História Contra o Mundo - Capítulo 9


Escrita por: ~ e ~Liilyca

Postado
Categorias Pokémon
Personagens Charizard, Personagens Originais
Tags Aventura, Drama, Evolução, Mega Evolução, Novela, Pokémon, Romance
Exibições 23
Palavras 4.156
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Luta, Mistério, Misticismo, Policial, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Self Inserction, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Ola!
demora, mas quando vem o capitulo ta gigante. kkkkk

bom, seguem la no instagram para verem as imagens sobre a fic: @Raunioliveira

Boa Leitura.

Capítulo 9 - Eclipse


Fanfic / Fanfiction Contra o Mundo - Capítulo 9 - Eclipse

 

  - Ufa, já era hora de chegar – Me espreguiçava olhando pela janela – Agora é correr para a delegacia antes que feche.

Eram seis horas da noite, sabia que não chegaria a tempo na delegacia então teria que correr direto para casa de Ortiz.

- Mas o que é isso? – Olhava intrigado para uma menina que passava pela plataforma tentando a reconhecer já que parecia familiar. – Opa! – Falei quando ela esbarrou em mim.

- Me desculpe, eu não te vi. – A jovem garota arrumava os óculos enquanto mirava seu rosto para mim.

- Não foi nada. - Falei desajeitado enquanto coçava a cabeça com um sorriso de orelha a orelha.

- Espere um pouco... – Dizia a garota arrumando seus óculos e apertando seus olhos – Eu te conheço! Você não era aquele retardado que estava correndo atrás de mim? – Perguntou como se tivesse acabado de se lembrar.

- Retardado eu? Ok? Eu que vi uma tempestade de raios ao longe e corri atrás? Ta certo, eu que sou o retardado? - Dizia ironicamente com um joinha a cada palavra.

Ela ria com a situação e aquele sorriso me deixava estranhamente feliz de alguma maneira.

- Mas me diz o seu nome? Afinal de contas você deve ter um nome. – Eu perguntei.

- Liliane, mas pode me chamar de Lily. – Responde ela com as bochechas rosadas.

Sorri com isso e estendi minha mão.

- Prazer Lily sou o Rauni. – Falei me apresentando.

Ela apertou minha mão e sorriu tímida. Houve um silencio constrangedor em que ficamos nos encarando com as mãos apertadas. Quando voltei a mim desviei meus olhos do rosto da menina soltando sua mão falei:

- Então... foi um prazer te conhecer, mas tenho que ir.

Minha mão se soltava lentamente enquanto olhava para o relógio da estação e vi que se passaram trinta minutos a mais do tempo, corri em direção ao centro da cidade. Não me lembrava que aquele horário em uma cidade grande era o pior até para ir andando, as calçadas estavam lotadas de pessoas indo e vindo.

-Ufa! – Disse quase sem folego – finalmente cheguei! – Toquei a campainha.- que demora é essa? – Peguei o celular e comecei a discar para casa de meus Pais – Alo? É você pai?

- Sim meu filho o que deseja? – Perguntava Leorio com uma voz de sono.

- Pai, eu estou em frente à casa do Ortiz, ele não me atende, e o telefone dele parece que está fora, sabe onde ele possa estar? – Respondia com outra pergunta.

- Olha, eu sinceramente não sei meu filho, mas eu vou tentar ligar para ele. Enquanto isso aproveite e vá até o ginásio da cidade, é bem melhor do que não ficar fazendo nada, e você já tem um lugar para dormir pelo menos, vou ligar para o ginásio avisando. –Respondia Leorio

- Ok, obrigado por isso. – Agradecia desligando o celular.- Agora e chegar no ginásio, deixa eu ver esse mapa!

O ginásio ficava do lado leste da cidade, era um lugar muito movimentado de pessoas da minha idade, em cada esquina um barzinho ou um pequeno comercio, e no final de todas as ruas davam direto para uma casa de show.

- Deve ser aqui. – Murmurei já me adiantando a entrar.

- Você de novo? – Uma voz feminina surgiu ao meu lado me fazendo dar um pequeno salto de susto.

Meu coração quase saiu pela boca ao ver a menina de cabelos avermelhados e óculos a frente dos olhos castanhos.

- Deus! Garota não me mate de susto! – Reclamei a vendo rir.

