História Consequências de uma paixão - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Teen Wolf
Personagens Allison Argent, Isaac Lahey, Lydia Martin, Malia Tate, Mieczyslaw “Stiles” Stilinski, Scott McCall, Theo Raeken
Tags Scallison, Stydia
Visualizações 583
Palavras 3.163
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi amores!
Como eu disse stydia tem momentos fofos, hoje vocês verão mais um. Eu entreguei todo meu coração pra esse capítulo porque ele é muito especial pra mim, eu quero de verdade que vocês sintam o que eles vão sentir.

Tem uma referencia stydia que vocês vão identificar facilmente!

Não deu pra colocar a conversa da Malia com o Stiles nesse capítulo, mas vai ter!

Sobre o hot stydia eu só digo pra vocês esperarem mais um pouco e curtirem a história! ''Eles vão transar né?'' Se eles forem (aquelas que não gosta de deixar tudo na cara) saibam que a primeira vez deles não vai ser um sexo selvagem, vocês vão ver porque no capítulo de hoje. Mas isso não significa que não tenha hot, entendidos?

Espero muito que vocês gostem! Boa leitura!

Capítulo 10 - Íntimos


Fanfic / Fanfiction Consequências de uma paixão - Capítulo 10 - Íntimos

Novamente aqueles sentimentos novos e recém inertes estavam explodindo dentro do peito de Lydia. Tudo era por ele, por Stiles.

Martin questionou Scott de tudo, forçou o garoto à contar a história completa, detalhe por detalhe.

Ele meio que ficou com ciúmes, eu acho, da maneira que o Jackson falou de você. Depois de ser provocado ele não aguentou e partiu pra cima.

Porque ele tinha feito aquilo? O que ela estava sentindo por ele?

A atração era uma sensação familiar, mas o afeto não. Lydia nunca teve a oportunidade de conhecer o outro lado de Stiles, até agora.

Aquele garoto carinhoso, lindo por dentro e por fora, preocupado, aquele Stiles era uma sombra.

Mas Lydia gostou. A atenção e o desejo misturados eram sensações que valiam a pena serem desfrutadas por alguém como ele.

Aquele alguém que Stiles escondia mas a ruiva conheceu, e gostou muito mais dele do que do Stiles que era mais presente.

Assim que Lydia estacionou, Allison desceu do carro e rodeou o veículo, parou ao lado da porta da amiga.

- Quer subir pra conversar?

- Outro dia.

- O que você vai fazer?

Lydia suspirou e afundou o rosto nas mãos enquanto martelava a pergunta em sua cabeça.

- Não tenho a mínima ideia, o que eu deveria fazer? – Ela questionou perdida.

- O que você quer fazer, Lydia? O que você quer fazer quando ver o Stiles?

- Dizer um obrigado? Ah! – ela exclamou exasperada – Eu não sei.

Lydia carregava um olhar triste mostrando o quanto estava perdida dentro de si mesma. Allison se apoiou na janela do carro que estava aberta, se aproximando da amiga.

- Quando você olhar pra ele de novo, faça a primeira coisa que tiver vontade. Mesmo se for transar. – Allison piscou fazendo a amiga rir. – Você vai conseguir. – Lydia sorriu, amava o quanto Allison conseguia ser companheira e compreensiva.

...

Stiles amava cozinhar, sempre acreditou que tivesse dom para aquilo e os elogios eram normais para qualquer coisa simples que ele fizesse, até mesmo fritar um bife.

Entretido em sua massa de bolo de chocolate, ele batia a mistura final na bacia, quase pronta para colocar na forma e assar.

O celular tocou o fazendo parar de mexer na massa e olhar o número para logo depois atender.

- Oi meu príncipe! – Stiles disse de uma maneira apaixonada querendo brincar com Scott.

- Você tá sozinho em casa? – Ao ver que o amigo não devolveu o apelido, Stiles se preocupou de uma certa maneira.

- Estou, o que é?

- Stiles, eu... eu preciso te contar uma coisa. – Scott disse completamente sem jeito.

- O que?

- Stiles, se você for me matar avisa pra eu me despedir pelo menos da minha mãe.

- O que é? Desembucha, anda logo! – Stiles mandou impaciente.

- A Lydia descobriu que você bateu no Jackson por causa dela, pronto. – Scott cuspiu as palavras em uma tentativa de que Stiles não entendesse, mas o amigo entendeu.

