunca consegui perceber o garoto maravilhoso e incrível que você é, como um anjo capaz de ajudar até um garoto tão detestavel como eu, espero sinceramente que você possa perdoar todas as idiotices que fiz com você, se você puder me dar uma chance darei um jeito de reparar todo mal que fiz pra ti. 

Percebi pela feição do rosto dele que tinha ficado completamente confuso com o que eu tinha​ dito, antes que ele respondesse alguma coisas lhe dei outro abraço como o que havia lhe dado anteriormente, em meio ao abraço nossos olhares se cruzaram e eu acabei fazendo algo que tinha vontade a muito tempo mas não tinha coragem beijei ele, no começo ele tentou recusar mas pouco depois cedeu e logo já tínhamos aprofundado o beijo, era tão bom sentir os lábios macios do João encontrados ao meu, parecia que estava vivendo um momento mágico infelizmente o ar se fez necessário e tivemos que parar o beijo, ele me empurrou me distanciando dele ficou me olhando ao mesmo tempo com um olhar de raiva, espanto, confusão e tristeza. 

 João: Porque você fez isso, porque me beijou? 

 Thomaz: Calma João, eu te beijei porque eu gosto de você na verdade eu sempre gostei. 

 João: Que belo jeito que você tem de demonstrar que gosta de mim, sempre me maltratando, me humilhando, como se na verdade me detestasse. 

 Thomaz: Você não entende eu nunca soube demonstrar direito meus sentimentos, então acabei agindo de forma errada na hora de demonstrar os meus por você. 

 João: Sabe o que eu entendo, que esse não é o Thomaz que eu conheço que estuda comigo, que é o badboy da escola, esse Thomaz que tá falando aqui comigo e o Thomaz que está frágil por conta do acidente e quer se aproximar de mim por gratidão, mas logo que se recuperar vai voltar a ser o badboy que era vai se cansar de mim e voltar a me desprezar, você disse​ que daria um jeito de reparar o mal que já me causou, se você quiser mesmo reparar seus erros comigo basta você me deixar em paz, não me procurar mais pois você​ sempre da um jeito de me entristecer,  longe de você talvez poderei ter alguma paz. 

 Antes mesmo que eu pudesse dizer alguma coisa o João saiu correndo chorando e foi embora, fiquei completamente arrasado com o que o João havia me dito, percebi que ele ainda guardava muita mágoa das coisas que eu tinha feito com ele, precisava dar um jeito de concertar meu erro e dar um jeito de provar que o amor que sinto por ele é verdadeiro.   

      1 SEMANA DEPOIS 

     João Pov On 

 Já faz uma semana desde que o Thomaz me beijou, esse beijo mecheu muito comigo, queria muito acreditar que o Thomaz estava mesmo gostando de mim mas não podia, depois de tudo que ele já fez comigo não dava pra acreditar que o Thomaz realmente gostava de mim, eu não arriscaria me iludido com isso pra depois ele acabar me magoando e me machucando como sempre faz, passei essa semana toda tentando me manter afastado do Thomaz, o que foi fácil nos 3 primeiros dias já que ele não estava indo na escola pois ainda estava de repouso, só que a partir do quarto dia as coisas já ficaram mais complicadas pra me afastar dele, pois o Thomaz voltou pra escola e como estudamos na mesma sala ficava mais complicado ainda, ele aproveitava que ficava sentado atrás de mim pra ficar me cutucando pedindo pra gente conversar eu tentava ignorar ao máximo e as vezes quando não conseguia respondia rapidamente que era pra ele me esquecer, quando fazia isso ele parava de ficar me cutucando e me chamando, na hora do recreio eu sempre tentava ficar no lugar menos visível possível pra ele não me encontrar, quando acontecia dele me avistar e tentar se aproximar eu saia correndo para outro canto ante que ele chegasse perto, na hora da saída da escola eu sempre dava um jeito de ir embora correndo e ficava trocando de caminho pra ela não consegui me alcançar, assim usando dessas manobras eu consegui ficar essa semana afastado do Thomaz, acabo de chegar aqui na escola e ja percebo ele me olhando, vem tentar se aproximar de mim eu saio correndo, no meio da correria acabo esbarrando no segundo aluno mais temido da escola, o mome dele e Gabriel Moura depois do Thomaz ele e o aluno que o povo mais tem medo, ninguem ousava nem olhar torto pro lado dele, o pior e que ele tava tomando refrigerante​ e derramou em cima da sua camisa, ele me olhou com uma cara de ódio, me segurou pela gola da camisa e colocou o punho na direção do meu rosto ameaçando me dar um soco. 

