História Confusões de Adolescente - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 48
Palavras 1.741
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Saga, Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Desculpem a demora... Mais um capítulo pra vocês, espero que gostem 💛

Capítulo 15 - Pra sempre com você


Fanfic / Fanfiction Confusões de Adolescente - Capítulo 15 - Pra sempre com você

Cheguei em casa com mil pensamentos, tudo estava começando a dar errado, Alessandro tinha voltado pra estragar minha vida, eu ainda o amava muito, mas agora estava com o Justin, alguém que me fazia bem e de alguma forma acendeu algo em mim que só o Alê conseguia acender.

Chorei à tarde toda, nem desci para almoçar, só queria ficar na minha, pensando que a partir daquele momento minha vida iria virar de ponta cabeça.

O dia ia escurecendo e eu teria que sair com o Justin, tomei um banho bem demorado, parece que você sempre sai renovado depois de um bom banho, vesti um vestido e coloquei um coturno e por cima coloquei uma jaqueta, as noites de São Paulo geralmente são frias.

Eu estava me maquiando com a Creuza entrou no quarto, de novo sem bater na porta.

- Juliana, o Justin está lá em baixo te esperando – falou

- Diz que eu já tô descendo.

Fiquei mais um pouco me arrumando e desci, estava meu pai e o Justin conversando na sala, eles pareciam ser bem amigos, eu diria que meu pai gostava mais do Justin do que do Raphael, namorado da Nathália.

- Vocês já sabem as regras, 23h quero você de volta em casa, vocês têm aula amanhã e não podem dormir tarde. – falou meu pai

- Pode ser 23h30? – perguntou Justin

- Não abusa moleque, quer que eu abaixe pra 22h?

- Não senhor – A cara de medo dele foi engraçada, segurei o riso

Fomos de mãos dadas até o carro de seu motorista, ele como sempre muito romântico abriu a porta pra mim, eu me sentia uma princesa ao lado dele.

No caminho ele me fazia carinho e me encarava, ele era tão lindo e carinhoso, perguntou do meu dia, eu não queria falar que passei a tarde toda chorando

- Fiquei contando os segundos pra te ver. – falei roubando um selinho dele

- Que linda. – disse ele sorrindo

- Que brega, isso sim.

- Não fala assim, eu acho bonito quando você demonstra seus sentimentos

- Você é muito fofinho, não sei como eu não sinto nojo dessa relação. – falei rindo

- É porque você tá apaixonada por mim, mas logo logo eu quero essa pedra de gelo que você chama de coração.

- Eu diria que você já quebrou um pouco, senão eu nem estaria com você.

- Mas eu quero quebrar totalmente. – Ele não conseguiria tão fácil, não tive uma experiência muito boa quando isso aconteceu.

Enfim chegamos em um restaurante, parecia ser muito caro, de tanta elegância que tinha, chegamos na portaria e uma mulher atendeu a gente, ela não parecia ter ido com a nossa cara

- Uma mesa pra dois, por favor – falou ele

- Onde estão os seus acompanhantes? – Perguntou a mulher alta que mascava um chiclete e fuzilava a gente com os olhos

- Ela é minha acompanhante e eu sou o dela, algum problema?

- Sim, vocês não podem entrar, aqui é um restaurante muito caro e elegante, não é pra qualquer um, porque vocês não vão comer no Mc donald's? – disse a mulher, eu já tinha perdido a paciência com ela

- Olha aqui sua vadia, você sabe com quem você tá falando? O que você ganha aqui em um ano, o meu pai ganha em um dia, eu acho que nem isso, ele ganha muito mais! – falei, as pessoas começaram a olhar pra gente e cochichar.

- Deixa amor, vamos pra outro lugar – falou o Justin me puxando

- Vamos, mas escuta aqui sua vadia, eu vou voltar aqui e você vai ter que me servir, sua inútil. – falei isso saindo do restaurante.

Ficamos andando pelas ruas sem saber o que fazer, aquela mulher tinha estragando a nossa noite.

- Não foi a noite que eu planejei. –Justin estava muito cabisbaixo, senti muito dó dele.

- Não fica assim não meu amor, olha o importante é que nós dois estamos juntos, e olha tem um restaurante de comida japonesa, vamos lá. – falei tentando animar ele

- Você tem razão, o importante é que nós dois estamos juntos. – seguimos até o restaurante de comida japonesa e já estávamos esperando os nossos pedidos.

- Ju, tem algo que está me incomodando muito. – falou ele

- O que? – eu já podia até imaginar o que era

- Aquele cara que foi buscar a Mariana na escola hoje, porque você ficou tão assustada quando viu ele? – ele me encarava, olhava bem no fundo dos meus olhos

- É.... Então... – Falar a verdade ou não, eu não sabia o que fazer – Ele é só um primo da Mariana, ele vive me enchendo o saco, só isso, não gosto dele.

- Tem certeza? Porque se tiver algo que está te incomodando você me fala que eu quebro a cara dele.

- Para de bancar o herói né Justin, não precisa quebrar a cara dele, ele é só um idiota.

- Ainda bem, promete nunca mentor ou esconder nada de mim? – O olhar do Justin era tão ingênuo, as vezes eu tinha a impressão que era uma criança presa naquela corpo.

