História Consequences of a Dangerous Game - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Karin, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Suigetsu Hozuki, Temari, TenTen Mitsashi
Tags Apostas, Escolar, Naruto, Romance
Exibições 110
Palavras 1.949
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Artes Marciais, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Hentai, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Faz algum tempo que eu passei a ler fanfics. Acredito que todo mundo que tem o hábito de ler, acaba criando um interesse em criar sua própria história.Foi exatamente o que aconteceu comigo, aqui estou postando a minha primeira, de muitas fanfics que virão.
Espero que aproveitem a história. Se possível deixem suas opiniões ou sugestões.Boa Leitura!!

Capítulo 1 - Casa Delas, Casa Deles .


Fanfic / Fanfiction Consequences of a Dangerous Game - Capítulo 1 - Casa Delas, Casa Deles .

 

Sakura’s POV

 

12:30 a.m Casa Delas

 

  Manhattan é realmente uma cidade fria, principalmente durante a madrugada.

  O pior de tudo, é que cheguei nessa conclusão vivenciando essa sensação horrível, esse frio intenso, que está congelando minha pele e fazendo a ponta de meu nariz ganhar tonalidades avermelhadas.

  Imagine, estar passando em uma rua e se deparar com um ponto cor de rosa, coberto por uma casaco bege, consideravelmente enorme para sua estatura ridiculamente baixa, já que a peça em questão não me pertencia a algumas horas atrás, ou melhor, muitas  horas atrás.

  Realmente, meu pai é bem maior que eu, maior com certeza e mais quente. Como assim mais quente? Simples, ele deve estar deitado em sua enorme cama, agasalhado com edredons confortáveis e quentes, enquanto observa minha mãe ler mais um de seus incontáveis livros, até pegar no sono profundamente.

  É incrível como basta eu regressar do Japão, que lembranças deles já invadem minha cabeça. Pelo menos, são boas lembranças, cenas bonitas, ás vezes presenteadas com lágrimas, principalmente por parte de meu pai. Como por exemplo, as derramadas por ele durante mais uma de nossas despedidas momentâneas, afinal, eu sempre volto.

  Todas as vezes, sou atingida por abraços apertados e esmagadores vindos de ambas as partes, pai e mãe, quando estamos no aeroporto, na chegada e principalmente na saída. Dessa vez, não ganhei apenas afetos temporários, mas também o casaco de meu pai. Ainda tem seu cheiro, reconfortante.

 

  Reconfortante é a única palavra que vem em meu pensamento, antes de largar minha bolsa no chão e dar pulinhos de felicidade, com as chaves finalmente em minha mão. Pelo menos, esses minutos no qual estava em uma busca incessante, serviram para organizar minhas conclusões e relembrar algumas memórias, boas memórias.

 

 

...

 

  Escuro. Definição oportuna para o cômodo da casa onde estou agora. A única lembrança de luz no lugar, é a luminosidade refletida pelo celular, nada mais. Miro o pequeno foco de luminosidade na parede, tentando encontrar o interruptor para dar um ponto final nessa escuridão.

 

  Yep!! Comemoro, por ter encontrado o que estava procurando. A recém claridade possibilita que eu aprecie finalmente a imagem da sala, de minha amada e adorada casa. Podendo ver claramente agora, deixo a mala maior ao lado da porta e jogo a bolsa no sofá escuro .

  Ando alguns passos e observo no relógio sobre o criado mudo, as horas, 12:50 a.m. Tarde, realmente tarde. A única coisa que desejo é um copo de água gelada, algo doce e ficar quente, bem quente, coberta por meus lençóis quando me deitar em minha cama.

  Amanhã eu falo com elas, preciso vê-las. Preciso contar a meninas, meu plano, ou melhor, nosso plano.

  Com esse pensamento vou caminhando até a cozinha, para realizar minhas necessidades.

 

 

...

 

  Ainda é cedo, muito cedo. Abro meu olhos com certo pesar e noto que parte do que tinha planejado na madrugada, não se concretizou. Chego a essa conclusão, ao mirar meus olhos, ainda afetados pela claridade, a mesa de centro, onde vejo uma garrafa de água pela metade e uma caixa de chocolates brancos vazia.

  Volto minha cabeça para frente e sinto as dores de uma dormida no sofá. Torcicolo, simplesmente:

Odeio

Odeio

Odeio

Odeio

 

  Resolvo então me levantar com uma dificuldade notável.

  Ao me por sentada, consigo notar uma coberta fina sobre minhas coxas, a pergunta é quem me cobriu durante a noite.

