História Consequences of Past - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Charlotte, Iris, Kentin, Kim, Leigh, Li, Lysandre, Melody, Nathaniel, Personagens Originais, Professor Faraize, Professora Delanay, Rosalya, Senhora Shermansky, Violette
Tags Adolescentes, Amizade, Amor Doce, Aventura, Comedia, Drama
Exibições 14
Palavras 3.570
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá :3

Aqui estou eu de volta após 3 meses... O tempo voa não?

Sinceramente estava um pouco desmotivada para escrever, mas encontrei coragem esses dias (e tomei vergonha na cara) para vir atualizar essa belezinha (^o^)/

Esse capítulo está bem recheado ♥♥

Espero que gostem :3

Ah! E obrigada @euamokookie por pegar no meu pé e me motivar a escrever XD

Capítulo 4 - Novas amizades


P.O.V Bryan On

O professor acabou de avisar que Nathaniel e o trizinho inseparável vão para a sala A.
Sobre Nathaniel, tudo bem... Agora essas garotas vão causar problemas, ô se vão!

- Não acredito! O triozinho de vacas recalcadas vai estudar com a gente? - Alexy reclamou.

- Ela fizeram macumba para entrar aqui e infernizar a gente, só pode ser! - Rosalya complementou.

- E esse engomadinho vem pra cá? Que saco... - Castiel exclamou irritado.

- Vem cá e eu te mostro o engomadinho! - Nathaniel provocou.

- Ora seu! - Castiel levantou-se pronto pra brigar, isso se eu e Lysandre não tivéssemos o segurado.

- Relaxa a cara! - O albino resmungou.

- É! Brigar não é a solução... - Complementei.

- Falou o cara que quase mandou um guri pro hospital, por causa de um X-burguer... - Castiel me encarou.

- Aquilo era uma situação completamente diferente! - Exclamei dando a língua para o ruivo.

- Já chega! Sentem-se todos... - O professor gritou atordoado e visivelmente irritado.

As cenas a seguir foram de mim e Lysandre "arrastando" Castiel para sua carteira, foi difícil, até porque o ruivo se debatia todo. Depois o professor fez alguns ajustes nos lugares do pessoal e tirou meu irmão de perto de mim, colocando-o no lugar em que Rosalya sentava:

- NÃOO!! - Alexy choramingava e se esperneava enquanto era puxado pelo professor para longe de mim.

- Professor... - Começei com voz de súplica - ... Nós sentamos um do lado do outro desde os 5 anos de idade! - Completei quase gritando, enquanto inutilmente puxava meu irmão pelo seu pé, o que fez com que seu tênis "voasse", acertando em cheio a cabeça de Lysandre:

- Cáspite! - Ele exclamou com a mão sobre o local dolorido.Céus! Até os seus xingamentos são "educados"...

- HAHAHAHAHA!! MEU DEUS! HAHAHA!! - Castiel chorava de rir enquanto batia descontroladamente em sua carteira.

Aconteceu que o professor finalmente conseguiu levar Alexy para a carteira de Rosalya e mandou a mesma sentar no lugar de Kentin, que por sua vez foi para o lugar de Kim e assim por diante...

Passado algum tempo, eu acabei tirando um cochilo, sacumé né? A voz do professor chamando "fulano" pra sentar no lugar de "ciclano" era muito entediante; alguns minutos depois, escutei o barulho de uma bolsa batendo contra a carteira ao meu lado.

Levantei a cabeça e tudo o que pude ver foi uma loira sentando e abaixando a cabeça...

P.O.V Bryan Off

P.O.V Mel On

Bom, depois da entrada "triunfal" dos quatro novos integrantes da nossa turma, mais especificamente: Um anjo e três demônios...

O professor começou a fazer alguns ajustes em relação aos lugares dos alunos, colocando "Mariazinha" pra cá, "Joãozinho" pra lá... Até que ouvi meu nome sendo pronunciado.

  - Senhorita Garcia... - Tive um chilique momentâneo e senti um frio na espinha, acho que fiz careta pois ouvi algumas risadinhas daquelas... Garotas... Porém minha expressão mudou, virando um misto de tédio e preguiça.

