História Conquistar Você - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Capitão Killian "Gancho" Jones, Dr. Archie Hopper (Jiminy Cricket), Emma Swan, Henry Mills, Lacey (Belle), Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Neal Cassidy (Baelfire), Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood, Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Tinker Bell, Xerife Graham Humbert (Caçador), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Emma Swan, Jennifer Morrison, Lana Parrilla, Morrilla, Once Upon A Time, Ouat, Regina Mills, Swan Queen, Swanqueen, Swen
Exibições 258
Palavras 2.662
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Famí­lia, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Boa leitura , erros relevem

Capítulo 6 - CAP 6


August chegou em casa com sua filha e esposo, teria uma séria conversa com ele, como poderia a pessoa com quem se casou já ter maltratado dos menos favorecidos. Levou sua filha para o quarto e pediu que a babá ficasse com ela lá, desceu e Killian estava chorando sentado no sofá com as mãos no rosto.

— Precisamos conversar, poxa eu nunca pensei que você já tivesse sido esse tipo de pessoa, você não faz ideia o que aquela garota sofreu por sua causa, de Regina ou sei lá mais quem fez maldades com ela.

— Eu sinto muito August

— Sentir muito não resolve nada, afinal o mal já foi feito, eu admiro Emma, hoje ela sorrir parece que voltou a ter vontade de viver, quando a conheci ela era uma garota quebrada sem vontade de viver, se isolava das pessoas e ninguém nunca via ela na lanchonete da faculdade ficava todo tempo distante das pessoas.

— Poxa eu era um garoto inconsequente na época que maltratei Emma, eu queria apenas popularidade e eu tinha isso andando com a Regina, sabe eu já me sentia diferente dos outros caras, eu ficava com garotas mais não gostava. Se ela descobrisse que eu era diferente ela acabaria comigo como fez com Srta. Emma, então tudo que ela me pedia eu fazia, inclusive maltratar as pessoas.

—Depois do ocorrido e quase a Emma ter morrido aquilo me doeu, Ruby me contou como a garota estava, Bele havia contado a ela, eu chorei amargamente, depois que as aulas recomeçaram Regina não voltou mais pra escola, eu pude ser eu mesmo, já tinha quinze anos, mudei minha cabeça aceitei quem eu era diverdade e me tornei essa pessoa que sou hoje, eu te amo me perdoa por já ter sido uma pessoa tão ruim.

— Eu te perdoou porque sei que não é mais esse tipo de pessoa, aliás se soubesse que já tinha sido tão mau nunca tinha ficado com você. Se aproximou e beijou Killian, ficaram abraçados, as coisas entre eles estavam no seu lugar.

                             ...........................SQ.......................

 Emma estava em casa, já era noite depois do dia cheio e, de descobertas, tomou seu banho e depois de arrumada ligou pra sua mãe.

— Mãe, como está por ai, estou com saudades

Minha princesa, eu estou morrendo de saudades, e aqui está tudo tranquilo, sua irmã e sua mãe foram fazer compras e ainda não voltaram, você sabe como as duas são quando estão juntas comprando.

— Sei mãe, estou com saudades delas, diga para a mãe Zel ligar pra mim

— Sim minha filha, e me conta como está o trabalho que você vai fazer

— Mãe eu tenho algo a lhe falar sobre isso

— Me diga Emma, aconteceu alguma coisa?

— Sim, essa obra que a empresa pegou e da prefeitura daqui e, a prefeita da cidade é Regina Mills.

— Aí, minha nossa senhora, minha filha você encontrou esse monstro?

— Sim mãe, estou pensando em voltar no sábado ainda não decide é, um negócio muito bom para a empresa e, para mim também financeiramente.

— Minha filha volte pra casa, não tenha contato com essa mulher

— Mãe eu preciso pensar melhor, esse negócio não se trata só de mim e a empresa é August.

— Eu sei, mas, vou deixa você pensar só não se aproxime dessa mulher

— Eu não irei, se eu aceitar manterei tudo no profissional, evitarei contato, agora não sou mais aquela garota medrosa que deixava as pessoas me pisarem.

