História Confusões do futuro - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Feia Mais Bela
Personagens Aldo Domenzaín, Alicia Ferreira, Erasmo Padilla, Fernando Mendiola, Julieta Solís de Padilla, Letícia "Lety" Padilha Solís, Márcia Vilarroel, Omar Carvarral, Personagens Originais, Tomás Moura Gutiérrez
Tags Amizade, Família, Novela, Tragedia
Exibições 48
Palavras 629
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Gnt, mais que mil desculpas. Eu devia ter postado esse capítulo a 2 dias! Desculpe! Principalmente pra vc Ary! Espero que "gostem" do capítulo, boa leitura.

Capítulo 9 - Pesadelo real


Fanfic / Fanfiction Confusões do futuro - Capítulo 9 - Pesadelo real

                        LETY


Olhava para todos os lados, com medo. Estava tudo escuro, não sabia onde a lu estava, fiquei ainda mais preocupada. 

Foi quando soube que estava em um veículo e nesse momento ele havia parado. Dois homens grandes chegaram perto de mim e sem mais nem menos, me bateram na cabeça, me fazendo desmaiar.

Quando finalmente acordei, estava algemada em algum tipo de prisão. Tudo continuava escuro, até eu ver algo se mexer. 

- O-oi, te-tem alguém aí? 

Foi quando uma luz forte veio em minha direção.

- Eu é quem faço as perguntas- disse uma voz masculina.

- T-ta. 

- Qual o seu nome?

Fiquei calada, será que devia dizer o meu nome a quem me sequestrou? 

- Anda! É pra hoje. 

- Letícia- sussurrei.

- Que? Fala mais alto!

- Letícia! 

- Letícia Padilha de Mendiola?- disse ele, com desgosto, principalmente o Mendiola.

- Sim.

- Então ela pegou a pessoa certa.- sussurrou, com um sorriso nos lábios.

- Desculpe, mas quem é você? 

- Não lembra do seu próprio amigo Lety?- ele riu. 

- Que amigo me sequestraria?! 

- O amigo que te amou.

Foi quando eu lembrei, não, ele não!

- Isso mesmo Lety! Sou eu. Guilherme Oliveira Silva.

Não podia acreditar. O Guilherme, logo o Guilherme me fez isso. Logo aquele que eu julgava o meu melhor amigo, antes de tudo. Senti meus olhos marejarem.

- Por que fez isso Ghi? 

- Por que eu te amava Lety, antes mesmo do Aldo e de tudo! Eu a amei desde quando a conheci! Mas você sempre me via apenas como amigo... 

- Você sabe que minha vida era bastante complicada. Principalmente quando você teve que ir embora, eu fiquei sozinha. Você não deu notícias Ghi, eu cheguei a pensar que estava morto! 

- Mas eu não estou Lety! E quero uma vida com você!

O olhei com pesar, mas logo depois com raiva. 

- Agora já é tarde! Eu já estou casada! 

- Eu dou um jeito naquele cara Lety! 

- Não! Eu o amo Guilherme, você chegou tarde. Além disso você me sequestrou e isso não tem perdão.

O rosto triste de Ghi foi mudado para um de raiva, fiquei com medo. Ele pegou a chave da tal prisão e destrancou. Entrou e fechou-a. Olhei assustada pra ele.

- Já que não vai ficar comigo por bem, vai ficar por mal. 

Ele começou a se aproximar. Tentava ir para trás, mas não tinha saída. Comecei a chorar.

- Não faça isso Ghi. 

- Agora é tarde. 

Ele tirou as minhas algemas, mas não pude reagir, ele era mais forte do que eu.

Ele tirou minha blusa e meu sutiã. Começou a chupar os meus seios. Segurava meus gemidos e não parava de chorar. Ele tirou minha calça e a minha calcinha. Fiquei ainda mais preocupada. Ele tirou sua roupa toda, fechava os olhos, não queria ver aquela cena, já tive muitos pesadelos como esses, que infelizmente eram reais. 

- Abra os olhos! Quero que me chupe, se não sua amiguinha que esqueci de mencionar morre. 

Não, ela não. Com muito desgosto fiz o que ele pediu. Logo ele gozou 

- Engula.

Assim o fiz. 

- Agora me masturbe, quero ficar dentro de você.

Fiz o que ele me pediu novamente. Logo ele me invadiu, sem dó nem piedade, logo gozamos. 

Eu estava bastante cansada e acabei adormecendo. Quando acordei torci para que aquilo fosse um sonho, ou melhor, pesadelo. Mas Guilherme estava ali, ao meu lado, dormindo, sem roupa, assim como eu. 

Foi quando me dei conta de que daria para sair dali. Saí cuidadosamente e coloquei minhas roupas. Peguei a chave e abri a prisão. Olhei em volta e vi que haviam muitos guardas. Não tinha como eu sair. Peguei o telefone que estava numa mesa e me certifiquei se Guilherme ainda estava dormindo. Disquei o número do Fernando, torcendo para que ele atendesse.


Notas Finais


Lembra que eu disse na sinopse que ia ter uma coisa de doer o coração? Pois é, não é isso. Tem uma coisa pior. Bom... Espero que apesar de tudo tenham gostado do capítulo 😃 farei mais um, se der. Mesmo de férias tenho muitas coisas pra fazer (por incrível que pareça) não sei se mereço seu gigantário Ary, mas ficaria feliz se você o fizesse. Bom... Até logo 😊


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...