- Sente-se ali... - Ele apontou para uma carteira vazia, ao lado de um garoto que estava de cabeça baixa.

Levantei-me e literalmente me "arrastei" até o lugar em questão, eu sei... É o primeiro dia de aula... Era pra eu estar doida de feliz, saltitando por aí; mas toda a minha energia se esgotou assim que as aulas começaram e me lembrei do quanto a escola é chata...

Joguei minha mochila de qualquer jeito na carteira, o que fez um barulho estrondoso, e me sentei; automaticamente já abaixei minha cabeça, me escondendo entre meus braços. Todos deviam estar olhando pra mim... Ai meu Deus que vergonha!

Começei a levantar a cabeça devagar e abrindo os olhos lentamente, talvez pela curiosidade de saber com que eu sentaria o resto do ano...

Para a minha surpresa, o garoto também se levantava, abrindo os olhos devagar até que eu percebi dois olhos negros e brilhantes que me fitavam arregalados:

- AAAAHHHH! - Gritamos ao mesmo tempo enquanto nos afastávamos na velocidade da luz, foi como se nós dois tivéssemos levado um choque.

Todos da sala, até o professor, nos fitaram assustados e curiosos. Eu não acredito! Já bastou ter que aturá-lo na hora de mostrar a escola, agora... SENTARMOS JUNTOS?!

O moreno esfregava os olhos, talvez por não acreditar no que estivesse vendo. Minha expressão também não deveria estar lá muito boa...

- O que "VOCÊ" faz aqui?! - Falamos juntos novamente - Mas que merda! Quer parar de me imitar? - Droga, até nossos gestos são iguais!

Por um momento, nos comparei à Koizumi e Otani, de Lovely Complex. Se isso tivesse acontecido em outro momento, eu estaria gargalhando... Mas agora...

- Professor... Pode me mudar de lugar, por favor? - Pedi educadamente após me acalmar.

- Tira ela daqui professor! Traz o Alexy pra cá! - O moreno parecia desesperado.

- Não e não... - O professor respondeu sorridente, como se ele estivesse se divertindo com a situação  - Os lugares já foram decididos...

- Mas... - Balbuciei

- Sem "mas"... - Aquele infeliz do professor complementou cantarolando, naquele momento a minha única vontade era "voar" naquele tal de Faraize...

- Cara... Que desespero é esse? Tem medo de garota agora? - O ruivo se direcionou à Bryan comprimindo o riso.

- Eu não vou me sentar com essa... Barbie... - Ele me mostrou a língua.

- E você acha que EU quero sentar aqui?! - Respondi estressada.

- Meu Deus... Que infantis... HAHAHÁ - Ambre resmungou e logo após soltou uma gargalhada, sendo acompanhada por suas duas babonas, Li e Charlotte.

- CALA A BOCA! - Alexy e Rosalya responderam ao mesmo tempo.

A loira com voz de taquara rachada  fez bico irritada, enquanto as outras escondiam seus rostos com as mãos.

- Essa história já acabou, ponto final. Melissa, você vai se sentar ao lado de Bryan...  Se vocês têm alguma rivalidade resolvam isso lá fora caramba! - Acho que o professor se empolgou um pouco...

- Tá bem... - Respondi desanimada.

- Fazer o que né? - O moreno complementou cabisbaixo.

Então assim ficaram definidos os nossos lugares, resumindo: Nathaniel ficou na carteira da frente ao lado da porta, junto com Melody. Seguidos de Ambre e Li, Charlotte e Peggy, Rosalya e Kim; Na fila ao lado estavam Joãozinho e Mariazinha, Fulano e Ciclano, o ruivo e o platinado, Alexy e Kentin... E assim por diante... Eu estava sentada na terceira fila, na quarta carteira.

Finalmente o professor prosseguiu com a sua aula, ao todo foram duas aulas de história. Depois a professora de Ciências apareceu... Como era mesmo o seu nome? Delani... Delaney... Ah! Delanay!

O moreno não se direcionou pra mim uma única vez... Melhor assim, ele parecia chateado.

