História Conquistar Você - Capítulo 58


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Capitão Killian "Gancho" Jones, Dr. Archie Hopper (Jiminy Cricket), Emma Swan, Henry Mills, Lacey (Belle), Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Neal Cassidy (Baelfire), Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood, Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Tinker Bell, Xerife Graham Humbert (Caçador), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Emma Swan, Evil Queen, Fanfic G!p, Homossexualidade, Jennifer Morrison, Khristtynna, Lana Parrilla, Lesbicas, Morrilla, Once Upon A Time, Ouat, Regina Mills, Swan Queen, Swanqueen, Swen
Visualizações 971
Palavras 2.800
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Famí­lia, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


*Obrigada pelos comentários maravilhosos do capítulo passado😘💕💓💌💋💘❤️️💕😘. Enfim os segredos de Cora serão revelados...
*Boa leitura!!💕😘📕📖📗📔

Capítulo 58 - Revelações de Cora


 

Regina entrou no escritório com a mãe e a irmã, suas mãos suando tamanha ansiedade, esperava que não fosse nada grave o que ela ia lhe contar, apesar de no fundo sentir que não seria nada bom.

 

-Sentem-se. –Cora e Anna sentaram, a morena sentou no confortável sofá de frente para as duas.

 

-Comece a me falar o que ainda esconde! -Disse direcionando seu olhar para a mãe.

 

-Filha tudo que mais quero nessa vida é recomeçar com você, e fazer parte da sua linda família, mesmo que no fundo eu nunca serei feliz, devido a maldade que cometi. -Regina se mexeu desconfortável.

 

-Cuide me falar tudo o que fez, já não aguento tantos segredos, eu nem sei quem é a senhora?!

 

-Regina realmente você não me conhece, não sou nada boa!

 

-Isso eu já sei. Agora desembuche seu segredo! -A morena estava impaciente.

 

-Anna e Regina. -Olhou para uma depois para a outra, respirou fundo e falou de uma vez. -Vocês têm uma irmã!! -As duas a olharam confusas.

 

-Irmã?!

 

-Sim Regina, ela é sua irmã gêmea. -A morena arregalou os olhos espantada.  Cora não deixou as filhas falar nada. -Apenas escutem. -A Sra Cora começou sua narrativa...

 

Flashback

1986

 

Cora e Henry estavam felizes da vida, esperando seu primeiro filho. A Sra Mills estava apenas com 4 semanas de gestação, Henry não cabia de felicidade. Chegou no seu escritório e foi para sua sala, pediu para a secretaria chamar Robert. Não demorou e o homem bateu na porta, Henry autorizou sua entrada.

 

 -Meu amigo, sente-se, tenho novidades.

 

-Nossa meu caro, você parece feliz, me diga qual é a novidade?

 

-Vou ser pai! -Gold se remoeu por dentro e ao mesmo tempo ficou animado.

 

-Meus parabéns. -Abraçou o amigo.

 

-Obrigado, estou tão feliz como nunca! -Henry ficou contando a alegria que estava sentindo e o quanto amava a esposa. Gold só ouvia chateado. Passaram bastante tempo conversando, enfim Henry foi para uma reunião. Gold saiu da empresa e foi direto para a casa 108. Tocou a campainha, Cora atendeu a porta, estava só em casa, sua governanta de folga. Quando a Sra Mills viu quem era tentou fechar a porta, já era tarde. Gold entrou e logo a imprensou contra a parede.

 

-Me solte Robert! -Pediu sentindo o aperto em seu pulso, onde Gold segurava.

 

- Não Cora, me diz que o filho que carrega é meu?

 

-Não é seu desgraçado!

-Quanto tempo de gestação?

 

-Isso não é da sua conta, a criança e do meu esposo!

 

-Não pode ser, esse filho é meu!

 

-Me solte agora!! -Sra Mills num segundo se desvencilhou dele e falou: -Eu te odeio, se fosse você o pai dessa criança já teria tirado, você abusou de mim aquela vez, mais saiba um dia vou te destruir, nem que seja a última coisa que eu faça!

*

Cora havia ido até a casa de Gold, levar umas papeladas para ele assinar, a pedido de Henry que havia viajado para um congresso na Itália, como ia num dia e voltava no outro achou melhor Cora ficar administrando os negócios.

 

Chegou na casa do amigo de seu marido, tocou a campainha, ele veio atender sorridente e a conduziu até o escritório de sua casa. Cora explicou o motivo da visita e pediu para ele assinar os papeis. Gold fez como a Sra Mills havia pedido. Assim que acabou e entregou as papeladas, a mulher levantou e seguiu para sair do escritório, só que antes de passar pela porta, foi barrada pelo homem, que logo a agarrou de forma bruta.

 

-Larga-me! -Disse assustada.

