História Contos Eróticos Imagines •| EXO e BTS |• - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Kai, Lay, Rap Monster, Sehun, Suga, Suho, V, Xiumin
Visualizações 218
Palavras 12.953
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Desculpa pela demora... Boa leitura...

Capítulo 13 - Imagine Chen


Fanfic / Fanfiction Contos Eróticos Imagines •| EXO e BTS |• - Capítulo 13 - Imagine Chen

☆•K•I•M• •J•O•N•G•D•A• •P•O•V•☆

 Meus finais de semana são sempre cheios de atividades e especialmente durante o verão minha esposa Min  e eu ficamos raramente em casa.

Esse final de semana de julho estava particularmente corrido, minha esposa estáva fora da cidade para um treinamento que começaria na sexta-feira a noite e terminaria no domingo após o almoço. Do meu lado até quarta-feira eu não tinha nada planejado, mas eis que minha amada esposa sempre me arruma algo a fazer, a S/n, uma amiga dela e parceira de Yoga estáva mudando e ela precisava de alguém pra ajudar com a preparação e posteriormente com o transporte no sábado durante o dia todo começando as 08:00 da manhã. 

Para o domingo nada de muito especial, fomos convidados para um churrasco na casa do Kim Jongin e do Do Kyungsoo, um casal de amigos nossos de longa data. Como a Min estaria fazendo treinamento eu iria sozinho e depois de acabar o churrasco partiria para o aeroporto buscar a minha amada esposa.

Confesso que durante a semana nem pensei muito no trampo que eu teria durante o sábado, já ajudei em tantas mudanças que fiquei muito bom no assunto e talvez por isso eu receba tantos convites para ajudar. 

A sexta-feira chegou e logo após o trabalho fui levar a Min ao aeroporto, ela estáva linda como sempre com os cabelos castanho claros arrumados em uma trança, um vestido bem solto pra ela ficar a vontade durante o vôo e usando o meu perfume favorito. Durante a carona até o aeroporto foi difícil de resistir mas a minha vontade era arrancar o vestido dela e cair de boca naquela intimidade rosada e carnuda que eu tanto gosto de chupar, mas me controlei porque nao queriamos nos atrasar. A deixei no aeroporto e voltei pra casa, fiz um salada, comi e fui dormir para acordar cedo no sabado que o dia séria cheio.

Acordei pôr volta das 05:00AM depois de ter sonhado que estáva a ter relações sexuais com a Min, abri os olhos e virei na cama a procura da minha mulher, sempre dormimos de conchinha e só depois de encontrar um travesseiro no lugar dela foi que eu lembrei que ela estáva viajando. Fiquei meio estressado por ter acordado de membro duro, não ter minha esposa e ainda ter que sair depois de algumas horas para trabalhar de graca, fiz o meu melhor para tentar dormir mais um pouco, acabei conseguindo pegar no sono e fui acordar as 07:10Am com o despertador. Pulei da cama, fiz um café forte e coloquei numa dessas garrafinhas térmicas pequenas, peguei uma garrafa de vinho (presente para a S/n da minha esposa) e todas as minhas ferramentas para o caso de eu precisar desmontar ou montar algo. Antes de sair de casa eu mandei uma mensagem para a S/n falando que estava saindo de casa e que estaria na casa dela em alguns minutos.

Chegando na casa da S/n lá pelas 08:05 eu toco a campainha e nada dela atender, pego o whatsapp e mando uma mensagem:

Eu: Oi S/n, estou aqui na porta, toquei a campainha e ninguém atendeu.

S/n:*Mensagem de Áudio* Desculpa Chen, acordei atrasada e ainda estou tomando banho. Deixei a porta aberta, pode entrar que eu já te encontro na sala. Não comece nada sem mim. - Dava pra ouvir o barulho de chuveiro ao fundo.

Abrindo a porta eu vejo que a casa estava realmente vazia, a S/n estava Morando com umas amigas e dividindo o aluguel, cada uma tinha um quarto e elas compartilhavam o restante da casa. Pela bagunca no corredor me parecia que todas as pessoas estavam mudando e ai eu me lembrei de como a minha esposa Min sempre comentou que a S/n era muito disorganizada e que a casa dela era uma bagunca. 

Como eu não queria passar o sábado inteiro fazendo mudanca eu já comecei a agilizar as coisas, fechando caixas que estava abertas e colocando algumas etiquetas e movendo tudo que estava no corredor para a sala que estava totalmente vazia. Depois de levar a última caixa para a sala eu estou voltando enquanto pego o cellular para dar uma olhada no WhatsApp e ver se a Min tinha me mandado algo, quando eu me dou conta já e muito tarde, dou uma senhora trombada na S/n que estava saindo do banheiro no mesmo momento ainda de toalha somente, de uma forma totalmente involuntaria acabei sentindo os seios dela contra o meu corpo e tive que segura-lá pelas suas costas pra evitar que ela caísse. Por sorte (ou azar) a toalha continuou no lugar que estava. Depois desse encontrao eu fiquei com o corpo dela colado no meu por talvez mais tempo do que eu deveria e tenho certeza que ela sentiu o meu pau (que ficou duro assim que a vi de toalha).

Depois de alguns segundos naquela situação eu soltei ela e me afastei um pouco pedindo desculpa. Ela também se desculpou e fomos para a cozinha tomar café da manha com o café que eu tinha trazido. Coloquei uma xicara pra mim e outra pra ela que continuava de toalha e agora sentando de frente pra mim eu tinha uma otima vista dos seios dela. Nao sei porque mais ela adorou o meu café, foi tomando bem lentamente e conversamos sobre assuntos sem importancia até que ela se tocou que estava só de toalha e falou que ia se trocar no quarto. Fiquei na cozinha e percebi que a porta do quarto nao estava fechada (talvez ela queria que eu a visse). 

Resolvi dar uma espiada pois estava louco para ver aquele corpo sem a toalha, fiquei meio escondido e pude ver ela soltando a toalha, estava de costas para mim me dando uma excelente visao daquela bundinha linda, firme e bem torneada, sinal que Yoga também ajuda nesse sentido. Quando ela abaixou pra pegar uma roupa que estava numa gaveita bem baixa eu pude ver aquela intimidade  deliciosa e o cuzinho depiladinho dela, mesmo de longe isso me deixou com muito tesão e meu membro começou a latejar dentro da cueca boxers e da minha calça jeans. Será que ela estava querendo que eu visse tudo aquilo? Resolvi voltar para a cozinha pois eu não responderia pelos meus atos se ficasse pôr ali. Ela apareceu depois de alguns minutos vestindo uma leg bem justa e um top que mal cobria os seios fartos dela.

Hora de explicar as regras do jogo para a S/n então eu disse cordialmente:

- S/n, eu sei que você que me pediu ajuda mas eu já fiz mudança milhares de vezes e se você seguir minhas dicas vamos terminar bem rapidinho. Às vezes pode parecer que eu estou pedindo algo sem sentido mas tudo vai se encaixando. Eu garanto. - eu também sei mandar indiretas, queria ver como ela ia responder.

- Aí Chen, não esquente a cabeça, eu sou ótima em seguir instruções e vou fazer tudo que você pedir. Ainda não sei como agradecer por você acordar tão cedo pra me ajudar e ainda trazer um café delicioso. A Min foi muito gentil de me emprestar o marido dela por um dia. - falou a S/n com uma voz bem meiga e mexendo no cabelo mais do que o normal. 

- Não se preocupe, é um prazer poder ajudar e eu tenho certeza que você também me ajudaria se eu precisasse de algo que você tem prática. - mais uma indireta, na minha cabeça estava difícil de pensar em mudança. 

O resto da manhã passou bem rápido, encaixotamos primeiramente os itens da cozinha e mantimentos, depois pegamos alguns DVDs e CDs na sala e finalmente terminamos com as coisas do quarto. Minha ajuda foi maior na sala e na cozinha e ela se virou no quarto, colocando todas as roupas dela em malas de viagem e artigos de higiene, cremes, secador de cabelo em caixas de papelão ou de plástico.

Depois de mover todas as caixas para a sala eu me ofereci para passar um aspirador e depois um pano úmido na cozinha e no quarto. Parecia que a S/n tinha ganhado na loteria pela felicidade dela, acho que eu acertei em pensar que ela não gosta desse tipo de tarefa.

Fiz tudo em 10 minutos enquanto ela levava as coisas mais leves para a caminhonete alugada. Assim que deixei tudo brilhando comecei a carregar as coisas mais pesadas e em 20 minutos estávamos prontos para partir. Isso já era por volta das 13:00 então eu perguntei. 

- Você quer comer algo agora antes de descarregar ou prefere pedir alguma coisa depois? 

- Ah Chen, você pensa em tudo mesmo. Estou morrendo de fome, você se importa se dermos uma paradinha rápida só pra comer uma saladinha ou algo leve?

- Claro que não, conheço um restaurante aqui perto. Eles têm saladas ótimas e um estacionamento grande onde vou conseguir estacionar esse monstro. - ri logo após de falar

Coloquei o endereço do restaurante no Waze e em 10 minutos chegamos lá, o lugar estáva cheio então tivemos que pegar uma mesa bem afastada numa área do restaurante que nem estáva aberta.

