História Consequências de uma vingança - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Hunter x Hunter
Personagens Chrollo Lucilfer, Kurapika
Tags Chrollo, Kurapika, Kuroro
Exibições 36
Palavras 3.342
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Ladyaranha: Vai miga!
-Oi pessoas eu sou a Lorena, a garota que ajuda a lady com o roteiro de Uma jornada inesperada. Como disse antes eu sou nova no universo mangá/anime e por consequência no universo fanfic também.
A fic que eu irei postar agora e minha primeira. Depois de muito enjoar, a lady disse que eu poderia escrever uma fic,que ela postaria aqui usando a conta dela
Leitores: Pq você não abre uma conta?
Eu: Pq essa fic e apenas um teste, quero me ver como me saio nesse universo, dependendo do resultado eu posso pensar em abrir uma conta.
Lady: Sem falar que ela não é geek e quase não tem base para escrever fanfic.
-Obrigado, miga.
-De nada tomodachi
-Depois de pesquisar vários gêneros de fanfic eu me interessei pelo o M-preg, porque eu acho que é um gênero que você tem que ter muita criatividade para escrever a historia. Afinal você tem criar um motivo para que o homem engravide, e tem que ser um motivo muito bom.
Lady: É eu sou a Ladyaranha, dona da conta, eu estarei ajudando ela nos bastidores. Dando dicas para o roteiro, e passando a limpo, pq a Lorena e muito retardada, ligou o computador durante uma tempestade, deu um raio e o bicho queimou. HUEHUEHUE
-Então já sabem né, os erros de gramaticas são culpa da lady.
-A é. Eu gostaria de contar aqui e a paixão da estrela não virou uma fic longa, pq alguém muito invejosa também decidiu escrever um M-preg.
-Mentira gente, ela não quis continuar a paixão de uma estrela, pq que é uma vadia preguiçosa e falou que ia ficar muito puxado para ela. Agora da dando desculpa
-Que mentira sua ragabunda!
Lady e Lorena iniciam uma briga
Lorena: Aproveitem a leitura enquanto e mato minha amiga
Lady:Se me matar não pode postar a fic, você não tem a senha.
P.S leiam as notas finais

Capítulo 1 - Aprisionado x declaração de amor


Fanfic / Fanfiction Consequências de uma vingança - Capítulo 1 - Aprisionado x declaração de amor

No escritório da mansão Nostard, Raito Nostrad estava tendo uma reunião com uma mulher misteriosa.

-Tem certeza disso?

-Absoluta, eu sou a melhor no que faço. A mulher entrega um foto para ele

-Incrível.

-Se coloca-lo a venda no leilão conseguirá um bom dinheiro

-E com esse dinheiro eu posso me reergue.

-Se usar o dinheiro com sabedoria, sim. Mas soube que ele é muito forte, antes de vendê-lo precisa captura-lo.

-Eu tenho um plano.

---------

Pense em um mês cansativo. Seu patrão tinha o mandado para varias missões, para recuperar os poderes da filha dele, mas no final, todas não passavam de missões furadas, embasadas em boatos, onde ele acabava lutando com varias pessoas. Teve momentos até que ele se exaltou e ficou com os olhos vermelhos.

Mas tudo isso estava preste a acabar, essa seria sua ultima missão, quando acaba-la pediria demissão.

-Kurapika!

-Senritsu

-Você que ficou encarregado de cuidar do ser raro que eles capturaram?

-Foi. Eu estou indo lá ver o que ele é agora

-Eu soube que é algo muito raro, e será vendido no leilão. Para o patrão recuperar  o dinheiro que perdeu.

-Senritsu!

-Senhor.

-Não mandei você e o Basho pegarem algo para mim na cidade vizinha

-Claro senhor. Cuide-se Kurapika

-Kurapika, vamos. Eu quero te mostrar o que capturamos.

O loiro segue seu patrão até o terceiro subsolo da mansão, onde tinha um gigantesco cofre.

-Ele está ai. A porta e aberta, Kurapika entra, mas não vê nada.

-Onde ele...

O loiro sente uma picada em seu braço, sua visão fica turvo, seu corpo fraco, e ele tomba no chão.