 

-Nem pensar, sabia que você é a mulher mais linda e desejável que eu já vi?

 

-Não sei disso, me largue preciso ir!

 

-Qual é Cora, que tal termos um caso, aposto que Henry com aquele jeitinho de homem romântico, não dá conta de uma mulher como você.

 

-Está enganando, Henry é perfeito em todos os sentidos, sabe perfeitamente como tratar uma mulher! -Gold se irritou ao extremo, era doido pela mulher do amigo, desde que a viu pela primeira vez no escritório. Agarrou a mulher com mais brutalidade a jogando em cima da mesa do escritório, Cora se debatia querendo gritar e tendo a boca tapada pela mão do homem, que logo levantou seu vestido e rasgou sua calcinha, com pressa abriu a calça, expondo o pênis para fora e a abusando sexualmente. Durante todo ato violento, ficava dizendo o quanto a amava, Cora apenas chorava sem forças para lutar contra a força daquele monstro. Quando Gold acabou Cora enfim pode reagir, dado a fraqueza do desgraçado. Correu para sair da casa, antes de passar pela porta da saída principal, Gold a alcançou, impedindo-a e dando o ultimato.

 

-Se contar que eu fiz isso, mato o Henry sem pensar, você é minha! -Cora chorava de ódio daquele homem imundo, nojento e todos os predicados ruins.  

 

Cora ainda era jovem e possuía certa pureza apesar de ter casado com Henry por deslumbre da riqueza que ela possuía, mais depois de viver com ele cerca de um ano, estava apaixonada, ele a conquistava a cada dia. Gold a soltou, ela saiu da casa do monstro e foi para sua, se sentindo a pior pessoa do mundo, se Robert era capaz de tamanha brutalidade, não pagaria para ver o que ele poderia fazer com Henry, viu no olhar dele pura maldade.

 

Henry voltou de viagem no dia seguinte, Cora passou uma semana se sentindo um lixo, não deixava o esposo chegar muito perto, o homem estranhou. Durante três meses foi assim, algo mudou dentro da mulher. Sr Mills preocupado fez um jantar romântico, enfim  Cora cedeu e foi para cama com marido, mais aos poucos seus sentimentos por ele estava morrendo, passou a sentir um ódio crescente dentro de si. Se tornou fria. Passou seis meses desde que foi abusada, não suportava ouvir falar de Gold. Havia descoberto a gravidez e o maldito voltou a procura-la.

 

-Seu desgraçado me solta, não existe chance, faz seis meses desde o ocorrido, um dia vou acabar com você, por enquanto não tenho poder nenhum, se eu te denunciar, sei que ficará impune, tudo as pessoas querem prova, não sei o que fez para deixar Henry tão cego. -Gold ignorou.

 

 -Eu sei que não é meu, mas bem que pode dizer para o trouxe do Henry que é, posso mata-lo aí ficaremos com seus bens, eu e você é essa criança.

 

-Nunca desgraçado, terei meu filho com ele!!!

-Matarei seu filho assim que nascer!

 

-Porquê está fazendo isso? -Chorou assustada.

 

 -Tudo do Henry é meu!

-Você é um desgraçado, invejoso.

 

-Sabe que fui eu quem mandou matar o Leroy, apenas porque ele falou demais, sabe que posso fazer isso brincando com seu marido, então acho melhor fazer tudo o que eu quiser! -Sabia que a mulher temia de verdade.

 

-Maldito!

 

Gold a soltou e saiu da casa. Cora ficou em lágrimas sentada encostada na parede.

 

Dias depois...

 

Cora foi fazer o pré-natal e o médico diagnosticou gêmeos. O problema que seu médico era pago por Gold, para da todas as informações sobre sua gestação. Assim que Cora saiu do consultório ansiosa para contar para o marido, que não pode ir na primeira consulta, devido ter tido uma viagem de emergência para Boston.

 

 Assim que Cora chegou em casa, Robert já estava em frente sua residência. Mills já saiu do carro furiosa.

 

-Desgraçado o que faz aqui?! -Para a Sra Mills era um pesadelo terrível ver Robert, parecia um demônio enviado para lhe atormentar.

 

-Já sei que espera gêmeos, um é meu. -Disse com um sorriso debochado.

 

-Não, jamais vai pôr as mãos nos meus bebês, não mesmo! -A mulher estava vermelha de raiva, pensou em pegar a arma do seu marido e acabar de uma vez por todas com aquele homem maldito, só que precisava pensar, estava carregado duas crianças.

 

-Sim, se uma não for minha, jamais terá a outra!

 

-Pelo amor de Deus me deixe em paz, como sabes que vou ter gêmeos!

 

-Paguei Dr Alfredo para me contar tudo!

 

-Maldito, abrirei o jogo com Henry, você estará acabado, quando ele souber que você abusou de mim e ainda me ameaça.