Um garçom veio trazer os menus e a carta de vinhos. Era como se eu fosse transparente, o cara praticamente jogou os menus na minha mão e estava todo atencioso com a S/n. Aproveitei a deixa e perguntei:

- Seu namorado deve ter muito trabalho quando sai com você heim, o garçom não tirou os olhos de você, mesmo de roupa de academia você chama muito a atenção. - falei de uma forma casual e sem pretenção de ter uma resposta.

- Você é um amor mesmo, mas terminei com o meu namorado já faz um tempo, ele era muito ciumento e queria que eu me vestisse como uma freira, ele nunca viria aqui se eu estivesse vestida desse jeito. - ela falou com uma voz meio triste e logo ficou corada.

- Me desculpe por tocar no assunto, eu não estava sabendo que vocês tinham terminado. De qualquer forma você é uma mulher muito atraente e tenho certeza que vai encontrar alguém que te valorize. - eu estava tentando consertar a besteira, mas talvez a conversa estáva tomando outro rumo.

- Não precisa se desculpar e obrigada pelos elogios, a Min tem muita sorte de ter você, ela sempre me contou como você é gentil e atencioso, mas eu nunca tinha presenciado isso por eu mesma. Sou muito sortuda dela ter te emprestado pra mim hoje. Eu até brinquei que ia ser a minha primeira vez com um marido alugado - ela falou gargalhando. 

- Bom, já que estamos aqui e que sou seu marido de aluguel me deixe te recomendar algo e te oferecer uma taça de espumante que é sensacional. Eu não posso beber porque vou dirigir, mas você merece comemorar o começo de uma nova fase da sua vida.

Chamei o garçom e fiz o pedido de duas saladas gregas com frango grelhado e uma meia garrafa de espumante. Pedi duas taças só pra poder brindar com ela. 

Os pedidos chegaram rapidinho, abri a garrafa e servi uma taça completa pra ela e coloquei só metade pra mim, brindamos e comemos em silêncio. Quando estávamos terminando ela falou:

- Você é demais, além de me ajudar me trouxe nesse lugar maravilhoso. Meu ex-namorado só me levava no Subway e nunca foi tão romântico assim nem no nosso primeiro encontro. Estou sentindo que hoje é o meu dia de sorte mesmo. - ela não parava com as indiretas.

O quê será que ela estava querendo dizer?.Resolvi arriscar um pouco e deu corda.

- Que bom que você está gostando, eu sei como mudar é estressante e a Min me pediu pra te tratar da mesma forma que eu trataria ela. 

Foi aí que ela começou a se abrir um pouco mais, talvez o efeito do espumante.

- Tenho que agradecer ela depois, faz muito tempo que não saio com ninguém e estou super a vontade com você. Está até parecendo um primeiro encontro. Eu fico meio mole e bem mais soltinha depois de beber alguma coisa. Mas vou me controlar para não impactar a mudança.

Já que ela quer jogar esse jogo então vamos lá:

- Você não está impactando em nada, eu que preciso me controlar e lembrar que sou apenas seu marido de aluguel para assuntos de mudança e nada mais. 

E dai veio a cartada final do lado dela:

- Hummm. Não sei não, a Min me disse que eu poderia te usar para o que eu precisasse e agora estou me sentindo meio carente. Todos esses casais estão de mão dadas aqui e eu estou sentindo as minhas mãos bem frias e sozinhas. Você não poderia pegar na minha mão só um pouquinho pra eu lembrar como seria ter um marido gentil e amavel como você? 

- Claro que eu posso. - falei e comecei a fazer um carinho na mão dela - Suas mãos estão bem frias mesmo, vou deixar elas quentinhas, não se preocupe.

Fiquei fazendo um carinho despretensioso nas mãos da S/n e sentia a pele dela arrepiar toda, isso estáva indo longe demais, melhor continuar com a mudança. Pedi a conta para o garçom e insisti para pagar a parte dela, ela agradeceu e partimos de volta para a caminhonete.

Entramos e colocamos o endereço do novo apartamento dela, um pouco antes de sair ela me fala.

- Chen, posso te pedir só mais uma coisa para continuar o nosso faz de conta? Posso colocar minha mão na sua perna pra retribuir o carinho que você fez nas minhas mãos. 

Eu só fiz que sim com a cabeça e ela veio o caminho todo acariciando as minhas coxas, obviamente que com o toque dela o meu membro ficou duro e estava evidente pelo volume na minha calça. Foi a minha vez de falar. 

- Me desculpe S/n pela minha reação, mas é impossível ficar alheio ao toque de uma mulher atraente como você. Me desculpe mesmo. 

A resposta dela me deixou com a boca aberta:

- Não sei se tudo isso é culpa minha não, eu vi como você estava quando chegou em casa e eu não tinha nem tocado em você. Mas causar esse efeito em um homem é bastante excitante pra mim também. A minha vantagem é que você não tem como ver mas posso te garantir que só de você pegar na minha mão eu fiquei bem molhadinha. Dá uma olhada! - ao falar isso ela pegou a minha mão direita e colocou por fora da calça legging dela, eu consegui sentir que estava úmida e pressionei bem de leve na intimidade  dela. 

- Ufa, quem bom que eu não sou o único que não sei me controlar. Melhor eu continuar olhando pra frente senão podemos causar um acidente. 

Depois de falar isso ela subiu a mão dela que estava na minha coxa e começou a passar de leve por cima da calça no meu membro.

- A Min estáva certa, seu membro parece delicioso e eu ainda só consigo ter uma vaga ideia por causa desses jeans. Te incomoda se eu fizer um pouco de carinho por cima da calça mesmo? Só quero retribuir todo o carinho que você tem demonstrado por mim e não estamos fazendo nada de errado certo? Só um pouquinho...

- Hummmm. Não sei como responder, mas estou gostando dessa atenção. 

Ela continuou fazendo carinho bem de leve e às vezes passando as unhas por cima da calça, eu estava indo as nuvens e só queria que ela tirasse meu membro pra fora e começasse a chupar bem gostoso, mas nesse momento tínhamos acabado de chegar no apartamento novo e eu estava estacionando a caminhonete.

- Chegamos! Vamos descarregar tudo e depois eu vou te ajudar a deixar tudo no lugar. Vai ser super rápido e depois podemos jogar conversa fora.

Descemos da caminhonete e fomos tirando todas as caixas e malas, depois de uma hora já estáva cada caixa no seu cômodo do apartamento. Minha cabeça estava a mil, mas eu não sabia o que fazer, seria melhor me ocupar com trabalho para não acabar seguindo um caminho que não teria volta.

Decidi quebrar o gelo e falei:

- Eu não tenho mais nada pra fazer hoje, quer uma mãozinha pra arrumar as coisas e deixar seu ap pronto? 

- Não sei não como te pagar por estar me ajudando tanto, tem certeza que não é muito trabalho? Estou adorando passar o dia com você, mas não quero abusar da sua boa vontade.

- Imagina, não é abuso nenhum. Você pode não acreditar, mas eu adoro fazer arrumação e modéstia à parte sou bom nas coisas que eu faço. - falei modestamente. 

- Olha, vou aceitar a sua sugestão sim. Mas estou precisando muito de um banho. Vou tomar uma ducha rapidinho e continuamos depois que eu terminar. Se quiser posso te emprestar umas roupas que ficaram aqui do meu EX e você pode tomar um banho também. Assim relaxamos um pouco e vamos render mais na arrumação.

- Boa ideia. Vou começar arrumando umas coisas de leve enquanto você toma o seu banho.

Falando isso eu deixei ela entrar no banheiro e comecei a pensar no que fazer, até agora eu não tinha feito nada demais, mas não sei o quanto eu consegueria aguentar se as coisas continuassem desse jeito.

Depois de uns bons 15 minutos eu ouço S/n me chamando do banheiro. Vou correndo e pergunto:

- Está tudo bem aí? Precisa de algo? 

- Esqueci minha toalha. Você poderia pegar no quarto? Está dentro da mala vermelha.

Corri pró o quarto e coloquei a mala em cima da cama, abri e comecei a procurar a toalha, pra minha surpresa antes de achar a toalha eu encontrei uma necessarie com alguns brinquedinhos interessantes, vibradores e uns membro de borracha. Resolvi dar o check mate agora. Coloquei a necessáire dentro da toalha e levei pra ela no banheiro.

- Prontinho. Aqui está a toalha. Tentei não bagunçar muito as coisas. 

- Você é um anjo mesmo. Muito obrigada. Já estou saindo e você pode entrar.

Ou ela nao pegou a minha isca ou achou que os brinquedos estavam dentro da toalha por engano. Ela saiu do banho vestindo a toalha e com a necessaire embaixo do braço.

- Prontinho. O chuveiro é todo seu. Vou me trocar e te esperar no quarto pra começarmos a arrumação por lá. 

- Ok. Minha ducha vai ser rapidinha. Vou deixar a porta aberta pra você me trazer a toalha e uma bermuda e camiseta então. 

- Tá bom. Já volto com isso. 

Entrei, liguei a ducha e deixei a água fria cair no meu corpo, acho que eu estava precisando dessa água fria pra começar a pensar direito e não fazer algo que eu fosse me arrepender depois. A água fria não me ajudou muito, não conseguia parar de pensar na S/n colocando a minha mão na intimidade dela e nos brinquedos eróticos que ela tinha à disposição. Como a porta estava aberta fiquei de costas para o box de vidro e virei só a cabeça quando ela entrou:

- Chen, me desculpe, mas não achei nada interessante pra você vestir. A única coisa que tenho aqui é esse shorts que o Eduardo usava pra Natação. Melhor que nada né. Sua toalha também está aqui. Fique a vontade para tomar seu banho. Vou esperar você para começarmos a arrumação no quarto.

