História Confusões de Adolescente - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 38
Palavras 2.044
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Saga, Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Espero que gostem desse capítulo... 💛

Capítulo 17 - Menina sonhadora


Fanfic / Fanfiction Confusões de Adolescente - Capítulo 17 - Menina sonhadora

Mariana:



Desde que a Juliana saiu com o Alê pra algum lugar, ficou um clima bem estranho, Justin não parecia muito feliz.

- Eles está demorando, é melhor eu ir atrás dela. – disse Justin

- Eu também vou. – Falei, mas quando íamos saindo, Juliana voltava, sua expressão mudou, tinha acontecido alguma coisa ali

- Tá tudo bem? – Perguntou Justin

- Tudo ótimo – respondeu Juliana, ela era uma boa mentirosa, os outros não percebiam que tinha algo de estranho nela, mas eu percebia, anos de convivência.

Juliana podia ser uma atriz, mudava sua expressão num segundo, sabia muito bem contar uma boa mentira, a carinha de anjo dela facilitava tudo.

Quantas vezes ela já não mentiu para os meus pais, dizendo que a gente ia para um lugar quando na verdade íamos para outro.

Quando os seus pais descobriam que ela mentiu, ela conseguia contornar toda a situação, com lágrimas nos olhos e uma mentira pensada muito antes de tudo dar errado, ela pensava em tudo.

Eu estava sentindo falta da Emilly naquela festa, não sabia muito bem como expressar meus sentimentos quando se tratava dela, era complicado.

Carlos era o meu grande amor, Emilly chegou e de alguma forma, vez eu sentir coisas por uma garota que eu nunca havia sentido, queria saber o que ela tinha que chamava tanto a minha atenção.

Eu estava dívida entre os dois, um só me enrolava desde que a gente tinha se conhecido, e a outra me fazia tão bem, me fazia rir e era muito fofa.

O Carlos era aquele menino em que faz as meninas se apaixonarem fácil sabe? Bonito, rico, estiloso, educado, legal, joga futebol, tem um corpo maravilhoso, anda de skate e várias outras coisas, eu podia passar o dia inteiro falando das qualidades dele.

Ele tinha mais qualidades que defeitos, mas sabe quando você gosta tanto de alguém que até os defeitos da pessoa parecem perfeitos?

Eu me apaixonei por ele por inteiro, mas ele não sabia retribuir toda esse sentimento que eu tinha por ele.

Reciprocidade era o que faltava, sempre escutei da minha mãe que um dia eu iria encontrar alguém que realmente me desse valor.

Mas quem nunca se apaixonou por alguém que não estava nem ai pra você que atire a primeira pedra.

Quem nunca imaginou um futuro com essa pessoa? Quem nunca se iludiu com uma curtida na foto ou um comentário? Quem nunca...

Sempre fui muito sonhadora, assisto filmes da Disney até hoje, esperando aqueles príncipes maravilhosos aparecerem e o meu final feliz chegar.

Mas nos filmes da Disney, chegam apenas príncipes, não tem um filme em que a princesa que gosta de um príncipe e tá na dúvida entre outra princesa.

Talvez eu fosse alguém que pensa alto demais? Com certeza, talvez eu fosse alguém que se ilude com facilidade? Com toda a certeza, mas eu não controlo de quem eu gosto.

Ser adolescente é algo tão complicado, tudo parece ser tão mais intenso, ou é tudo ou é nada, ou eu amo ou eu odeio.

"Adolescência é uma das melhores fase da vida", quem disse isso com certeza não passou por uma auto aceitação, conseguia conquistar a pessoa amada sem muito esforço, foi a pessoa mais popular da sua escola, deve ter tido uma vida fácil.

Talvez eu mude de opinião quando eu estiver mais velha, nunca se sabe o dia de amanhã não é mesmo?

- Mariana, você tá muito quieta, tá pensando né? Amiga, isso vai te fazer mal, para né. – Disse a Luiza rindo.

- Amiga, mas a burra do grupo é você. – respondi

- E você é aquela que sonha alto não é?

- Exatamente, a gente se completa.

- E a Juliana é quem do grupo? – Perguntou o Eduardo.

