História Consequences of a Dangerous Game - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Karin, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Suigetsu Hozuki, Temari, TenTen Mitsashi
Tags Apostas, Escolar, Naruto, Romance
Exibições 29
Palavras 4.027
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Artes Marciais, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Hentai, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Mais um capítulo da fanfic!!!
Aproveitem e deixem suas opiniões!!
Boa Leitura!!

Capítulo 8 - Lucky Strike.


Fanfic / Fanfiction Consequences of a Dangerous Game - Capítulo 8 - Lucky Strike.

Sakura’ s POV

 

 

- Então, pode me explicar quem era ela? Porque ela veio com você, já que a sua pessoa sabia que a Karin estaria aqui? Queria estapear a cara dela com a sua felicidade? Agora me diga, isso é mesmo verdade? O que suponho que acontece, aconteceu? Melinde, você traiu a Karin? Se sim. Porque? Que motivos, que justificativas, que desculpas? Como pode fazer isso? Como fazer ela se apaixonar por você, se ia trai-la com o primeiro par de pernas que visse? Eu pensei que você era diferente, eu pensei que você era a luz que a Karin precisava, você se tronou a droga dela, o vício que a mantinha viva. Porque? Me fale, explique-se. PRECISO DE RESPOSTAS AGORA – Falei, exaltada, preciso de respostas, preciso provar pra mim mesma que estou errada.

 

- Saky, eu vou contar a verdade, toda verdade. Por favor escute e não me interrompa. Tudo começou....

 

      - Quando eu conheci ela na cafeteria, desde...- Ela estava começando a responder minhas perguntas, quando o incessante som do toque de seu maldito celular, soou como um eco na sala, não acabava, caia, a pessoa ligava de novo. Temos alguém desesperado.

 

Enquanto éramos agraciados com o toque repetitivo, eu via Melinde no impasse de atender ou não o celular. A questão é: se ela atender, significa que existe coisas mais importantes que explicar as merdas que fez com a Karin, se não der atenção ao celular, vemos alguém que verdadeiramente está disposta a tentar reverter essa situação. Eu realmente esperava que ela não atendesse. Mas como um tapa na minha cara, vejo-a retirar o celular do bolso, olhar no visor, balançar a cabeça em negativo e falar:

 

- Me desculpe, me desculpe, por favor, eu realmente tenho que atender. – O toque enlouquecedor reinicia, já saindo lá fora para atender, eu a paro e digo:

 

- Eu não sei quem te liga, mas eu descobri suas prioridades. Você não me deve mais explicações, eu só peço que tenha um pouco de vergonha na cara e resolva essa história com a Karin. Eu quero que ponha um fim nos rastros, de destruição que criou, só te peço isso. Agora vá, pelo que eu vejo no visor, sua amiguinha precisa de você loucamente. – Disse, antes de passar vê-la passar pela porta, já atendendo o celular e visivelmente irritada.

 

Arque com as consequências dos seus atos, dona Melinde.

 

Mas eu realmente queria saber se ela traiu ou não?

Espero um dia descobrir.

 

Agora, preciso ver como elas se saíram para acalmar a Karin, e outra, eu preciso limpar a cabeça dela, nada melhor do que aproveitar esse momento e apresentar o plano para todas elas. Seria melhor se Melinde estivesse aqui, caso Sai e eu esquecêssemos alguma parte, mas a presença dela nesse momento só traria caos, então, vamos ter que nós virar.

 

 

...

 

Acalmar a ruiva foi uma tarefa difícil. Quando eu cheguei ela não chorava copiosamente como antes, só algumas lágrimas desciam, enquanto ela socava repetidas vezes o travesseiro, com certeza fazendo de cara da Melinde, e para completar a cena, era possível escutar os mais variados xingamentos ao pobre travesseiro.