- Você que está aí todo distraído e nem me viu chegar. – Deu nos ombros.

Ficamos em silencio ao observar o local grande e iluminado a frente.

- Você veio aqui enfrentar o líder? – Perguntei a Lily casualmente.

Ela me olhou sorrindo de canto.

- Eu moro aqui. – Respondeu simplesmente.

Abri minha boca em surpresa.

- Isso quer dizer...?

- Que meus pais são líderes do ginásio. – Ela explicou sorrindo como se divertisse com minha surpresa.

Me recuperei do choque momentâneo e encarei a fila a frente do grande local.

- Tenho que enfrentar essa fila? – Perguntei mais como um pensamento alto.

- Não, na verdade a fila é para entrar na balada. – Ela explicou e quando a olhei curioso ela deu nos ombros de novo. – Meus pais gostam de uma festa.

Franzi a sobrancelha, mas preferi não perguntar.

- Certo, então você poderia me mostrar o caminho senhorita...?

- Star. – Ela complementou. – Lily Star. – Sorriu. – Vamos, é por aqui. – Disse já andando a frente.

A segui depois de ler o nome grande no letreiro da balada. “Eclipse”.

- Eclipse, Star... muito criativo. – Resmunguei pensativo.

Lily não pareceu ouvir, ela me guiou até uma entrada lateral passando por um portão prateado. Em cima do prédio tinha um símbolo de um círculo maior e outro menor o tomando, deixando claro que era um eclipse.

Ela abriu a porta grande do ginásio e entrou como se tivesse em casa, parecia quase saltitar enquanto andava, as luzes se ascenderam clareando um corredor curto que deu a uma sala onde podia se ouvir a música abafada da balada ao lado.

Na sala estava dois homens, um era mais alto, ambos eram magros, mas não se pareciam, pelo contrário eram muito diferentes. O da direita tinha cabelos prateados, pele bronzeada, olhos castanhos e um sorriso travesso, já o da esquerda que era mais baixo tinha cabelos negros assim como seus olhos, a pele era mais clara e sua expressão era paternal ao encontrar o olhar de Lily que foi até ele o abraçando.

Ambos usavam roupas discretas até demais para o ambiente, eram trajes sociais modernos. O de cabelo preto usava um terno moderno preto com uma camisa branca em baixo, calça jeans e tênis branco. o de cabelos prateados estava mais casual, com uma blusa lilas em baixo da uma social jeans escura por cima, com calça preta e um tênis marrom escuro.

- Pai! – Ela disse animada o cumprimentando assim como o homem ao lado. – Trouxe um desafiante. – Anunciou me indicando depois sorriu para mim. – Rauni esses são meus pais. Esse é o Will. – Ela apresentou o moreno que sorriu simpático para mim.

- Mas pode me chamar de Tia Táta. – Ele disse com a voz aguda me fazendo segurar o riso.

Lily revirou os olhos e indicou o outro homem.

- E esse é o Gui.

- Conhecido como Rato. – O de cabelos platinados me deu uma piscadela. – Sabe como os Ratos são ligeiros. – Explicou o apelido.

- São apelidos muito peculiares. – Destaquei divertido. Depois me virei para Lily que sorria para Tia Táta. – São seus pais? Os dois? – Perguntei confuso e ela riu baixo.

- Sim. Os dois. – Respondeu simples.

Fiquei tentado a perguntar mais, porem Will suspirou.

- Longa história querido. – Disse balançando a mão como se espantasse uma mosca. – Agora me diga, você vai querer nos enfrentar agora?

O olhar dele era de desafio e diversão, Rato ao seu lado tinha um sorrisinho de canto.

- Sim, é por isso que estou aqui. – Respondi e ele assentiu olhando para Rato.

- Ele quer se fazer de machão perto dela. – Cochichou para o companheiro que sorriu malicioso.

- Com certeza. Parece que nossa garotinha conquistou algum coração. – Respondeu no mesmo tom baixo e debochado.

Me senti corar e vi Lily fazer o mesmo.

- Vocês são tão bobos. Vamos Rauni eu te levo par ao centro da balada onde as lutas acontecem. – Ela disse claramente com vergonha pegando meu pulso e me puxando.

Enquanto deixávamos a sala pude ouvir os risos e cochichos dos pais dela atrás.

