História Construindo Laços - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Iruka Umino, Itachi Uchiha, Kakashi Hatake, Kiba Inuzuka, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Orochimaru, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara
Tags Narusau, Naruto, Sasuke, Sasunaru
Exibições 75
Palavras 2.945
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Fluffy, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá!
Bom, é a primeira vez que estou postando uma fanfic nessa categoria. Então, sejam gentis comigo!
Espero que gostem da minha história da mesma forma que estou amando escrever. Assim como todas as vezes que escrevo, ela é muito importante.
Eu tenho uma certa dificuldade com prazos (Tipo o Usagi-san hehehe) Mas sempre dou o meu melhor nos capítulos para compensar a demora. Então, sejam pacientes!

É isso por enquanto :)

Boa leitura :*

~Baby

Capítulo 1 - I Was The Sun


Fanfic / Fanfiction Construindo Laços - Capítulo 1 - I Was The Sun

Sol

Substantivo masculino

 

1 - Estrela que faz parte da Via Láctea e que é o centro do sistema planetário.

 

2 - O dia; a luz do dia.

 

3 - Estado de espírito positivo; alegria, felicidade, esperança.

 

4 - O que ilumina, dirige, lidera;

 

 Naruto

 

Pi Pi Pi!

 

O alarme soava estridente, anunciando que estava na hora de acordar e enfrentar a dura realidade de ter que ir para a escola.

Eu não podia fazer nada, mesmo que a minha cabeça me pedisse mais dez minutinhos de sono, só mais dez minutinhos debaixo da coberta quentinha e aconchegante. E mesmo que eu quisesse, eu estava bem mais animado para chegar à escola depois das férias e reencontrar os meus amigos, mas principalmente reencontrar Ele.

Eu era apaixonado pelo o cara que mais me odiava no mundo, irônico não é? Mas o que eu poderia fazer se aquele jeito dele todo ignorante e exibido tinha me conquistado?

Suspirei e abri um grande sorriso, pensando em como ele estaria depois dos dias longe da escola. Será que ele estaria mais bonito do que antes? Eu não duvidava muito, afinal, eu estava falando de Sasuke Uchiha.

Quando acordei de meus devaneios, percebi que os dez minutos que o meu corpo tanto queria tinham passado em um piscar de olhos, mesmo que eu tivesse negado aceitar aquele misero tempo.

Levanto da cama com certa preguiça, arrastando os meus pés pelo chão e vou até o banheiro, começando a fazer a minha higiene matinal e tentando dar um jeito no meu querido cabelo.

Eu queria estar bonito para rever o Uchiha, e ai quem sabe ele não olhasse para mim de um modo diferente, sem ser com desprezo.

Depois de estar bem cheiroso e vestido, fui até a cozinha e comecei a olhar os armários em busca do que comer. Resumindo, só tinha rámen, mas como eu sempre digo, nunca tem hora para se comer rámen. Então, eu logo pensei em fazer um, mas eu não esperava ver a porta de casa ser aberta.

 

- Você não vai comer rámen a essa hora da manhã, não é?

- Iruka! – Fico animado ao vê-lo e vejo que o mesmo tinha uma tigela em mãos. – Uh, o que é isso?

- Ohayo, Naruto. – Iruka sorriu para mim e colocou a tigela sobre a mesa. – Trouxe cereal para você, afinal, você está voltando para a escola hoje. Então, precisa de algo que não seja rámen.

- Arigatou, Iruka! – Falo com um grande sorriso no rosto e me permito comer com toda vontade do mundo.

 

Iruka era a pessoa que cuidou de mim desde a morte dos meus pais, eu devia muito a ele, pois ele me mostrou que eu era alguém especial e permaneceu ao meu lado. Ele era o que eu podia chamar de família, e mesmo que só tivesse só nós dois, eu estava satisfeito.

 

- Você vai se atrasar... – Iruka me alertou enquanto olhava em seu relógio.