 

Isso durou cerca de 30 minutos, trintas longos minutos. Durante o tempo que assistíamos Karin socar e socar, eu passei por minha mente todos os detalhes do que planejamos, além da possibilidade de alguém se opor, conclusão: Hinata, ficará contra, afinal seu priminho lindo está metido entre nossas possíveis vítimas. Não que ela se preocupe com o que vamos aprontar com ele, a questão é simples: Hinatinha veio para Manhattan conosco, para tentar se livrar da superproteção que seu pai tinha sobre si. Hianta sempre andou na linha, claro que as olhos do pai, pelas costas ela era realmente uma devassa sexual, mas deixa isso pra depois. Então, nossa amiga conseguiu viajar afirmando que viria conosco para estudar, se familiarizar mais com a língua inglesa, assim ajudando-a a exercer um cargo alto na empresa de seu pai, futuramente. Uma pura mentira, ela odeia, odeia, direito. Dessa forma, Hinata conseguiu enganar o pai, viajar e se safar de uma dos problemas, ela só não esperava que seu priminho, o qual havia visto poucas vezes em sua vidinha controlada, acharia tempo entre sua vidinha regada a mulheres e sexo, para vigiar a vida da Hina e servir de diário pessoal sobre suas ações, para seu amado pai. Ou seja, Hinata tinha que andar na linha, pelo menos na frente do primo, ele não caia em cima como seu pai, mas ainda conseguia ser uma pé o saco. Por isso, se ele souber que Hinata vai estar envolvida nesse joguinho, porque eu vou convence-la, ele provavelmente vai dedura-la. Mas eu vou acalma-la, vamos conseguir manter esse segredinho.

 

Outra que vai me dar dor de cabeça é a Temari. Nosso plano, vai atingir diretamente seu irmãozinho Gaara, o ruivinho quente, viciado em sexo, pelo que os rumores falam. Tema, veio para tentar reaver seus irmão que ficaram aqui quando ela se mudou para o Japão, com o pai. Kankuro, o mais velho sempre foi mais compreensível em relação a relação tortuosa que seu irmão mais novo, mantinha com o pai, assim foi fácil a criação de uma novo laço entre ela e Kankuro. O problema todo é Gaara. Ele cresceu odiando o pai e tendo uma certa aversão a Temari, por ter escolhido se mudar de país, mais o pai, ao invés de ficar com seus irmãos. Dentro desse seio familiar, movediço e inconstante, ele se tornou uma cara fechado, sério, que curte maratonas de sexo e com uma pavio bem curto. Bom, grande parte desses rumores, escutamos durante esses dois anos que passamos aqui, mas se é verdade, vamos descobrir.

 

Quando, por fim consegui organizar meus pensamentos, Karin se cansou de socar e parece ter finalmente se recuperado da descarga emocional. Era, pelo menos isso que eu queria acreditar, já que, ao arrumar sua roupa, prender os cabelos e secar as lágrimas, ela simplesmente diz:

 

-Preciso de algo forte, verdadeiramente forte.

 

...

Frio! Penso quando sinto a temperatura gelada dos frappuccinos, em contato com a palma de minha mão.

A ruiva disse que queria algo forte, bem, esse líquido doce e cremoso dentro dos copos, não é necessariamente forte, mas se eu der a ela o que quer, no mínimo uma garrafa de vodca pura, teremos uma Karin bêbada, uma Karin descontrolada, uma Karin com sede de respostas e consequentemente agressiva. Assim, vamos manter o álcool bem longe dela e do resto de nós. Preciso delas bem sóbrias e acordadas para entender tudo que temos a apresentar.

 

Vou levando as bebidas como se fossem pequenos filhotes fofos e pequenos de gatos, com cuidado e carinho, mas no caso, são frappuccinos prontos para cerem saboreados por nós.

 

 

- Pensei que estava fabricando, que demora Sakura. Eu estou curiosa sobre isso, desde o início da semana, então se apresse. Essa maldita magrela branca do Sai, não queria contar nada até que a senhorita chegasse. – Mal cheguei na sala e Ino já estava despejando sua impaciência, agregada a uma curiosidade que beira o demasiado.

 

- É verdade Sakurinha, tenho que concordar com essa daí, vocês estão fazendo suspense demais sobre isso. – Temari se pronunciou, enquanto estava sentada no braço do sofá, onde também se acomodavam Hinata, sentada agarrada a seus joelhos e Ino, que estava parcialmente deitada, com as pernas retraídas. Já TenTen, dividia uma das poltronas vermelhas e confortáveis do Sai, juntamente com Karin, que abraçava a morena e levava uma carranca no rosto, ou notar que as bebidas que eu trazia comigo, não tinham uma gota de álcool.

 

Terminei de organizar os frappuccinos sobre a mesa de centro, olhei para essas loiras curiosas e direcionei meus olhos a Sai, que estava do lado do sofá, em pé. Puxei meus lábios para um simples sorriso de canto, que sinalizava que ele deveria buscar o que pedi para preparar, uma coisa que vai facilitar e muito o entendimento delas acerca do plano.