Sai do banho, me sequei rapidinho e coloquei o shorts que ela tinha me dado. Eram daqueles que você não precisar usar uma cueca por baixo. Coloquei os shorts fazendo um esforço para esconder a minha ereção. Não fui muito bem sucedido. Estava claro que eu ainda estava de membro duro. Muito duro.

Chegando no quarto eu fiquei de queixo caído, a S/n ao invés de ter vestido uma roupa normal estáva com uma camisola branca totalmente transparente com um sutiã preto tomará que caia e uma calcinha preta de renda minúscula de fio dental.

Bati na porta que já estava aberta e pedi pra entrar, ela fez um sinal com a mão e eu entrei e já fui logo falando:

- Uau S/n. Você está maravilhosa. Essa camisola te deixa ainda mais sexy.

- Você gostou? Coloquei pra você! A Min sempre comentou que você gosta desse tipo de roupa e como estou te fazendo trabalhar sem receber nada em troca eu achei que você poderia ao menos ter alguma coisa interessante pra olhar! Não estou muito vulgar né?

- Vulgar?! De forma alguma, você está perfeita. Com você desse jeito eu posso ficar trabalhando aqui até o dia amanhecer! - Falei tentando desviar o olhar dela mas eu estava vidrado. 

Nisso a S/n falou:

- Na realidade eu posso arrumar as roupas e todo o resto depois, mas preciso de sua ajuda com outras coisas. Eu falei pra Min que guardaria segredo mas como você é o marido dela acho que eu não preciso esconder nada de você. Ela me contou que vocês têm uma caixa com várias acessórios e brinquedinhos eróticos e que você a ensinou a usar todos. Não sei se você viu mas na toalha que você me deu estava minha coleção de vibradores e alguns membros de borracha.

Me fiz de desentendido.

- Não reparei não S/n. Me passa aqui, deixa eu dar uma olhada. Mas antes disso, que vergonha da Min te contando da nossa intimidade, não sei onde colocar a cara agora. 

Ela veio ao meu lado, me deu uma necessaire e se sentou ao meu lado:

- Na verdade você não deveria ter vergonha, a maioria dos homens se sente intimidado por esses brinquedos e você deveria se orgulhar se saber como dar prazer a uma mulher. O que você acha da minha coleção? 

- Você tem bastante coisa aqui heim. Deixa eu ver. Esse pequeno é o famoso bullet, muito útil para estimular o clitóris. Esse outro em formato de T é um plug anal para iniciantes e esse daqui - Peguei um dos membros de borracha - É o famoso Ricardão! Qual deles é o seu favorito?

Nisso a expressão dela mudou e ela falou meio triste:

- Pois é, esse é o problema, comprei tudo isso pra surpreender o Eduardo e quando propus de usar pela primeira vez ele ficou muito puto e nunca mais falou comigo. Essa foi a principal causa da nossa separação. Quando conversei com a Min sobre isso ela pensou que você poderia me ajudar a superar esse trauma, desde aquele dia eu nunca mais fiz amor ou me masturbei sozinha.

Essa revelação é daquelas que se você não está sentado você cai pra trás! Minha cabeça estava girando, tudo isso estava acontecendo porque minha amada esposa tinha me oferecido pra ser o marido da amiga dela LITERALMENTE por um dia. Eu sempre achei que era uma pessoa de sorte mas isso estava superando até minhas maiores expectativas.

- Me desculpa S/n, mas isso é demais pra eu acreditar. Você é uma das mulheres mais atraentes e sexy que eu conheço. Sempre te desejei secretamente, mas dai acreditar que você e minha mulher combinaram o que está acontecendo aqui já é um pouco demais. - Falei não reclamando mas tentando descobrir a verdade. 

- E agora Sr. Certinho. Você acabou de me fazer perder a aposta que eu fiz com a Min. Dá uma olhada nesse áudio aqui que ela me mandou. - Nisso ela me passa o celular com uma conversação dela com a Min.

Eu aperto o play sem saber o que esperar e ouço a voz da minha mulher. 

- Oi meu amor, eu sabia que você não ia acreditar e como você não pode falar comigo por que estou no show decidi mandar essa mensagem. Tudo que a S/n falou é verdade, eu acho que você pode ajudar muito ela a superar tudo que ela passou. Eu sei que você me ama, mas não é de ferro né, a S/n sempre foi doidinha pra dar pra você e como confio em vocês dois não tem nada demais nisso. No entanto tenho duas condições: 1 - Isso é tudo sobre ela, você tem que fazê-la a mulher mais especial do mundo e não sobre você, nada de querer ditar o jogo, você vai fazer o que ela tiver vontade. 2 - Quero que você me conte tudo nos mínimos detalhes depois, eu fico molhadinha só de imaginar esse seu membro  gostoso na intimidade da S/n, pena eu não estar aí pra ver pessoalmente. 

Depois de ouvir o mesmo áudio duas vezes eu estava ainda mais excitado se é que isso era possível, não só eu tirei o peso de estar fazendo algo errado em relação a minha mulher como na verdade ela vai ficar me devendo uma por ajudar a amiga dela.

Resolvi não perder mais tempo e partir para a ação, eu estava do lado de uma mulher sensacional que não transava ou sequer tinha um orgasmo por mais de 6 meses e ela me desejava o tanto quanto eu desejava ela e minha fiel esposa estava feliz com essa mãozinha que eu estava dando.

Cheguei mais perto da S/n e coloquei minha mão nas suas coxas e senti a pele dela arrepiar com o meu toque, fui chegando mais perto olhando no fundo dos olhos dela e sentindo o meu coracão bater mais forte cheguei com os meus lábios nos lábios dela, ela deu um leve suspiro e chegou mais perto de mim. A beijei como se minha vida dependesse disso, que beijo doce ela tinha, nossas línguas se encontraram e senti um arrepio percorrer o meu corpo todo. Colei meu corpo no corpo dela e com a respiração ofegante continuamos nos beijando enquanto minhas mãos percorriam suas costas até chegar ao seu pescoço. 

Era com o se o tempo tivesse parada e nada mais importasse, apenas esse momento e os nossos beijos. Após uma pequena pausa eu resolvi falar algo no seu ouvido:

- S/n, sempre sonhei com o dia que eu teria você nos meus braços, mas achei que isso ia ficar somente nas minhas fantasias. Se eu estiver indo rápido de mais me avise. 

- Aí Chen, seu beijo está me deixando ainda mais molhadinha. Não tinha certeza se esse plano ia dar certo e estava até pensando em desistir, mas depois que você pegou na minha mão no restaurante eu não paro de pensar no seu membro. Tive que me controlar na caminhonete pra não tirar ele pra fora e sentir o seu gosto. 

- Vem aqui então, não quero que você passe nenhuma vontade hoje - fui falando e tirei o meu shorts deixando o meu membro que já estava muito duro livre.

A S/n não hesitou nem um instante, começou a beijar o meu peito e descendo foi dando beijos na minha barriga me empurrando para eu deitar na cama. Me ajeitei com um travesseiro pra poder apreciar esse momento. Quando chegou perto do meu membro ela parou e começou a olhar nos meus olhos enquanto passava a língua na cabeça do meu membro que já estava molhada com o pré-gozo. Ela lambeu tudinho e falou que meu membro era uma delicia. 

Eu sou estava aproveitando o show, mas queria ter uma visão melhor. Enquanto ela estava começando a colocar a cabeça do meu membro na boca dela eu estendi as minhas mãos e tirei a camisola deixando-a apenas de sutiã e calcinha. 

Ela estava tentando engolir o meu membro inteiro, eu sentia ele entrando e tocando o fundo da garganta dela, dava pra ver como ela estava com vontade de chupar uma rola e como ela gostava disso. Ela começou a chupar mais forte e de vez enquanto engasgava e babava no meu membro me deixando cada vez mais perto de explodir na boca dela. Me afastei um pouco e pedi pra ela parar porque não queria gozar ainda. 

Comecei a beija-lá de novo, sem nenhum nojo pelo fato dela ter acabado de me chupar. Isso pareceu a deixar ainda mais excitada e ela falou: 

- Você não se importa de me beijar depois de eu te chupar?

- Claro que não S/n, eu adoro sentir os nossos gostos misturados e seu beijo me leva a loucura. Mas agora é a minha vez de retribuir a gentileza. Deita aqui e deixa eu cuidar de você. 

Delicadamente eu retirei os sutiã dela e joguei ao lado da cama, os seios dela era maravilhosos, firmes e com os biquinhos bem escuros m contraste com a pela branca dela.

Enquanto eu acariciava um com uma mão eu passava a minha língua molhada em volta da auréola do outro seio sempre olhando nos olhos dela. Depois do primeiro toque ela comecou a gemer baixinho, parecia que ela estava se contendo de alguma forma. Parei por um instante e enquanto beijava a orelha dela eu falei:

- Você não precisa se controlar comigo, quero conhecer a real S/n e quero que você se solte completamente. Quero ouvir você gemendo bem gostoso

Minha frase teve o efeito desejado, foi como e todas as travas se soltassem, quando voltei a beijar os seios dela ela me segurava pelos cabelos e me puxava contra os seios dela gemendo cada vez mais alto.

- Isso Chen, chupa meus peitos bem gostoso. Eu quero ser sua putinha hoje, quero fazer tudo que imaginei nesses 6 meses e nunca tive coragem.