- Ué, tem a burrinha, a que sonha alto, tem que ter a pé no chão não é mesmo. – falou Luiza

- Eu não me acho tão pé no chão assim não galera. – falou Juliana

- Você com certeza é mais que a gente amiga, pode ter certeza. – Falou Luiza

O resto da noite foi tranquila, não aconteceu nada demais, só o meu primo Alê que estava muito bêbado junto com os seus amigos, mas isso já era comum.

Fui pra casa com ele de Uber, já que ele não estava em condições de dirigir, chegamos em casa e ele foi direito pro seu quarto dormir, não estava conseguindo nem ficar em pé direito.

Tomei um banho rápido e vesti meu pijama, estava bem cansada, adormeci bem rápido, sonhei com o Carlos.

No sonho ele me beijava, dizia que a gente ia ficar juntos pra sempre, no sonho nós dois estávamos numa praia deserta, a água era cristalina e tinha vários coqueiros.

Acordei com uma saudade dele, queria muito ligar pra ele e chamar ele pra sair, mas ter a sensação de que não é a minha voz que ele queria ouvir e de estar incomodando ele, era bem mais forte.

Comecei a pensar na noite passada, a Juliana podia enganar à todos, menos a mim.

Fui pra cozinha tomar o café da manhã e o Alê era o único ali, a cara dele de quem estava de ressaca era bem notável.

- Bom dia querido, a noite foi boa? – perguntei

- Foi ótima, você não tem ideia priminha. – respondeu

- Engraçado.

- Você sabe me dizer como tá a Juliana?

- O que você queria com ela ontem?

- Segredo priminha.

- Se você fez alguma coisa pra ele Alessandro, eu te mato.

- Que medo de você.

- O que você fez? A Juliana pode ter enganado todo mundo ali, mas não eu, eu vou descobrir o que você fez.

- Acho melhor você ficar na sua, não quero ter que fazer algo com você também.

Alessandro podia achar que eu tinha medo dele, mas eu não tinha, ele estava mexendo com a minha melhor amiga e aquilo não ia ficar assim.

Resolvi mandar uma mensagem pra ela, queria saber o que ele tinha feito.

Mariana diz: Amiga, o que o Alê fez com você ontem? Tô indo aí pra gente conversar melhor.

Juliana diz: Acho melhor você não vir, deixa ele pra lá, ele só me falou umas coisas ridículas como sempre, prefiro ignorar ele.

Mariana diz: Você não ta me contando tudo, ai tem coisa, confia em mim amiga, a gente já passou por tanta coisa.

Juliana diz: Mariana, esquece isso. Vou pra casa da minha tia, depois a gente se fala, tchau!

Eu tinha certeza que o Alê estava ameaçando ela, mas eu só não sabia o porquê, mas eu iria descobrir.

Resolvi mandar mensagem pra Emilly ir lá pra casa, já que eu não podia chamar quem eu realmente queria, chamei a segunda pessoa que eu queria, eu me sentia mal por deixar ela por segunda opção.

Não demorou muito pra ela chegar, nossas casas não eram tão longe uma da outra, ela veio andando mesmo.

- Oi. – falou, ela usava uma calça jeans meio rasgada, um tênis e uma blusa de moletom, os seus cachos estavam lindos como sempre.

- Entra aí, vamos assistir um filme. – falei

- Eu escolho o filme, pode ser?

- Ah não, eu escolho, por favor

- Ai tá bom vai, mas da próxima vez eu que escolho, mas me diz aí, cade os seus pais? – disse ela entrando e se sentando no sofá

- Devem ter ido pra casa do irmão do meu pai ou coisa do tipo, acordei e eles já não estavam aqui.

Resolvemos assistir Divertidamente, era o meu filme de animação favorito, eu amava muito desenhos, especialmente aquele.

A gente comia pipoca e comentava coisas durante o filme, tudo estava perfeito, até o Alê vir atrapalhar tudo.

- Nossa, nem me chamaram pra assistir filme com vocês, a gente podia ver um filme mais legal, ou não assistir o filme, o que vocês acham? – falou ele

- Para de ser nojento Alê, deixa a gente em paz. – respondi

- Qualquer coisa eu estou no meu quarto, só bater na porta que eu estou a disposição. – falou indo pro seu quarto

- Ele é sempre assim? – perguntou a Emilly rindo

- A maioria das vezes sim, não sei como a Juliana conseguiu. – falei sem pensar, fiquei torcendo pra ela não perguntou o porquê, mas não adiantou.

