História Contos do Mar - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Contos, Mar, Navio, Piratas
Visualizações 13
Palavras 757
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Ficção, Magia, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Espero que gostem!

Capítulo 1 - A Volta de Fletcher


Fanfic / Fanfiction Contos do Mar - Capítulo 1 - A Volta de Fletcher

Patrick Dearden

O vento que soprava amenizava o calor do sol sobre a pele. Patrick olhava para os lados com dificuldade, se esquivando da luz do sol, conseguia ver os outros marujos esfregando com o resto de força que tinham. Patrick conseguia ver também os oficiais da Marinha Real se gabando perto do Leme, com suas vestimentas vermelhas. 

-Estamos perto, eu sinto. - Disse o Capitão do Maria Voadora, o navio na qual eles se encontravam. - Estamos mais perto que qualquer homem já esteve.

-Não foram muitos homens que procuraram esta ilha, então. - Disse o Imediato do navio. 

-E o que quer dizer com isso, Durwin ? - Disse o Capitão.

-Bom, Capitão Hunt, não vejo terra a nossa volta. - Disse Durwin, recuando um pouco por sua falta de educação mais cedo.

-Tolo, acha mesmo que algo como a Ilha Dourada seria visível para qualquer homem ? - Disse Capitão Harlan Hunt, sem deixar sua postura.

-Imaginava que não, senhor, mas como saberemos mesmo se estamos chegando ? - Disse o Imediato.

-"Um pedaço do ouro levará ao baú" - Disse o Capitão, segurando uma moeda em sua mão. Ela tinha detalhes de algo parecido com uma Fragata em sua frente, e um Leme do outro lado. 

-Estamos mesmo confiando em histórias contadas em tavernas então... - Disse o Imediato, olhando para trás, como se fosse para o Capitão não ouvir.

-Histórias de taverna, você diz, mas pode aumentar significativamente a renda da coroa, ainda mais agora, que estamos em tempos tão sombrios...

Patrick não pôde evitar ouvir, sempre quis velejar pelos mares, mas não como marujo de um Brigue da Marinha Real. Mas que outra opção ele tinha, se não aquela ? 

"Piratas"

A palavra ecoava por sua cabeça, mas ele se negava a aceitá-la. Voltou a esfregar.

Félix Fletcher

Piscava forte, mas ainda sim via tudo embaçado. Homens se matando, sangue respingando no ar como se fosse partículas de água no vento forte da maré. Homens fodendo com prostitutas em qualquer lugar na rua, e o cheiro forte de Rum junto do cheiro de mijo e porra. Félix se sentia em casa, ainda mais depois de uma longa jornada. 

-Tortuga. - Disse Fletcher, com nojo e saudade. - O inferno na Terra. 

Saiu vagarosamente da Canhoneira que levara até lá, e foi andando pelo pier com a mão esquerda apoiada em sua espada, como sempre fazia. Tirou seu chapéu para cumprimentar uma prostituta que estava fodendo com um homem dentro de uma pequena canoa, e continuou a adentrar a cidade. As ruas de Tortuga sempre foram confusas, mas Fletcher sabia onde estava, entrou em uma pequena loja e seguiu até o balcão, um velhinho o atendeu:

-Merda, achei que você tinha morrido. - Disse o velhinho, enquanto virava vagarosamente da prateleira onde procurava algo. 

-Kane! Eu senti sua falta também, bom saber que sentiu a minha. - Disse Fletcher, com um sorriso sarcástico no rosto.

-E por quê porras você voltou dos mortos essa vez ? Só para atormentar um velho vendedor ? - Disse Kane, enquanto apontava uma pequena adaga para Fletcher, como se fosse uma pena. Então ele olhou novamente para a adaga, fincou-a no balcão e pegou sua pena.

-Estou atrás de um navio. - Disse Fletcher.

-Especifique navio. - Disse Kane. 

-Algo que flutue, não estou sendo muito exigente esses dias. - Disse Fletcher.

-Porquê não pode. - Disse Kane, enquanto escrevia algo em um pedaço de papel. - E espera que eu lhe venda algum ? Não tem dinheiro! 

-É aí onde você se engana, meu velho amigo, eu consegui algumas peças de ouro de mapas que guardei comigo. - Disse Fletcher.

-E quantas peças você tem ? 

-Contando com a Canhoneira, cerca de £25,000 libras. - Disse Fletcher, tentando convencer o velho Kane que aquilo seria o suficiente. 

-£25,000 libras ? Ah, será o suficiente para comprar um Brigue que tenho com um amigo meu. - Disse Kane. - Mas já lhe aviso, o Brigue não está em suas melhores condições. 

-Desde que tenha velas e um Leme, eu irei me virar bem. - Disse Fletcher. - A Canhoneira está no pier ao leste daqui, e o ouro também. - Disse Fletcher.

-Certo, falarei com o meu amigo e levaremos o Brigue para este mesmo pier, amanhã de manhã. - Disse Kane, enquanto Fletcher abria um sorriso em seu rosto. 

Antes de o pirata sair da loja, Kane o chamou.

-Fletcher! 

-Sim, Kane ? - Disse Fletcher, já na porta da loja. 

-Vê se não morre desta vez. - Disse Kane, e então se virou para as prateleiras e estantes para voltar a procurar algo.





Notas Finais


Espero que tenham gostado...
Próximo capítulo : A Tripulação.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...