------

Minha cabeça doi não consigo me mexer, estou em uma gaiola. Olho para cima e vejo meu patrão.

-Ola,Kurapika!

-Senhor Nostrad. Onde estou?

-Desculpe Kurapika, você é um bom funcionário, eu não faria isso se não estivesse precisando.

-Fazer o que?

-Vende-lo. Diz o Homem mais velho, tranquilamente.

-Me vender? Por quê?

Raito se abaixa. - Por que não me contou?

-Contar o que?

-Você é um Kuruta.

Os olhos do mais novo se arregalam. –Como é?

-Não precisa esconder mais. Eu já sei de tudo. Contratei uma pessoa para me ajudar a recuperar o dinheiro que eu perdi. E ela me trouxe provas da existência de um Kuruta verdadeiro.

-Não sei o que você está falando.

O mais velho mostra uma foto para ele.

-Esse aqui com olhos vermelhos, não é você? Se não me engano, os olhos vermelhos são uma característica do povo Kuruta.

...

-Eu também tenho vídeos, eles passarão na tela, na hora que você for apresentado. Já até imagino a cena, assim que você entrar, os vídeos passarão e as ofertas altíssimas começarão a surgi do nada. Sabia que o lance inicial e de 1.000.000.000, você e um menino valioso. -Raito falava isso sorrindo

-O leilão vai começar. Espero que o seu comprador seja uma boa pessoa.

Kurapika não acreditava no que ouvia. Não podia ser verdade, ele sempre teve o maior cuidado para não deixar seu segredo escapar.

-Ele não sabia o que fazer, não podia se mexer, por causa do sedativo.

-Será que esse é meu destino, ser vendido como um objeto qualquer, e passar o resto dos meus dias como um escravo? Será que nunca poderei recuperar os olhos do meu clã?

-Logo agora que eu tinha mudado as prioridades da minha vida.

Ele ouve um barulho, provavelmente o pessoal vindo buscar as mercadorias.

-Esse é o fim, só o que me resta é rezar para que um anjo venha me salvar.

O cofre fica todo escuro, de repente tudo começa a balançar.

-O que está acontecendo?

-------

-Eu não acredito isso e muita sorte.

-Não se anime, recebemos ordem de não tocar nele.

-Eu sei, mas quando ele acordar...

-Quando ele acorda também não poderão tocar nele.

-Danchou, você chegou.

-Como ele está?

-Dormindo, mas a febre baixou.

-Ele estaá fora de perigo?

-Sim

-Ótimo, me deixem sozinho com ele.

-Tem certeza?

-Tenho, ele está preso, não significa ameaça para mim.

-Se o senhor diz. Vamos Nobunaga.

Kuroro passa a mão pelo rosto de Kurapika.

-Não sei se isso é muita sorte ou muito azar.

----

O loiro acorda tonto e com um gosto ruim na boca.

-Onde eu estou? Ele tenta se levantar, mas, bate a cabeça.

-Ai! Quando sua vista desembaça, ele percebe as grades em sua frente.

-Aé!Eu fui preso pelo meu patrão. Mas aqui não parece o cofre do leilão.

Ele olha em volta. -Será que eu já fui vendido, tem varias caixas que estavam comigo no cofre.

Ele olha para seus pulsos e vê uma algema com uns símbolos estranhos. –Isso e novo

 O loiro ouve barulho de conversa

Assim que Machi e Kortopi surgem ele grita.

-Ele acordou. Vamos chamar o Danchou

Kuroro entra na sala, seguido pelos outros membros da Ryodan

Kurapika se encolhe na gaiola.

Kuroro se abaixa para ficar cara a cara com o mais novo

-Quando tempo cara da corrente. Ou melhor, Kurapika

....

-Sentiu nossa falta? Muitos aqui não conseguiram de esquecer.

Apesar de Kuroro falar em seu tom habitual, o loiro podia sentir certo sarcasmo vindo do mais velho.

Kuroro levanta-se e chama seus membros para fora.

Kurapika bate a mão na testa. Ele estava fudido.

