História Consequences - Interativa - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Rap Monster, Sehun, Suga, Suho, Tao, V, Xiumin
Tags Bangtan Boys, Bts, Exo, Fanfic Interativa, Interativa, Interativas, Kpop
Exibições 81
Palavras 1.450
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Annyeong! Como vocês estão?
Gente, eu tô muito feliz em poder estar postando com freqüência assim e se tudo der certo, essa semana ainda vai ter mais um capítulo.
Enfim, obrigada e parabéns a @naymine129 e a @Tia_Takashima pelas personagens <3
Espero que gostem delas e nos vemos nas notas finais.
Boa leitura!

Capítulo 6 - Ayakashima Seiko e Mi-cha Whang Jittatad


Fanfic / Fanfiction Consequences - Interativa - Capítulo 6 - Ayakashima Seiko e Mi-cha Whang Jittatad

É muito difícil parar mim estar sóbrio

E eu não posso fazer nada

Eu odeio estar sóbrio. — Sober;BigBang.

 

Como todos os dias Ayakashima Seiko estava do lado de fora da casa de seus tios, encostada no pequeno muro que separava sua casa da do vizinho, enquanto tragava seu cigarro. Fumar, já era uma parte de si. 

Enquanto a garota tentava evitar ao máximo voltar para a casa, viu um carro muito chique parar em frente a sua casa e estranhou, afinal, não era normal ver carros como uma limousine pelas ruas de Stuckcity. 

Seiko encarava o carro e então, viu dois homens altos, com ternos pretos e óculos escuros, também pretos, saírem do carro e caminharem em sua direção, mas ao contrário do que ela pensava, não falaram com ela, apenas passaram reto e entraram na casa, sem mais nem menos. 

— Ei! Quem vocês pensam que são para irem entrando assim na casa dos outros? — Seiko falou, jogando seu cigarro no chão e pisando em cima em seguida para ir atrás deles, que apenas ignoraram a garota.

— Cala a sua boca, garota! Ou devo dizer… Garoto? — Ri. —  São assuntos meus, não se intrometa. — Seu tio fala, aparecendo na sala com uma garrafa de uísque em sua mão direita, dando um gole.

— Quem você pensa que é para me mandar calar a boca? E ainda por cima me chamar de garoto! Seu velho imundo!

— Eu juro que não me arrependo do que fiz com você. — Alex fala, olhando para os homens, que até então estavam quietos. — Me passem o dinheiro e então podem levá-la. — Estica sua mão livre, para um dos homens que segurava a maleta.

— Dinheiro? Me levar? O que você pensa que está fazendo? — Pergunta, vendo o homem que segurava a maleta, entregar para seu tio - se é que podia chama-lo assim -. 

— Eu te vendi, baby. — Sorri de forma irônica. — Faça bom proveita dela… Ou dele, tanto faz. — Dá de ombros, bebendo mais um gole do uísque.

Seiko ficou alguns segundos processando o que acabara de ouvir e logo ficou com raiva, entretanto, sua raiva não durou muito e começou a rir, afinal, Alex a odiava e em sua cabeça, ele estava demorando muito para fazer tal coisa com a garota para trocar por bebibas.

— Espero que entre em coma alcoólico e nunca mais acorde. — Fala e depois cospe na cara dele, dando meia volta para sair da casa e entrando no carro em seguida, sendo seguida pelos dois homens, que estranharam um pouco a voluntariedade dela mas deram de ombros.

Sei-chan? Quem são eles? Aonde está indo? — Antes que a garota pudesse fechar a porta, escuta uma voz masculina conhecida e uma figura muito conhecida aparecer em seu campo de visão. 

— Shin…  — Sorriu ao ver seu melhor amigo. — Eu vou sair por alguns dias, mas assim que puder eu volto. Não se preocupe. — Fala, forçando um sorriso.

— Sair por alguns dias? Como assim? Eu ouvi discussões e fiquei preocupado. — Lee Shin responde, coçando a nuca.

— Não precisa se preocupar, foi somente aquele velho, mas agora tá tudo bem.

— Temos que ir. — Antes que o rapaz pudesse responder, a garota fecha a porta, sorrindo em seguida para ele, e assim o carro sai. 

[…]

Quando, quando o fogo está sob meus pés novamente

E as sombras começam a circular

Eles sussurram, "O tempo está acabando"

Mas ainda assim, eu me ergo

Isso não é um erro, não é um acidente

Quando você acha que o final está próximo, pense de novo

Você se surpreenderá, ainda assim vou me erguer. Rise;Katy Perry

 

Mi-cha Whang Jittatad estava na sala de sua casa assistindo um filme de terror que passava quando escutou alguém entrar, quando olhou para a porta, se deparou com dois homens altos, sérios e com ternos pretos. 

 — Quem são vocês? Omma! — Falou, assustada  pensando que era um dos homens que seu pai estava devendo dinheiro.