- Bom, vocês sabem que desde que nós chegamos na cidade, arranjamos uma rixa com aqueles destruidores de calcinhas baratos. De lá pra cá, nesse período de dois anos, muita coisa aconteceu, muita coisa. Dessa forma, acredito que ainda se lembram do que aqueles malditos aprontaram no final do ano passado. – Falei, iniciando a introdução do plano.

- Aqueles cretinos, eu ainda sonho com aquele dia até hoje, nojentos. - Pra minha surpresa, quem manifestou todo seu asco e repulsa por eles foi Hinata. Isso é muito bom, significa que ela tem vontade de se vigar. Ótimo.

- Muito bem, Hianta. É esse tipo de pensamento que devemos ter se quisermos alcançar nossos objetivos. Assim, eu pedi a ajuda do Sai, uma mente muito perigosa e traiçoeira, além de que, sabe muito mais sobre eles , do que nós, para nos ajudar a formular o jogo. E claro a ajuda de uma pessoa que não pode estar aqui, mas auxiliou muito. – Completei, falando a última parti direcionando meus olhos em Karin. Parece que ela entendeu quem é essa pessoa.

 

- Sabemos disso! Agora nós diga qual o maldito plano, Haruno. – Tenten se pronuncia.

 

- OK, OK! Vamos deixar de enrolação, o plano é....- Comecei a revelar, quando Sai, que acaba de retornar a sala, diz:

 

- Um perigoso jogo de apostas.

 

Pronto, elas já sabem o que é. Quero ver as diferentes reações. Enquanto elas se olham, tentando compreender de algum modo o que Sai disse, o mesmo vai posicionando no centro da sala, uma cavalete. Nele está escrito, do lado direito, os nome dos integrantes da mesa do sucesso, cada um acompanhado de um número, já do lado direito está nossos nomes. Sai deixa o objeto e se direciona para o meu lado.

 

- Espera aí, um jogo de apostas? Mas com quem, com eles? Isso seria impossível, aqueles canalhas não iam querer apostar conosco e muito menos eu desejo isso. E outra, se eu participar disso, meu irmãozinho esquentando, vai guardar mais rancor de mim.  E ainda tem ele... – A primeira a se opor, foi Temari, eu já esperava. Previsível

 

- Tenho que concordar com a Temari, Sakura. Você sabe bem, que meu pai tem um pacto com aquele demônio dos cabelos longos, o meu priminho adoraria me delatar sobre esse joguinho, caso descubra, se eu vir a participar dele. Aquele maldito adoraria usar qualquer coisa pra me queimar na frente do meu pai e se autopromover em cima daquele cara antiquado e controlador. – Falou Hinata. Eu sabia que essas duas iam se opor  ao meu divertimento, mas nada que uma boa lábia não resolva.

 

Antes de responde-las, eu me direcionei a Karin, TenTen e Ino, quero saber se elas tem algo contra. Apesar de saber que essas adoram esse tipo de coisa.

 

- E vocês, tem algo contra isso, contra a chance de nos vingarmos? –Perguntei.

 

- Eu preciso de qualquer coisa que me distraia e me livre da armadilha que me meti. Maldito seja o amor, peço dispensa desse sentimento. Pode ter certeza que eu topo, sou totalmente a favor. Só não entendi como faremos isso. - Karin concordou.

 

- Topamos. – Escutei em coro, de Ino e TenTen, ao enviar um olhar significativo, para saber qual o veredito final delas.

 

Dessa forma, eu só tenho que convencer elas duas.

 

- Temari, eu sei que a relação entre você e seu irmão é bastante fragmentada. Mas, pense bem comigo, Tema, vai perder a oportunidade de se vingar daqueles malditos? Vai perder a oportunidade de participar do nosso joguinho?  E tem aquela pessoa também.... Diga-me, eu sei que uma mulher como você, adora esse tipo de coisa, adora... Então por favor, esqueça esse seu problema familiar por um tempo e vamos dar aqueles cretinos, o que merecem. Aceita? – Olho no diretamente para a loira, na tentativa de passar determinação e confiança a ela, espero que tenha a convencido.

 

- OK, Flamingo. Agora, eu não quero que descubram dessas apostas, ninguém além de nós pode saber, ninguém. Principalmente, eles. –Não acredito, eu consegui. Dou um discreto sorriso e me direciono para Hinata.