Estávamos na quarta aula quando finalmente o sinal tocou, foi como se eu tivesse escutado o cantar dos anjos! Já estava cansada de tantas letras, fórmulas e datas...

Eu estava meio perdida, não vi Rosa e muito menos Alexy no meio da multidão, decidi dar uma volta... Conhecer o pessoal.

Andei por um tempo até avistar uma bela árvore no meio de um jardim, ela estava florecendo, simplesmente linda! Sentei-me na grama macia e verdinha, encostei-me na árvore e fechei meus olhos, relaxando completamente.

Fiquei assim por alguns segundos, até que senti uma respiração pesada próxima ao meu rosto.

- O que você está fazendo na "minha" árvore? - Uma voz grave e levemente irritada me questionou.

Abri os olhos rapidamente, dando de cara com dois olhos acinzentados que me fitavam, suspirei calmamente. Aquele era o tal do Castiel... Ele parecia incomodado com a minha demora em respondê-lo. Percorri meu olhar levemente pelo jardim e me pronunciei.

- Por acaso o seu nome está escrito aqui pra você ser o "dono" dessa árvore? - Fiz aspas.

O ruivo sorriu debochado e apontou para uma parte da árvore que estava sob minha cabeça, acompanhei com o olhar e vi "Castiel" escrito no meio do tronco.

- Satisfeita agora, Srta. Garcia? - Ele respondeu irônico.

- Humpt... - Me levantei e saí rapidamente, não quero me dar ao luxo de discutir com mais alguém hoje...

Decidi ir dar uma olhada no clube de jardinagem, eu estava caminhando normalmente até que um vulto branco literalmente me atropelou. Caí no chão e aquela... Coisa... Caiu por cima de mim.

- Ai... - Foi a única coisa que consegui balbuciar. Num movimento automático, passei a mão sobre o local dolorido.

A pessoa que estava por cima de mim abriu os olhos, foi então que percebi que aquele ser era nada mais nada menos que aquele albino...

- Perdão senhorita... - Ele se levantou desamassando a roupa e estendeu a mão para me levantar - Perdão por ser tão desajeitado.

- Acidentes acontecem... - Sorri - Sou Melissa e você?

- Lysandre... - Estendi a mão para cumprimentá-lo, mas ele a segurou e a beijou, olhando em meus olhos - Prazer Mylady...

Pronto... Estava lá eu parada, boquiaberta com o que ele tinha feito. Sei lá... Foi tão mágico... Me senti como uma princesa daqueles contos de fadas.

- Lys-Fofo... - Ouvimos Rosalya cantarolar de longe, porém não conseguimos vê-la.

- Pelas barbas de Odin! Ela me achou! - O albino exclamou desesperado.

Do outro lado do clube, avistamos Rosa. Ela estava diferente... Com um sorriso maior que o rosto e um olhar psicótico. Se aproximava lentamente, saltitando.

- Você não pode escapar... - Cantarolou novamente.

- Antes de tudo, Senhorita - Lysandre direcionou-se a mim - Desculpe pelo o que irei fazer...

Não tive tempo de responder, fui puxada pelo albino, que corria rapidamente enquanto éramos perseguidos por Rosalya.

Chegamos em um lugar cheio de árvores; Lysandre parou em frente a uma delas e a escalou de forma ágil, sumindo em meio à folhagem. Depois estendeu sua mão para mim e sorriu.

- Venha Senhorita, eu te ajudo.

- Ok!

Segurei em sua mão e ele me puxou para cima, só então percebi que ali, escondida, se encontrava uma pequena casinha de madeira, belamente esculpida e enfeitada com flores de todos os tipos.

Rosalya passou por baixo da árvore, furiosa, mas não nós avistou, apenas passou direto e exclamou algo como: "Droga! Na próxima ele não escapa!"

Assim que a "Lady Gaga" sumiu entre o verde das plantas, o albino soltou um suspiro de alívio.

- Bom... - Comentei reparando um pouco melhor no local - Porque a Rosalya está atrás de você? - Complementei confusa.