 Gabriel Moura: Seu merdinha olha o que voce fez comigo, sujou toda minha camisa de refrigerante, vou acabar com voce. 

 João: Me desculpa, eu não queria esbarrar em voce, muito menos derrubar refrigerante na sua camisa é so que eu vinha correndo e acabou acontecendo isso, eu posso resolver me da a sua camisa que eu lavo ela, vou deixar ela limpinha. 

 Gabriel Moura: Não quero saber, agora eu vou te dar uma lição, vou quebrar cada osso do seu corpo, voce vai sair daqui arrebentado. 

 Sabia que ia levar a uma surra então fechei os olhos esperando receber o primeiro soco, mas ao invés disso senti ele me soltar e escutei gritos, abri os olhos e vi que Thomaz tinha derrubado o Gabriel no chão e tava enchendo ele de socos e chutes ate ele ficar quase desmaiado, vários outros alunos olhavam para o Thomaz espantados e sem entender por que ele fez aquilo, inclusive eu. 

 Thomaz: Quero que todos prestem bastante atenção no que vou, dizer se alguém aqui ousar tentar machucar o João de alguma forma, vai terminar como esse idiota aqui todo quebrado no chão, o João me ajudou na hora que eu mais precisei mesmo eu sempre agindo como um babaca e não merecendo, eu demorei pra admitir pra mim mesmo que eu amo ele e isso mesmo que escutaram eu amo o João, ele é super importante pra mim e quem ousar ao menos olhar com cara feia pra ele vai se ver comigo. 

 Todos ficaram espantados com o que o Thomaz tinha falado e começaram a cochichar sobre o assunto, eu estava surpreso e confuso com tudo isso, jamais pensei que ele ia me defender desse jeito muito menos que ia falar na frente de todo mundo que me ama, percebi que o diretor chegou, mandou levarem o Gabriel pra enfermaria e levou o Thomaz pra diretoria, eu preciso ir atrás dele pra gente conversar e resolver tudo isso de uma vez. 

   Thomaz Costa Pov On

Quando vi aquele idiota querendo bater no João na me segurei e parti pra cima dele acabei batendo mais do que devia deixando ele todo quebrado no chão, aproveitei que todos estavam me olhando pra deixar bem claro pra eles que não era pra ninguém mecher com o João que eu sempre estaria ali pra proteger ele, finalmente tive coragem de assumir que amo ele, percebi que o João tinha ficado bem confuso com tudo que tinha acontecido, queria conversar com ele só que antes que eu pudesse me aproximar o diretor chegou e me levou pra diretoria, preferi não contar o que tinha acontecido pois poderia de alguma forma prejudicar o João, o diretor me deu um belo de um sermão me suspendeu por 3 dias e me mandou embora pra casa, mesmo levando essa suspensão não me arrependo do que fiz, jamais deixarei alguém machucar meu João. 

   João Pov On 

Fiquei sabendo que o Thomaz nao quis contar o que tinha acontecido sobre a briga para o diretor e foi suspenso da escola, resolvi contar pro diretor o que realmente tinha acontecido ele ficou surpreso em saber que o Thomaz estava me defendendo e não entendeu porque ele não quis contar isso, o diretor rasgou a suspensão do Thomaz e me liberou do restante das aulas pra que eu pudesse ir até a casa do Thomaz conversar com ele, fui correndo pra casa do Thomaz pois estava muito ansioso pra conversar com ele, chegando em sua residência seus pais me atendem, mas não querem deixar eu entrar pra conversar com ele devido o fato de estar de castigo por conta da briga na escola, conto para eles parte do que realmente aconteceu, eles ficam aliviados em saber que o Thomaz. bateu no garoto foi pra me defender então acabam deixando eu ir conversar com ele, quando entro no quarto e o Thomaz percebi que é eu que acabei de entrar, abri um sorriso tão lindo que dá pra perceber visivelmente a felicidade dele em me ver ali. 