 

- E você Hina, acho que já entendeu que tudo vai ser um segredinho nosso. Um divertido passatempo, para o nosso último ano no High School. Sabemos como você gosta desse tipo de jogo, conhecemos seus instintos sádicos. Além de ser uma oportunidade de seu priminho experimentar do próprio veneno.... – Torço, torço muito, para que esse argumento seja suficiente para ela.

 

- Olha, Sakura, eu realmente não sei...- Falou incerta. Não fode agora, Hinata.

 

- Pense comigo, você não adoraria ver o seu priminho se fudendo, juntamente com aqueles amigos de pau pequeno. Ele já cortou suas vibes muitas vezes. Fala pra mim, não está cansada de ter que se comportar com uma menina, fina, recatada e do lar. Então...- Agora vai, ela tem que ceder.

 

- OK, eu aceito. Mas tudo tem que ser segredo, se eles descobrirem... – Disse positiva.
 

Após todas terem aceitados, vou em direção a Sai, com a mão já levantada para um toque de mão. Uma das partes mais complicadas já foi passada.

 

Vamos continuar.

 

Pego na mão de Vela Branca e puxo para o lado do cavalete, hora de explicar o resto do plano.

 

- Já que todo mundo aceitou, vamos explicar nosso jogo de apostas.

 

- É bem simples: As apostas acorreram entre nós, mas o que cada uma vai cumprir, decidiremos, depois que descobrirmos com qual cretino, da mesa do sucesso,  suas pessoas ficaram. – Disse, explicando mais a afundo o plano.

 

- O melhor desse jogo é: vamos nós vingar deles, já que os desafios devem ser baseados nos pontos fracos, ou seja, os rumores sobre as fraquezas de cada um. Além de quem não conseguir cumprir o seu respectivo desafio, até o natal, dia 24, sendo que estamos nó início de agosto, vai sofrer com as consequências desse jogo perigoso. Ou seja, vocês terão um pouco mais de 4 meses, para conseguir cumprir as apostas e não ter que tatuar o nome do cretino em alguma parte do corpo. Explicando: Se a Temari, por exemplo ter sua aposta relacionada ao Neji, primo tesão da Hina e não conseguir cumprir seu desafio, ela vai ter que tatuar o nome do boy. Simples? Simples. Agora, vamos decidir quem vai ficar com quem, alguma objeção? –Sai completou meu discurso, divinamente bem...

 

- Eu não tenho uma objeção, mas uma pergunta. De quem foi a ideia da tatuagem? Porra, que prenda fudida... –Perguntou Temari, realmente acho que, dessa vez, peguei um pouco pesado, mas vai deixar tudo mais interessante.

- Fuii, euuu, gostaram? –Respondi irônica, com outra pergunta.

- Gostamos sim, Sakura... Até porque, você também está metida nessas apostas, o que leva ao castigo também te atingir, queridinha. –A Ino, geralmente não é a pessoa mais inteligente, porém ela consegue ser a mais esperta. Eu não tinha pensado nisso, mas se essa for a consequência de nossa vingança, aceito com gosto.

 

- Eu sei disso, e para deixar tudo melhor, se MINHAM APOSTA NÂO FOR CUMPRIDA, EU VOU TATUAR O NOME NA MINHA NÁDEGA ESQUERDA. – Completei, totalmente animada, sem pensar na merda que acabei de dizendo. Ao processar a informação na minha cabeça, acabei fazendo uma careta, que levou todos na sala a uma risada em coro.

- Se empolgou, em Saky. Eu adorei a ideia, pode ser um pouco arriscado, mas com certeza vai ser interessante. Agora, vamos deixar decidir logo qual vão ser as respectivas apostas, estou muito curiosa. – TenTen, sempre sabia, chegou ao ponto onde eu queria.

 

- Bom, o que já foi dito, já foi falado. Não sou mulher de voltar atrás na minha palavra. Então, para decidir vamos fazer um sorteio. Nada mais justo, cada uma vai pegar um número de 1 a 6, que já estão distribuídos por cada boy. Como vocês podem ver no cavalete. Quando todas já tiverem pegado seus devidos papéis, a que pegou o número um, vai ter o desafio decidido pelo Sai, já quem pegou o número dois vai ser decidido pelo número um e pelo Sai. Ou seja, se a Karin pegar o número um, o Sai vai dizer o que ela tem que cumprir em relação ao respectivo cretino, já quem pegou o número dois, vai ter a aposta decidida pela Karin e pelo Sai.  Assim, sucessivamente, OK? – Expliquei como íamos decidir quem ficaria com quem, e principalmente as apostas.