- Creio que seja para acompanhá-la para aquele edifício maligno... - O final de sua frase soou meio aterrorizante, a expressão do albino era um misto de medo e irritabilidade.

- Edifício... Maligno? - Tentava raciocinar.

- Sim... - Concordou com a cabeça - Aquele local destinado para as donzelas que, assim que se dão falta de novas vestimentas,  saem e seguem para esse lugar... - Ele adquiriu uma expressão sombria - E levam junto os pobres e ingênuos rapazes, que acreditam que irão se divertir, porém... Para onde o seu olhar alcançar... Eles só avistam... ROUPAS!

Foi então que a ficha caiu, eu não consegui segurar o riso.

- S-senhorita? - Lysandre olhava pra mim confuso enquanto eu gargalhava descontroladamente.

- M-m-me d-desculpe... - Comentei parando de rir aos poucos - Por acaso vossa senhoria está falando do shopping?

Ao falar "shopping", eu parecia ter dito "Você vai morrer!", pois o albino se encolheu todo assustado.

- C-como você sabe? - Lysandre afinou a voz, depois tossiu se recompondo - Quer dizer... Me desculpe... Devo estar parecendo parvo aos vossos olhos... - Ele corou.

- Ao meu ver, estás sendo formidável - Respondi com um sorriso hospitaleiro, seu vitorianismo me encanta!

Passados alguns segundos, ouvimos um baque na "portinha" da casinha, era Rosalya...

- Te encontrei Lys-fofo! Vamos para o shopping... Ainda temos tempo!

- Não! - O albino choramingava - Piedade! - Ele se segurava nos galhos enquanto era puxado pela platinada.

Tenho de admitir... Senti pena dele...

Desci da casinha com uma certa dificuldade e decidi entrar na escola, infelizmente não podia fazer nada por Lysandre, apenas observá-lo sendo arrastado para o seu maior pesadelo...

  Adentrei ao edifício, que já estava menos movimentado. E lá estava a "Liga da Justiça": Nathaniel, Íris, Castiel, Kim, Kentin, Melody, Alexy, Viollette e Bryan.

Andando lado a lado pelos corredores, temidos por alguns alunos. Alexy, ao me ver, literalmente saltou sobre mim, me derrubando com tudo no piso.

- Mel! Onde você estava mulher?! Eu aqui, doidinho te procurando... - Ele exclamou preocupado.

- A-a-le-le-xy... M-me d-d-deixa... Respirar... - O azulado finalmente percebeu que estava por cima de mim, sufocando-me.

- Desculpa... Vem andar com a gente, mona! - Ele se levantou sorrindo.

Olhei para todos, a maioria estava sorrindo, exceto Castiel que permanecia de braços cruzados e Bryan, que torcia o nariz.

Acenei com a cabeça gentilmente e me juntei ao grupinho, conversamos sobre os mais variados assuntos... Com algumas discussões.

Nos sentamos em volta das várias mesas disponíveis no refeitório, enquanto Nathaniel fazia um questionário para mim e Bryan:

- Cor favorita?

- Branco - Respondi de supetão.

- Preto... - O moreno resmungou.

- Doce ou salgado?

- Salgado! - Sorri.

- Doce - Bryan cerrou os dentes.

- Dia ou noite? - O loiro prosseguiu.

- Dia... - Retruquei.

- Noite!

- E agora... - Kim interrompeu - A velha pergunta que gerou tretas entre os brasileiros... Bolacha ou biscoito?

- Bolacha! - Respondemos em uníssono - Não... Biscoito! - Repetimos a façanha - De novo não...

Todos os presentes na mesa riram freneticamente, até que Kentin resolveu se pronunciar...

- Então... Vocês se odeiam? - Perguntou segurando o riso.

- Sim... - Dei de ombros.

- Mas é claro... - Bryan sorriu sarcástico.
- Lembrem-se... - Rosalya surgiu derrepente, com um sorriso enorme nos lábios. Espera... Ela não tinha ido ao shopping? - O ódio sempre vira amor...

- Existem excessões...  - Balbuciei.

Nesse momento, o sinal tocou, avisando que o intervalo havia acabado. Logo, uma multidão de alunos apressados nos "arrastou" até a nossa sala de aula.