 João: Oi Thomaz eu vim te agradecer por ter me salvado do Gabriel, pelo jeito como me defendeu na frente de todo mundo, eu contei para o diretor o que realmente aconteceu e ele rasgou sua suspensão. 

Thomaz: Eu gosto demais de você apesar de você não acreditar, jamais deixarei alguém te machucar, obrigado por ter conversado com o diretor e ter conseguido que ele rasgasse minha suspensão, eu sei que eu não mereço que você sinta nenhum carinho por mim depois de tudo que eu já fiz com você, mas eu me arrependo muito e queria tanto que você pudesse me perdoar. 

João: Eu gosto e sempre gostei muito de voce também, eu só quero entender, se você gosta tanto de mim assim porque sempre demonstrou o contrário me tratando mal, como se na verdade me detestasse. 

 Thomaz: Vou te contar a verdade, quando eu era mais novo era como você, um garoto legal, simpatico, um pouco tímido que gostava de ajudar as pessoas e tentava sempre ser legal com todo mundo, só que infelizmente aconteceu do meu tio ser preso por assalto, os alunos da minha antiga escola descobriram isso é começaram a me maltratar, me humilhar, me bater, até coisas jogavam na minha antiga casa, então quando saí daquela escola é meus pais e eu mudamos de cidade, jurei pra mim mesmo que ninguém nunca mais ia me humilhar nem tirar vantagem sobre mim de forma alguma, entrei em aulas de luta pra aprender a me defender, comecei a aprontar todas na escola para me tornar o aluno mais temido e me sentir superior, quando você chegou pela primeira vez na escola eu já senti algum coisa diferente aqui dentro de mim quando te vi, aos poucos fui percebendo que estava me apaixonado por você, eu não conseguia aceitar isso, achava que esse sentimento me deixaria fraco e faria eu voltar a ser quem era antes, então sempre que eu podia dava um jeito de mecher com você pra ver se conseguia transformar o que eu sentia em raiva, mas nada que eu fizesse adiantava pelo contrário cada vez eu me sentia mais apaixonado por você, até que depois do acidente eu entendi que não adianta negar os meus sentimentos e que na verdade o que mais quero e ficar com você. 

Enquanto o Thomaz ia me contando tudo aquilo ele começou a ficar bem triste e chorar muito, eu não pude aguentar vê-lo daquele jeito tão frágil o abracei bem apertado e fiquei acariciando seus cabelos até que ele se acalma-se, então nossos olhares se cruzaram e nos beijamos, um beijo calmo e suave como de duas pessoas que estavão acabando de descobrir o amor, ele para de me beijar pega na minha mão e se ajoelha na minha frente. 

 Thomaz: Meu amor, anjo que entrou em minha vida, você aceitar namorar comigo 

 João: Com certeza eu aceito e o que mais quero amor na minha vida. 

Como não tinha nenhum anel na hora, o Thomaz pegou dois papéis de sonho de valsa que estavam jogados por ali enrolou em forma de anel, colocou um em meu dedo e o outro no dedo dele pra simbolizar o nosso compromisso de namoro, achei esse gesto dele tão lindo e fofo, nos beijamos mais uma vez depois ficamos ali a tarde toda namorando e nos conhecemos melhor, eu tenho certeza que ainda vão acontecer surpresas maravilhosas ao decorrer da nossa relação.


Notas Finais


Pessoal ja aviso que o terceiro e ultimo capitulo vai ter lemon, e também​ vai ser bem emocionante e surpreendente, então ate o próximo, vlw.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...