- Conseguiu o que?

- Deixa pra lá.

- Ah não, agora conta.

- Emilly, sério melhor não, esquece isso.

- Tudo bem, já que você não quer falar, eu entendo. – disse, ela era incrível, sempre me entendia e respeitava as minhas vontades.

O resto daquele domingo foi divertido, quando eu estava com a Emilly, o tempo passava voando, queria eternizar todos os nossos momentos juntos.

Os dias na escola pareciam ter algo de diferente, Juliana estava se afastando de mim, eu podia sentir o medo dela de eu descobrir alguma coisa que tinha acontecido na festa do Alê.

Era dia das aulas de dança, todas as meninas estavam na sala esperando a professora chegar, ela estava um pouco atrasada, foi quando a Sol entrou na sala, pude perceber um desconforto da Juliana.

- Ju amiga, eu queria falar com você um minuto, posso? – falou Sol, ela me encarou e levantou a sobrancelha, ela só podia estava envolvida com o Alê.

Eles foram pra fora da sala e começaram a conversar, me deu vontade de ser um mosquito pra ver o que elas falavam.

- O que tá acontecendo, porque a Juliana tá falando com a Sol? – perguntou Luiza.

- Eu não sei amiga, mas a gente tem que descobrir, depois eu tenho que te falar as minhas suspeitas.

- Tudo bem, quando a gente chegar em casa você me fala, aqui alguém pode ouvir.

Juliana entrou na sala com a Sol, ela parecia nervosa, todas as meninas olhavam pra ela, havia pontos de interrogação na cabeça de todos, foi quando ela quebrou o silêncio.

- Queria apresentar pra vocês a nova integrante do grupo de dança. – disse

- Vai ser um prazer meninas. – falou Sol, ela tinha um sorriso falso

- Como assim Juliana? Que brincadeira é essa? – Perguntou

- Não é brincadeira Luiza, ela vai dançar, se você tem algum problema com isso, pode sair. – falou ela, aquela não era a Juliana que eu conhecia, ai tem coisa, Luiza ficou quieta no seu canto.

A professora de dança chegou e ficou feliz por ter mais uma no grupo, os ensaios ninguém falava nada, só respondiam o que a professora falava.

O clima estava pesado, pela primeira vez eu queria que a aula de dança acabasse.

No final da aula, Juliana saiu da sala acompanhada da Sol, nem deu pra pra mim e pra Luiza, só saiu.

Eu passei na cantina pra comprar uma água quando vi o Carlos saindo do banheiro, ele devia estar no treino de futebol.

Resolvi ir falar com ele, afinal, o que eu tinha a perder não é?

- Oi Carlos, tudo bem? – perguntei

- Nossa mari, você caiu do céu, eu queria mesmo falar com você. – meu coração acelerou

- O que você queria?

- Queria te pedir desculpas por ter ficado com a Larissa, eu fui um idiota, você tá com a Emilly por acaso?

- Não... Claro que não, a Emilly é só minha amiga. – falei rapidamente

- Ainda bem, achei que vocês duas estavam juntas, fiquei pensando em te ligar ontem, mas achei que você estava me odiando

- Eu nunca odiaria você. – falei me sentindo estúpida, ele devia achar que eu estava caidinha por ele

- Eu também não odiaria você, a gente podia sair amanhã, o que você acha?

- Eu iria adorar.

- Ótimo, passo na sua casa às 20h, pode ser?

- Claro, mas pra onde a gente vai?

- Surpresa, agora eu tenho que ir, até amanhã. – ele se despediu de mim com um selinho demorado.

Agora que eu estava ferrada mesmo, estava começando a dar certo com o Carlos, enquanto tive um dia muito bom com a Emilly, eu não sabia o que fazer, tava difícil decidir o que eu queria.


Notas Finais


O que será que vai ser da Mariana? hahaha, aguardem os próximos capítulos. Obrigado por lerem e me perdoem se tiver algum erro. 💛


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...