História Conto ou não conto? - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 0
Palavras 636
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção Científica, Mistério, Misticismo, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - Chuva


Fanfic / Fanfiction Conto ou não conto? - Capítulo 1 - Chuva

Você chegava sempre com a garoa de um dia chuvoso, talvez porque minha casa fica perto do campinho, onde você jogava futebol com os amigos depois da aula. Meus pais nunca fizeram perguntas sobre você, eles haviam notado no meu olhar o quanto eu gostava de ti.

Você me perguntava se podia entrar, se podia beber água, dizia que estava molhado e pedia uma toalha emprestada, eu te emprestava a minha toalha de rosto, aquela rosa com estampa florida. Depois que você ia, seu cheiro ainda ficava. Nós subíamos ao meu quarto conversávamos sobre amenidades e fazíamos juntos nossa lição de casa que era muito parecida, porque mesmo que estudássemos em escolas diferentes, eramos da mesma série.

Você era melhor em matemática do que eu, talvez fosse isso que te fazia ser um bom goleiro, calculava o ângulo e a velocidade da bola, ou coisa do tipo. Fui a todos seus jogos e contei 27 chutes defendidos por você, mesmo transparecendo confiança vinha me cumprimentar nos intervalos, com as mãos trêmulas de nervosismo, me dizia que tinha medo de não conseguir defender bem e desapontar o time, mas dos nove jogos que eu fui, seu time perdeu apenas dois.

Então você largou o futebol, saiu do time e entrou numa banda, deixou o cabelo crescer e gastou todas as economias numa guitarra. Continuava treinando com os amigos, mas só por diversão, sem a pressão de ganhar o jogo. Queria saber se existe um jogo que você não ganhe, sempre foi tão bom em tudo.

Chegou em minha casa no meio de uma tempestade e me disse que ia fugir, estava tendo muitos problemas com seus pais, ninguém te entendia né? Nem eu. Você chorou no meu quarto e disse que era complicado explicar, me pediu pra dormir na minha casa aquela noite, implorou na verdade, e tivemos que mentir pra que os meus pais permitissem. Ficamos acordados a noite toda, falando sobre os planos pro futuro, olhando pra cara um do outro e quando a chuva finalmente parou de cair nos fomos pra varanda, lá fora apenas o cheiro de chuva e o som da água escorrendo pelas ladeiras. Sua mão se entrelaçou na minha. Não nos beijamos, e como me arrependo de não termos nos beijado naquele momento. Não percebi como, mas em algum momento eu peguei no sono e quando acordei já era manhã, minha mãe fazia café na cozinha e meu pai lia o jornal na sala. "Ele se foi?" perguntei,  minha mãe sorriu e apontou pro meu quarto, você estava escrevendo uma carta, pra mim.

"Iria embora sem se despedir de mim?" você abaixou a cabeça, como quando nossa mãe nos pega fazendo algo errado. Me entregou a carta e suavemente deixou um beijo em minha testa, "nunca" respondeu.

Te levei até o portão, você não me olhou nos olhos, mas me apertou forte contra o seu peito de um modo que eu pudesse ouvir seu coração acelerado, como no intervalo de um jogo, você bagunçou meu cabelo e disse que precisava ir. Te observei cruzar a rua e se afastar de mim mais uma vez, quando virou a esquina o nó no meu peito subiu até a garganta. Eu li a carta, e li novamente inúmeras vezes desde então, e no fim, quando você se despede dizendo "Eu não te beijei porque não queria chorar na sua frente de novo, me desculpe." não consigo conter o pranto. Se passou tanto tempo, a esta altura você já deve ser um cara famoso num país distante. Eu rezava todas as noites para que chovesse, mas nunca mais choveu, e você só vem na chuva não é?

Disse que voltaria em dois anos, já se passaram dois anos, ou talvez eu tenha contado errado, você sabe, sempre foi melhor em matemática do que eu.


Notas Finais


Tentarei postar regularmente.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...