História Consequências do destino - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Tags Narusasu, Shiita
Visualizações 82
Palavras 1.329
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Incesto, Mutilação, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi!

Desculpem a demora para atualizar, mas as últimas semanas foram bem corridas lá na minha empresa e eu não tive tempo de entrar no site, mas agora consegui voltar e atualizar tudo direitinho. Espero que gostem do capítulo.

Capítulo 11 - Voltando ao Inferno


Fanfic / Fanfiction Consequências do destino - Capítulo 11 - Voltando ao Inferno

Sentiu sua cabeça doer, assim como todo o resto de seu corpo, levantando-se com dificuldade da cama e sentando-se, alertando a ruiva sentada mais afastada e que correu ao seu encontro.

 

- Filho, como está? – Kushina perguntou, passando a mão nos fios dourados tão iguais aos de seu marido, ouvindo o menor soltar um gemido e olhar confuso para o lado, arregalando os olhos ao notar a figura pequena sentada no chão ao lado de sua cama, com a cabeça deitada no colchão e uma das mãos ainda segurando a sua.

- Sasuke... o que ele... – estava confuso, não lembrava-se de mais nada desde a cabana ao qual estava amarrado, sendo agredido e torturado.

- Sasuke te encontrou e te trouxe pra casa filho. Já fazem três dias que você está desacordado, ele não saiu do seu lado nem um minuto. – a ruiva falou com um sorriso pequeno e o loiro suspirou, passando a mão livre nas mechas negras, acordando inconscientemente o menor, que coçou o olho sonolento com uma das mãos, antes de fitá-lo e arregalar os olhos, pulando em si, o abraçando.

- Naru... finalmente acordou... – o moreno falou, abraçando-o apertado, sentindo as mãos do mais velho em suas costas, correspondendo seu toque – Eu fiquei tão preocupado, pensei que fosse te perder. Me perdoa, a culpa foi minha, eu...

- Shhh! – o loiro colocou um dedo no lábio do menor, logo passando outro no rosto pálido, secando sem sucesso as lágrimas que ainda insistiam em cair – Você não tem culpa de nada.

- Mas, o meu pai... – foi interrompido novamente pelo maior.

- Sasuke, você não tem culpa do que seu pai faz ou deixa de fazer. Pare de se culpar, por favor. Agora me diz, como conseguiu fugir? E como me encontrou? Ele não fez nada com você, não é? – o alfa falou, pegando nas duas mãos do menor, que sorriu fraco.

- Bom, digamos que eu saí da mesma forma que você entrou. – os olhos azuis arregalaram-se ao ouvir aquelas palavras.

- O que? Você saiu pela janela? Mas Sasuke, você tem medo de altura. – o loiro pronunciou atônito e o menor assentiu.

- Sim, mas você era mais importante. – o moreno falou e o maior paralisou, sentindo seu coração aquecer pelas palavras alheias e sorriu, levando uma mão ao rosto do outro, aproximando o seu próprio, até estar a centímetros e poder sentir a respiração ofegante do ômega, que distanciou-se repentinamente, com o rosto corado, o que fez o alfa estranhar.

- Sasuke? – Naruto chamou-o confuso pela atitude repentina e viu-o abaixar a cabeça.

- Naruto, eu tenho que ir. – o Uchiha falou e o Uzumaki levantou-se em um pulo, sentindo-se zonzo e cambaleando, o que fez o moreno correr ao seu encontro, segurando-o e sentando-o de volta na cama.

- Sasuke... eu fiz alguma coisa errada? – o loiro perguntou e o menor negou com a cabeça.

- Não, você não fez nada errado, mas eu tenho que ir. Adeus Naruto. – o menor falou, depositando um beijo na testa alheia, sentindo seus olhos voltarem a arder e saindo correndo daquele lugar, não poderia desabar na frente do outro.

 

_____     x    _____

 

            Os olhos negros ardiam e um sorriso discreto transparecia no rosto pálido, nunca fora de ficar olhando a vida passar por sua janela, porém a imagem daquelas crianças correndo pelo jardim florido do hospital era algo tão puro que não pôde deixar de emocionar-se, levando inconsciente as mãos ao ventre, onde seu filho crescia dia-a-dia. Como ele seria? Como se pareceria? E principalmente, ele poderia algum dia ter uma vida normal ou viveria naquele inferno junto a si? Fechou os olhos, inspirando o vento gélido que atravessou a janela, assustando-se ao sentir dedos longos tamparem seus olhos, logo ouvindo uma risada conhecida, que o fez suspirar em alívio.