Sabia que Kuroro tinha recuperado seu nen, e que um dia buscaria vingança. Mas esse era o pior momento para isso acontecer, ele estava preso, com dificuldades para se mover e pelo jeito não conseguiausar seu nen

-Fui do fogo para a frigideira.

---------

-Faltam 3 dias para terminar o leilão.Ontem percebemos que eles contrataram mais usuários de nen, por isso resolvi mudar a estratégia e hoje a noite.

-1- Não usaremos mais o blackout

2...

-Danchou

-Pois não Nobunaga

-Não acha que deveríamos conversar sobre outra coisa

´-Que outra coisa?

-O que faremos com Kurapika

-Como assim? Ele e uma mercadoria que foi roubada, deve ficar juntos com as outras mercadorias até eu decidi o que fazer com eles

-Mas ele não é uma simples mercadoria. Ele é o cara que matou dois dos nossos.

-Eles morreram, justamente por que deram muitaatenção ao Kurapika.Dessa vez será diferente, nos focalizaremos no leilão, e depois se sobrar um tempo no Kuruta

Nobunaga senta emburrado num canto.

--------

Anoitece

Kuroro entra na sala, deixauma bandeja perto do loiro e senta-se em uma pedra

Kurapika olha com desconfiança para a bandeja

-Não está envenenada.

-Quem me garante isso?

-Acredite se fosse para te matar seria de uma forma lenta e dolorosa. Não com um simples envenenamento

-Kurapika pega o prato e copo e coloca dentro da sua jaula, termina de comer e fica encarando Kuroro

-Encarar é falta de educação.

-Serio? Por que, eu me lembro de alguém que ficou me encarandodurante um sequestro

-Naquela época eu estava surpreso não esperava que o cara da corrente fosse mulher, e de fato não é. Mas você? Estava me encarando por quê?

-Não estou encarando você. Estou encarando a parede atrás de você. Não tenho nenhum motivo para olha para essa sua cara feia

-Me acha feio? Engraçado desde pequeno o povo elogiava minha aparência

-Eles deviam cegos ou loucos

-Até aquela garota, como era o nome dela mesmo... Neon. Ela disse que eu era bonito.

Viu só a Neon é doi...Perai você conheceu a Neon?

Kuroro volta sua atenção para o livro que estava lendo

-Hisoka me contou de sua habilidade. Então é por isso que elas não podem mais usar seus poderes. Isso que dizer que.... E sua cupla eu ser levado para ser vendido no leilão

Kuroro levanta uma sobrancelha. –Como é?

-O meu patrão só me vendeu, por que Neon ficou sem os poderes e ele entrou em falência.

O moreno sai do seu lugar, senta ao lado de Kurapika, mas fora da jaula, logico.

-Então seu patrão descobriu que você é um Kuruta, por isso ia ser leiloado. Faz sentido um par de olhos escarlates vale milhões, mas um Kurutavivo, deve valer uma fortuna.

-Sim eu valho uma fortuna, diferente de você que não vale nada

O moreno segura Kuraika pela camisa e força a cara do garoto contar a grade

-Olha como fala! Não pense que só porque não te machuquei até agora que eu não posso fazer isso.

-Sabe esse seu chefe é muito idiota, ele acha o ultimo Kuruta do mundo, e o vende. Se eu tivesse um Kuruta em mãos, eu ficaria com ele. Afinal um Kuruta pode transar com um ser humano normal e ter filhos com olhos escarlates, certo?

-No que você está pensando?

-Só que você é uma fabrica de Kurutas

-Seu maltido.

-Maltido? Eu estou lhe dando a oportunidade de não ser mais o único de seu clã. Mas é claro que eu não deixaria você cuidar de seus filhos.

Kurapika cospe na cara de Kuroro.

O mais velho, limpa o rosto e bate a cara de Kurapika fortemente na grade.

O loiro desmaia

-Viu o que você me fez fazer? Obrigou-me a machucar seu lindo rosto

Kuroro pega um pano e limpa a face de Kurapika

Aproveitando que o loiro estava desacordado Kuroro passa a mão nos lábios do menor e depois a desce até o peito do mesmo

Vozes são ouvidas, o roubo de hoje tinha acabado.