Foi a minha deixa para apimentar ainda mais as coisas:

- Você quer ser minha putinha? Então se prepara.

Fui descendo com a boca pela barriga dela e quando cheguei na calcinha que estáva ensopada eu resolvi continuar mais um pouco com a tortura. Fui beijando bem de leve por cima da calcinha e depois abrindo as pernas dela comecei a passar a língua na sua virilha. Eu tentava manter o contato olho no olho mas ela parecia estar em transe. Se contorcia e vinha com sua intimidade  ao encontro dos meus beijos. Então eu falei: 

- Hora da minha putinha gostosa experimentar os brinquedinhos novos.

Peguei o vibrador bullet e liguei na potência mínima. Comecei a passá-lo por cima da calcinha e em volta da sua intimidade. Ela estava indo à loucura, se contorcendo e tremendo a cada toque. 

De uma forma bem sútil resolvi acabar com a tortura e retirei a calcinha dela bem lentamente revelando uma intimidade toda depilada com apenas um triângulo de pelos pubianos bem pequeno. Olhando pra ela eu falei:

- Você sabia que eu gostava de uma intimidade depilada né? 

- Ahammm. A Min que me ajudou com esses detalhes. 

Comecei a passar a minha língua bem de leve por cima da sua intimidade sentindo o gosto dela. Que gosto deliciosa ela tinha, forte e suave ao mesmo tempo, enebriante. Abri a língua e passei desde o seu reguinho até um pouco antes do grelinho tentando pegar ao máximo do seu néctar na minha boca.

Depois de fazer isso parei por um instante e fui beija-lá, queria que ela sentisse o gosto da sua própria intimidade e ela adorou. Enfiou a língua na minha boca e depois chupou a minha língua bem gostoso. 

Voltei com a língua para a intimidade dela, estava tão molhada que seu néctar estava escorrendo pelo reguinho e deixando o cuzinho tentadoramente lubrificado. A intimidade da S/n era linda, tinha os grande lábios um pouco maiores que o normal e sobressalentes, seu clitóris também era grandinho e dava pra ver como estava inchado e provavelmente bem sensível.

Continue com a tortura e fiquei passando a língua por toda a extensão da sua intimidade evitando contato com o grelinho, dei uma boa atenção para os grandes lábios chupando eles bem de levinho antes de enfiar a língua inteira na sua entrada, a abertura era pequena e tive que forçar a minha língua para entrar, parecia que ela estava me sugando com a intimidade, foi uma sensação maravilhosa.

Ela estava indo à loucura e deu pra perceber que estava próxima de um orgasmo, decidi mudar a tática e dar a devida atenção para o seu clitóris, abri seus pequenos lábios com os dois polegares e passei minha língua bem humedicida na pontinha do seu clitóris, foi o suficiente pra ela começar a gemer mais alto e me pedir para continuar.

Eu adorei o tamanho do clitóris dela porque ele facilitava minha vida, dava pra lamber de um lado, do outro e até forçar a capinha dele com a língua, mantive os movimentos suaves porque não queria que ela tive seu orgasmo  logo. Enquanto eu comecei a sugar o clitóris dela com uma certa pressão eu decidi colocar um dedo dentro dela fazendo um movimento de vai e vem bem suave. Ela se contorcia no meu ritmo e parecia estar aproveitando cada toque.

Depois de alguns minutos assim ela não aguentou mais e entre um gemido e outro falou: 

- Não estou aguentando Chen, eu PRECISO DO SEU PAU dentro de mim! Me fode bem gostoso vai! Por favor! Me dá o seu pau.

Quem sou eu pra recusar um convite desses, coloquei ela na beira da cama com as pernas abertas e levantadas, antes de colocar eu passei a cabeça do meu membro em volta do clitóris dela, fazendo um movimento parecido com o que eu tinha feito com a língua.

Coloquei a cabeça do meu membro na entrada da sua intimidade e fui enfiando meu membro bem devagar, ela era bem apertadinho e parecia espremer o meu membro. Depois de enfiar ele todinho deixei ela acostumar com o meu membro antes de começar os movimentos de vai e vem.

Que delicia estar dentro dela, sentindo aquela intimidade quentinha em volta do meu membro, eu estava muito excitado e não ia conseguir aguentar muito tempo. Ela estava próxima de ter um orgasmo e percebi que estava um pouco tímida ainda.

Eu tinha o instrumento perfeito pra fazer ela se soltar. Peguei o vibrador bullet passei em volta da intimidade dela somente pra lubrificar e entreguei pra ela. 

- Quero que você coloque o vibrador no seu clitóris na potência mínima e para cada estocada que eu der você vai aumentar a potência. Se solte e sinta essa dupla estimulação. 

Não deu outra, ela pegou o vibrador e começou timidamente a passá-lo em volta do seu clitóris, eu estava anotando mentalmente como ela fazia para poder fazer o mesmo depois. Eu estava bem próximo de gozar e ela do orgasmo. Continue penetrando bem gostoso e ela foi aumentando a vibração. Seus gemidos me deixavam louco, queria gozar junto com ela. Continuei penetrando e me controlando quando eu percebi que ela estava na potência máxima do vibrador eu peguei o plug anal, lubrifiquei com saliva e comecei a massagear seu cuzinho. Não precisei nem enfiar ele todo e senti o seu cuzinho relaxando. Ela gritava enquanto soltava seu líquido, mas pedia pra eu não parar, o orgasmo dela era tão forte que tinha uma mistura de dor e prazer no seu rosto. 

Não aguentei muito mais tempo e com o meu membro inteiro na intimidade dela eu gozei bem gostoso, sentindo um jato de porra encher a intimidade dela. 

Depois disso ela desligou o vibrador e eu deitei com meu corpo sobre o dela ainda com o meu membro na sua intimidade e a beijei. 

Depois de me beijar ela começou a soluçar e chorar, perguntei se estava tudo bem e ela respondeu:

- Isso nunca tinha acontecido comigo, parecia que meu corpo tinha vida própria, acho que tive mais de um orgasmo e depois quando você gozou eu acabei chegando ao meu limite  de novo sentindo o jorro de seu líquido  quente na minha intimidade. Não sei como te agradecer por esse momento. 

- Relaxa minha linda e aproveita, sou todo seu e vou ficar a noite inteira cuidando de você. Ainda temos bastante tempo juntos.

Depois dessa breve conversa acabamos pegando no sono e acordamos algumas horas depois. Tomamos um banho gostoso juntos e voltamos para cama para continuar nossa conversa por lá. 

Começamos a conversar sobre assuntos sem importância enquanto ela deitava no meu peito, nós dois totalmente nus. Ela vira pra mim e com a expressão mais meiga que eu já vi me fala:

- Queria experimentar algo diferente que nunca tive coragem de fazer antes.

- O que você quiser S/n, me fala o que você tem em mente. 

- Eu tenho vergonha de falar, mas posso te mostrar. 

Nisso ela sai do meu abraço e pega um dos membros de borracha. Não era muito maior que o meu membro mas definitivamente era mais grosso.

Ela enfia ele na boca pra lubrificar, abre as pernas e começa a colocar ele na sua intimidade. Eu fiquei maravilhado com aquela cena e meu membro já está começando a dar sinal de vida. 

Deitei de lado com a minha cabeça perto da intimidade dela e então ela falou:

- Eu quero sentir como é ter dois membros a minha disposição. Quero que você me foda com esse membro aqui enquanto eu chupo seu membro.

Não deixei ela pedir duas vezes. Peguei o membro da mão dela e comecei a fazer um vai e vem gostoso na sua intimidade enquanto ela punhetava e chupava meu membro. Isso era novo pra mim e eu não ia aguentar muito tempo.

Falei pra ela:

- S/n, pega leve que você vai me fazer gozar rapidinho desse jeito.

- Mas é isso que eu quero Chen, quero sentir o gosto da sua porra na minha boca enquanto você me fode. Deixa eu engolir todo o seu leitinho vai?

Mal ela terminou a sentença eu comecei a sentir minhas bolas e meu membro latejando, não consegui nem avisar e gozei como um louco naquela boquinha deliciosa. Aquilo foi o gatilho que ela precisou, comecei a foder a intimidade dela mais fundo e mais forte e ela chegou ao seu limite gostoso enquanto engolia minha porra e deixava o meu membro limpinho com sua língua. 

Eu tinha que agradecer de alguma forma e o que fiz a deixou mais perplexa ainda. Fui bem perto dela e vendo a cara de interrogação no seu rosto comecei a beija-lá com mais força do que antes. 

Depois de nós beijarmos por um bom tempo ela se confessou:

- Foi a primeira vez que eu deixei um homem gozar na minha boca, achei que ia ter nojo mas adorei sentir sua porra quentinha. E depois de tudo isso o beijo que você me deu foi o melhor beijo que já recebi, achei que você ia ter nojo mas pelo contrário. Me beijou com o mesmo tesão e vontade que eu tinha. 

Eu não tinha o que responder então resolvi ficar calado e continuar cariciando o seu rosto. E nisso ela falou. 

- Vou te deixar descansar agora mais ainda estou com vontade de mais uma coisa... - Ela não completou a frase mas pegou a minha mão e levou até o cuzinho dela.

Que estava todo melado depois da última vez que ela chegou ao seu limite. 

- Quero dar o meu rabinho virgem pra você Chen, eu quero que você faça comigo o que nunca tive coragem de deixar ninguém fazer.