— Eu sei minha filha você se tornou uma mulher forte e segura de si, eu te amo tanto, qualquer coisa vou correndo para ir e acabo com Regina Mills.

— Não será preciso, vou desligar mãe e espero a ligação de mãe Zelena e de Elsa. Beijo te amo!

— Beijos meu amor.

Emma desligou e foi preparar algo pra comer

.........................................SQ..............................

Regina estava em sua cama lendo um livro, não conseguia se concentra seus pensamentos a traia e quando dava por si já estava pensando na loira. Aquele corpo, sorriso, estava sentindo uma atração fora do normal. -Acho que preciso transar, só assim deixo de pensar naquela loira na minha cama, só de imaginar o que faria com ela começo a suar. 

Regina não estava aguentando resolveu ligar pra um conhecido com quem sempre se aliviava quando estava com vontade, pegou seu telefone e ligou.

— Alo Regina o que posso lhe ser útil, nunca mais me procurou

— Oi Graham vem pra cá, preciso de você

— Sim rainha estou indo

— Não me chama assim e, te aguardo em 15 minutos

Desligou e foi verificar se Henry estava dormindo e, o garotinho estava, cobriu ele e beijou sua testa, saiu do quarto ouviu a campainha foi atender

— Que bom que não demorou

— Seu pedido é uma ordem. - Ele beijou a morena, e foram subindo para o quarto, tiraram suas roupas, e começaram o ato. Regina já não se sentia relaxada nem excitada do jeito que estava, queria a loira ali não aquele cara. Graham gozou e ela não chegou nem perto, sentou na cama frustrada.

— Eu quero que vá embora, não me leve a mal mais isso não vai mais acontecer entre a gente.

— Porque Regina foi tão ruim pra você

— Não era antes é, que agora eu não sei explicar, não quero mais só isso. Obrigada por ter vindo. 

— Tudo bem, estarei sempre a suas ordens. -Graham vestiu suas roupas e saiu, Regina foi pro banheiro estava frustrada e porque não ficou excitada com estava antes dele chegar. Ficou em baixo do chuveiro e veio a imagem da loira ela começou sentir a excitação voltar, lembrou dos braços bem malhado, a barriga da loira, e o volume no meio das pernas dela, estava louca pra ter Emma, não aguentou e começou tocar em sua vagina que instantemente estava bastante encharcada mesmo com água caindo pelo seu corpo, começou estimular seu clitóris e imaginar a loira a tocando, apertava seus seios e estimulava sua vagina colocou um dedo em sua entrada e penetrou, começou os movimentos, e colocou mais um dedo acelerou e gozou chamando pela loira. Suas pernas estavam fracas, se escorou na parede do banheiro e recuperou suas forças, tomou seu banho, se vestiu sentou na cama pra passar seus cremes. Se deitou apagou a luz e antes de dormir falou pra si mesma. -Emma Swan ainda terei você na minha cama.

Três dias depois

Era sexta feira Emma daria sua resposta no final da tarde. August estava ansioso pela resposta de Emma se ela ficaria ou se voltaria pra New York.

Emma passou o dia pensando vendo os pros e os contras, não tinha mais visto a morena nem o filho dela, isso era um bom sinal, se fosse ficar na cidade mesmo que todos se conhecessem teria que evitar esbarar com Regina, assim poderia dá certo, ela poderia executar seu trabalho em paz. Decidiu, ligou pra August ir até sua casa. Depois ligou pra suas mães e comunicou que iria ficar em Storybrooke.

Mary e Zelena estavam preocupadas com Emma na cidade que trazia tantas recordações ruins, Emma perto de Regina seria perigoso.

Zelena depois que foi para New York com Mary, voltou poucas vezes em Storybrooke pra visitar seu tio, depois que ele morreu não voltou mais, não tinha contato com Regina e nem sabia como ela estava.

—Amor você acha que Emma ficará bem, ainda tenho medo que ela tenha uma recaída e fique deprimida.

— Não se preocupe nossa filha superou seu passado, mesmo com Regina sendo a prefeita sei que Emma está equilibrada, se Regina tentar algo, Emma saberá como lidar.

—Eu espero amor, mais vou ligar pra ela todos os dias.