- Certo. – Terminei de comer e levantei da mesa, correndo para a saída e pegando minha mochila. – Podemos jantar juntos depois?

- Claro que sim, agora vá. – Ele respondeu e me empurrou para fora de casa. – Eu vou estar te esperando.

- Itekimasu... – Falei e Iruka sorriu.

- Iterashai, Naru.

 

Eu caminhei em direção à escola, que não era muito longe daqui, mas que era uma ótima distância muito bem aproveitada por mim. Me chame de iludido, mas eu me imaginava ao lado do Uchiha enquanto ia para escola, me imaginava sorrindo para ele e podendo ver que o mesmo correspondia o meu ato na mesma intensidade.

Além de iludido, eu era bem clichê, mas o que eu podia fazer se o Sasuke parecia àqueles atores de filmes românticos e eu parecia uma garota boba e apaixonada que faz de tudo para receber um pouco de atenção.

Mas no meu caso era um pouco difícil.

Antigamente, no ano passado para ser mais exato, o Uchiha era mais receptivo. Com isso, quero dizer que ele até falava comigo, mesmo que fosse por meio de algumas discussões bobas no meio de alguma aula. Ele me xingava e depois dava aquele sorriso completamente arrogante, deixando claro que ele estava ganhando mais uma discussão e eu deveria aceitar aquilo.

Eu não me importava de estar sempre competindo com ele na maioria das coisas. Mesmo que eu soubesse que eu não tinha chance nenhuma de vencer em alguma disputa, eu continuava tentando e insistindo. Isso me deixava com uma alegria temporária, pois por mais que eu ele brigássemos, de certa forma, tínhamos um laço.

Uma vez, Iruka me ensinou que criar laços com as pessoas que gostamos é tão importante que esse laço chega a ser eterno. Ele disse que os meus pais criaram laços comigo, por isso, eu nunca deveria me sentir só.

Claro, eu me esqueci de contar sobre os meus pais.

Quando eu era muito pequeno, os meus pais sofreram um acidente de carro enquanto voltavam do trabalho. Iruka estava cuidando de mim, ele era a minha babá naquela noite, por esse motivo somos tão próximos e ele costuma cuidar de mim, me aconselhando e me ensinando a importância de um sentimento.

Por isso, a minha maior vontade era criar laços com o Sasuke, pois eu não queria que ele se sentisse sozinho como sempre estava. Eu queria fazer parte da vida dele de um jeito importante, da mesma forma que ele fazia da minha.

Sasuke não sabia disso, ninguém sabia, mas eu sentia que ele era um remédio para as feridas que faziam parte no meu coração.

Quando tínhamos as nossas discussões bobas, eu me sentia feliz de certa forma, pois ele estava focado em mim, ele estava fortalecendo algo dentro de mim.

Soltei um breve suspiro ao ver como os meus pensamentos eram tão bobos e percebo que a minha caminhada foi bem aproveitada, pois eu já estava na escola e andando pelos corredores.

Logo, vejo os meus amigos se aproximando de mim com um sorriso no rosto. Isso significava que eles estavam morrendo de saudades de mim, assim como eu estava sentindo deles.

Kiba, Shikamaru e Neji. Os meus melhores amigos e companheiros de toda hora.

 

- Eai, loira! – Kiba passou um dos braços pelos meus ombros. – Sentiu a minha falta? Espero que sim, pois eu senti a sua.

- Impossível não sentir a sua falta, cachorrinho carente. – Respondo com um sorriso no rosto, contagiando os garotos ao meu redor. – Senti falta de vocês dois também.

- Imagino que sim. – Shikamaru deu risada e eu o acompanhei.

- Do jeito que você é, aposto que ficou ansioso para chegar à escola e nos encontrar. – Neji falou com um sorriso convencido no rosto.