Tsc! Amanha você não escapa meu lindo Kuruta

--------

Kurapika acorda com uma voz lhe chamando

Kurapika! A voz era feminina

Ele abreos olhos e vê uma menina de cabelos curtos e pretos

-Acordou

-O que você quer?

-Me acompanhe

Kurapika e retirado de seu quarto e levado para um imenso corredor cheio de portas

-Entre aqui.Shizuku aponta para um banheiro

-Para que isso?

-Você ficou preso muito tempo, deve está com alguma necessidade pendente.

A morena lhe entrega roupas. –Espero ter acertado no tamanho

-Roubaram roupas para mim?

-COMPRAMOS ordem do danchou.

-Por que ele fez isso?

Sei lá, entre no banheiro. - Shizuku retira as algemas do menino. Não pense em fugir, o banheiro está cercado por todos os lados.

O loiro sai do banheiro de banho tomado e é levado de volta para seu quarto. Para sua surpresa ele não é colocado na jaula e sim em um colchão velho.

-Shizuku coloca as algemas de novo no loiro. Depois pega uma badeja com sanduiches e um suco e poda ao lado do Kuruta

-Vai ficar um tempo sozinho, não fuja. Temos ordens de quebrar seu pé caso faça isso.

--------

Hoje depois que vocês roubarem os itens do leilão eu quero que façam uma missão extra

-Missão extra?

-Quero que vocêsexecutem.

--------

Kuroro senta no seu já costumeiro lugar

-Ei!Por que não me colocou na gaiola?

Recompensa por bom comportamento.

Bom comportamento?

-É. Você não tentou fugir, não vez escândalo, não puxou briga com ninguém.  Continua petulante e língua afiada, mas está longe de se comportar como eu achei que iria.Alias eu estou incomodado de por que você está tão quieto.

-Nenhum motivo especial. Eu só mudei minha forma de pensar e agir contra vocês

-Não quer mais se vingar

-Claro que eu quero, mas eu só estou dando ênfase na busca pelos olhos de meu clã.Depois de juntar todos eu decidiria o que fazer com você.

-Você não nos odeia mais?

-Odeio, mas parei de tratar vocês como o centro de minha vida.

-Ainda não respondeu minha pergunta

-Eu já sabia que um dia vocês iriam buscar vingança, afinal, vocês não gostam que tirem nada de vocês e eu como matei dois dos seus, estava marcado para morrer. Por isso me conformei com meu destino quando vi que fui capturado por vocês.

-Quem diria aquele rapaz cego de vingança. Que me bateu e ficou surpreso por eu ser conformado com a morte, hoje também e conformado com ela. As pessoas mudam

-Verdade, até você mudou, está mais falante. O que aconteceu? Entrou em um grupo de auto-ajuda?

Kuroro ri. Você mudou quando conheceu melhor a gente, e eu mudei quando conheci uma pessoa.

-Vocêestá apaixonado? O loiro pergunta com uma voz debochada.

-Acho que sim

-Kurapika se surpreende. Isso é serio?

-Surpreso, eu também fiquei

-Quem é essa mulher?

-Na verdade é um homem

-O Kuruta se engasga.

O que foi? Tem alguma coisa contra?

-Não, eu soube que está na moda ser gay.

-Ele me chamou atenção desde a primeira vez que o vi. E mesmo depois do que ele me fez, não consigo tira-lo da cabeça.

-Esse cara também não gosta de vocês?

-Não.Essa pessoa nos odeia. Kuroro coloca a mão nas pernas de Kurapika.

O que você está fazendo?

-Quer saber quem éele ?

-Não

-Ele é loiro, forte, sabe se impor, cabeça dura, matou dois dos meus companheiros e...Fica lindo vestido de mulher

O moreno da um beijo nos lábios de Kuruta

-E esse homem é você.

Kurapika empurra Kuroro para trás.-O que pensa que está fazendo?

-Me declarando.

-Você ta bêbedo, só pode.

E difícil, acreditar que estou apaixonado por você

-Claro! Eu matei dois dos seus

-Nem todo mundo e maluco por vingança que nem você, Kurapika.

-Ainda assim é loucura

-Isso significa que eu não tenho chance alguma. -Kuroro fala em um tom triste

-Claro que não.