- O que?! Você contou? Eu te pedi pra não contar! – Stiles disse nervoso controlando a vontade de elevar a voz ao extremo.

- Eu não contei! – Scott se defendeu – Ela escutou eu falando pra Allison.

Stiles bufou e revirou os olhos.

- Scott, você namorou mais garotas que eu e não entende absolutamente nada delas. Você acha mesmo que a Allison não iria contar pra Lydia mesmo se ela não tivesse ouvido? Eu te pedi pra não falar nada pra ninguém!

- Stiles...

- Não adianta se defender, dessa vez você tá errado!

- Eu sinto muito. – Scott disse triste.

Stiles fechou os olhos e suspirou.

- Tudo bem, as minhas chances de transar com ela já eram pequenas mesmo – Stiles deu de ombros – Eu vou terminar o meu bolo, aparece aqui mais tarde.

Sem esperar a resposta do melhor amigo, Stiles desligou. Escondeu a irritação mas a mente queimava de ódio.

O que Lydia iria pensar agora? Quais seriam as chances deles continuarem naquele clima amigável?

Stiles voltou a mexer na massa, tentando esquecer a ruiva. Lydia havia mesmo virado a cabeça dele, ele sabia. Os efeitos que ela causava começavam a ser difíceis demais de lidar.

Quando escutou a porta abrindo, imediatamente Stiles se virou.

Ah não!

Lydia estava ali, e começou a andar em direção à ele sem tirar os olhos verdes do castanho.

- Ruiva! – Ele exclamou animado com um tom falso – Uma loucura como as notícias correm rápido, não? Eu posso explicar se você quiser.

- Não precisa. – Lydia foi rápida o suficiente para silenciar Stiles completamente.

A boca farta colou nos lábios finos. Lydia fechou os olhos decidida a se entregar ao turbilhão de sensações que a atormentou todo aquele tempo por causa dele, e Stiles, no primeiro momento não conseguiu.

Estava tão confuso que observou encantado Lydia colada em seu rosto. O coração de Stiles explodiu no peito, uma sensação incrivelmente boa e nova dominou o corpo pálido.

Lydia deixou o lábio superior no meio da boca de Stiles sentindo como ele iria reagir, e então tomou o controle. Ignorando completamente o quão alto seu coração batia nos ouvidos, ela moveu os lábios.

Alterou os movimentos com confiança e prosseguiu.

Maravilhado com atitude repentina, Stiles fechou os olhos desfrutando o gosto da boca excitante de Lydia.

Aos poucos os dois encontraram um ritmo perfeito, como uma verdadeira dança. As respirações estavam misturadas e toda a necessidade que sentiam um do outro foi entregue naquele momento único e incrível.

Haviam tantas perguntas que Stiles queria fazer, queria pensar em tantas coisas, mas naquele momento só conseguia se concentrar no quanto Lydia beijava bem.

Ela era decidida, os lábios fartos engoliam a boca fina com delicadeza, e era bom.

Ele precisava mais dela, todo o corpo exigia por algo que ele quis por um longo tempo. Stiles se concentrou nos movimentos, quis agradar Lydia e dar a ela a sensação de controle.

Mas não suportou sentir o corpo lindo tão longe. Passou os dois braços pela cintura e a puxou para perto, ela veio de bom grado.

Finalmente Stiles conseguiu apreciar o cheiro bom do perfume feminino misturado com as rosas do cabelo ruivo, a combinação era perfeita.

Stilinski colou completamente os corpos, e então subiu lentamente os dedos pelos dois braços da ruiva sentindo os pelos arrepiarem.

Os seios de Lydia foram apertados levemente contra o tórax coberto enquanto o arrepio se espalhava junto com a adrenalina.

Com sutileza, ele colocou as duas mãos no rosto de Lydia que suspirou entre o beijo. Novamente o toque de romantismo inesperado causou sensações diversas.

Aquilo era definitivamente o paraíso, o tempo estava congelado, mais nada importava.

Os lábios desconhecidos iam criando intimidade aos poucos. Se acariciavam e massageavam de um jeito prazeroso e único.

As mãos masculinas seguraram o rosto com delicadeza, fazendo Lydia se empenhar ainda mais em caprichar no controle dos lábios.

Lydia também ansiou por mais, levou as mãos decididas por baixo dos braços de Stiles e apertaram por cima da camisa lisa que ele usava.