 

Todas aceitaram com um pequeno aceno de cabeça, dessa forma, eu pedi chamei Sai e disse:

 

- Vai buscar os papéis do sorteio, que pedi para você preparar antes.

 

Ele se pôs a sir da sala em busca do sorteio. Alguns minutos depois, já estava de volta.

 

Hora de decidimos quem fica com quem. Eu só desejo sorte a quem ficar com o cretino do Uchiha, ele é duro na queda.

 

...

 

Estávamos a algum tempo, observando a pequeno pote de vidro, que continha os números de 1 a 6, escritos em seis pequenos pedaços de papéis.

Sentadas todas, ao redor da mesa de centro, esperando alguém tomar coragem de pegar o primeiro papel.

 

Estou me cansando disso. Por isso, disse:

 

- Vamos parar essa palhaçada. No três, cada uma pega o papel.

- 1, 2. 3... Vai.

 

Assim, todas pegaram seus respectivos números.

 

- Bom, agora que todo mundo já sabe os números, vamos saber quem ficou com quem. Aí, estou tão animado, que em sinto molhado. – Falou Sai.

 

- Poupe-me, agora quem ficou com o número 1? – Perguntei, olhando para meu papel, tendo certeza que não fui eu.

 

- Euuuu, Euuu!!-TenTen se levantou, em um súbito solavanco e começou a gritar.

 

- Ok, OK!! Já entendemos que pegou o 1, assim, vamos ao que interessa, o que você vai cumprir? –Temari disse, claramente maliciosa, até porque, ela sabia que essas apostas nãos seriam nada leves.

 

- É verdade, Tema. Hora de descobrir, o que essa Pucca Falsificada  vai fazer, com o.... Neji!! –Sabe, eu amo o destino. Afinal, nossa amiga TenTen, ficou com o priminho da Hinata, o qual ela apresenta uma quedinha, ou melhor um tombo. Isso está ficando mais interessante que eu imaginei.

- De todos, tinha que ser justamente ele. Porra, como sei que não dá para trocar, decidam logo o que terei que fazer. – TenTen disse conformada.

 

Dessa forma, Sai começou a olhar para o cavalete, avaliar o nome do sorteado, acompanhado pelo número 1 e pensar no que nossa amiga deveria fazer.

 

Até que...

 

- Decidi, eu já decidi!! Bom, nunca dissemos que o desafio não poderia ser feito em duas partes. O que leva, a se não cumprir as duas partes, vai ter que tatuar o nome dele. Então, resumindo o que sua pessoa vai fazer: Todos sabemos que aqueles cabelos do Hyuga são famosos. Bonitos, lisos, castanhos e exóticos. Mas sabe, eu já me peguei imaginado se ele ficaria mais bonito de cabelos longos ou curtos? Só que, ele nunca cortou o cabelo, pelo rumores, nem antes que ele chegou, nem depois. E muito menos, temos uma foto. Assim, a primeira parte do seu desafio é cortar o cabelo do Neji. –Conhecemos o Sai a um bom tempo, sempre soubemos que ele era maldoso, mas porra, porra, ele pegou pesado.

 

Depois do que foi dito, todas as meninas produziram uma expressão cúmplice, menos TenTen, afinal, que desafio foi esse? Por essa ninguém esperava.

- Sua puta branca!!! Sai, seu maldito. Mas, você disse que eram duas partes ?E o resto? - Falou a morena, visivelmente irritada.

 

- Calma... Bom, Chocolate Vencido, vai ter que vencer o Neji em uma luta, simples não? Já que você luta também, essa vai ser fácil... – Puta que pariu, esse menino não vai pro céu. Sai, genial.

 

- Como assim, tá doido? O Neji é um dos melhores lutadores que eu conheço. Fora que eu luto sim, mas ele é incrível quando se fala disso. Vai há merda, seu passivo aberto... Quer saber, eu vou cumprir esse desafio, não vou ter o nome daquele ser tatuado em nenhuma parte de meu lindo corpo.  –Parece que ela ficou puta, mas pelo menos, aceitou.

 

- Òtimo, próxima, número 2? – Perguntei, afinal, deveríamos terminar de decidir isso hoje.

 

- Merda, eu peguei o número 2. –Se pronunciou Temari, coitada, o destino realmente está conspirando contra nós.