-Certo. Eu imaginava. Por isso tenho uma proposta para você.

Proposta?

-Que ir embora daqui não é.

-Quero

-O problema e que você não é um refém, é uma mercadoria roubada. Só posso deixar você ir se pagar sua soltura.

-Eu não tenho dinheiro.

-Não quero dinheiro, quero algo que desejo há muito tempo, mas parece que nunca o terei.

-O que?

-Você. Eu te deixo ir se transar comigo

O queixo do garoto cai no chão

-FICOU MALUCO!!!

-Acho que sim

-O que vai acontecer se eu disser não.

-Nada, meus companheiros voltarão do roubo, a missão vai acabar e você será levadopara Meteor City onde ficara comigo por muito tempo.

-Quer dizer que eu vou ter transar com você de uma forma ou de outra.

-Não. Eu jamais transaria com você sem sua permissão. Sou um ladrão não um estuprador. Você só ficaria preso para sempre.

-Quer dizer que eu tenho duas opções. A primeira eu não transo com você, mas fico ao seu lado para sempre.

A segunda, eu transo com você e você some da minha vida.

-É. Mas é sem pressão, não quero te força a nada. Pense um pouco é uma decisão importante.

Kurapika abaixa os olhos.

Ele não pode está falando serio, mas ele falou que está apaixonado por mim, eisso é normalpara dois apaixonados.

Mas eu não gosto dele. E nunca fiz sexo com ninguém, estava muito ocupado me vingando.

Sem falar que não sou gay. Quero dizer, eu nunca me senti atraído por homem nenhum, mas também nunca gostei de nenhuma mulher.

Kurapika

-O que é?

-Vou buscar uma coisa para comer, está com fome?

Não

-Que pena, eu estou louco para comer.

-Você disse que não iria me pressionar

-Não estou, mas você tem até os outros voltarem. Depois disso, a proposta vai ser retirada.

-Tudo bem.Kurapika fala

-Serio? Não quer pensar mais um pouco?

-Eu acho que transar com você e menos nojento do que passar o resto de minha vida ao seu lado.

-Ok. O mais velho já vai tirando suas roupas, deixando a mostra seu corpo definido.

Kurapika desvia o olhar.

Não vai tirar suas roupas?

-V-vou -Kurapika tira suas roupas, ainda com o olhar baixo, mas ele sente que Kuroro o está olhando.

Pronto

-Essa é sua primeira vez?

-Claro

- E a minha primeira também, eu prometo que pegarei leve com você.

POV Kuapika

Ele me deita no colchão e sela um beijo nos meus lábios.

-Viu não e tão ruim

Ele me beija de novo, mas desta vez enfia a língua.Quando o ar acaba ele para e me olha

-Você é uma graça, Kurapika.

Ele desse para meu pescoço e começa a distribuir beijos, lambidas e caricias. Primeiro no meu pescoço, depois em meu peito, barriga, até chegar em minhas partes intimas.

Ah senhor, ele não vai fazer aquilo, vai?

Kuroro espere!

Kuroro começa a me chupar

Caramba isso é bom. Aperto as cobertas

-Ok, sua vez

Kuroro senta na minha frente. Eu entendi bem? Ele quer que eu o chupe.

-Vamos Kurapika

-Já vai merda, e difícil para mim.Eu pego o pênis dele e com muita vergonha o coloco na boca.E mais difícil do que eu imaginava.

-E muito grande para você? Kuroro pergunta com uma voz debochada

Eu aperto o pau dele.

-Ai! Ta bom! Desculpe.

Agora é uma questão de honra, eu vou engolir até o talo, só para mostra para ele.

Engulo cada centímetro, devagar e com jeitinho até conseguir chegar na base.

-Ta bom, já chega. Kuroro diz retirando minha boca de seu pênis

Agora que eu estava pegando o jeito... Merda o que estou pensando.

-Huhuhu .Você ficou excitado, temos que dar um jeito nisso.

Olho para meu pênis. Droga eu fiquei duro pagando um boqute para um cara

Kuroro me coloca de quatro, ele enfia um dedo dentro de mim e começa afazer movimentos circulares.

