História Confusões do futuro - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Feia Mais Bela
Personagens Aldo Domenzaín, Alicia Ferreira, Erasmo Padilla, Fernando Mendiola, Julieta Solís de Padilla, Letícia "Lety" Padilha Solís, Márcia Vilarroel, Omar Carvarral, Personagens Originais, Tomás Moura Gutiérrez
Tags Amizade, Família, Novela, Tragedia
Exibições 46
Palavras 917
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Aqui está outro capítulo 😉

Capítulo 10 - Sua amiga morreu


Fanfic / Fanfiction Confusões do futuro - Capítulo 10 - Sua amiga morreu

                FERNANDO


Avisamos a todos sobre o ocorrido, que ficaram bastante preocupados. Optamos em ligar para a polícia e todos concordaram. A polícia demorou, mas chegou. Mostramos a carta, que era nossa única prova. Kaio veio em minha direção com a carta, mais preocupado que antes.

- A polícia analisou melhor a carta... Você precisa vê-la.

Peguei aquela maldita carta que me separou da minha Lety e a olhei.

- Mudou nada.- disse desentendido.

- Olhe atrás.

Virei a carta.

"Ps.Vendi uma delas, esperem que seja a certa, a tal Letícia. Se não for vocês irão se arrepender, machucarei a única que irão conseguir obter sob minhas condições, espero a ligação e não me façam esperar."

Olhei para Kaio com olhos marejados, eu perdi a Lety! Ela foi vendida... Não a encontrarei mais, minhas esperanças se esvaiam e a culpa acabou tomando conta de mim. 

Kaio apenas me abraçou e disse "sinto muito" eu acabei chorando, chorando muito.

Depois de várias investigações eles disseram que iam ligar para a pessoa misteriosa que fez tal atrocidade.

Estava sentado, triste, muito triste. Já não sabia o que fazer. O meu celular tocou e um número desconhecido estava na tela. Sem muito ânimo atendi, esperando ser um engano.

- Alô.

- Fernando?! Graças a Deus!- dei um pulo pra frente, era a doce voz da Lety, da minha Lety.

- Lety?! 

- Sim! Sou eu! Você não sabe como é bom ouvi-lo Nando, você já chamou a polícia? 

- Sim. Por que?

- Fala pra polícia rastrear esse número, quero sair daqui logo! 

Fui correndo para o local onde estavam os policiais.

Sem explicar nada entreguei o meu celular pra eles e tudo foi resolvido, para o meu alívio. Estava aliviado, mas preocupado, afinal, quem iria querer comprar a Lety? Ainda tivemos um tempinho para conversar.

- Nando, eu te amo e estou com muito medo.

- Por que? Alguém fez algo com você?

Ela ficou calada. 

- Me responde Lety! 

- A pessoa que me sequestrou me... Estuprou.- disse ela, com um fio de voz. Fiquei com raiva e triste pela Lety. Ela foi estuprada várias vezes por aquele idiota, mostro, imbecil e agora vem outro pra acabar com ela. Estava sentindo uma dor no peito desde que soube que ela foi sequestrada, mas essa dor ficou ainda pior. Como pude deixar dois caras fazerem isso logo com o amor da minha vida? Resolvi não perguntar o nome, ela estava bastante abalada, não queria complicar as coisas. 

- Olha meu amor, não se preocupe, daqui a pouco estaremos aí e eu a pegarei e não soltarei mais, você nunca mais vai sofrer isso, irei aí ainda hoje.

- Promete?- disse com a voz embargada, aquilo partiu meu coração.

- Prometo meu amor.

- Obrigada Nando, mas vou desligar, não quero perder as chances de vocês virem sem ele desconfiar. 

- Está bem, até logo, minha Lety.

- Até, meu Nando.

Sorri e desliguei. Estava feliz por ter esperanças, estava feliz por ter a possibilidade de ter minha Lety novamente em meus braços.


                  LETY


Depois da ligação suspirei aliviada, ia ter minha vida de volta, agora era só esperar. Apaguei aquela chamada, peguei a chave, tranquei a tal prisão, coloquei a chave onde estava antes, tirei minha roupa e voltei ao lugar onde estava, como se nada tivesse acontecido.

Ghi acordou depois de um tempo, fingi estar dormindo até ele me acordar, com um beijo que não correspondi e se pudesse limparia na mesma hora. 

- Bom dia.- disse ele.

- Bom dia.- disse sem muito ânimo.

- Quero você agora. 

O olhei assustada. Ele queria aquilo de novo?! Fiquei com medo novamente.

Ele se aproximou e me beijou de forma violenta, chorava naquela hora, será que realmente merecia tudo aquilo?

Fiz a mesma coisa que ontem. Odiava ter que fazer aquilo. Ele me mandou colocar minhas roupas, finalmente. Assim o fiz. Esperava ansiosamente a chegada de Nando, que por sorte, não foi naquela maldita hora.

- Vamos nos casar.- disse ele. 

- Eu já estou casada.

- Eu já resolvi isso. 

- Como?- perguntei curiosa.

- Nós iremos nos casar e morar na França amanhã, vou daqui a pouco comprar suas roupas, nós finalmente teremos uma vida juntos- disse ele animado, ignorando a minha pergunta. 

Não o respondi, apenas tampei meus olhos, fingindo estar triste, mas por dentro ruim da cara dele, pois logo Nando ia me buscar.

E não demorou muito pra isso acontecer. Vários policiais invadiram aqui e logo deteram Guilherme e Nando apareceu, abrindo a prisão e logo depois me beijando.

- Senti sua falta.- disse ele após o beijo. 

- Também.

Guilherme riu. 

- O mocinho salvou a pátria.

Fernando o olhou com raiva. 

- Eu que fiz um favor pra vocês.

Eu e Fernando o olhamos confusos.

- Depois de saber que aquele fritador de peixe estuprou a Lety, fiquei com muita raiva, com tanta raiva que fiz um favor pra vocês. 

- O que você fez? 

- Raptei Aldo e o afoguei no mar, com um rastreador pra ter o gostinho de saber que realmente morreu na televisão.

- Mas você é igualzinho, não se faça de santo.

- Eu fiz isso por amor, não dinheiro.

- Se fosse um verdadeiro amor iria me deixar ser feliz independentemente com quem, não ter me raptado e me estuprado, isso já não é amor, é obsessão.

- Não Lety, eu te amo. 

- Não,  você não me ama. Mas vai saber o que é amor.

Tiraram ele dali e eu me senti como se não tivesse mais no que me preocupar, engano meu, pois uma frase de Guilherme me fez me preocupar e muito.

- Sua amiga morreu.- gritou ele antes de sair.

Olhei para Nando e chorei em seus braços.






Notas Finais


Espero que tenham gostado e a Lu ter morrido ainda não é a pior coisa que acontecerá, infelizmente, mas espero que realmente estejam gostando, bom... Até o próximo capítulo. E espero seu gigantário Ary e sem preguiça viu 😜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...