 

- Eita, eita, eita. O número 2 é o: Shikamaru. – O momento que se seguiu da fala do Sai, foi silenciosos. Como assim mundo? Temari e Shikamaru?

A história desses dois é longa e verdadeiramente tortuosa...

Cheia de mágoas...

 

Bem, como eu posso dizer, que ele era, bom, eles namoravam no início do nosso segundo ano aqui. Temari sempre gostou de cara inteligentes, afinal, alguém como ela não nasceu para lidar com gente lerda. Ele era simplesmente perfeito, pra nossa amiga, bonito, inteligente e jogava e ainda joga basquete, por coincidência, esporte preferido e praticado por ela também. Porém, esse relacionamento não foi, o que chamávamos de correto... Só descobrimos da relação deles, quando tudo ruiu, da pior maneira possível...

Shikamaru só havia se aproximado de Temari, por conta de uma aposta feita entre os membros da mesa do sucesso, e sim, o irmão dela estava envolvido nisso. A aposta consistia em conseguir pegar a garota do nosso seleto grupo, que fosse considerada dura na queda, tecnicamente impossível de ser conquistada. Dado o histórico da Temari, conhecida como grossa, ignorante e intimidadora, ela foi escolhida como alvo. E o felizardo para executar essa missão impossível, foi Shikamaru, lembrado pelo seu temperamento calmo, expressões serenas e atitudes discretas. Na lei da vida, seria impossível uma cara como ele conquistar alguém como Temari, não é mesmo? Errado, ele não só consegui domar nossa amiga, como ganhou o prêmio da aposta, o mustang vermelho do Gaara.

Só que, como a vida é uma peça de teatro, onde não se tem roteiro definido, o menino acabou nutrindo certos sentimentos por ela, sentimentos esses que foram desacreditados, quando Temari descobriu tudo. Mas como ela descobriu? Ele simplesmente contou, Shikamaru resolveu contar tudo pra ela e pedir uma chance para começarem algo que fosse verdadeiro pra ele. Resultado, ao descobrir que foi enganada, ela bateu nele até se satisfazer, falou poucas e boas e foi embora, onde contou, finalmente, seu curto caso de amor de 6 meses com ele. Terminado da pior maneira possível. A partir daí, ela passou a fugir de compromissos sérios e pelo que falam, Shikamaru dobrou o número de cigarros consumidos por dia. Sim ele fuma, viciado em cigarros Lucky Strike, acredite, nesse curto tempo de relacionamento, ela descobriu até a marca de cigarro que ele consumia.

 

- A vida está pisoteando na minha cara, só pode ser isso, nada mais que isso. Mas eu aceito, pode ser complicado, porém ele mereci. –Temari se manifestou claramente abalada, afinal, ela tinha que ficar justamente com o Ex? Com esse tipo de atitude, notamos que assim como Shikamaru, ela não superou.

- Eu realmente pensei que você ia relutar. Estava errado... Mas em relação ao seu desafio... Vamos decidir TenTen. – Falou Sai, indo em direção a poltrona, onde ela estava sentada.

 

Passamos então haver alguns cochichos, caretas, acenos negativos e no fim um sorriso positivo em ambas as faces

 

- Nós decidimos que... –TenTen iniciou, mas quem terminou a frase foi o Sai.

 

- Que você vai mudar a vida dele, modificar o emocional e o físico, assim como ele fez com você... –Completou Sai.

- Como assim? De que maneira farei isso? – Perguntou Temari.

- Muito simples, sua pessoa vai se reaproximar dele, fazer com que o mesmo acredite que você o perdoou, fazer ele se apaixonar por você de novo, fazer- lo admitir. Quando isso acontecer, você vai rir da cara dele e dizer que tudo que vocês viveram não significou nada, nem no passado e muito menos no  presente, mas que dessa vez quem enganou foi você, que tudo não passou de uma mera aposta, assim como ele fez no passado. – A pergunto foi feita a Sai, mas quem respondeu foi TenTen.

 

E porra, pegaram pesado, bastante pesado. Será quer ela vai aceitar fazer isso?

Quais vão ser as outras apostas? Será que eu vou ficar com o Uchiha?

 

Continua


Notas Finais


Capítulo 8, concluído!
Até logo.
Deixem sua opinião, se quiserem!!
Bye!!
Então, quem vocês acham que vai ficar com quem? Qual as suas apostas para os próximos desafios? Será que a Temari vai aceitar?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...