— Nós vamos e qualquer coisa corremos pra lá.

Fim de tarde August chegou na casa da loira.

— Emma então estou ansioso por sua resposta

— Vamos entrar e te digo o que decidi

Regina estava na prefeitura andava de um lado para o outro estava pra deixar sua secretária maluca. Regina não conseguia aguentar de ansiedade, August disse que ligaria na sexta dando a resposta e ela estava agoniada desde cedo, já nem sabia mais se era porque queria que a equipe ficasse pra fazer o trabalho ou se queria mesmo era que Emma ficasse.

— Ashley alguém já ligou

— Não Srª prefeita já é a décima vez que me pergunta isso.

— Eu sei, se alguém ligar você imediatamente me transfere a ligação

— Ok prefeita agora sente-se e relaxe, se for para ser, será.

Regina voltou para sua sala e, ficou sentada tentando se concentrar no relatório que estava fazendo.

— Bem August pensei essa semana toda e somos bons no que fazemos e, não vou deixar essa oportunidade passar, não deixarei coisas pessoais atrapalhar minha profissão que lutei tanto pra conseguir e de meus colegas. Então sim eu ficou e faço esse projeto com você.

— Oba Emma eu não acredito sabia minha amiga que tomaria a decisão certa

— É né, só espero não me arrepender, afinal não será fácil pra mim ter que encontrar aquela mulher pela cidade.

— Eu sei mais estarei sempre ao seu lado, agora preciso avisar a prefeita, ela está esperando a resposta

— Ok avise a madame

August saiu e foi em direção a prefeitura, já estava anoitecendo, chegou e foi até a secretária.

—Gostaria de falar com a prefeita, -nem terminou a frase e Regina abriu a porta da sua sala

— Entre e me diga logo o que decidiram. Sentaram e August falou.

— Vamos fazer essas obras, mais não quero você perto da Emma. -Regina abriu um sorriso.

— August eu não conheço você direito, mas quero que saiba, que eu me arrependo do mau que causei a ela, eu era uma menina mimada que tinha tudo o que queria e tive uma mãe que não ajudava em nada, em minha educação. Mais isso não vem ao caso eu cometi as maldades, todos os dias eu me arrependo e aprendi o amor ao próximo e só queria ter apenas uma oportunidade de mostrar a ela e, tentar de alguma forma reparar o mal que a causei e lutar pelo seu perdão.

— Acho difícil você conseguir alguma coisa da Swan, ela não gosta de você e acho melhor não se aproximar, Emma é meiga, carinhosa e, a melhor amiga que alguém pode ter, mais tem um gênio difícil, você não vai gostar de irrita-la.

—Tudo bem, passe aqui os dois na segunda, pra acertamos tudo

— Ok, passar bem prefeita

Regina ficou pensando, que um passo já foi dado, Emma ia ficar na cidade ela tinha que dá um jeito de se aproximar da loira.

Emma passou o dia de sábado em casa estava com vontade de sair à noite, mais optou em não chamar seu amigo, ele devia estar com a família dele. Sete horas se arrumou e foi em direção a um mercadinho ia comprar umas cerveja e salgadinhos, ficaria em casa mesmo. Chegou no mercadinho e foi pegar as cervejas, depois foi para o corredor de salgadinho estava escolhendo quando derepente sentiu umas mãozinhas em suas pernas

— Emma que legal te ver estava com saudades

— Emma arregalou os olhos e, olhou para a frente viu Regina vindo em sua direção. - Só me faltava essa pra estragar minha noite.

— Oie Henry também senti sua falta. -Não estava mentindo lembrava do garotinho

Regina se aproximou era chance que ela queria, rever Emma ainda mais num sábado à noite, não sabia o que falar optou por ser formal.

— Oie Emma tudo bem?

—Não tudo péssimo

— Eu já vou indo tchau Henry.- Saiu andando em direção ao caixa, Regina foi atrás.

— Ei espera, não foge de mim

— O que você quer

— Quero saber se já está melhor do braço e agradecer por aceitar ficar pra fazer as obras.

— Só isso, então passar mal rainha.