— Estou impressionado. Não demoraram tanto quanto pensei. — O pai da garota aparece, dirigindo sua atenção para os homens.

— Oh, eles já chegaram… — Sua mãe aparece na sala, secando as mãos em um pano de prato. Mi-cha franze o cenho, estranhando tudo aquilo.

— O que está acontecendo? — Pergunta, se levantando e alternando seu olhar entre seus pais e os homens.

— Pode me dar o dinheiro. — Chin-Hwa Whang fala, se aproximando do homem que entrega uma maleta que até então, a garota não havia reparado. — Você deverá ir com eles. — Ele continua, voltando sua atenção para a filha.

— Ir com eles? Vocês… — Incapaz de continuar a frase, respira fundo, torcendo para que aquilo fosse mentira. A única coisa que a garota queria era ter sua família de volta.

— Mi, você precisa ir com eles, tá? Você terá tudo que precisa. — Malai fala em um tom de voz calmo, tentando passar segurança para a filha.

Mi-cha estava decepcionada e com raiva, principalmente depois de seu pai ter pego a maleta. De fato, a garota não queria mais ver a cara deles, logo as pessoas que a criaram e diziam que a amavam estavam a vendendo como se fosse um objeto. 

— Vamos! — O outro homem, falou e a pegou pelo braço, saindo da casa e assim que o outro abriu a porta, a jogou lá, fechando a porta e alguns segundos depois, o carro já estava em movimento.

[…]

— Vocês duas, nem pensem em fugir ou terá consequências e não serão boas. — O homem, desconhecido para Mi-cha, mas conhecido para Seiko, falou, empurrando as duas para dentro de uma sala e depois, o barulho da porta fechando soou nos ouvidos das duas garotas.

— Hwan, chegou mais duas. — Yunny fala, acordando a mais velha, até então, que acabou cochilando com a cabeça nas pernas de Yang Mi.

— Quem são vocês? — Seiko pergunta, olhando para as garotas em sua frente. 

— Me chamo Kwon Ji Myung, essa aqui é a Hwang Yunny, essa é a Yang Mi e essa que estava dormindo... — Aponta pra Hwan Mi, que agora já estava sentada e coçando os olhos. — É a Hwan Mi. E vocês, quem são?

— Me chamo Mi-cha Whang Jittatad. — Mi fala, sorrindo simpática. 

— Ayakashima Seiko. — Responde friamente. — Que lugar é esse?

— É o que todas queremos saber. — Hwan responde, as olhando.

— Venham! Sentem-se aqui, assim nos conhecemos melhor. — Yang Mi fala, as chamando com um sorriso no rosto. Mi-cha não pensa duas vezes antes de se juntar as garotas, que aparentavam serem simpáticas, enquanto Seiko hesitou um pouco, no entanto, acabou indo também, porém, um pouco mais afastada das outras. 

— A quanto tempo estão aqui? — Mi-cha pergunta.

— Algumas horas. — Yunny responde. — Mas Hwan está aqui a mais tempo que nós, desde manhã. E infelizmente, não sabemos por quanto tempo iremos ficar e o que irá acontecer. — Suspirou e revirou os olhos, ainda sem acreditar que sua mãe a vendeu para aquilo.

— Estou com sede e com fome… — Yang murmura, agora deitando a cabeça no colo de Hwan, que passou a acariciar os cabelos da mais nova, enquanto lembranças de quando brincou com a irmã mais cedo vinham em sua mente.

— Nós já falamos para aqueles homens, mas eles nem se importaram. Idiotas! — Yunny fala, indignada.

— Vocês vão ficar aí paradas? Sem fazer nada? — Seiko pergunta, elevando seu tom de voz.

— Eu e Yunny tentamos procurar alguma saída, mas não tem. — Hwan Mi responde, a olhando.

— E vocês vão simplesmente desistir? — Pergunta, se levantando e indo em direção a porta.

— Seiko! Não faça nada. Você ouviu o que aquele homem disse, eu não quero problemas por culpa sua. — Mi-cha fala, observando a garota que a ignora e bate na porta.

— Ei! Vocês! Me tirem daqui! Agora! Essas garotas estão sem comer e beber nada! Seus babacas! — Ela grita, batendo fortemente na porta enferrujada.

— Cala a merda da sua boca! — Uma voz masculina pôde ser ouvida não só por Seiko, mas pelas outras também.

— Será que dá para você se sentar e ficar quieta? Nós realmente não queremos problemas. — Myung se pronunciou. Por mais que tenha parecido ignorante, não era essa intenção, no entanto, Seiko pareceu aceitar e apenas se sentou o que fez com que as garotas se sentissem aliviadas para apenas esperar, afinal, não tinham o que fazer.

 


Notas Finais


E então, o que acharam das duas novas personagens? E do capítulo em si?
As donas das personagens, caso tenha algo que eu interpretei errado, só me dizer, ok? Isso é bem importante para mim.
Bom, até o próximo capítulo.
Bye bye! ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...