As unhas fincaram de leve a pele causando uma emoção original em Stiles, algo que ele nunca havia sentido.

Lydia sentia o coração se negar a parar de bater descontrolado e borboletas dominarem o estômago, era bom, extremamente bom.

Ele beijava tão bem, ela poderia morrer com a sensação de devorar aqueles lábios espertos.

As pernas fraquejaram e isso só incentivou para que Lydia se colasse ainda mais em Stiles. O calor dos corpos se misturaram, se tornaram um só, era terrivelmente prazeroso.

Era uma eternidade, o beijo era duradouro e único demais para pararem.

Decidido a assumir e mostrar o quanto ansiou por aquilo, Stiles segurou o beijo por alguns instantes. Sugou o lábio inferior de Lydia para dentro de sua boca, ela gemeu.

A sensação de ser sugada com uma certa força e precisão nos lábios dava a certeza do quão bom Stiles era com a boca em qualquer coisa que ele fizesse.

Lydia quis que ele mordiscasse também, queria pedir para ele usar os dentes, mas não conseguiria interromper algo tão bom por um mero desejo.

Os dedos femininos tornaram a apertar as costas cobertas demonstrando o desejo que começava a crescer.

Quando Stiles soltou o lábio grosso, ele abocanhou a boca entreaberta que sugava um pouco de ar. Concentrado e guiado pelo desejo, ele deixou que a língua invadisse o começo da boca da ruiva.

Era como um pedido de permissão que Lydia aceitou sem hesitar. Quando percebeu a iniciativa, rapidamente Lydia misturou por completo as salivas.

As línguas se acariciaram, se conheceram pela primeira vez. De uma jeito íntimo e romântico os dois se entregavam cada vez mais ao momento.

Stiles assumiu, coordenou o beijo enquanto as mãos abandonaram o rosto de Lydia e desceram agarrarando a cintura feminina. Os dedos de Stiles apertaram de leve os ossos demonstrando o quanto ele estava satisfeito por aquilo.

Lydia se permitiu ser guiada e recolheu as mãos para o peito de Stiles, as deixou parada ali enquanto saboreava admirada toda a emoção que Stiles sentia.

Era uma sensação inexplicável para os dois, era muito melhor do que eles pensavam.

As respirações quentes e irregulares batiam no rosto um do outro, transmitindo o leve nervosismo que sentiam.

Toda a sanidade havia se perdido naquele pequeno e terno momento. Stiles se apossou do corpo pequeno, rodeou a cintura com os braços e deixou, envolvendo Lydia para si.

Mesmo com os cheiros misturados Lydia conseguia distinguir o perfume inebriante de Stiles, era ainda melhor de tão perto.

As mãos seguras da ruiva subiram pelo pescoço em um movimento delicado, e então os dedos devoraram a raiz do cabelo macio do Stilinski.

Os dedos dominando o garoto eram mais como um recado possessivo, Stiles gostou.

Sentir a ruiva tão próxima, sentir o beijo bom, o domínio e rendição dela, era sem igual.

O cheiro, toque, calor, beijo, tudo era incomparável. Naquele momento só existiam os dois no mundo, eles poderiam estar com qualquer lugar, mas só existiam os dois.

Era como uma conexão, era extremamente forte e extraordinário. Stiles não quis arrancar a roupa de Lydia, ele queria beijar o corpo dela.

Ele não queria simplesmente transar, ele queria amá-la, ela merecia.

Ele não queria soltá-la, não queria parar o beijo nunca. O sentimento de contentamento era eterno, sentir os lábios grossos o devorando, tocar nela, sentir ela se apossando dos cabelos, era inexplicável.

Era muito melhor do que ele havia imaginado todo aquele tempo, ela era muito melhor do que qualquer expectativa que ele tivesse.

Os lábios de Lydia fraquejaram, dando indícios de dor. Vencida pelo cansaço ela foi parando o beijo aos poucos, mas Stiles não parecia nenhum pouco disposto a aquilo.

Ela não queria parar, queria sentir aquilo para sempre, mas precisava. Afrouxou os dedos do couro cabeludo e deixou que as mãos voltassem ao peitoral.

Stiles pareceu entender o recado, foi parando a língua as poucos até que cessou o movimento. Ele respirou alto uma última vez e desconectou as línguas exaustas e viciantes.

