História Conquistar Você - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Capitão Killian "Gancho" Jones, Dr. Archie Hopper (Jiminy Cricket), Emma Swan, Henry Mills, Lacey (Belle), Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Neal Cassidy (Baelfire), Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood, Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Tinker Bell, Xerife Graham Humbert (Caçador), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Emma Swan, Evil Queen, Fanfic G!p, Homossexualidade, Jennifer Morrison, Lana Parrilla, Lesbicas, Morrilla, Once Upon A Time, Ouat, Regina Mills, Swan Queen, Swanqueen, Swen
Exibições 1.379
Palavras 2.193
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Famí­lia, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Boa leitura, e desculpa os erros ortográfico. Não tive tempo pra revisar adequadamente!!!

Capítulo 10 - Marcando Encontro Com Swan


 

Emma parou o beijo e olhou para o rosto de Mérida.

-Me desculpa, eu não queria beijar você assim de surpresa.

-Tudo bem Emma, eu gostei e, então isso foi um sim?

 

-Mérida acho que estamos indo rápidas demais, podemos tentar ir se conhecendo, sem rotular nada, apenas ir deixando as coisas acontecer.

 

-Eu acho ótimo. - Puxou a loira para mais um beijo.

 

Ficaram trocando beijos no sofá, mais Emma não ficou excitada nem nada, afinal tinha transado com a morena e estava bem relaxada, parecia que Mérida não tinha o mesmo efeito que a Mills.

 

-Emma eu já vou embora é tarde e Samuel está na casa do tio Gold, preciso ir busca-lo.

 

-Sim, não me ofereço para te levar, porque não posso dirigir. – Sorriu mostrando seu braço engessado.

 

-Pode deixar, eu pego um taxi. - Emma foi deixa-la na porta, se despediram com um beijo.

 

*Uma semana depois*

 

Swan enfim foi no hospital tirar o gesso, sentiu alivio quando se livrou dele, o ortopedista avaliou e disse que ela estava bem, que em breve estaria 100%. Saiu do consultório e foi para o local da obra, ainda não tinha encontrado a morena, estava de certa forma aliviada depois da transa que tiveram. Sempre vinha em sua cabeça a lembrança, principalmente quando ela estava na tenda, lembrava de como fodeu a morena e como ela era gostosa, pena que não poderia rolar mais aquilo de forma nenhuma. Estava com Mérida trocaram mensagem a semana toda.

 

***

 

Regina estava na prefeitura, passou a semana triste com o que aconteceu e como foi tratada mal, resolveu ir na obra no final da tarde, queria ver a loira, mesmo que não acontecesse nada. Deu o horário saiu e foi para a local, entrou na tenda sem fazer barulhos, August e Emma estavam conversando.

 

-Então Emma está dando uns pegas na ruivinha?

-Estamos nos conhecendo melhor, ela até que é legal.

 

-Vocês já transaram? - Regina ouvia tudo atentamente, queria a resposta da loira.

 

-Ainda não, mais pode ser que no sábado role alguma coisa, ela vai lá para casa, assistir filmes.

 

-Humm, acho que vai terminar é vocês fazendo o filme.  – Sorriu, Regina ouviu aquilo e ficou furiosa, resolveu se manifestar.

 

-Olá Srta. Swan, August!

-Olá prefeita. - Ajeitou sua postura.

 

-Oie. - Emma respondeu e abaixou a cabeça não queria encarar a morena com vestido preto colado, saltos e a boca com aquele batom, fez com que tivesse pensamentos impuros.

 

-Me mostre a obra August.

 

-Sim prefeita. - Regina resolveu jogar com Emma, ver se a loira queria repetir e dá um motivo para ela não transar com Mérida.

 

Saíram e August começou a mostrar o local para a morena, ficaram conversando e Emma só observava a e pensava o quanto ela era linda, e que não devia pensar essas coisas da sua inimiga.

 

Regina percebeu que era hora de provocar Emma, sabia do poder que tinha como mulher, pegou o celular e escreveu uma msg disfarçando, tinha o número da loira, afinal ela a contratou. Emma saiu de seus pensamentos quando seu celular apitou avisando uma msg.

 

— Para de olhar assim para mim, sei que gostou de me comer daquele jeito, se quiser dinovo estarei esperando você no sábado, as 21 horas na trilha, onde se encontramos aquele dia e que bom que está sem o gesso, assim pode me aperta melhor em seus braços, estarei esperando você, sem calcinha! Bjos gostosa.

 

Emma sentiu-se excita. – “Puta que pariu, essa mulher é perversa, quer me roubar a sanidade, eu odeio ela e não irei, se tiver de transar no sábado será com Mérida, não com ela nunca mais’’. Fingiu que ignorou a mensagem da morena.

 

Regina ficou mais um pouco conversando com August e foi embora, jogou com a loira e queria ver se ela ia ou se preferia ficar com a ruiva, torcia que a loira tivesse gostado de transa que tiveram, se houvesse esperança para conquistar Emma, ela ia aparecer na trilha.