-Relaxe que será mais prazeroso

Ele abre bem minha nádegas e coloca seu pênis, na entrada de meu orifício.

-Eu vou colocar agora.

Kuroro entra com uma certa dificuldade dentro de mim. Uma sensação estranha percorre todo meu corpo.

As entocadas começam lentamente mas, depois vão aumentando a cada segundo que se passa. Quando dou por mim estou gemendo

-Eu disse que seria prazeroso

-Devagar. Eu falo com uma voz mais sexy do que queria. Isso parece que excitou ainda mais Kuroro, pois ele me coloca na posição de frango assado, e mete deforma mais violenta.

-Para, ta machucando! Digo gritando

Os movimentos sessam.Kuroro está olhando para mim

Seu rosto estava vermelho de vergonha, alguns fios de cabelos estavam pelo rosto dele, seu suor escorria pelo corpo. Ah! Ele estava tão lindo.

Kuroro senta do meu lado

-Não consigo me segurar fazendo isso com você. E melhor você fazer seus próprios movimentos, assim eu não corro o risco de machuca-lo. Ele me coloca em seu colo.

Fico envergonhado, sinto seu membro contra minha bunda.

-Ande Kurapika.Kuroro ordena

Eu pego seu pênis e e coloco gentilmente dentro de mim. Essa posição e constrangedora. Kuroro fica olhando diretamente para mim.

Para tentar me acalmar eu olho para baixo .Devagar eu começo a fazer os movimentos. De cima para baixo, de baixo para cima. Aos poucos eu aumento o ritmo e por fim acabo me deixando levar pelo êxtase.

Coloco minha mão na boca para abafar os gemidos.

-Se fica fazendo essa cara, eu não aguento.

Kuroro retira minha mão e me beija.

Para surpresa de nos dois, eu retribuo o beijo.

As nossas línguas dança perfeitamente dentro de nossas bocas, os corpos colados, as caricias, eu não suporto acabo gozando e melando o abdome dele.

Como vingança Kuroro goza dentro de mim.

POV off

-------

Ao termino da foda não sabemos com agir um com o outro

-Como prometido, você pode ir embora, Kuroro se levanta mexe no bolso de seu casaco, retira uma carteira eentrega umas notas de dinheiro para mim.

-Não sou um prostituto!

-Eu sei. Isso não é um pagamento pelo sexo. Eque você, não pode voltar para o local do leilão. Por isso, sugiro que vá até a cidade vizinha e lá pegue um dirigível. Mas para isso precisa de dinheiro.

-Eu não quero é fruto de roubo

-Você trabalhava para a máfia, seu pagamento vinha de coisas ilegais.

-Isso é verdade mas...

-Pega o dinheiro! Ordena

-Ta bom. Mas é por que não tenho escolha

-------

A noite estava fria, estrelada e serena.

-Vou embora antes que os outros voltem.

-Antes de ir. Kuroro segura à mão do loiro e lhe entrega um pedra preciosa

Era um rubi em forma de coração.

-Para que isso?

-Um presente e antes que reclame, não foi roubado eu achei o rubi e mandei esculpi nessa forma.

O loiro coloca a pedra no bolso. –Obrigado- Diz ele

-Tchau desgraçado da correte

-Tchau

Kuroro observa o loiro entra na mata e desaparecer.

-Eu te amo.


Notas Finais


Lorena: Só agora diz que o ama?Kuroro vacilaum
Ladyaranha: Ta esperando o que? Correatrás do seu bofe colega, deixa escapar não
Lorena: Espero que tenham gostado, é minha primeira fic, então eu acabei me empolgando na escrita, e o primeiro capitulo, ficou enorme.
Por falar nisso, vcs gostam quando um capitulo e muito grande e ocorre varias coisa ou preferem um menor onde as coisa vão acontecendo devagar?
Devem ter percebido que o lemom foi escrito em primeira pessoa, fiz isso só para inovar, já que a maioria das fics escrevem lemom e terceira pessoa. Digam o que acharam? Por favor respondam e uma pesquisa de mercado.
A lady disse que vcs aqui se despendem com um kissu de alguma coisa gostosa então...
Kissu de Kuroro pra vocês


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...