História Contos do cafofo - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Transformice
Personagens Personagens Originais
Tags Cafofo, Mice, Transformice
Exibições 9
Palavras 1.484
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oee

Nesse capítulo, tive ajuda da Kpopera para escrever. :3

Boa leitura desu! ;D

Capítulo 2 - Passeio no shopping


Fanfic / Fanfiction Contos do cafofo - Capítulo 2 - Passeio no shopping

[Kpopera Version ON]

Rato e eu voltamos para nossas casas, lembro que Blue me deu o número dela, penso em ligar, mas não queria atrapalhá-la. Rato foi pra casa dele e eu fui para a panificadora do meu pai. Ele estava fazendo pães e botando o famoso Papai Noel na frente da loja. Ele me vê e já vem me dando um forte abraço cheio de saudades.

Nós conversamos sobre a viagem e eu contei sobre todas as minhas aventuras com meus novos amigos Blue, Veno, Spaap e Lello.  Durante a conversa senti o cheiro maravilhoso de sua torta de limão e logo me lembrei do Spaap.  Não aguentei mais, peguei o celular e disse:

- Desculpa pai, tenho que fazer uma ligação.

Pego o celular e ligo pra Blue, ela demora um pouco pra atender, mas finalmente atende:

- Kpop??? - fala Blue animada

- Oi Blue, como estão as coisas? Voltaram bem?

- Tirando o fato que Veno e Spaap não pararam de brigar durante a viagem, sim - confessou Blue.

-Normal - eu me acabei de rir - Então... Eu estava pensando aqui... Onde vocês moram?

- Em São Paulo, por quê? Você vai vir pra cá??? – Blue parecia não acreditar.

- Claro que vou, estou morrendo de saudades de vocês – afirmei rapidamente.

Consigo escutar Blue dando um berro pra Veno ir até ela:

 - Blue?- Pergunto diante do silêncio inquietante, só conseguia ouvir suas vozes distantes.

- Veno, está aqui. Você está no viva voz agora! – disse Blue completamente empolgada.

- Bom, eu estava pensando em ir depois de amanhã. – afirmei confiante.

- Vem logo, poha! - ordena Veno, amável como sempre.

- Pode deixar! - eu falo prontamente.

Continuamos conversando sobre o local em que elas moravam. Depois eu retornei para casa cansada, sentei no sofá e vejo meu gato Floquinho vindo em minha direção. Dormi com ele no meu colo.

No dia seguinte, preparo minhas coisas pra sair de casa direto para o aeroporto, chegando no avião, sento em meu assento. Foi uma viagem calma e tranquila, sem turbulências. Chegando a São Paulo, eu saio do avião, pego meu celular e ligo pra Blue pra perguntar onde estão todos. 

[Kpopera Version OFF]

_____________________________________________________________________

[Blue ON]

Estávamos todos esperando a Kpopera no aeroporto. Fazia apenas três dias que estávamos longe, mas a saudade já era imensa. Sinto meu celular vibrar, era Kpopera informando sua chegada. Fomos para o local onde todos pegavam suas malas. Várias pessoas apareceram, mas nenhuma era a Kpopera. Até que avistei no meio da multidão, uma garota com um casaco rosa jeans, inconfundível.  Era exatamente ela, Kpopera.

 Ao avistá-la, Spaap correu para ajudar com as malas. Os dois se encaravam sorrindo. Então, quando ela chegou até nós, fizemos um abraço grupal.

Kpopera perguntou por Lello e Spaap um pouco incomodado com a pergunta apenas disse que ele tinha ido viajar com a família. Fomos para o estacionamento, lá meu irmão gêmeo chamado Heric a quem eu chamava carinhosamente de Niisan,  nos esperava no carro recém-comprado.

Veno sentou no banco frente para indicar o caminho e eu, Kpopera e Spaap no banco de trás. Meu Niisan tinha acabado de tirar a carteira de motorista e não conhecia a cidade muito bem:

- Vocês estão prontas crianças? – disse ele fazendo graça.

Veno olhou assustadoramente pra ele. A verdade era que estávamos nas mãos de um barbeiro, mesmo assim estávamos felizes de não ter que pedir pros nossos pais nos levarem aos lugares.

Decidimos ir ao shopping pra recarregar as energias com um lanche, fomos direto para o Bob’s. Pedi milk-shake de morango, o meu favorito. Veno e Spaap pediram o de sempre, milk-shake de oreo e Kpopera pediu o de chocolate. Niisan comprou batata frita, Veno e eu roubamos quase a metade. Niisan estava meio afastado, mas Veno e eu sabíamos que ele já tinha contado todas as beninas da praça de alimentação e feito uma lista das mais kawaiis. Por debaixo da mesa, pisamos no pé dele de propósito. Enquanto isso, Kpopera e Spaap tomavam seus milk-shakes num silêncio profundo, para quebrar o gelo Spaap perguntou pra ela:

- Por que não comprou o milk-shake de morango? Ele combina mais com você. – sua mão foi em direção da Kpopera, mas não alcançou.

- Mas eu prefiro esse - sorriu Kpopera sem jeito. Por dentro, ela estava indignadíssima.