Todos sentaram em seus lugares de origem, e assistiram "tranquilamente" as aulas...

- Naruto é o melhor anime de todos os tempos! - Fulaninho retrucava.

- Mentira! One Piece supera Naruto de todas as formas possíveis... - Ciclano respondeu.

- Os dois estão errados... Dragon Ball é milhões de vezes melhor que essas mixarias... - Outro garoto complementou.

- Que mentes limitadas... - Kim resmungou lixando as unhas.

- Silêncio! - O professor surgiu sabe-se lá de onde... Irritado - Aqui não é lugar para falar dessas coisas!  - Ele franziu a testa e apontou para nós - E todos vocês sabem que... Cavaleiros do Zodíaco é o rei de todos!

Após o professor - que eu nem sei o nome - falar isso, toda a turma virou uma algazarra... Discutindo para saber qual é o "melhor".

Uma eternidade depois, aquele maldito sinal tocou e eu pude finalmente sair daquela sala cheia de doidos... Qual é? Eles precisam saber que Fairy Tail é o único que brilha

Estava caminhando no meio da multidão de alunos, pra ver se consigo sair hoje daqui...  Até agora já empurrei uns cinco guris e enforquei uma tal de "Julia" pra poder passar.

Acontece que o plano: "Empurrar todos e sair ilesa" foi por água abaixo... Literalmente... Eu, com a minha lerdeza extrema, consegui tropeçar e cair de cara num balde com água. Ainda bem que ninguém viu e...

- Soube que você tem a mania de sair esbarrando por aí... - Um ruivo, com um sorriso irônico, encarava-me.

- Também soube que você tem a mania de surgir dos quintos dos infernos, assustando os outros... - Respondi enquanto ficava de pé com uma certa dificuldade e batia no meu uniforme.

O ruivo desmanchou o sorriso, ficando sério, e andou em minha direção, ainda me encarando. Ele estava perto... Perto demais...

Mas agora não é hora de ter medo! Encarei-o também. Assim que Castiel percebeu minha expressão, abriu um sorriso, esfregando sua mão no topo da minha cabeça.

- Você é bem ousada pra uma pirralha...

- Pirralha uma ova... - Resmunguei, era a segunda vez que me chamavam de pirralha naquele dia... A primeira foi com aquele... Moreno...

Minha resposta só o fez começar a gargalhar, na boa... Esse garoto já está me estressando... Já que eu estava de pé... Saí caminhando o mais rápido que pude, meu rosto ainda doía graças aquele balde. Continuei andando até sentir uma respiração ofegante próxima ao meu pescoço...

- Se você ainda não percebeu, estou tentando ir até a minha casa! - Segui meu caminho.

- Eu vou com você, se nem aqui você sabe se cuidar, imagina lá fora... - O ruivo permanecia sorrindo e me acompanhando.

- Para sua informação, não preciso de uma babá, sei me defender... - Respondi com um sorriso forçado.

- Tudo bem... Como queira, pirralha... - Virei-me para fitá-lo, mas ele não estava mais lá... Confesso que me assustei um pouco...

- Meu Deus! Ele desapareceu! Como? Onde? Quando? - Virava minha cabeça para os lados.

- Ô pirralha... - Ele apareceu - Relaxa... Eu só virei o corredor para criar um clima... - Pude sentir o tédio em sua voz.

- E isso lá é fanfic pra você ter que criar um clima?! - Gritei.

- Fan... Sique? - O ruivo parecia confuso.
- Deixa pra lá... - Fanfics são coisas que só garotas retardadas como eu (E a autora-chan XD) curtem...

Finalmente consegui escapar de Castiel e sair daquele... Edifício... Tenho que ligar para minha mãe, ela prometeu que me buscaria no meu primeiro dia de aula... Nos próximos eu vou ter que voltar a pé, pois Dona Lurdes terá que trabalhar.

E aqui estou eu... Parada na porta da escola, tentando ligar para minha linda mamãe. Alguns nerds ainda estão aqui para utilizar a biblioteca no horário oposto.

