História Contos Eróticos - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Contos Eróticos, Eroticidade, Erótico, Ménage, Putaria, Sexo, Sexo Gay, Sexo Hetero, Sexo Lésbico, TRANSA
Exibições 534
Palavras 673
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


NESTE conto, não há "historinha", é um conto lésbico e é narrado na terceira pessoa.

Capítulo 4 - Conto Erótico Quatro


Naty se aproximou de Anna, um pouco tensa. Anna que estava mais relaxada pegou as mãos da parceira e colocou na própria cintura e depois pôs as suas no ombro de Naty e elas se olharam por alguns instantes até que se aproximaram o bastante para os lábios se tocarem e aos poucos se transformar em um beijo quente, que esquentava mais a cada segundo.

Anna pôs sua mão por baixo da blusa de Naty, arranhando-a de leve, mas foi bastante para Naty se arrepiar. Elas pararam de se beijar e se olharam, uma com o sorriso mais bobo que a outra. Anna admirava os cabelos loiros de Naty que vinham até o pescoço e seus olhos claros o atraiam, alem das feições fortes, mas logo desceu o olhar para seus seios grandes.

Naty, por sua vez, olhava para as feições delicadas e as sardas de Anna, admirando seu longo cabelo preto, que agora estava razoavelmente bagunçado. Ao ver Anna olhando para seu decote, sorriu e tirou a blusa, depois sentiu a mão da outra abrindo o seu sutiã, libertando seus seios. Anna os massageou e os abocanhou, se deliciando, ouvindo Naty gemer as vezes. Logo levou a mão até dentro da calça da mesma.

Naty segurou Anna e sentou no sofá, trazendo a parceira junto, elas voltaram a se beijar e logo Naty estava puxando a blusa de Anna, querendo ver seus peitos também. Logo conseguiu o que queria e começou a espalhar chupões pelo corpo de Anna, sem parar de massagear os peitos vastos dela. Logo Naty desceu a sua mão pelo corpo de Anna, chegando a calça da mesma, desabotoando devagar para depois abrir o zíper.

Naty parou de beija-la e chupar seu pescoço para tirar sua calça junto com o calçado e a meia, deixando-a apenas de calcinha, então mordeu os lábios, se levantou na frente da parceira e começou a tirar o resto da própria roupa, sensualmente, deixando Anna exitada ao extremo, encharcando a própria calcinha. E assim que viu Naty completamente nua, se inclinou e beijou-lhe a buceta, inserindo a língua vagarosamente, saboreando o momento sem pressa, ouvindo o gemido continuo de Naty se estender a cada vez que ela colocava a língua mais fundo.

Logo Anna estava lambendo-a com frenesia, chupando vez ou outra, saboreando aquela buceta e escutando os gemidos altos que causava em Naty, que colocara a mão na nuca de Anna, não deixando que se afastasse nem por um segundo da sua buceta. Logo ela inseriu o dedo no meio da lambida e Naty soltou um gemido ainda mais alto.

Anna se pôs de pé e segurou as coxas de Naty, a pegando no colo, beijando intensamente enquanto a deitava no sofá, parando de beijar apenas para voltar a lamber sua buceta, agora ajoelhada, com as coxas de Naty sob seu ombro.

Naty sentia aquela língua em sua buceta e não conseguia controlar os altos gemidos de prazer que aquilo lhe causava, era um prazer tão estridente que logo não pode se conter, soltou um gemido que mais pareceu um grito e gozou um jato diretamente na cara de Anna, que prontamente abriu a boca, bebendo o segundo jato de porra. E ao perceber que havia acabado, Anna lambeu os beiços e se levantou, tirando a sua calcinha, a última peça de roupa.

Anna era lésbica e não gostava de pênis, nem mesmo de borracho, mas Naty era bissexual e, portanto, gostava. Anna, sabendo disso, saiu dali e voltou com uma cinta que tinha um pau das cores reais e que era bem grande. Anna encaixou a cabeça do brinquedo na buceta molhadinha de Naty e foi enfiando o resto aos poucos, ouvindo-a gemer igual a quando estava sendo chupada.

Logo havia entrado tudo e Anna começou os movimentos vai e vem, socando o pau na buceta dela, que gemia bem alto, Naty adorava ver os seios de Anna balançando enquando era fodida pela parceira e logo abocanhou um deles, que nao pararam de balançar, mesmo em sua boca. Logo Naty gozou pela segunda vez, mas agora lambuzou sua parceira pra valer


Notas Finais


Desculpem-me pela breviedade.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...