*Pensamento de Kpopera: É CHOCOLATE NESSA POWA!*

Só iriamos descobrir a personalidade dupla de Kpopera mais tarde.

Quando terminamos o lanche vimos um parquinho com vários jogos eletrônicos também.  Apesar de ser para crianças pequenas, nos empolgando e entramos. Tinha uma piscina de bolinhas, Veno sem pensar duas vezes pulou dentro, fiquei estática, olhando pra um lado e para outro, verificando se não vinha nenhum funcionário. De repente, ela me puxou também. Eu estava saindo quando Kpopera veio correndo e pulou de uma vez, espalhando bolinhas pelo chão todo. Caímos na gargalhada, até que meu irmão chegou e perguntou:

- Vocês são loucas? – ele pagou os tickets para o funcionário já irritado. Isso só fez termos ataques de risos ainda maiores.

Enquanto isso, Spaap se esforçava num jogo de tiro, o prêmio máximo era um urso de pelúcia branco com olhos e detalhes cor-de-rosa, este fazia par com um urso azul. Niisan também se juntou a ele. Tentaram tanto que acabamos saindo da piscina de bolinhas para ir torcer. Gastaram vários tickets, conquistando pontuações cada vez mais altas. Até que conseguiram marcar recorde.

Spaap deu o urso rosa para Kpopera e o urso azul o Niisan deu pra mim. Então, as beninas começaram o jogo de tiro também. Na primeira tentativa, Veno marcou um novo recorde. Os beninos ficaram chocados, pois eles tinham demorado quase uma hora pra conseguir. Veno exigiu um urso idêntico ao meu do atendente do jogo. Fez um escândalo até conseguir. O atendente foi até o estoque e encontrou o último urso.

Durante nossa espera, Niisan já gastava suas últimas moedas numa máquina caça-níqueis. Me aproximei e logo descobri qual prêmio ele queria: uma caneta de uma mulher seminua com oppais gigantescos. Antes que eu pudesse dizer qualquer coisa, ele ganhou a mardita caneta.

Ele foi em direção ao Spaap para mostrar seu novo brinquedo, mas Veno viu e rapidamente pegou a caneta da mão dele e correu. Niisan correu atrás furioso:

- Volte aqui! – disse ele agitado.

Eles foram parar na praça de alimentação, derrubando cadeiras e mesas e tudo o que viam pela frente. Spaap correu atrás deles para ajudar o Niisan. Kpopera e eu nos entreolhamos com um sorriso maroto. Niisan tinha encurralado a Veno, mas ela jogou a caneta para mim, peguei e corri em direção a escada rolante para subir para o próximo andar. Spaap veio em minha direção e estava quase me alcançando no topo da escada, então joguei a caneta para a Kpopera que estava embaixo. Ela pegou a caneta e correu rumo a Saraiva. Spaap ainda tentou descer a escada do lado contrário.

 Nesse momento, todos do shopping já olhavam para a gente, alguns guardinhas já vinham na nossa direção.  Vi Niisan desviar deles e ir junto com a Veno em direção a Saraiva. Depois disso, não consegui ver mais nada, apenas gritos e de repente uma série de estrondos.

* BAM BAM BAM BAM *

Spaap e eu nos entreolhamos e corremos para a livraria. Quando chegamos lá, vimos Veno pisoteando os últimos restos da caneta e Niisan estava ajoelhado diante dos destroços da sua amada caneta. A livraria estava de cabeça para baixo, todas as estantes foram derrubadas com se fossem dominó. Os guardinhas finalmente nos alcançaram.

Fomos presos.

Em uma das celas na delegacia, Veno e o Niisan não estavam nada arrependidos, eu e Kpopera estávamos com cara de choro e Spaap não parava de discursar sobre seus direitos diante das grades:

- Vocês sabem quem eu sou? Eu tenho direitos, sabia? - protestava Spaap.

Por sorte, o pai do Spaap era advogado e assim que ele chegou Spaap se calou. O rosto do pai dele estava vermelho, parecia estar com raiva, mas muito preocupado.

No final, tivemos que assinar um documento para nunca mais entrarmos naquele shopping. Estávamos banidos pela eternidade. E ainda tivemos que pagar uma multa, pelos danos causados na livraria. Não tínhamos dinheiro, mas Kpopera nos emprestou. Niisan teria que vender seu carro para pagar o empréstimo.

Nos despedimos do Spaap e agradecemos ao pai dele pela ajuda. Eles foram embora, então eu, Veno, Kpopera e o Niisan fomos para casa. Ainda planejávamos fazer uma festa do pijama na minha casa.

Quando chegamos em casa, Niisan foi direto pro quarto dele, ligou o computador e fechou a porta. Já podia até imaginar que ele ia pesquisar sobre coleções daquelas canetas. Veno, Kpopera e eu fomos tomar banho, vestimos nossos pijamas, abraçamos nossos novos ursinhos de pelúcia e estávamos prontas para virar a noite. Porém acabamos apagando até o dia seguinte.


Notas Finais


Obigada por ler :3

Participaram da história a maioria que estava online na hora, peço desculpas se faltou alguém.

Nicks no transformice de quem participou :

- Algodaoblue
- Hericty
- Kpoperadepre
- Spaapcheese
- Venokextreme

Até o próximo capitulo o//


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...