Os lábios se desconectaram à contra gosto enquanto ainda tentavam decorar cada movimento que fizeram, os dois desejaram cravar aquele momento na memória eternamente.

Nenhum dos dois conseguiu abrir os olhos e se afastar de fato. Mesmo com os lábios separados e os corações palpitando tão alto ao ponto de quase escaparem dos corpos, os narizes ainda se encostavam.

Eles ansiavam alto por ar, os hálitos quentes se fundiram.

Com os olhos fechados os dois processavam o que havia acabado de acontecer.

A Lydia me beijou!

Eu beijei mesmo o Stiles!

Era uma breve e doce morte. A intimidade daquela ocasião era algo imensamente bom. Finalmente eles sabiam o gosto da boca um do outro, sabiam o quanto queriam aquilo.

Stiles manteve o nariz encostado no de Lydia, ele parecia chocado consigo mesmo e em como ele havia sentido coisas diferentes com ela.

Mesmo sem olhar, Stiles desejou tocar novamente no local mais delicado de Lydia. Ele segurou novamente o rosto dela com as duas mãos, a fazendo saborear a sensação de ser admirada daquela maneira.

Só então ele teve coragem de abrir os olhos, e não aguentou guardar para si o que estava vendo.

- Linda... – Ele sussurrou a admirando, ela manteve os olhos fechados com o elogio.

Os lábios grossos estavam vermelhos e levemente inchados, existia um pequeno rubor nas bochechas e o rosto parecia ainda mais delicado naquele momento.

A única coisa que Stiles conseguiu pensar foi no quanto ela estava linda. Observou também como os corpos estavam colados, o quão bom era ter ela daquela maneira, tão perto.

Sentir Lydia daquele jeito fazia Stiles morrer e viver mil vezes seguidas, era algo totalmente novo, inexplicável.

Como se testasse a sanidade de Stiles, ela mordeu o lábio inferior inchado, dando uma visão sexy e apaixonante para ele.

Tudo em que Lydia conseguia pensar era em como gostou daquilo, se ela soubesse que seria tão bom e inigualável daquela maneira ela teria feito o beijado antes.

Ela não conseguia pensar em mais nada que não fosse ele. O toque macio era arrebatador, apenas dele.

Todos os efeitos do beijo percorreram o corpo mole e entregue de Lydia. Afeto, desejo, carinho, alegria. Tudo era vívido demais, perfeito de uma maneira viciante.

Lydia abriu os olhos e encontrou o castanho claro brilhando enquanto a olhava. Os olhos dele transmitiam tanto carinho, e novamente muita luxúria.

Admiração, alegria, satisfação, tudo estava ali naquelas íris tentadoras e lindas. Lydia se derreteu, um suspiro escapou da boca cansada.  

Ele estava estupidamente bonito. O cabelo bagunçado, os olhos atentos, a boca entre aberta e mais rosada que o normal. Ele era lindo de uma maneira impossível de suportar.

As respirações se acalmaram e mesmo assim eles não conseguiram se desgrudar e nem falar nada. O silêncio dominou a casa inteira, o clima era mais curioso do que intimidante.

Stiles acariciou o rosto delicado para logo depois soltar, voltou as mãos para a cintura.

- Isso foi bom, ruiva. – Stiles disse enquanto sorriu.

Não conseguiu imaginar mais nada para dizer além de elogiar a garota pelo beijo incrível. Ela sorriu tímida, as bochechas coraram levemente e o verde dos olhos transbordaram alegria pela fala dele.

Lydia não conseguiu falar, ainda absorvia tudo e mais uma vez naquele dia Stiles a surpreendeu. Ele se elevou um pouco e com facilidade depositou um beijo doce e breve na testa da ruiva.

Uma mão da cintura subiu para a raiz dos cabelos ruivos onde acariciou, Lydia suspirou encantada com ele.

- Foi tão ruim assim que você não quer falar? – Stiles comentou brincalhão, os dois riram.

Parecia eterno, eles queriam que realmente fosse.

- Foi bom, bom demais. – Ela disse convicta enquanto recebia o cafuné relaxante.

Rendida ao toque desconhecido, Lydia encostou por completo a cabeça no tórax de Stiles. Os braços passaram pelos ombros e o envolveram.

Era tão bom e diferente que Martin duvidou se era mesmo real. Novamente ela se entregou à ele e as sensações que ele causava.