- Pois é, tenho que concordar com você... – Respondi e eles voltaram a rir. – Não riam seus idiotas! Eu não posso sentir falta dos meus amigos?

- Claro que pode loirinha. – Kiba me abraçou por completo e se aproximou do meu ouvido, sussurrando no mesmo. – Ansioso para ver o Uchiha?

- Sim, ele já chegou? – Sussurrei de volta e ele se afastou, negando com a cabeça.

- Estão de segredinhos... – Neji comentou com uma expressão fechada.

- Eles estão comentando sobre o Sasuke. – Shikamaru deu ombros e eu dei risada. – A propósito, ele acabou de chegar.  

 

Assim que Shikamaru terminou de falar, eu virei o rosto em direção à entrada, procurando Sasuke e o encontrando bem mais rápido do que esperava. Geralmente, as garotas formavam grupinhos só para admirar a beleza do moreno, dificultando o meu campo de visão e me deixando completamente irado.

Eu não tinha entendido o motivo de ele ter conseguido passar por elas tão rápido, mas assim que o seu olhar se encontrou com o meu, eu pude perceber.

Ele estava completamente diferente, e eu não me refiro a sua aparência, pois ela estava completamente perfeita como sempre foi. Dessa vez, eu estava me referindo ao seu olhar.

O olhar que antes me trazia algum sentimento estranho de proteção, agora estava completamente frio e cheio de ódio. Eu não sabia como tinha conseguido enxergar tudo aquilo dentro dele, mas eu entendi que ali eu era o único que tinha alguma ligação com ele, eu era o único que possuía um laço, mesmo que fosse um laço completamente fraco e que estivesse pronto para estourar.

- Perdeu alguma coisa aqui, Uzumaki? – Sasuke perguntou de um modo frio e eu me assustei com isso, ficando completamente mudo e paralisado. – Estou falando com você, Naruto.

         - N-não... – Gaguejei ao responder e ele soltou uma breve risada.

         - Então, pare de me encarar, dobe! Eu simplesmente não suporto isso... – Ele falou irritado e passou ao meu lado, trombando o seu ombro com o meu e me deixando completamente desconcertado.

        

         Naquele momento, eu tive uma certa confirmação que algo tinha mudado em Sasuke Uchiha, e essa mudança era algo que não me agradava nem um pouco.

         O meu coração pareceu ficar apertado de alguma forma quando o mesmo se afastou de mim e eu senti que algo dentro de mim tinha acabado de se ferir. Não foi pelo modo que fui tratado por ele, mas porque as suas ações estavam diferentes do que costumavam a ser.

Ele nunca tinha me insultado de um modo tão frio como agora, ele nunca tinha se dirigido a mim com um olhar de ódio daquela forma, por mais que me odiasse. O seu tom de voz costumava apresentar um pouco de brincadeira quando discutia comigo, mas não foi como agora.

 

O que aconteceu com você, Sasuke?

 

- Naruto? – Neji pousou a sua mão em meu ombro. – O que foi? Você está bem?

- Estou sim. – Respondi e vi que os meninos me olhavam preocupados.

- Não sei o que acabou de acontecer aqui, mas se você ficar chateado tudo vai mudar. – Shikamaru falou pensativo.

- O que você quer dizer? – Kiba perguntou curioso.

- Quero dizer que os sentimentos do Naruto interferem em tudo dessa escola... – Shikamaru explicou e eu tombei a cabeça para o lado, como um cachorrinho confuso.

- Resumindo, é como se você fosse o nosso sol. – Neji tentou me explicar de uma forma mais fácil. – Você está sempre alegre, radiante e bem amarelo.

- Amarelo. – Kiba falou e logo começou a rir. – Neji tem razão, você é bem amarelo.

- Quieto, eu não terminei de falar. – Neji o repreendeu. – Se você está feliz estamos felizes também, mas se você ficar triste a escuridão vai tomar conta de tudo.