Mais uma vez eu estava sem palavras, pegamos no sono juntos.☆•K•I•M• •J•O•N•G•D•A• •P•O•V•☆

 Meus finais de semana são sempre cheios de atividades e especialmente durante o verão minha esposa Min  e eu ficamos raramente em casa.

Esse final de semana de julho estava particularmente corrido, minha esposa estáva fora da cidade para um treinamento que começaria na sexta-feira a noite e terminaria no domingo após o almoço. Do meu lado até quarta-feira eu não tinha nada planejado, mas eis que minha amada esposa sempre me arruma algo a fazer, a S/n, uma amiga dela e parceira de Yoga estáva mudando e ela precisava de alguém pra ajudar com a preparação e posteriormente com o transporte no sábado durante o dia todo começando as 08:00 da manhã. 

Para o domingo nada de muito especial, fomos convidados para um churrasco na casa do Kim Jongin e do Do Kyungsoo, um casal de amigos nossos de longa data. Como a Min estaria fazendo treinamento eu iria sozinho e depois de acabar o churrasco partiria para o aeroporto buscar a minha amada esposa.

Confesso que durante a semana nem pensei muito no trampo que eu teria durante o sábado, já ajudei em tantas mudanças que fiquei muito bom no assunto e talvez por isso eu receba tantos convites para ajudar. 

A sexta-feira chegou e logo após o trabalho fui levar a Min ao aeroporto, ela estáva linda como sempre com os cabelos castanho claros arrumados em uma trança, um vestido bem solto pra ela ficar a vontade durante o vôo e usando o meu perfume favorito. Durante a carona até o aeroporto foi difícil de resistir mas a minha vontade era arrancar o vestido dela e cair de boca naquela intimidade rosada e carnuda que eu tanto gosto de chupar, mas me controlei porque nao queriamos nos atrasar. A deixei no aeroporto e voltei pra casa, fiz um salada, comi e fui dormir para acordar cedo no sabado que o dia séria cheio.

Acordei pôr volta das 05:00AM depois de ter sonhado que estáva a ter relações sexuais com a Min, abri os olhos e virei na cama a procura da minha mulher, sempre dormimos de conchinha e só depois de encontrar um travesseiro no lugar dela foi que eu lembrei que ela estáva viajando. Fiquei meio estressado por ter acordado de membro duro, não ter minha esposa e ainda ter que sair depois de algumas horas para trabalhar de graca, fiz o meu melhor para tentar dormir mais um pouco, acabei conseguindo pegar no sono e fui acordar as 07:10Am com o despertador. Pulei da cama, fiz um café forte e coloquei numa dessas garrafinhas térmicas pequenas, peguei uma garrafa de vinho (presente para a S/n da minha esposa) e todas as minhas ferramentas para o caso de eu precisar desmontar ou montar algo. Antes de sair de casa eu mandei uma mensagem para a S/n falando que estava saindo de casa e que estaria na casa dela em alguns minutos.

Chegando na casa da S/n lá pelas 08:05 eu toco a campainha e nada dela atender, pego o whatsapp e mando uma mensagem:

Eu: Oi S/n, estou aqui na porta, toquei a campainha e ninguém atendeu.

S/n:*Mensagem de Áudio* Desculpa Chen, acordei atrasada e ainda estou tomando banho. Deixei a porta aberta, pode entrar que eu já te encontro na sala. Não comece nada sem mim. - Dava pra ouvir o barulho de chuveiro ao fundo.

Abrindo a porta eu vejo que a casa estava realmente vazia, a S/n estava Morando com umas amigas e dividindo o aluguel, cada uma tinha um quarto e elas compartilhavam o restante da casa. Pela bagunca no corredor me parecia que todas as pessoas estavam mudando e ai eu me lembrei de como a minha esposa Min sempre comentou que a S/n era muito disorganizada e que a casa dela era uma bagunca. 

Como eu não queria passar o sábado inteiro fazendo mudanca eu já comecei a agilizar as coisas, fechando caixas que estava abertas e colocando algumas etiquetas e movendo tudo que estava no corredor para a sala que estava totalmente vazia. Depois de levar a última caixa para a sala eu estou voltando enquanto pego o cellular para dar uma olhada no WhatsApp e ver se a Min tinha me mandado algo, quando eu me dou conta já e muito tarde, dou uma senhora trombada na S/n que estava saindo do banheiro no mesmo momento ainda de toalha somente, de uma forma totalmente involuntaria acabei sentindo os seios dela contra o meu corpo e tive que segura-lá pelas suas costas pra evitar que ela caísse. Por sorte (ou azar) a toalha continuou no lugar que estava. Depois desse encontrao eu fiquei com o corpo dela colado no meu por talvez mais tempo do que eu deveria e tenho certeza que ela sentiu o meu pau (que ficou duro assim que a vi de toalha).

Depois de alguns segundos naquela situação eu soltei ela e me afastei um pouco pedindo desculpa. Ela também se desculpou e fomos para a cozinha tomar café da manha com o café que eu tinha trazido. Coloquei uma xicara pra mim e outra pra ela que continuava de toalha e agora sentando de frente pra mim eu tinha uma otima vista dos seios dela. Nao sei porque mais ela adorou o meu café, foi tomando bem lentamente e conversamos sobre assuntos sem importancia até que ela se tocou que estava só de toalha e falou que ia se trocar no quarto. Fiquei na cozinha e percebi que a porta do quarto nao estava fechada (talvez ela queria que eu a visse). 

Resolvi dar uma espiada pois estava louco para ver aquele corpo sem a toalha, fiquei meio escondido e pude ver ela soltando a toalha, estava de costas para mim me dando uma excelente visao daquela bundinha linda, firme e bem torneada, sinal que Yoga também ajuda nesse sentido. Quando ela abaixou pra pegar uma roupa que estava numa gaveita bem baixa eu pude ver aquela intimidade  deliciosa e o cuzinho depiladinho dela, mesmo de longe isso me deixou com muito tesão e meu membro começou a latejar dentro da cueca boxers e da minha calça jeans. Será que ela estava querendo que eu visse tudo aquilo? Resolvi voltar para a cozinha pois eu não responderia pelos meus atos se ficasse pôr ali. Ela apareceu depois de alguns minutos vestindo uma leg bem justa e um top que mal cobria os seios fartos dela.

Hora de explicar as regras do jogo para a S/n então eu disse cordialmente:

- S/n, eu sei que você que me pediu ajuda mas eu já fiz mudança milhares de vezes e se você seguir minhas dicas vamos terminar bem rapidinho. Às vezes pode parecer que eu estou pedindo algo sem sentido mas tudo vai se encaixando. Eu garanto. - eu também sei mandar indiretas, queria ver como ela ia responder.

- Aí Chen, não esquente a cabeça, eu sou ótima em seguir instruções e vou fazer tudo que você pedir. Ainda não sei como agradecer por você acordar tão cedo pra me ajudar e ainda trazer um café delicioso. A Min foi muito gentil de me emprestar o marido dela por um dia. - falou a S/n com uma voz bem meiga e mexendo no cabelo mais do que o normal. 

- Não se preocupe, é um prazer poder ajudar e eu tenho certeza que você também me ajudaria se eu precisasse de algo que você tem prática. - mais uma indireta, na minha cabeça estava difícil de pensar em mudança. 

O resto da manhã passou bem rápido, encaixotamos primeiramente os itens da cozinha e mantimentos, depois pegamos alguns DVDs e CDs na sala e finalmente terminamos com as coisas do quarto. Minha ajuda foi maior na sala e na cozinha e ela se virou no quarto, colocando todas as roupas dela em malas de viagem e artigos de higiene, cremes, secador de cabelo em caixas de papelão ou de plástico.

Depois de mover todas as caixas para a sala eu me ofereci para passar um aspirador e depois um pano úmido na cozinha e no quarto. Parecia que a S/n tinha ganhado na loteria pela felicidade dela, acho que eu acertei em pensar que ela não gosta desse tipo de tarefa.

Fiz tudo em 10 minutos enquanto ela levava as coisas mais leves para a caminhonete alugada. Assim que deixei tudo brilhando comecei a carregar as coisas mais pesadas e em 20 minutos estávamos prontos para partir. Isso já era por volta das 13:00 então eu perguntei. 

- Você quer comer algo agora antes de descarregar ou prefere pedir alguma coisa depois? 

- Ah Chen, você pensa em tudo mesmo. Estou morrendo de fome, você se importa se dermos uma paradinha rápida só pra comer uma saladinha ou algo leve?

- Claro que não, conheço um restaurante aqui perto. Eles têm saladas ótimas e um estacionamento grande onde vou conseguir estacionar esse monstro. - ri logo após de falar

Coloquei o endereço do restaurante no Waze e em 10 minutos chegamos lá, o lugar estáva cheio então tivemos que pegar uma mesa bem afastada numa área do restaurante que nem estáva aberta.

Um garçom veio trazer os menus e a carta de vinhos. Era como se eu fosse transparente, o cara praticamente jogou os menus na minha mão e estava todo atencioso com a S/n. Aproveitei a deixa e perguntei:

- Seu namorado deve ter muito trabalho quando sai com você heim, o garçom não tirou os olhos de você, mesmo de roupa de academia você chama muito a atenção. - falei de uma forma casual e sem pretenção de ter uma resposta.