Emma foi embora Regina ficou parada olhando a loira sumir de sua visão

—Mamãe, mãe, porque Emma já foi? -O garotinho estava ofegante, - Ela não gosta de mim, - fez carinha de choro

Se abaixou para ficar na altura do garoto.

— Não é de você meu anjo é de mim, mamãe não foi legal com ela

— O que a senhora fez, bateu nela?

— Não meu amor foi pior que isso, mais você é pequeno para entender, prometo que ela um dia será minha amiga eu vou conquistar sua amizade e, quem sabe seu amor.

— Oba então faça isso logo ela é muito legal e divertida, sabe brincar comigo tem um fusca maneiro. -Regina sorriu, a loira já tinha conquistado seu filho, como ela foi burra de ter agido mal com Emma no tempo da escola.

Emma chegou em casa com raiva entrou e bateu a porta, parece uma coisa estava tranquila es que Regina aparece para atormenta-la. Precisava manter a calma.

Regina chegou em casa levou as comprar pra dentro com Gertrude e, Henry subiu pro seu quarto. Depois de tudo arrumado Regina foi arrumar Henry pra dormir já haviam jantado antes de voltar do supermercado passaram no Granny’s.

Depois que o garotinho dormiu foi pro seu quarto precisava conversar com sua amiga, alguém em quem ela confiava.

Tink era amiga de Regina diverdade odiava o jeito como ela tratava as pessoas no passado, ficou com raiva dela por ter feito mal a Swan, depois que Regina voltou pra cidade retomaram a amizade e uma passou ser confidente da outra. Tink morava com Ruby já tinha sete anos. Ligou para a loirinha e iriam se encontra amanhã para botar o papo em dia, Regina a convidou pra passar o dia em sua casa, Ruby poderia vim, mais Tink achou melhor ser só elas duas e o pequeno Henry assim  ficariam mais à vontade.

Amanheceu e a morena já estava de pé, foi ver como seu filho estava e depois desceu para preparar o café e ficar aguardando sua amiga, que não demorou aparecer, ouviu a campainha e foi atender.

— Tink entra, se abraçaram e foram pra sala, Henry ainda não tinha acordado.

— Me conta como vão as coisas

— Ah amiga vão indo. Falou desanimada

— Eu sei porque você me chamou aqui, loira 1,66 m corpo sarado, linda

— Sim é sobre ela

— Eu sei, Ruby tá pra me deixar doida pra ir falar com ela pedir desculpas, mais eu acho melhor deixa a garota em paz. E você me conte, já se encontraram?

— Sim, e que ironia foi o nosso encontro, um carro ia bater Henry e ela se jogou na frente e salvou meu menino.

— Uau isso foi demais, tá vendo você fez tanto mal a ela e olha o que ela fez arriscou a vida pra salvar seu filho.

— Pois é, e o pior, ela me odeia e não tiro sua razão e só que...

— O que tem mais aí?

— Eu to me sentindo atraída por ela, eu desejo Emma Swan

— Você tá lascada, vá tirando esse fogo, ou chama Graham pra apagar, porque eu acho que você não terá chance.

— Eu já chamei ele mais não funcionou. Emma foge de mim como o diabo foge da cruz.

— É Regina deve ser castigo, esqueça isso

—Poxa amiga queria ouvir de você tipo lute por ela, pelo seu perdão ou coisa do tipo.

—Eu sou sua amiga Regina, mais vi todo mal que você praticava contra aquela garota. Eu sinceramente não perdoaria aquela Regina, mais você mudou tanto amiga, não sei o que pensar, acho que você tem muitos atributos pra conquistar quem você quiser, mas não sei se funcionará com a loira.

— Eu vou tentar, desde quando ela voltou que não consigo tirar ela dos meus pensamentos e o Henry gosta dela como nunca vi ele gosta tão rápido de alguém.

—Xii isso vai dá em merda, desculpa o palavreado, só que acho que isso é loucura, mais tente, só não vá sair deixando ela nua por ai.

— Eu pretendo deixa-la nua, não por ai mais sim em minha cama.

— É amiga você está lascada ao quadrado, terá uma guerra a enfrentar até conseguir com que ela ao menos deseje você.

— Ela vai ou eu não me chamo Regina Mills.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...