  Passo alguns segundos remexendo em minha mente alguma lembrança sobre cobertas, mas nada me vem. Até que, me deparo com a reposta para minhas recentes dúvidas: Um bilhete.

  “Você realmente goste de fazer surpresas, não é mesmo, Sakura? Que bom que voltou, estávamos com saudade!! Bom, ninguém mais sabe que você está aqui, aproveite a calmaria temporária. Sabemos que quando a Ino, lhe encontrar, os seus ouvidos entrarão em êxtase com os gritos finos e escândalos dela. Sabe, você deveria ter ligado, assim poderíamos ter tem buscado, mas como a senhorita é metida a independente, até demais, provavelmente veio de táxi.

  Acho melhor encerrar esse bilhete, acorde bem, flamingo!!

  P: Vou passar na padaria e comprar suas rosquinhas preferidas.

  Beijos!!!

  Tenten”

 

  Este era o recado do pequeno papel. Essa letra garranchada e desarrumada eu reconheço de longe, TenTen, tudo está explicado. Ela gosta de acordar cedo para correr, por isso deve ter me visto com uma expressão sofrimento, por conta do frio, enquanto eu dormia esparramada nesse sofá.

 

  Agora já de pé, hora de levar minha mala pra cima, fazer minha higiene, trocar de roupa e claro, acordar elas.

 

...

 

  Espero que ela não me arranhe com aquelas unhas enormes. Ino, geralmente se torna agressiva quando está com raiva, mas ver a reação dela, ao sentir a água gelada em sua pele composta de cremes e mais cremes importados, juntamente com sua camisola de seda completamente molhada, será impagável.

  Esse é meu último pensamento, antes de me agarrar ao minha tênue coragem, abrir a porta e despejar o líquido do balde sobre minha melhor amiga.

 

  Ela parece tão meiga dormindo, pena, que apenas parece. Essa menina é simplesmente um furacão, no qual eu vou experimentar de sua fúria em instantes.

  1,2,3... Conto em minha cabeça antes de jogar a água sobre ela.

 

   A cena é impagável, simplesmente Ino dá um solavanco da cama e acaba tropeçando em seus próprios pés e cai sobre o carpete de seu quarto. Eu sei que parece maldade, mas foi tão, tão, tão engraçado. E o melhor, ela ainda não notou que sou em quem lhe molhou.

 

  -Gostou do banho, Porca...- Finalmente atraio a atenção da loira para mim, que no primeiro momento, me olha com ódio, depois muda sua expressão para confusão e por fim, temos uma carranca irritadiça.

  -Primeiro você não avisa a ninguém que chegou, nem a mim e ainda faz isso comigo. – Fala ela, com um tom de mágoa falsa e apontando para seu corpo encharcado.

  - Você sabe que não gosto de incomodar, e outra, sabe que eu adoro surpresas. Além disso, não use esse tom, quem deveria estar magoada sou eu, nem um abraço, ou um “Que saudade, Saky, como foi a viagem?”. Esperava mais de você, dona Yamanaka. Decepção.   – Falei com uma ar decepcionado falso, afinal, eu tinha que virar a história para o meu lado.

  - Não é bem assim, Sakura. VEM AQUI SAKy, ME DA UMA ABRAÇO, AGORA. Se eu estou molhada, você também vai ficar, sua cretina. – Ino começou a gritar enquanto corria em minha direção, na intenção de dividir sua umidade comigo. Sinto muito amiga, mas dispendo. Hora de correr.

 

...

 

  Maldita hora que fui medir porte físico com Ino, em uma corrida, estava claro que eu não ia ganhar. Ela treina tecnicamente todo dia, ser líder de torcida não é só aparência, aula de dança, ginástica e ensaios constantes levaram ao porte que aloira tem hoje, o que resultou em duas pessoas molhadas nessa casa, quando Ino consegui me abraçar. Mas não fomos as únicas.

Resolvemos fazer essa brincadeira com o resto das meninas, acredite, cada reação, foi uma melhor que a outra.

Vamos lista-las:

  Temari, xingou até a sua última geração e começou a jogar tudo que via pela frente em nós duas, claro que íamos desviando se não...

  Hianta, mesmo apresentando a personalidade mais calma ente nós, acabou se estressando e mandando enfiarmos o balde no rabo, e acabou nos expulsando do quarto a gritos... Grossa

  Karin, sempre mais dramática, acabou armando um belo show, com direito a gritos, xingamentos e sangue.

 

  Depois de acordar cada uma, menos TenTen claro, fomos nos arrumar, as aulas começam hoje, precisamos estar preparadas para o que está por vir, para o nosso novo jogo.