- Você é um amor mesmo, mas terminei com o meu namorado já faz um tempo, ele era muito ciumento e queria que eu me vestisse como uma freira, ele nunca viria aqui se eu estivesse vestida desse jeito. - ela falou com uma voz meio triste e logo ficou corada.

- Me desculpe por tocar no assunto, eu não estava sabendo que vocês tinham terminado. De qualquer forma você é uma mulher muito atraente e tenho certeza que vai encontrar alguém que te valorize. - eu estava tentando consertar a besteira, mas talvez a conversa estáva tomando outro rumo.

- Não precisa se desculpar e obrigada pelos elogios, a Min tem muita sorte de ter você, ela sempre me contou como você é gentil e atencioso, mas eu nunca tinha presenciado isso por eu mesma. Sou muito sortuda dela ter te emprestado pra mim hoje. Eu até brinquei que ia ser a minha primeira vez com um marido alugado - ela falou gargalhando. 

- Bom, já que estamos aqui e que sou seu marido de aluguel me deixe te recomendar algo e te oferecer uma taça de espumante que é sensacional. Eu não posso beber porque vou dirigir, mas você merece comemorar o começo de uma nova fase da sua vida.

Chamei o garçom e fiz o pedido de duas saladas gregas com frango grelhado e uma meia garrafa de espumante. Pedi duas taças só pra poder brindar com ela. 

Os pedidos chegaram rapidinho, abri a garrafa e servi uma taça completa pra ela e coloquei só metade pra mim, brindamos e comemos em silêncio. Quando estávamos terminando ela falou:

- Você é demais, além de me ajudar me trouxe nesse lugar maravilhoso. Meu ex-namorado só me levava no Subway e nunca foi tão romântico assim nem no nosso primeiro encontro. Estou sentindo que hoje é o meu dia de sorte mesmo. - ela não parava com as indiretas.

O quê será que ela estava querendo dizer?.Resolvi arriscar um pouco e deu corda.

- Que bom que você está gostando, eu sei como mudar é estressante e a Min me pediu pra te tratar da mesma forma que eu trataria ela. 

Foi aí que ela começou a se abrir um pouco mais, talvez o efeito do espumante.

- Tenho que agradecer ela depois, faz muito tempo que não saio com ninguém e estou super a vontade com você. Está até parecendo um primeiro encontro. Eu fico meio mole e bem mais soltinha depois de beber alguma coisa. Mas vou me controlar para não impactar a mudança.

Já que ela quer jogar esse jogo então vamos lá:

- Você não está impactando em nada, eu que preciso me controlar e lembrar que sou apenas seu marido de aluguel para assuntos de mudança e nada mais. 

E dai veio a cartada final do lado dela:

- Hummm. Não sei não, a Min me disse que eu poderia te usar para o que eu precisasse e agora estou me sentindo meio carente. Todos esses casais estão de mão dadas aqui e eu estou sentindo as minhas mãos bem frias e sozinhas. Você não poderia pegar na minha mão só um pouquinho pra eu lembrar como seria ter um marido gentil e amavel como você? 

- Claro que eu posso. - falei e comecei a fazer um carinho na mão dela - Suas mãos estão bem frias mesmo, vou deixar elas quentinhas, não se preocupe.

Fiquei fazendo um carinho despretensioso nas mãos da S/n e sentia a pele dela arrepiar toda, isso estáva indo longe demais, melhor continuar com a mudança. Pedi a conta para o garçom e insisti para pagar a parte dela, ela agradeceu e partimos de volta para a caminhonete.

Entramos e colocamos o endereço do novo apartamento dela, um pouco antes de sair ela me fala.

- Chen, posso te pedir só mais uma coisa para continuar o nosso faz de conta? Posso colocar minha mão na sua perna pra retribuir o carinho que você fez nas minhas mãos. 

Eu só fiz que sim com a cabeça e ela veio o caminho todo acariciando as minhas coxas, obviamente que com o toque dela o meu membro ficou duro e estava evidente pelo volume na minha calça. Foi a minha vez de falar. 

- Me desculpe S/n pela minha reação, mas é impossível ficar alheio ao toque de uma mulher atraente como você. Me desculpe mesmo. 

A resposta dela me deixou com a boca aberta:

- Não sei se tudo isso é culpa minha não, eu vi como você estava quando chegou em casa e eu não tinha nem tocado em você. Mas causar esse efeito em um homem é bastante excitante pra mim também. A minha vantagem é que você não tem como ver mas posso te garantir que só de você pegar na minha mão eu fiquei bem molhadinha. Dá uma olhada! - ao falar isso ela pegou a minha mão direita e colocou por fora da calça legging dela, eu consegui sentir que estava úmida e pressionei bem de leve na intimidade  dela. 

- Ufa, quem bom que eu não sou o único que não sei me controlar. Melhor eu continuar olhando pra frente senão podemos causar um acidente. 

Depois de falar isso ela subiu a mão dela que estava na minha coxa e começou a passar de leve por cima da calça no meu membro.

- A Min estáva certa, seu membro parece delicioso e eu ainda só consigo ter uma vaga ideia por causa desses jeans. Te incomoda se eu fizer um pouco de carinho por cima da calça mesmo? Só quero retribuir todo o carinho que você tem demonstrado por mim e não estamos fazendo nada de errado certo? Só um pouquinho...

- Hummmm. Não sei como responder, mas estou gostando dessa atenção. 

Ela continuou fazendo carinho bem de leve e às vezes passando as unhas por cima da calça, eu estava indo as nuvens e só queria que ela tirasse meu membro pra fora e começasse a chupar bem gostoso, mas nesse momento tínhamos acabado de chegar no apartamento novo e eu estava estacionando a caminhonete.

- Chegamos! Vamos descarregar tudo e depois eu vou te ajudar a deixar tudo no lugar. Vai ser super rápido e depois podemos jogar conversa fora.

Descemos da caminhonete e fomos tirando todas as caixas e malas, depois de uma hora já estáva cada caixa no seu cômodo do apartamento. Minha cabeça estava a mil, mas eu não sabia o que fazer, seria melhor me ocupar com trabalho para não acabar seguindo um caminho que não teria volta.

Decidi quebrar o gelo e falei:

- Eu não tenho mais nada pra fazer hoje, quer uma mãozinha pra arrumar as coisas e deixar seu ap pronto? 

- Não sei não como te pagar por estar me ajudando tanto, tem certeza que não é muito trabalho? Estou adorando passar o dia com você, mas não quero abusar da sua boa vontade.

- Imagina, não é abuso nenhum. Você pode não acreditar, mas eu adoro fazer arrumação e modéstia à parte sou bom nas coisas que eu faço. - falei modestamente. 

- Olha, vou aceitar a sua sugestão sim. Mas estou precisando muito de um banho. Vou tomar uma ducha rapidinho e continuamos depois que eu terminar. Se quiser posso te emprestar umas roupas que ficaram aqui do meu EX e você pode tomar um banho também. Assim relaxamos um pouco e vamos render mais na arrumação.

- Boa ideia. Vou começar arrumando umas coisas de leve enquanto você toma o seu banho.

Falando isso eu deixei ela entrar no banheiro e comecei a pensar no que fazer, até agora eu não tinha feito nada demais, mas não sei o quanto eu consegueria aguentar se as coisas continuassem desse jeito.

Depois de uns bons 15 minutos eu ouço S/n me chamando do banheiro. Vou correndo e pergunto:

- Está tudo bem aí? Precisa de algo? 

- Esqueci minha toalha. Você poderia pegar no quarto? Está dentro da mala vermelha.

Corri pró o quarto e coloquei a mala em cima da cama, abri e comecei a procurar a toalha, pra minha surpresa antes de achar a toalha eu encontrei uma necessarie com alguns brinquedinhos interessantes, vibradores e uns membro de borracha. Resolvi dar o check mate agora. Coloquei a necessáire dentro da toalha e levei pra ela no banheiro.

- Prontinho. Aqui está a toalha. Tentei não bagunçar muito as coisas. 

- Você é um anjo mesmo. Muito obrigada. Já estou saindo e você pode entrar.

Ou ela nao pegou a minha isca ou achou que os brinquedos estavam dentro da toalha por engano. Ela saiu do banho vestindo a toalha e com a necessaire embaixo do braço.

- Prontinho. O chuveiro é todo seu. Vou me trocar e te esperar no quarto pra começarmos a arrumação por lá. 

- Ok. Minha ducha vai ser rapidinha. Vou deixar a porta aberta pra você me trazer a toalha e uma bermuda e camiseta então. 

- Tá bom. Já volto com isso. 

Entrei, liguei a ducha e deixei a água fria cair no meu corpo, acho que eu estava precisando dessa água fria pra começar a pensar direito e não fazer algo que eu fosse me arrepender depois. A água fria não me ajudou muito, não conseguia parar de pensar na S/n colocando a minha mão na intimidade dela e nos brinquedos eróticos que ela tinha à disposição. Como a porta estava aberta fiquei de costas para o box de vidro e virei só a cabeça quando ela entrou:

- Chen, me desculpe, mas não achei nada interessante pra você vestir. A única coisa que tenho aqui é esse shorts que o Eduardo usava pra Natação. Melhor que nada né. Sua toalha também está aqui. Fique a vontade para tomar seu banho. Vou esperar você para começarmos a arrumação no quarto.

