História Conhecendo o mundo - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Amor Doce
Exibições 43
Palavras 1.059
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sadomasoquismo, Self Inserction, Spoilers, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oie <3
Tudo bem com vocês?

Mais um Cáp!

Boa leitura! ❤

Capítulo 4 - Prima?


Havia se passado uma semana e Natalie estava ficando cada vez mais triste ao saber que o novo vizinho de cabelos avermelhados estava namorando um puta - na opinião de Natalie. Lógico que Helena e John perceberam e tentaram conversa com ela porém a mesma não falava nada. Sempre dizia que estava tudo bem. 

Hoje é o dia em que Natalie irá conhecer sua prima - que é por parte de mãe - que por coincidência estuda na mesma escola que Natalie irá estudar a partir de próxima semana. Seu pai achou que sua tristeza fosse pelo motivo de não ter amigos e não poder ir para escola como uma garota normal - seu pai que faz de tudo para vê-lá feliz - então decidiu lhe por na escola Sweet Amoris junto com sua prima. 

|Natalie.on| 

Levanto da cama e vou para o banheiro. Esses últimos dias não durmo muito por causa daquele idiota! Argh! Como eu gostaria de soca-lo! Qual é o problema dele?! Eu apenas queria conhecê-lo porém já partiu para ignorância! 

Terminei de me arrumar e fui para sala de estar. 

- Bom dia, fiintro,u John que depositou um beijo em sua testa. Sorri fraco. 

- Bom dia, pai! 

- Está ansiosa para conhecer sua prima? - Perguntou sorrindo de orelha a orelha. Não vou mentir, eu não estou ansiosa. Eu queria estar dormindo. 

- Sim! - Menti e pus um sorriso falso nos lábios. 

- Que bom! Daqui a pouco ela chega. - Disse - Ah, filha, irei 'pro trabalho agora, nos vemos no jantar. - Acenou 'pra mim e assenti sorrindo. Ele sai e vou correndo 'pra cozinha procurar algo para comer. 

- Está com fome? - Perguntou Helena. 

- Sim, tem o que 'pra comer? 

- Bolo de morango com recheio de chocolate - Pegou o mesmo da geladeira e pôs em cima da bancada. 

- Parece está um delícia! - Lambi o lábio superior e o inferior logo em seguida. Quero logo saborear essa gostosura! 

- E está mesmo! Mas só vamos comer quando sua prima chegar. 

- Só um pedac- Fui interrompida.

- Não! - Disse decidida. 

Cruzei os braços e fiz bico e bufei. 

A campainha toca e Robert vai atender. 

- Sua prima já chegou Sr.Natalie! - Anunciou. Fui até a sala onde a mesma estava sentada no sofá. Ela tem cabelos ruivos, olhos azuis claros, é um pouco mais baixa que eu. 

- Oi! - A comprimento. 

- Olá! - Disse simpática. 

- Qual é o seu nome? - Pergunto.

- Íris, e o seu? 

- Natalie. 

Helena se senta conosco e conversa um pouco com Íris. Já não estava aguentando mais esperar 'pra comer aquele bolo. 

- Já que ela chegou já podemos comer, não Helena? - Digo impaciente, mas difarço com um sorriso. 

- Natalie! - Helena me repreendeu. 

- Eu 'tô com fome, caralho! - Tampei minha boca, quando percebi que falei palavrão. Ela e meu pai odeiam quando falo palavrões. Com certeza ela iria contar para John. Me olhou em reprovação. 

- Desculpa! - Desculpo-me envergonhada. 

- Tudo bem, Natalie. - Disse Íris. 

- Han... Íris você gosta de bolo de Morango com recheio de chocolate? - Perguntou Helena tentando esquecer o que acabei de dizer. 

- Sim, é o meu favorito! - Respondeu animada. 

- Vou pegar um pedaço 'pra você, com licença! - Ela Ia em direção a cozinha mas a segurei pelo braço não muito forte. 

- Ei! E eu? - Eu disse incrédula. 

- Você não ganhará nenhum pedaço já que foi impaciente e falou palavrão... De novo. - Falou séria e seguiu seu caminho. Bufei e saí correndo passando pela sala vendo Íris me olhar confusa, apenas ignorei e subi as escadas e fui em direção ao meu quarto. 

- Que droga! - Falo quando Bato a porta com força. - "Você não ganhará nenhum pedaço já que foi impaciente e falou palavrão" - Imitei a voz de Helena em tom de deboche. - Patético! - Resmungo. 

- Prima? - Ouço voz de Íris. 

- O que é? - Soou um pouco grosso. 

- Por que você saiu correndo? 

- Porque eu quis! Agora sai daqui! - Exclamei e ela saiu. Revirei os olhos. 

(...) 

Já era a noite e em nenhum momento e saí do meu quarto. Helena trouxe meu almoço e meu lanche. 

Íris foi embora - Graças à Deus. 

- Natalie vem jantar! - Gritou Le da cozinha. Desci e vi meu pai na sala de jantar com uma expressão nada boa. Tentei subir novamente para o meu quarto porém fui impedida por uma voz grossa. 

- Natalie! 

Fui até ele. 

- O que foi? - Cruzei os braços e o olhei séria. 

- Helena me disse que você foi grossa com a sua prima quando a mesma foi falar com você! - Eu já deveria esperar que aquela chata iria contar 'pra Helena. Já não gosto dessa garota! 

- Sim, e daí? - Aumentei o tom de voz. 

- E daí que não irei tolerar isso! - Falou autoritário. 

- Não gosto de falsidade. Se não me simpatizo com alguém você sabe muito bem como reajo! 

- Por que não simpatizou com ela, Natalie? 

- Porque não quis, caralho! - Gritei com ele, e o mesmo ficou furioso. 

Fudeu. 

Eu gritei com ele. Isso raramente acontece e quando acontece eu apanho. Meu pai não aparenta chegar a esse ponto de me bater, porém só me bate quando eu o desrespeito. 

- Vá 'pro seu quarto! - Apontou pras escadas e tentando se controlar. Subi correndo e me tranquei no meu quarto. 

Não quero apanhar. Nunca quero na verdade! 

Entro no banheiro e tomo banho, visto meu pijama e deito-me na cama. 

- Natalie! - John bateu na porta. - Abra a porta! 

- Não! - Não estou me ajudando em nada. 

- Abra logo essa porta! - Hesitei um pouco mas tive que abrir. - Amanhã você irá se desculpar com ela! - Ordenou e foi em direção ao seu quarto no final do corredor. Não vou mesmo! 

- Não era mais fácil ter me falado quando a porta estava fechada, assim não teria a necessidade de abrir a porta! - Me fuzilou com o olhar mas deixou passar. - E eu não vou me desculpar caralhos nenhum! - Acrescentei e bati a porta com força. 

Continua... 


Notas Finais


Desculpa pelos erros!

Beijão! 😘😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...