 

-Nem pense nisso, basta uma ligação e seu marido pode sofre um acidente e mesmo sem contar ele não vai acreditar em você. Sabe por quê? Bem, sei muito bem como o persuadir, faço ele acreditar que foi você quem me seduziu.

 

-Não pode fazer isso!!

 

-Eu posso tudo. Henry não merece o que tem!

 

-Por quê? Henry e um homem bom!

 

-Henry é um desgraçado que tem tudo na mão com facilidade, enquanto eu trabalho como condenado.

 

-Isso não é verdade, meu esposo já trabalhou muito para chegar onde está.

 

-Como sabe, quando casou com ele já tinha tudo!

 

-Sei a história da família dele, como pode ser assim? Meu marido te ama, o considera como melhor amigo, um irmão, te deu o melhor cargo em sua empresa.

 

-É um besta sonhador, um dia tudo que pertence a ele será meu, inclusive você!!

 

-Nunca!!

 

 -O aviso já está dado, um dos bebês e meu!

 

-Jamais vou permitir!!

 

-Ah você vai, ou então não terá nenhum, mato os dois! -Foi embora deixando Cora no chão. Ela sabia o quanto Gold era perverso, e pior por vim de família humilde tinha medo do marido a largar e preferir confiar no amigo, Gold o manipulava.

***

O tempo passou e, chegou o grande dia do parto, Henry sabia que esperava uma filha, só não sabia que eram duas. Cora o enganou, dizendo ser apenas uma, apesar de sua barriga está enorme.

 

Alfredo responsável pelo parto da morena, era o único obstetra daquele hospital. O médico impediu a entrada de Henry, a mando de Gold. Enfim depois de muito sacrifico as bebês nasceram, Cora não quis olhar para nenhuma, apenas chorava. Alfredo levou uma das bebês para Gold, que o esperava no fundo do hospital e a outra a enfermeira levou para limpar!

 

 Uma hora depois...

 

 Cora estava limpa no quarto, Henry entrou para vê-la, percebeu ela muito abatida. Apenas a abraçou e disse o quanto a amava, não demorou e uma enfermeira entrou com a bebê e entregou para mãe amamentar. A menina linda, toda perfeitinha. Henry ficou emocionado, Cora inexpressiva, estava sofrendo. O Sr Mills decidiu que a pequena se chamaria Regina, como uma Rainha.

*

Do lado de fora, Gold pegou a menininha das mãos do médico e entregou para uma mulher estranha, que a levou. Gold deu uma quantia generosa para o médico e pediu que ele o encontrasse para uma cerveja, no dia seguinte.

 

Dois dias depois...

 

Cora foi para a casa, não queria amamentar a moreninha. Estava difícil, pensava muito na outra. Tristeza era o que sentia, Henry entrou no quarto.

 

-Querida você nem sabe, aquele seu médico foi assassinado, encontraram o corpo no bosque.  -Cora gelou, sabia que aquilo era coisa de Gold para apagar rastros, sabia que sua família estava correndo sérios riscos, decidiu de uma vez não confrontar um homem extremamente perigoso.

 

Anos depois...

 

Cora se tornou fria e calculista, passou a viver viajando pelo mundo, ficando cada vez mais ruim e incentivando a pequena Regina não gostar de pobres, achava que poderiam se aproveitaram dela, lembrava de Gold que era extremamente pobre até seu marido lhe da uma oportunidade e ele se tornar uma escória, asqueroso e ambicioso. Não queria Regina besta como o pai, por isso a incentivava a ser má e pisar nas pessoas.

 

Flashback off

 

-Foi isso que aconteceu, minhas filhas, fui um monstro em ter deixado a pequenina ser tirada de mim e, não ter contando para seu pai esse maldito segredo, que me destrói até os dias atuais. O sentimento bom deu lugar a raiva. Henry era tão bonzinho, tanto que levou a pior!

 

Regina e Anna estavam perplexas, apenas choravam tentando absorver todas aquelas informações.

 

 -Eu vou acabar com Robert Gold, além dele ter levado minha irmã, abusou da senhora e roubou meu pai! -Disse Regina furiosa...

 

-Estarei com você minha filha!

 

-Ainda não lhe pedoei, pelo que fez com meu pai! -Levantou confusa, saber a essa altura do campeonato que tem uma irmã gêmea em algum lugar, era demais para absorver logo de cara.

 

-Filha não escondo mais nada! Abre a porta do seu coração e me deixa entrar novamente, sei que um dia me amou. -Cora levantou e foi se aproximando da morena.

 

-Amei, só que preciso de tempo, estou tonta com essas informações, preciso digerir tudo isso!