 

Regina foi para casa e quando chegou, Henry não estava na sala a esperando como sempre fazia, Gertrude já havia voltado de viagem.

 

-Gert cadê, meu príncipe?

 

-Regina ele não está muito bem, está no quarto febril, dei banho nele e agora está dormindo.

 

-Eu não acredito que meu bebê está dodói. - Subiu as escadas quase correndo, entrou no quarto.

 

-Meu amor o que você tem? - Beijou a testa do garotinho, ele estava quente, dormindo, começou a chorar e andar de um lado para outro, queria levar ele no médico. Sentou e começou a acariciar os cabelos dele, observando seu. - Porque você me lembra Emma meu amor, não tem nada a ver com ela. E o que está acontecendo para você está com febre derepente. -Ficou por horas observando seu filho num sono inquieto, estava cochilando quando Henry acordou.

 

-Mamãe porque está dormindo aqui?

-Filho! - Beijou o rosto do garoto.

-Para mamãe, ta me beijando muito.

-Filho o que está sentindo, vamos no hospital falar com Dr Gabriel?

-Ah não, eles vão me furar com agulha.

 

-Não meu amor, você vai ficar bonzinho para brincar, e eu vou estar lá com você e nunca vou deixar ninguém te machucar.

 

-Então nós vamos. - Henry estava abatido. Regina arrumou ele e saiu para o hospital, chegou no local e logo foi atendida.

 

-Prefeita pode entrar e ficar à vontade. – Falou o Dr, a morena sentou com Henry em seu colo.

 

-Me conte o que o garotão ta sentindo?

-Dr ele apresenta febre, mais não está gripado.

 

O Dr examinou e passou um antitérmico, pediu pra Regina levar Henry para tomar as medicações e se apresentasse febre novamente, que ela procurasse fazer uns exames mais detalhados, afinal febre é a resposta do organismo quando algo está errado no nosso corpo. Henry foi medicado e saiu do hospital já sem febre.

 

Regina chegou em casa subiu com o garoto, já era tarde e ela nem quis jantar, estava muito preocupada, decidiu que não ia trabalha na sexta, passaria o dia em casa com seu príncipe.

 

***

 

Emma estava em casa assistindo série, não parava de pensar na mensagem da morena – “Eu não vou, Mérida estará aqui e se eu for ela pode achar que eu quero alguma coisa com ela e, isso não quero”. Ficou pensando até ver uma chamada de vídeo no Skype de sua família.

 

#

-Mães, Elsa!

-Oi meu amor. - Zel e Mary falaram juntas.

-Mana!

-Minha filha como você está? -Perguntou Zelena.

-Bem mãe, estamos tendo um bom progresso nas construções.

-Filha aquela mulher não te importunou? -Perguntou Mary.

Emma ficou sem jeito, tentou disfarça seu desconforto.

-Não mãe! -Mentiu.

-Filha você parece estar escondendo algo.

 

-Não a prefeita não está me importunando. – “Só roupando minha sanidade’’ pensou.

 

-Que bom milha filha, quando Elsa ficar de férias vamos passar pelo menos uma semana com você, aí em Storybrooke.

 

-Que bom, mães estou morrendo de saudades de estar com vocês e comer sua comida e Elsa quero jogar com você aquele novo jogo.

 

-Você vai perder, sabe que eu sou a loira inteligente.

-Eu sou a loira talentosa e inteligente, então você já era. -Sorriu.

-Veremos Emma.

#

 

Emma ficou numa conversa animada até tarde com sua família se sentia feliz, não falou de Mérida, senão ia ser questionada pelas suas mães e irmã ia bagunça. - Quando deligou subiu e foi dormir.

 

***

 

Regina acordou cedo, Henry dormiu com ela, estava preocupada com seu menino tocou nele, parecia que não teve mais febre, se animou.

 

-Mamãe!

 

-Meu amor, que tal um dia de mãe e filho fazer muitas bagunças?

 

-Ebaa, vamos jogar vídeo game, brincar na piscina e no jardim e vamos fazer panquecas voadoras.

 

-Eita meu amor, vejo que seu dragãozinho acordou com tudo hoje, vamos escovar os dentinhos e tomar banho, depois vamos fazer as panquecas. - Fizeram suas higienes matinais e Regina foi fazer o café com Henry.

 

***

 

Emma chegou cedo nas obras, August já estava no local.

-Bom-dia loira!

-Bom-dia, Gus.

 

Começaram a falar sobre as construções, orientar os funcionários, depois de tudo nos conformes foram almoçar, já era uma da tarde. Almoçaram no local mesmo.

 

-Então amanhã vai botar o brinquedinho para trabalhar, aposto que você está na seca. –“Ah se ele soubesse’’. Pensou.

 

-O que? – Se fez de desentendida.

-Mérida, acha que vai rolar?

-Não sei, estamos ficando, veremos amanhã.

-Usa camisinha Emma. -Sorriu tirando uma com a cara da amiga.

 

-Sempre. - Sorriu, lembrando que não fez isso quando transou com a morena.