 

- Shisui? – testou, sentindo a mão alheia deixar os seus olhos e virando-se, encontrando as orbes negras, tão iguais as suas.

- Te assustei? – o mais velho falou com um sorriso que o fez corresponder, era incrível que mesmo com tudo o que estava acontecendo em sua vida era só olhar para a face alegre de seu primo que já sentia vontade de sorrir também, como se não houvessem problemas, como se pudesse resolver qualquer coisa.

- Eu estava distraído. Izumi? – olhou para os lados, notando a falta da presença feminina.

- Está aguardando lá embaixo. – o maior respondeu, pegando as coisas em cima da cama – Pronto pra ir?

- Tenho que estar, não é? – respondeu e viu o alfa virar para si com uma feição séria.

- Ei, não precisa se preocupar, eu não vou deixar nada de ruim acontecer com você, nem com o seu filho. – o mais velho falou, depositando uma mão na barriga do menor, que assentiu corado – Agora vamos, antes que Izumi afunde o chão da sala de espera de tanto andar. – estendeu uma mão para o menor, que sorriu, aceitando-a. Andaram distraídos, cada um em seus próprios pensamentos e por um momento o ômega sentiu-se feliz e aliviado, ao encontrar apenas a figura da ômega andando em círculos pelos corredores da sala de espera, antes de sair correndo ao seu encontro e abraçá-lo.

- Itachi, nem acredito que foi liberado finalmente. – a mulher falou soltando o abraço, desmanchando o sorriso formado em seu rosto assim que notou a mão grande tocar o ombro do outro, que estremeceu ao reconhecer o toque, virando-se lentamente e sentindo seu coração pular em seu peito ao reconhecer o último rosto que queria ver naquele momento.

- Onde o meu maridinho pensa que vai? Eu disse que voltava pra te buscar, não disse querido? Não vai querer me desobedecer, não é? – o azulado falou, aproximando-se do menor e sussurrando em seu ouvido – Ou vai querer ver os seus amiguinhos presos? – apontou para os guardas do hospital, que os fitavam com olhos estreitos. O ômega estava assustado, não queria ir com o marido, tinha medo do que Kisame pudesse fazer consigo assim que estivesse sozinhos, porém diante daquela ameaça o que poderia fazer? Acabou assentindo, acompanhando os passos do mais alto, antes de ser parado por seu primo.

- Itachi, o que está fazendo? Não precisa ir com ele, eu vou te proteger, eu... – Shisui tentou, porém foi interrompido pelo menor, que tinha um sorriso fraco no rosto.

- Shisui, está tudo bem. Eu vou ficar bem, eu prometo. Cuida da sua mulher, vai dar tudo certo. – falou e virou-se, voltando a seguir o marido, Shisui até tentou impedi-lo, porém antes que conseguisse fazer qualquer coisa foi impedido pelos seguranças, que o seguraram até que o azulado e o ômega fossem embora e tudo que o Uchiha pôde fazer foi ver o menor se afastar e rezar internamente para que tudo desse certo no final.

 

_____     x    _____

 

            Olhou para a porta de madeira, respirando fundo, tomando coragem, levando a mão trêmula à maçaneta, abrindo a porta e encontrando a figura do mais velho sentado o aguardando, com os braços cruzados.

 

- Finalmente resolveu aparecer. – Fugaku falou, fitando-o com o mesmo ar superior o qual sempre havia utilizado para com seu caçula, que apenas suspirou – Pelo que vejo o pirralho melhorou. Espero que cumpra sua parte do acordo.

- Pode ficar tranquilo otou-san, eu não vou quebrar minha promessa, vou me casar ainda no final dessa semana. – Sasuke respondeu, saindo do local sem olhar para trás, só queria deitar e dormir, quem sabe Kami não permitia que ele já não acordasse?

 

_____     x    _____

 

- Bem-vindo de volta querido. – o azulado abriu a porta da grande casa, sorrindo ao ver o menor entrar com as pernas trêmulas, os empregados nada disseram, apenas mantiveram a cabeça baixa ante a presença de seus senhores – Agora suba, que estou morrendo de saudade do meu gatinho. – sussurrou no ouvido do marido, que estremeceu, sentindo seus olhos voltarem a arder, mas que sem alternativas fez conforme o ordenado, já prevendo as consequências de seus atos, iria começar tudo outra vez. 


Notas Finais


Logo continua.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...