 

-Você tem o tempo que precisar, não sabe o quanto me arrependo das coisas ruins que fiz, deveria ter sido mais forte e não ter cedido. Sonho encontrar sua irmã e pedir perdão por não ter lutado para ficar com ela também, fico imaginando como está agora, será que conseguiu vencer na vida, o que o maldito fez com ela? É tantas coisas que me atormentam! -Disse em tom de lamentação.

 

*Vancouver Canadá*

 

Uma jovem sérvia as mesas, numa lanchonete local. Um certo ser estava de férias na cidade, entrou na lanchonete e sentou em uma mesa, quando levantou a cabeça para olhar a presença ao seu lado, deparou com a jovem garçonete, seus olhos arregalaram de espanto.

 

-Regina? Não pode ser! -Disse.

 

-Regina? -A garçonete não entendeu porque aquele rapaz a olhava daquela forma.

 

-É sim!

 

-Não sou essa tal Regina, diga o que deseja comer?

 

-Quem é você?  -Insistiu.

 

-Olha meu senhor, não estou à aqui para conversar, só sou a garçonete, diga o que deseja, tem outras pessoas para serem servidas.

 

-Por favor me traga um café com leite e um x-bacon! -A morena anotou direitinho.

 

Graham se animou, sua mãe havia lhe obrigado a tirar férias, andava brigando e apanhado no bar. A Sra Hubert estava preocupada. Graham já havia andando por algumas cidades, agora estava no Canadá e para sua enorme alegria encontrou a cópia da sua obsessão.

 

A morena se afastou para levar os pedidos dele para serem preparados.

 

Graham ficou pensando num jeito de conhecer mais daquela mulher. Decidiu que jogaria seu charme.

*

Não demorou e a garçonete voltou com os pedidos, ajeitou tudo para que ele pudesse comer, quando ia se afastar, Graham a tocou sutilmente no braço e falou:

 

-Você é linda!

-Obrigada!

-Como se chama?

 

-Não falo meu nome para estranhos.

 

-Eu sou Graham Hubert, acabei de deixar de ser estranho. -Sorriu a morena o analisou, parecia ser uma boa pessoa.

 

-Sou Lana Maria, mas só gosto de ser chamada de Maria.

 

-Maria, nome lindo, então não querendo ser invasivo, mas o que acha de almoçar comigo, mais tarde?

 

 -Olha, meu senhor, tenho que comer aqui mesmo, não tenho grana para comer fora.

 

-Eu estou convidando, eu pago!

 

-Não, obrigada. -Se afastou, Graham como última alternativa decidiu jogar uma verde.

 

-Conheço sua família! -Com certeza aquela mulher era alguma coisa de Regina, precisava se aproximar de qualquer jeito. A morena parou por segundos e não deu importância, sabiam que não tinha família, foi criada num orfanato, ninguém a adotou, saiu do local com 17 anos, desde então passou a se virar para viver. Mora com uma bebê de 10 meses, num quartinho alugado, o dinheiro que ganha como garçonete dá mal para pagar o local. Sua filha fica na casa da vizinha, que é muito solidária enquanto trabalha. O pai da bebê, não quis assumir, queria que a morena abortasse, decidiu ter e ele se mandou. Seu maior sonho era cursar uma faculdade. Maria é uma mulher forte e batalhadora e, acima de tudo honesta, nunca deixou se corromper, apesar de muitas das vezes, pessoas querer que se tornasse prostituta, nunca quis isso para sua vida.

***

Três horas, havia se passado desde que a morena entrou no escritório com a mãe e a irmã. Emma e Henry estavam com fome. A loira decidiu sair com o garoto para comprar o almoço, deixou um bilhetinho em cima da mesinha. Regina, precisava de sua amada, decidiu sair da sala, já havia ouvido o suficiente. Anna e Cora a seguiram.

 

-Meus amores, onde estão? -Chamou, procurando pela a loira e o filho. Nada, logo viu o papel em cima da mesinha. Pegou e o leu: Minha amada, sai para comprar o almoço, com nosso menino, caso tenha acabado sua conversa com a minha sogra antes de eu voltar, não se preocupe, não fugimos. Rsrs...Amo você! -Regina sorriu, sentou no sofá.

 

-Eu já vou indo filha! -Disse Cora mais alegre, afinal havia contado seus segredos, que por anos a atormentou.

 

-Tudo bem, se quiser espere para almoçar?

 

-Não filha, virei aqui outro dia e almoço com vocês.

 

-Fica Ana disse!

 

-Irei com ela, outro dia venho conversar com você, da um beijo no Henry por mim!

 

-Tudo bem! -Saíram da casa deixando Regina com seus pensamentos conturbados...


Notas Finais


*Foi isso, o segredo da dona Cora. Agora a segunda parte da brincadeira começa rsrs, nova personagem na área, aos poucos vão conhecer Maria rsrs...bjs...❤️️😘💋 Vamos lá dizer o que acharam??? Foi bem difícil escrever esse cap!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...