 

Ficaram conversando depois voltaram aos seus afazeres.

 

Regina passou o dia em casa com Henry se divertiram bastante, a morena estava feliz de ver seu filho alegre. Já era noite, quando subiram para tomar banho.

 

-Mãe eu queria ver a Emma, ela é tão legal.

-Eu sei filho, pena que não enxerguei isso antes.

 

Flashback

 

Emma estava arrasada, não podia ir mais no banheiro, estava pensando em pedir para voltar para o Brooklyn.  Entrou em casa tomou banho e esperou sua mãe, que chegou no final da tarde.

 

- Princesa!

- Oie mãe! – Estava meia abatida.

-Filha você está sentindo alguma coisa?

 

-Não mãe, só cansada, estava pensando se por acaso nós podíamos voltar para casa, quem sabe a senhora não encontre um trabalho lá, eu posso ajudar a senhora vender doces.

 

-Filha o que está acontecendo?

- Nada mãe, só saudades dos meus colegas e de casa também.

-Tem certeza Emma?

 

-Sim mãe, mas foi só um pensamento deixa para lá. - Sentou em frete a tv e ficou assistindo.

 

Mary ficou preocupada com a garota, Emma sempre apresentava está abatida, estava indo bem no trabalho, ganhava um bom dinheiro e podia comprar roupas para Emma e os livros, e ainda dava para comprar a comida. Não podia largar tudo senão iam passar necessidades.

 

Emma estava na sala de aula, louca para ir ao banheiro fazer suas necessidades, colocou as mãos em frente a calça, era hora do intervalo só estava ela na sala. Robin passou em frente o local e viu a loira no canto, sentada meia desconfortável entrou, já sabia do ocorrido no banheiro.

 

-Ei menina! - Emma olhou assustada.

-O que quer, veio me bater?

 

-Não se quiser ir ao banheiro, no estacionamento tem um, não vai quase ninguém lá, você poderá fazer suas necessidades sossegada. - Saiu da sala e a loirinha ficou com receio de ser armação. Mais não estava aguentando resolveu ouvir o loiro, parecia que ele não era má pessoa. Pegou sua bolsa e desceu para o estacionamento, encontrou o banheiro fez xixi observou o local, era limpo. Saiu e ninguém a atacou ficou grata ao namorado de Regina que parecia ao contrário dela. Voltou para a sala e todos os alunos já estavam lá inclusive a morena.

 

-Onde estava molambenta? - Regina havia mandado alguns de seus puxa-sacos, reparar a porta do banheiro no intervalo, assim se a loira aparecesse por lá, era para ser barrada.

 

Flashback off

 

O sábado chegou Emma foi trabalhar até meio dia, depois voltou para casa e foi fazer faxina, afinal estava uma bagunça e gostava de arrumar as coisas ela mesma, desde pequena foi acostumada sem empregadas.

 

Regina chegou em casa as três da tarde, Henry estava bem e ativo, ficou feliz, estava pensado na loira e será que ela iria ao seu encontro.

 

Passou o resto da tarde brincando com seu menino, quando deu 19 horas foi tomar banho e se arruma para a loira. Poderia ter marcado num motel ou aparecer na casa dela, mais sabia que seria mais difícil, na trilha poderia dá certo, era mais afastado da cidade. Isso era louco mais Regina queria provar mais uma teoria sobre a loira, se ela fosse teria chance de conquista-la.

 

Emma havia acabado de arrumar tudo e foi tomar banho, Mérida estava para chegar, nem bem acabou seu banho e se arrumou ouviu a campainha, foi atender.

 

-Mérida, pode entrar. -Beijou o rosto da jovem.

 

-Oie Emma trouxe esse vinho é da adega do tio Gold, acho que é bom. – Sorriu.

 

-Deve ser mesmo. - Pegou o vinho da mão de Mérida e deu um selinho nela.

 

-Fique à vontade. – A ruiva sentou no sofá e Emma foi pegar duas taças, serviu o vinho e sentou ao lado dela, ligou a tv e começou a escolher o filme, entre conversas animadas. Escolheram um filme de comédia romântica, Swan fez pipoca e pediu pizza e refrigerante, estavam assistindo.

 

Quando estava na metade do filme, a loira se sentia incomodada, pensando se devia ir ou não, encontrar a morena, olhou as horas e já era 20:30, droga pensava, “será que ela vai mesmo e sem calcinha, aí que gostosa’’. Se mexeu no sofá desconfortável, Mérida virou para a loira e a puxou para um beijo, deitou por cima dela.

 

***

 

Regina se arrumou e as 20:30 horas, desceu, Henry estava assistindo desenho com Gertrude.

 

-Gert não deixa ele ficar até tarde acordado, só até as 21:30 no máximo, eu não sei que horas vou voltar. - Beijou Henry e saiu. Entrou em sua Mercedes e seguiu em direção a trilha, torcendo para que Emma fosse.

 

 


Notas Finais


O que vocês acham, a loira vai ou não???


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...