- Entendi.... Então, eu sou um sol? – Perguntei animado e eles assentiram com a cabeça. – Mas...será que eu posso ser um sol laranja?

Assim que perguntei, os garotos começaram a rir e me puxaram pelo braço, caminhando comigo até a sala e logo me fazendo sentar em meu lugar. Aquele papo de ser o sol foi bem estranho e eu ainda tinha algumas dúvidas sobre aquilo, mas se os meus amigos tinham falado, eu iria aceitar.

Depois de alguns minutos de espera, Kakashi sensei entrou na sala, atrasado como sempre, e começou a suas explicações sobre a matéria sem nem mesmo nos desejar um bom dia ou dizer quer sentiu nossa falta nessas férias.

O pior de tudo era que ele ensinava matemática, a matéria que eu simplesmente era uma droga. Eu não conseguia compreender o porquê de existir tantas contas e números, para mim essa matéria era completamente desnecessária.

 

- Vamos calcular com laranjas que é o mais comum... – Kakashi sensei se pronunciou e a sala pareceu concordar menos eu.

- Não podemos calcular com rámen? Quem sabe eu consigo entender se for desse jeito. – Pergunto ao professor e a sala cai na risada.

- Nem se colocarem um cérebro novo na sua cabeça você vai ser capaz de entender matemática, dobe. – Sasuke respondeu com aquele jeito todo ignorante de sempre, fazendo a sala toda continuar a rir.

- Cala boca, teme! – Rosnei e o mesmo deu risada, fazendo o meu coração falhar uma batida.

 

Eu fiquei confuso ao ver Sasuke interagindo comigo, já que o mesmo tinha agido de uma forma completamente diferente. Eu queria entender o que andava passando na cabeça do mesmo e tentar ajudá-lo de alguma forma caso ele precisasse de mim, mas o Uchiha sabia esconder os seus sentimentos tão bem que era quase impossível descobrir se ele estava bem ou não.

A aula continuou e as próximas vieram, mas os meus pensamentos continuaram focados em Sasuke, tentando imaginar o que estava acontecendo dentro dele. Eu estava tão preocupado, que comecei a ficar desesperado. Tudo que queria era falar com Sasuke e tentar descobrir o que havia acontecido com ele, com os sentimentos dele.

Era uma necessidade minha que eu precisava suprir a todo custo, e assim que o sinal bateu eu fiquei sentado em meu lugar, observando todos os outros alunos saírem e Sasuke continuar em seu lugar como sempre fazia.

Assim que o ele ameaçou levantar, eu fui a sua direção e parei na frente de sua carteira, assustando o e o deixando curioso com a minha presença repentina.

 

- O que você quer? – Sasuke perguntou indiferente como sempre, fazendo eu me arrepender por alguns segundos. – Por que você tem essa mania de chamar a minha atenção e depois ficar paralisado?

- Desculpe, eu só preciso falar com você. – Respondi meio desconcertado ele arqueou as sobrancelhas, esperando que eu começasse a falar. – É só que... Hm... Eu estou preocupado com você.

- Preocupado comigo? – Ele perguntou e começou a rir de um modo sarcástico. – Desde quando eu pedi para você ficar preocupado comigo?

- Você não precisa pedir nada, eu faço o que eu quero. – Respondi um pouco irritado. – O que está acontecendo com você, Sasuke? Você está tão diferente do que era antes.

- Nada. – Sasuke respondeu simplista e levantou de sua carteira, virando de costas e começando a andar, me fazendo agarrar o seu braço. – Me solta, Naruto.

- Não! Eu preciso saber o que está acontecendo com você. – Apertei o seu braço e o mesmo fez uma careta de dor. – Sasuke, você pode confiar em mim.

- Isso não é da sua conta! – Ele puxou o seu braço do meu aperto e me encarou com o mesmo olhar de ódio do começo. – Eu não posso confiar em ninguém, principalmente em você.