- Droga! - Resmunguei - Meus créditos acabaram...

Alguém estendeu a mão com um celular na minha frente, me entregando o aparelho.

- Toma... E vê se não demora muito, Barbie... - Esse alguém era Bryan.

- Não preciso... Posso muito bem ir à pé... - Devolvi o celular. Eu e meu orgulho...

- Duvido...

- Duvida?

- Você é preguiçosa...  Não aguenta chegar nem na esquina...

- Você que pensa... - Respondi vitoriosa - Sabia que eu fui campeã das Olimpíadas da minha antiga escola? - Mostrei a língua.

- Isso foi nos Estados Unidos... Estamos na França. Você provavelmente vai sair correndo que nem doida, tropeçar, cair em um barranco, acordar sem memória e viver como mendiga... Sobrevivendo a partir de sobras...

- Obrigada por adivinhar meu futuro, cigana... - Respondi sarcástica.

- Liga logo com a merda do celular! - Ele me entregou novamente.

- Tá... - Peguei-o e começei a discar o número da minha mãe, o moreno se encostou em uma das várias árvores que enfeitavam o local.

Ligação On

- Alô?

- Mãe, você pode me buscar?

- Mel... O que aconteceu com seu celular? De quem é esse número?

- Meus crédito acabaram e esse é o número de um colega...

- Seu namorado?!

- E eu lá tenho namorado mãe?!

- Tô de olho... - Pude sentir um sorriso em seus lábios.

- Vem me buscar logo, onegai!

- "One" o quê?

- Deixa pra lá... Tchau!

- Tchau...

Ligação Off

- Tá aqui... - Entreguei o aparelho à Bryan.

- E as palavrinhas mágicas? - O moreno sorriu debochado.

- O que eu deveria te responder? - Encarei-o.

- Sei lá... Algo do tipo: "Ai, Bryan! Muito obrigada! Você é um fofo!" - Ele fez uma voz excessivamente fina.

- Minha voz não é assim e nem morta eu te chamaria de fofo... - Resmunguei.

- Chamaria sim...

- Não chamaria...

- Sim...

- Não!

- Claro que sim...

- Não! Eu não chamaria! Nem que "fofo" fosse a única palavra do meu vocabulário!

- Sim... - Bryan sorria.

- Não...

- Sim...!

- NÃO!

E ficamos nesse jogo de palavras até ouvirmos a buzina de um carro, era minha mãe.

- Cheguei! - Ela gritou de dentro do veículo.

- Tô indo mãe! - Exclamei.

- Tchauzinho Barbie... Vai pra sua mamãe vai... - Ele fez biquinho.

- E você? - Ignorei seu comentário anterior - Vai sozinho?

- Mas é claro! - O moreno fez pose - Sou independente... Sei me virar...

Nesse momento uma limousine - que há tempos estava estacionada lá - começou a buzinar incessantemente.

- Vem logo Bryan! - Alexy gritou do banco traseiro - A gente tá aqui à meia hora te esperando! Eu tenho que ir pra manicure!

- Tá... Tô indo... - Ele fez cara de tédio.

- Quem é o independente agora, hein? - Soltei uma gargalhada.

- Hahaha... Engraçadinha...

- Vamos Mel! - Minha mãe gritava.

- Bryan Hopkins... Vem agora! - Alexy reclamou.

- Tchau Alexy!  - Acenei.

- Tchau fofa! - O azulado mandou beijinhos.

- Vê se não morre... - Bryan olhou para mim.

- Digo o mesmo... - Sorrimos e apertamos as mãos.

Espera... APERTAMOS AS MÃOS?!

Acho que o moreno também percebeu, pois nos afastarmos rapidamente, indo cada um para o seu lado.

P.O.V Duplo Bryan/Mel On

É... Esse foi um dos dias mais estranhos da minha vida...

P.O.V Duplo Bryan/Mel Off


Notas Finais


Bom... Sobre a fobia de shoppings do Lysandre... Eu realmente não sei se existe... Foi uma coisa que a minha mente doentia inventou e.e

Então é isso... Obrigada por ler ♥♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...