Saboreou o perfume encantador enquanto os lábios pararam na clavícula levemente saltada na camisa. Lydia se sentiu protegida e amada, não queria ir embora, queria ficar para sempre naqueles braços.

- Por que nos odiamos? – Stiles perguntou sem parar o cafuné.

- Eu não sei. – Lydia respondeu triste sem ter coragem de olhá-lo.

Stiles riu fraco.

- Porque não selamos um acordo de paz? O que acha?

Lydia afastou o rosto do peitoral e olhou para ele.

- Parece bom pra mim. – Os dois sorriram.

A ruiva observou ele de perto decidida a gravar todos os detalhes. As pintinhas, as veias do pescoço, a boca bem desenhada.

- Por que não me contou que tinha me defendido?

Stiles ergueu as sobrancelhas e suspirou surpreso pela pergunta.

- Achei que seria melhor não contar.

- Achou errado, Stilinski. Considere esse o meu pedido de agradecimento.

Stiles mordeu o lábio inferior enquanto os lábios lutaram para formar um sorriso.

- Pedido considerado, ruiva.

Lydia sorriu sem jeito para o chão e logo depois se deu conta de que precisava ir para a casa.

- Eu preciso ir.

Stiles sentiu o coração murchar, a aproximação era tão boa que não queria que acabasse. Lydia se aproximou mais uma vez dele, respirou alto gravando a fragrância em sua mente e logo depois encarou os olhos castanhos.

Stiles tirou as duas mãos do corpo da ruiva observando cada movimento dela, tentando não transparecer toda a tristeza que estava sentindo.

- Podemos estudar história amanhã, o que acha? – Ele sugeriu, e ela confirmou repetidas vezes com a cabeça.

- Ótima ideia! Sim! Então... tchau. – Ela disse um pouco tímida, se afastando em passos curtos ainda de frente para ele. O corpo inteiro protestando pela distância crescente e o fim do carinho.

- Tchau, ruiva.

Lydia se virou de costas e foi para a porta, Stiles a observou até ela sair da casa.

...

- Ela beijou você?! – Scott exclamou praticamente gritando para o amigo.

Stiles contou todos os detalhes do que havia acontecido ao melhor amigo enquanto bebiam algumas cervejas no sofá da sala.

- Sim, beijou. – Stiles disse um pouco incerto.

- E porque você não parece feliz?

Stilinski sobressaltou do sofá falando apressado.

- É claro que eu estou feliz! A ruiva beija melhor do que eu pensei e ela é linda, eu só não entendi algumas coisas. Você já sentiu o coração querer explodir dentro do peito? Tipo uma palpitação sem fim? – Ele perguntou olhando o amigo enquanto dava um gole na latinha.

- Sim, quando eu beijei a Allison. Você realmente não sabe que está apaixonado por ela? Você já sentiu isso antes.

- Não, nunca senti. Eu já disse que me sentia bem com a Malia, mas não era desse jeito. A Lydia é... diferente. – Ele disse a palavra de uma maneira convicta.

Scott suspirou com a negação do melhor amigo.

- Stiles, presta atenção. – O garoto o observou – Você tem vontade de cuidar dela, de fazer carinho, de falar coisas bonitas e de ficar com ela. Você sabe disso, ela mexe com você. Admite que você quer transar com ela muito mais porque quer fazer ela se sentir amada do que pra aumentar o seu ego.

- Apelou demais, não é assim. – Stiles protestou – Pelo menos eu acho que não é assim... – ele disse duvidoso.

- Você sabe que tá gostando dela, você sabe o que sentiu  com o beijo. Me diz, tinha mais tesão ou carinho?

- O que? Como assim?

- Stiles, cala a boca. – Scott brigou – Anda, pensa e responde.

Stiles revirou os olhos com o amigo, impaciente ele obedeceu. Se lembrou de todas as sensações que sentiu com a ruiva, de como amou ficar tão íntimo dela e ainda mais de como gostou de poder acariciá-la.

Ele nem sabia onde estava aquele ódio que ele sentiu todos aqueles anos, só queria ela.

- Tudo bem, talvez eu esteja mesmo apaixonado. – Stiles suspirou se dando por vencido, Scott sorriu. 


Notas Finais


Vocês gostaram? Acharam a referência? Me digam o que vocês sentiram! Amo vocês, até!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...