- Sa-Sasuke... – Sussurrei o seu nome com a voz falha e senti os meus olhos começarem a arder

- Fica longe de mim! Eu não tenho nada a ver com você. – Ele falou friamente e saiu da sala, me deixando sozinho e com os olhos lacrimejados.

 

Sasuke não podia mentir para mim, eu tinha certeza que tinha algo errado com ele e faria de tudo para descobrir isso.

Depois da conversa com Sasuke, eu perdi a noção do tempo e só acordei dos meus pensamentos quando o sinal para ir embora começou a soar. Os meus amigos logo vieram em minha direção e me tiraram da sala, me arrastando pelos corredores até a saída.

 

- O que houve? – Shikamaru perguntou preocupado. – Você ficou devaneando em todas as aulas.

- Você falou com o Sasuke? – Neji perguntou e eu confirmei com a cabeça. – O que ele disse?

- E-ele disse que eu deveria deixa-lo em paz. – Respondi e abaixei a cabeça.

- Sinto muito, loira... – Kiba falou enquanto colocava a mão em meu ombro, me confortando. – É melhor deixar ele de lado.

- Talvez o Kiba tenha razão, Naru. – Neji respondeu e eu acenei em confirmação.

 - O Sasuke é ao contrario de você, Naruto. Ele é a lua... – Shikamaru respondeu e eu me perdi naquele assunto confuso de novo. – A lua não tem brilho, ela é a pura escuridão assim como ele.

- É como o Shikamaru disse. – Neji confirmou a teoria do amigo e depois olhou para mim. – Quer que eu te acompanhe até em casa?

- Não precisa Neji. Eu quero ficar um pouco sozinho. – Respondi e o mesmo deu um sorriso meio triste, mas entendeu o meu lado. – Até depois, meninos.

- Até. – Responderam juntos.

 

Caminhei sozinho até me casa com um aperto enorme no coração. Não era da minha natureza ficar triste, mas quando se tratava de Sasuke tudo mudava e me deixava confuso. Talvez os meus amigos tivessem razão, eu não deveria interferir ou me envolver com ele.

 

- Tadaima! – Falei ao entrar em casa e encontrar Iruka sentado em meu sofá, ele passava horas em casa só para me receber.

- Okaeri! – Ele respondeu e depois bateu a mão no estofado, indicando que eu deveria sentar-me ao seu lado. – Como foi o seu dia?

- Antes de eu te falar, você pode me responder algo? – Perguntei e o mesmo confirmou com a cabeça. – Já que a lua não tem brilho próprio, ela precisa do sol, certo?

- Certo.

- Então, o sol é a luz que ilumina a lua e tira ela da escuridão? – Perguntei de novo e Iruka voltou a confirmar. – Iruka, você desistiria de alguém que ama?

- Logico que não! Se eu desistisse não estaria aqui agora. – Ele respondeu com sorriso no rosto e eu me senti bem por ter alguém especial cuidando de mim. – Nunca desista de alguém que você ama, nunca mesmo.

- Iruka, você acha que eu pareço um sol? – Perguntei confuso e o mesmo deu risada.

- Claro que sim, você ilumina a vida de muitas pessoas. – Ele voltou a responder e bagunçou os fios do meu cabelo.

 

Sorri ao ouvi-lo e me senti feliz por ter as respostas que eu queria. Se eu era o sol das pessoas que estavam comigo e conseguia iluminar a vida delas de alguma forma, eu também queria iluminar a vida de Sasuke.

 

Eu queria ser o sol da lua dele.

 

Continua...


Notas Finais


Heeey!!
Espero que tenham gostado do primeiro capitulo!
Vou ficar muito contente se vocês comentarem e falarem comigo.
Ah, quase me esqueci!
Estou montando um grupo de SasuNaru no wpp. Caso queiram, é só me chamar nas mensagens e deixar o número :)

Até a próxima u.u


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...