Sai do banho, me sequei rapidinho e coloquei o shorts que ela tinha me dado. Eram daqueles que você não precisar usar uma cueca por baixo. Coloquei os shorts fazendo um esforço para esconder a minha ereção. Não fui muito bem sucedido. Estava claro que eu ainda estava de membro duro. Muito duro.

Chegando no quarto eu fiquei de queixo caído, a S/n ao invés de ter vestido uma roupa normal estáva com uma camisola branca totalmente transparente com um sutiã preto tomará que caia e uma calcinha preta de renda minúscula de fio dental.

Bati na porta que já estava aberta e pedi pra entrar, ela fez um sinal com a mão e eu entrei e já fui logo falando:

- Uau S/n. Você está maravilhosa. Essa camisola te deixa ainda mais sexy.

- Você gostou? Coloquei pra você! A Min sempre comentou que você gosta desse tipo de roupa e como estou te fazendo trabalhar sem receber nada em troca eu achei que você poderia ao menos ter alguma coisa interessante pra olhar! Não estou muito vulgar né?

- Vulgar?! De forma alguma, você está perfeita. Com você desse jeito eu posso ficar trabalhando aqui até o dia amanhecer! - Falei tentando desviar o olhar dela mas eu estava vidrado. 

Nisso a S/n falou:

- Na realidade eu posso arrumar as roupas e todo o resto depois, mas preciso de sua ajuda com outras coisas. Eu falei pra Min que guardaria segredo mas como você é o marido dela acho que eu não preciso esconder nada de você. Ela me contou que vocês têm uma caixa com várias acessórios e brinquedinhos eróticos e que você a ensinou a usar todos. Não sei se você viu mas na toalha que você me deu estava minha coleção de vibradores e alguns membros de borracha.

Me fiz de desentendido.

- Não reparei não S/n. Me passa aqui, deixa eu dar uma olhada. Mas antes disso, que vergonha da Min te contando da nossa intimidade, não sei onde colocar a cara agora. 

Ela veio ao meu lado, me deu uma necessaire e se sentou ao meu lado:

- Na verdade você não deveria ter vergonha, a maioria dos homens se sente intimidado por esses brinquedos e você deveria se orgulhar se saber como dar prazer a uma mulher. O que você acha da minha coleção? 

- Você tem bastante coisa aqui heim. Deixa eu ver. Esse pequeno é o famoso bullet, muito útil para estimular o clitóris. Esse outro em formato de T é um plug anal para iniciantes e esse daqui - Peguei um dos membros de borracha - É o famoso Ricardão! Qual deles é o seu favorito?

Nisso a expressão dela mudou e ela falou meio triste:

- Pois é, esse é o problema, comprei tudo isso pra surpreender o Eduardo e quando propus de usar pela primeira vez ele ficou muito puto e nunca mais falou comigo. Essa foi a principal causa da nossa separação. Quando conversei com a Min sobre isso ela pensou que você poderia me ajudar a superar esse trauma, desde aquele dia eu nunca mais fiz amor ou me masturbei sozinha.

Essa revelação é daquelas que se você não está sentado você cai pra trás! Minha cabeça estava girando, tudo isso estava acontecendo porque minha amada esposa tinha me oferecido pra ser o marido da amiga dela LITERALMENTE por um dia. Eu sempre achei que era uma pessoa de sorte mas isso estava superando até minhas maiores expectativas.

- Me desculpa S/n, mas isso é demais pra eu acreditar. Você é uma das mulheres mais atraentes e sexy que eu conheço. Sempre te desejei secretamente, mas dai acreditar que você e minha mulher combinaram o que está acontecendo aqui já é um pouco demais. - Falei não reclamando mas tentando descobrir a verdade. 

- E agora Sr. Certinho. Você acabou de me fazer perder a aposta que eu fiz com a Min. Dá uma olhada nesse áudio aqui que ela me mandou. - Nisso ela me passa o celular com uma conversação dela com a Min.

Eu aperto o play sem saber o que esperar e ouço a voz da minha mulher. 

- Oi meu amor, eu sabia que você não ia acreditar e como você não pode falar comigo por que estou no show decidi mandar essa mensagem. Tudo que a S/n falou é verdade, eu acho que você pode ajudar muito ela a superar tudo que ela passou. Eu sei que você me ama, mas não é de ferro né, a S/n sempre foi doidinha pra dar pra você e como confio em vocês dois não tem nada demais nisso. No entanto tenho duas condições: 1 - Isso é tudo sobre ela, você tem que fazê-la a mulher mais especial do mundo e não sobre você, nada de querer ditar o jogo, você vai fazer o que ela tiver vontade. 2 - Quero que você me conte tudo nos mínimos detalhes depois, eu fico molhadinha só de imaginar esse seu membro  gostoso na intimidade da S/n, pena eu não estar aí pra ver pessoalmente. 

Depois de ouvir o mesmo áudio duas vezes eu estava ainda mais excitado se é que isso era possível, não só eu tirei o peso de estar fazendo algo errado em relação a minha mulher como na verdade ela vai ficar me devendo uma por ajudar a amiga dela.

Resolvi não perder mais tempo e partir para a ação, eu estava do lado de uma mulher sensacional que não transava ou sequer tinha um orgasmo por mais de 6 meses e ela me desejava o tanto quanto eu desejava ela e minha fiel esposa estava feliz com essa mãozinha que eu estava dando.

Cheguei mais perto da S/n e coloquei minha mão nas suas coxas e senti a pele dela arrepiar com o meu toque, fui chegando mais perto olhando no fundo dos olhos dela e sentindo o meu coracão bater mais forte cheguei com os meus lábios nos lábios dela, ela deu um leve suspiro e chegou mais perto de mim. A beijei como se minha vida dependesse disso, que beijo doce ela tinha, nossas línguas se encontraram e senti um arrepio percorrer o meu corpo todo. Colei meu corpo no corpo dela e com a respiração ofegante continuamos nos beijando enquanto minhas mãos percorriam suas costas até chegar ao seu pescoço. 

Era com o se o tempo tivesse parada e nada mais importasse, apenas esse momento e os nossos beijos. Após uma pequena pausa eu resolvi falar algo no seu ouvido:

- S/n, sempre sonhei com o dia que eu teria você nos meus braços, mas achei que isso ia ficar somente nas minhas fantasias. Se eu estiver indo rápido de mais me avise. 

- Aí Chen, seu beijo está me deixando ainda mais molhadinha. Não tinha certeza se esse plano ia dar certo e estava até pensando em desistir, mas depois que você pegou na minha mão no restaurante eu não paro de pensar no seu membro. Tive que me controlar na caminhonete pra não tirar ele pra fora e sentir o seu gosto. 

- Vem aqui então, não quero que você passe nenhuma vontade hoje - fui falando e tirei o meu shorts deixando o meu membro que já estava muito duro livre.

A S/n não hesitou nem um instante, começou a beijar o meu peito e descendo foi dando beijos na minha barriga me empurrando para eu deitar na cama. Me ajeitei com um travesseiro pra poder apreciar esse momento. Quando chegou perto do meu membro ela parou e começou a olhar nos meus olhos enquanto passava a língua na cabeça do meu membro que já estava molhada com o pré-gozo. Ela lambeu tudinho e falou que meu membro era uma delicia. 

Eu sou estava aproveitando o show, mas queria ter uma visão melhor. Enquanto ela estava começando a colocar a cabeça do meu membro na boca dela eu estendi as minhas mãos e tirei a camisola deixando-a apenas de sutiã e calcinha. 

Ela estava tentando engolir o meu membro inteiro, eu sentia ele entrando e tocando o fundo da garganta dela, dava pra ver como ela estava com vontade de chupar uma rola e como ela gostava disso. Ela começou a chupar mais forte e de vez enquanto engasgava e babava no meu membro me deixando cada vez mais perto de explodir na boca dela. Me afastei um pouco e pedi pra ela parar porque não queria gozar ainda. 

Comecei a beija-lá de novo, sem nenhum nojo pelo fato dela ter acabado de me chupar. Isso pareceu a deixar ainda mais excitada e ela falou: 

- Você não se importa de me beijar depois de eu te chupar?

- Claro que não S/n, eu adoro sentir os nossos gostos misturados e seu beijo me leva a loucura. Mas agora é a minha vez de retribuir a gentileza. Deita aqui e deixa eu cuidar de você. 

Delicadamente eu retirei os sutiã dela e joguei ao lado da cama, os seios dela era maravilhosos, firmes e com os biquinhos bem escuros m contraste com a pela branca dela.

Enquanto eu acariciava um com uma mão eu passava a minha língua molhada em volta da auréola do outro seio sempre olhando nos olhos dela. Depois do primeiro toque ela comecou a gemer baixinho, parecia que ela estava se contendo de alguma forma. Parei por um instante e enquanto beijava a orelha dela eu falei:

- Você não precisa se controlar comigo, quero conhecer a real S/n e quero que você se solte completamente. Quero ouvir você gemendo bem gostoso

Minha frase teve o efeito desejado, foi como e todas as travas se soltassem, quando voltei a beijar os seios dela ela me segurava pelos cabelos e me puxava contra os seios dela gemendo cada vez mais alto.

- Isso Chen, chupa meus peitos bem gostoso. Eu quero ser sua putinha hoje, quero fazer tudo que imaginei nesses 6 meses e nunca tive coragem.

Foi a minha deixa para apimentar ainda mais as coisas:

- Você quer ser minha putinha? Então se prepara.