 

 

 ...

 

 

Sasuke’ s POV

 

2:47 p.m Casa Deles 

 

   Se você me perguntasse três palavras para descrever onde eu estou agora, eu diria: Álcool, sexo e barulho. Aposto, que acha que eu descrevo uma festa. Óbvio. Porque eu estou na minha festa. Estou onde eu quero, gosto e desejo estar, um lugar onde as duas coisas que eu mais gosto estão, uma começa com a e a outra com s, acho que já deve saber do que estou falando. Mas e o barulhou? Eu prefiro o silêncio, a não ser que o único barulho que preencha o lugar onde eu estou, sejam os gemidos delas. Delas? Eu não faço questão de lembrar o nome das garotas que eu fodo.

 

   -Sasuke, Sasuke,SASUKE, TEME?-Naruto me chamou, não ele gritou, o que fez eu cortar os meus devaneios e o olhar.

  -Para de gritar dobe, eu estou do seu lado? O que foi? Transou sem camisinha? Ou ta precisando disso e não quer deixar a mina da vez esperar? -Falei, vendo-o sentar ao meu lado, no sofá preto onde estou sentado.

   -Não. Eu estava passando para pegar uma cerveja e resolvi ver como estava as coisas com o maior destruidor de calcinhas da cidade, Uchiha Sasuke. –Falou o loiro idiota, com sarcasmo.

   -Ainda não destruí nenhuma, ainda. –Falei. Estou esperando uma coisa melhor aparecer, porque o tem aqui, eu já tracei, já provei e de umas eu até me arrependo. Completei em pensamento, isso soaria um pouco rude, como se eu me preocupasse, é a verdade, a minha verdade.

   -Nossa, não sei como elas caem aos seus pés, você não vale nada, cara     - Falou o Naruto. Nossa, como se eu não soubesse do meu caráter “maravilhoso”, elas que correm atrás de mim, o que não me torna menos filho da puta. Pelo menos um filho da puta consciente de seus atos.

   -Como se você não fizesse o mesmo, a diferença é que você só pega loiras. Até hoje, eu não entendo essa sua fixação por loiras. -Ele, eu e os outros estamos no mesmo barco, somos canalhas, cafajestes, mulherengos, chame como quiser. É o que somos, o que vivemos, e vivemos muito bem com esse fato, afinal não deixa de ser prazeroso.

   -Isso é coisa minha, Uchiha. –Falou o menino, todo irritadinho, ui.

    -Certo, certo. Agora, onde estão os outros, faz um tempo que não os vejo, antes mesmo de você chegar e atrapalhar a minha festa,- Eu realmente estava curioso para saber o que meus amigos estavam aprontando, ou comendo.

   -O Gaara, deve estar por algum canto escuro transando, pela quarta vez, o menino para ter fogo no rabo, Shikamaru já deve ter provado carne nova, afinal, você sabe que ele quase nunca repete, e agora já deve estar dormindo em um dos quartos, não sei como ele consegue dormir com esse barulho -Respondeu-me.

    Assenti. Só que ainda faltava dois -E Neji e o Sui? - Perguntei curioso sobre o paradeiro deles.

   -Neji deve estar em alguma competição de tequila, sabemos que ele adora essas coisas, infla o “ego pequeníssimo dele”. E o Sui, deve estar fodendo alguém na hidromassagem da suíte. Sexo Molhado. Espero que eles estejam se divertindo -Falou Naruto, respondendo o resto das minhas dúvidas.

   -Falando em diversão, isso me lembrou algo. A diversão ainda nem começou, você sabe que em poucas horas o novo ano escolar começa. Espero que elas estejam preparadas, porque eu, não, nós, estamos. -Falei, me lembrando do meu passatempo favorito.

   -Sasuke, a cada dia você me surpreende mais. Mas, elas não perdem por esperar. Acho que ainda não se esqueceram da cereja do bolo ano passado, aquilo foi realmente perverso, humilhante e engraçado.

   -Se foi, Shikamaru foi um gênio, aquela ideia foi brilhante. –Falei o que eu e ele já sabíamos.

   -Mas, vamos deixar nossas próximas jogadas para mais tarde, agora vamos aproveitar o resto da festa, afinal, você ainda tem uma calcinha para destruir hoje. –Disse Naruto, com um sorrisinho sacana no rosto, nós realmente não valemos nada.

   -Vamos. Aproveitar o que nos foi dado, e bem dado.

 

 

Continua


Notas Finais


Primeiro capítulo concluído!!
Próximo, em breve.
Até logo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...