- Eu prometo. – falei, tá eu sei que foi errado mentir pra ele, mas o que eu poderia fazer? O Alê tá sempre na minha casa, sai com meu irmão, o Justin sempre ia ficar desconfiado quando eu tivesse perto dele, foi pro bem dele que eu menti.

Nossos pedidos chegaram e ficamos ali conversando, as vezes ele roubava algum bolinho meu, ele me fazia rir muito, a gente não ligava pra quem estava perto.

- Eu tenho uma surpresa pra você. – disse ele

- Não acredito que você tá fazendo isso comigo, eu odeio ficar curiosa

- Relaxa vai acabar logo a sua curiosidade. – Falou colocando a mão no bolso e tirando uma caixa de alianças. – Pra você.

- Ai meu Deus, que lindo. – Ele mesmo colocou a aliança no meu dedo, logo em seguida me deu um beijo, que tinha visto de shoyu.

No final da noite ele me levou pra casa, chegamos um pouco antes e ficamos ao beijos na porta de casa, até meu pai aparecer e estragar tudo.

Fiquei pensando em como o Justin me fazia bem, ela com ele que eu queria ficar, reparei na aliança que ele me deu, e dentro estava escrito "Pra sempre com você".

No outro dia acordei pra ir pra escola, queria muito falar com a Mariana, saber sobre o Alê.

Cheguei na escola atrasada, estava um trânsito horrível, não me deixaram subir pra sala, eu teria que entrar na segunda aula.

Fiquei no banco da secretaria esperando dar o horário da segunda aula que não chegava nunca, eu estava quase dormindo ali

- Olha só quem está aqui. – Disse uma voz feminina, abri os olhos devagar e pude ver quem era, Sol

- Ah não, só pode ser um pesadelo.

- Pra mim é um sonho, o Alê voltou pra São Paulo, tá sabendo? – falou com deboche

- Não me provoca Sol. – falei levantando e ficando de frente pra ela

- Dá pra ver que você ainda gosta dele, mas tá namorando o Justin e pelo visto tá sério viu, que aliança bonita. – disse pegando na minha mão, mas eu logo tirei aquelas mãos nojentas da minha

- Escuta aqui Sol, não fica no meu caminho e nem me irrita, seria muito triste se acontecesse alguma coisa ruim com você não é? – ela começou a rir alto

- Ai Juliana, você é muito engraçada, se for pra acontecer alguma coisa ruim, não vai ser comigo e sim com você, aguarde.

- Eu iria adorar ver você tentando fazer algo contra mim Sol. – O sinal da segunda aula tocou – agora eu tenho que ir, boa sorte no seu planinho ridículo.

Segui até minha sala, os olhos do Justin vieram até mim, ele parecia feliz por ter me visto, fui até o meu lugar é sentei, fiquei conversando com as meninas, toda hora o professor mandava a gente ficar quieta, mas eu precisava falar de como tinha sido meu jantar com o Justin

- Nossa que mulher idiota – falou Mariana

- Sim, mas eu coloquei ela no lugar dela, sai mais diva do que entrei. – a gente ria alto

- Você chegou atrasada e fica atrapalhando a aula dona Juliana, desse jeito vou pedir pra que você se retire. – falou Pedro, professor de biologia

- Desculpa professor, vou prestar atenção na aula agora. – falei fingindo estar concentrada

No intervalo as meninas e eu fomos pra nossa mesa, Justin veio logo atrás e se sentou do meu lado.

- Achei que você não viria. – disse ele me dando um selinho

- Tava um trânsito horrível, ai não me deixaram subir. – falei

- Vou comprar alguma coisa pra comer, você quer alguma coisa da cantina?

- Quero uma esfiha de carne. – ele saiu e foi comprar nosso salgado.

- Vocês são tão fofos, quero alguém assim pra mim. – falou Luiza

- Era pra você ter né, mas você estragou tudo. – Falou Mariana

- Mariana, para. – disse Luiza

- Ai gente chega. – falei

- É chega, me diz o que a gente vai fazer no final de semana. – falou Luiza, ela parecia bem animada

- Nossa, tinha até esquecido, o Alê pediu pra avisar vocês que vai fazer uma festa sábado na casa de um amigo dele, e disse pra você levar o Justin amiga.... – disse me olhando com uma cara de quem estava preocupada com a resposta.

- Me levar pra onde? – disse o Justin surgindo com o nosso salgado nas mãos.

- Pra festa do primo da Mariana. – Disse a Luiza, as vezes ela era tão burra que não se tocava das coisas, depois da Mariana chutar a canela dela, ela fechou os olhos pensando na burrada que tinha feito.

- Claro, vai ser legal, assim a gente fica mais próximo, ele me parece ser alguém legal. – falou ele

Jesus me leva, manda uma gripe, uma dor no dente, cólica, sei lá, qualquer coisa, mas não deixa eu ir nessa festa, vai ser um desastre se o Justin souber que eu já gostei dele, ele vai ficar muito decepcionado comigo.


Notas Finais


Essa festa promete hahahaha, até o próximo capítulo... 💛


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...