Fui descendo com a boca pela barriga dela e quando cheguei na calcinha que estáva ensopada eu resolvi continuar mais um pouco com a tortura. Fui beijando bem de leve por cima da calcinha e depois abrindo as pernas dela comecei a passar a língua na sua virilha. Eu tentava manter o contato olho no olho mas ela parecia estar em transe. Se contorcia e vinha com sua intimidade  ao encontro dos meus beijos. Então eu falei: 

- Hora da minha putinha gostosa experimentar os brinquedinhos novos.

Peguei o vibrador bullet e liguei na potência mínima. Comecei a passá-lo por cima da calcinha e em volta da sua intimidade. Ela estava indo à loucura, se contorcendo e tremendo a cada toque. 

De uma forma bem sútil resolvi acabar com a tortura e retirei a calcinha dela bem lentamente revelando uma intimidade toda depilada com apenas um triângulo de pelos pubianos bem pequeno. Olhando pra ela eu falei:

- Você sabia que eu gostava de uma intimidade depilada né? 

- Ahammm. A Min que me ajudou com esses detalhes. 

Comecei a passar a minha língua bem de leve por cima da sua intimidade sentindo o gosto dela. Que gosto deliciosa ela tinha, forte e suave ao mesmo tempo, enebriante. Abri a língua e passei desde o seu reguinho até um pouco antes do grelinho tentando pegar ao máximo do seu néctar na minha boca.

Depois de fazer isso parei por um instante e fui beija-lá, queria que ela sentisse o gosto da sua própria intimidade e ela adorou. Enfiou a língua na minha boca e depois chupou a minha língua bem gostoso. 

Voltei com a língua para a intimidade dela, estava tão molhada que seu néctar estava escorrendo pelo reguinho e deixando o cuzinho tentadoramente lubrificado. A intimidade da S/n era linda, tinha os grande lábios um pouco maiores que o normal e sobressalentes, seu clitóris também era grandinho e dava pra ver como estava inchado e provavelmente bem sensível.

Continue com a tortura e fiquei passando a língua por toda a extensão da sua intimidade evitando contato com o grelinho, dei uma boa atenção para os grandes lábios chupando eles bem de levinho antes de enfiar a língua inteira na sua entrada, a abertura era pequena e tive que forçar a minha língua para entrar, parecia que ela estava me sugando com a intimidade, foi uma sensação maravilhosa.

Ela estava indo à loucura e deu pra perceber que estava próxima de um orgasmo, decidi mudar a tática e dar a devida atenção para o seu clitóris, abri seus pequenos lábios com os dois polegares e passei minha língua bem humedicida na pontinha do seu clitóris, foi o suficiente pra ela começar a gemer mais alto e me pedir para continuar.

Eu adorei o tamanho do clitóris dela porque ele facilitava minha vida, dava pra lamber de um lado, do outro e até forçar a capinha dele com a língua, mantive os movimentos suaves porque não queria que ela tive seu orgasmo  logo. Enquanto eu comecei a sugar o clitóris dela com uma certa pressão eu decidi colocar um dedo dentro dela fazendo um movimento de vai e vem bem suave. Ela se contorcia no meu ritmo e parecia estar aproveitando cada toque.

Depois de alguns minutos assim ela não aguentou mais e entre um gemido e outro falou: 

- Não estou aguentando Chen, eu PRECISO DO SEU PAU dentro de mim! Me fode bem gostoso vai! Por favor! Me dá o seu pau.

Quem sou eu pra recusar um convite desses, coloquei ela na beira da cama com as pernas abertas e levantadas, antes de colocar eu passei a cabeça do meu membro em volta do clitóris dela, fazendo um movimento parecido com o que eu tinha feito com a língua.

Coloquei a cabeça do meu membro na entrada da sua intimidade e fui enfiando meu membro bem devagar, ela era bem apertadinho e parecia espremer o meu membro. Depois de enfiar ele todinho deixei ela acostumar com o meu membro antes de começar os movimentos de vai e vem.

Que delicia estar dentro dela, sentindo aquela intimidade quentinha em volta do meu membro, eu estava muito excitado e não ia conseguir aguentar muito tempo. Ela estava próxima de ter um orgasmo e percebi que estava um pouco tímida ainda.

Eu tinha o instrumento perfeito pra fazer ela se soltar. Peguei o vibrador bullet passei em volta da intimidade dela somente pra lubrificar e entreguei pra ela. 

- Quero que você coloque o vibrador no seu clitóris na potência mínima e para cada estocada que eu der você vai aumentar a potência. Se solte e sinta essa dupla estimulação. 

Não deu outra, ela pegou o vibrador e começou timidamente a passá-lo em volta do seu clitóris, eu estava anotando mentalmente como ela fazia para poder fazer o mesmo depois. Eu estava bem próximo de gozar e ela do orgasmo. Continue penetrando bem gostoso e ela foi aumentando a vibração. Seus gemidos me deixavam louco, queria gozar junto com ela. Continuei penetrando e me controlando quando eu percebi que ela estava na potência máxima do vibrador eu peguei o plug anal, lubrifiquei com saliva e comecei a massagear seu cuzinho. Não precisei nem enfiar ele todo e senti o seu cuzinho relaxando. Ela gritava enquanto soltava seu líquido, mas pedia pra eu não parar, o orgasmo dela era tão forte que tinha uma mistura de dor e prazer no seu rosto. 

Não aguentei muito mais tempo e com o meu membro inteiro na intimidade dela eu gozei bem gostoso, sentindo um jato de porra encher a intimidade dela. 

Depois disso ela desligou o vibrador e eu deitei com meu corpo sobre o dela ainda com o meu membro na sua intimidade e a beijei. 

Depois de me beijar ela começou a soluçar e chorar, perguntei se estava tudo bem e ela respondeu:

- Isso nunca tinha acontecido comigo, parecia que meu corpo tinha vida própria, acho que tive mais de um orgasmo e depois quando você gozou eu acabei chegando ao meu limite  de novo sentindo o jorro de seu líquido  quente na minha intimidade. Não sei como te agradecer por esse momento. 

- Relaxa minha linda e aproveita, sou todo seu e vou ficar a noite inteira cuidando de você. Ainda temos bastante tempo juntos.

Depois dessa breve conversa acabamos pegando no sono e acordamos algumas horas depois. Tomamos um banho gostoso juntos e voltamos para cama para continuar nossa conversa por lá. 

Começamos a conversar sobre assuntos sem importância enquanto ela deitava no meu peito, nós dois totalmente nus. Ela vira pra mim e com a expressão mais meiga que eu já vi me fala:

- Queria experimentar algo diferente que nunca tive coragem de fazer antes.

- O que você quiser S/n, me fala o que você tem em mente. 

- Eu tenho vergonha de falar, mas posso te mostrar. 

Nisso ela sai do meu abraço e pega um dos membros de borracha. Não era muito maior que o meu membro mas definitivamente era mais grosso.

Ela enfia ele na boca pra lubrificar, abre as pernas e começa a colocar ele na sua intimidade. Eu fiquei maravilhado com aquela cena e meu membro já está começando a dar sinal de vida. 

Deitei de lado com a minha cabeça perto da intimidade dela e então ela falou:

- Eu quero sentir como é ter dois membros a minha disposição. Quero que você me foda com esse membro aqui enquanto eu chupo seu membro.

Não deixei ela pedir duas vezes. Peguei o membro da mão dela e comecei a fazer um vai e vem gostoso na sua intimidade enquanto ela punhetava e chupava meu membro. Isso era novo pra mim e eu não ia aguentar muito tempo.

Falei pra ela:

- S/n, pega leve que você vai me fazer gozar rapidinho desse jeito.

- Mas é isso que eu quero Chen, quero sentir o gosto da sua porra na minha boca enquanto você me fode. Deixa eu engolir todo o seu leitinho vai?

Mal ela terminou a sentença eu comecei a sentir minhas bolas e meu membro latejando, não consegui nem avisar e gozei como um louco naquela boquinha deliciosa. Aquilo foi o gatilho que ela precisou, comecei a foder a intimidade dela mais fundo e mais forte e ela chegou ao seu limite gostoso enquanto engolia minha porra e deixava o meu membro limpinho com sua língua. 

Eu tinha que agradecer de alguma forma e o que fiz a deixou mais perplexa ainda. Fui bem perto dela e vendo a cara de interrogação no seu rosto comecei a beija-lá com mais força do que antes. 

Depois de nós beijarmos por um bom tempo ela se confessou:

- Foi a primeira vez que eu deixei um homem gozar na minha boca, achei que ia ter nojo mas adorei sentir sua porra quentinha. E depois de tudo isso o beijo que você me deu foi o melhor beijo que já recebi, achei que você ia ter nojo mas pelo contrário. Me beijou com o mesmo tesão e vontade que eu tinha. 

Eu não tinha o que responder então resolvi ficar calado e continuar cariciando o seu rosto. E nisso ela falou. 

- Vou te deixar descansar agora mais ainda estou com vontade de mais uma coisa... - Ela não completou a frase mas pegou a minha mão e levou até o cuzinho dela.

Que estava todo melado depois da última vez que ela chegou ao seu limite. 

- Quero dar o meu rabinho virgem pra você Chen, eu quero que você faça comigo o que nunca tive coragem de deixar ninguém fazer.

Mais uma vez eu estava sem palavras, pegamos no sono juntos.


Notas Finais


De quem vcs querem imagines?... E DESCULPEM COLOCAR KAISOO NO IMAGINE... ATÉ MAIS..


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...