 

Chegando ao centro da balada só podia se ver silhuetas de pessoas dançando e ouvir a música ensurdecedora tomando o local. Estava terrivelmente lotado, Lily sem soltar meu pulso me puxou para o centro do lugar onde havia uma pista maior de dança quadriculada com neons coloridos.

A garota mesmo sendo baixa apenas esticou o braço para o DJ a frente e ele parou a música, como se tivesse sido ensaiado o homem negro de dreads e óculos escuros falou no microfone.

- Calma ae pessoal! – Ele acalmou a multidão que vaiava. – Parece que teremos algumas atrações especiais hoje à noite. Nossos líderes tem um desafiante? – Perguntou a Lily que apenas assentiu. – Certo. Onde eles estão? Tia Táta? Rato?

Meus olhos assim como o do DJ passaram pelo local a procura dos líderes daquele ginásio, mas ao invés de encontra-los eu encontrei outra pessoa. Robb estava entre a multidão abraçado a um gogo-boy sarado que o alisava nada decente. Desviei meus olhos constrangido agradecendo pelos pais da Lily estarem entrando na pista com suas poses de superioridade.

Rato olhou para a mão de Lily que ainda segurava meu pulso e sorriu insinuativo a ela que ficou vermelha e me soltou no mesmo momento.

- Bom, aqui estamos Tinho. – Tia Tátá disse ao DJ que lhe deu o microfone. Ele o pegou parecendo que ia cantar uma música pop de sua cantora favorita. – Olá meus amores! Hoje temos o Rauni como desafiante. – Ele sorriu de canto para Rauni e depois olhou para sua filha ao lado. – Porem, eu queria fazer um convite a minha linda filha que está começando sua jornada Pokémon.

- Eu? Porque? – Ela perguntou baixo, mais para si mesma.

- Porque nós queremos que a insígnia do Eclipse seja sua primeira. – Respondeu Rato com um copo de bebida na mão que havia pego de um garçom que passou, ele bebeu um longo gole e depois sorriu como um capetinha. – Então meu amor, você vai ter que nós vencer e como queremos aproveitar a festa e não prolongar muito vamos fazer uma batalha em dupla. Se vocês estiverem de acordo claro. – Disse despreocupado antes de se virar para Will lhe indicando o copo. – Toma querido não vi você beber ainda.

Will franziu as sobrancelhas negras para Gui como se pensasse “tem certeza que não bebi?” Depois pegou o copo já tomando um gole sem hesitar.

Lily olhou para mim questionando com o olhar.

- Tudo bem para mim. – Dei nos ombros. – Mas só tenho três Pokémons.

- Certo, então máxima de três Pokémons. – Lily disse aos pais que sorriam um para o outro como se tivessem orgulho da filha.

Sem dúvida ela estava adorando ser desafiada.

- Certo, vamos lá. Podem se preparar. – Will disse com desdém para nós e puxou Rato para perto falando algo em seu ouvido.

Lily me puxou de canto com os olhos em brasas de excitação.

- Olha eu sei exatamente quais Pokémons eles tem e vão usar o que significa que eles sabem disso também. – Ela disse rápido e depois suspirou percebendo isso. – Will provavelmente vai usar um Azulmarill, um Florges e uma Clefairy, já o Gui é provável que use a Gardevoir, a Absol e a Milodic. – Percebendo minha cara de confusão ela tentou explicar. – São principais fada, mas Gui prefere os da noite e Will os da manhã, mas acho que eles vao variar entre as pré-evoluções.

Assenti sem ter muito o que responder.

- Certo, certo! Acabou o recreio criançada vamos para luta. – Will disse nos chamando atenção. – Vocês sabem o que acontecem quando desobedecem a Tia Táta, não é? – Brincou no microfone causando um alvoroço na multidão.

Respirei fundo e Lily me lançou um olhar de incentivo, juntos fomos nos posicionar para a batalha.

Tinho mexeu em seus painéis de DJ e a pista tremeu e se mexeu aos nossos pés. As pessoas ao redor abriram ainda mais espaço, no meio separando nós dos pais de Lily se abriu uma plataforma de terra redonda em forma de pokebola onde provavelmente aconteceria a batalha dos Pokémons.

- Então que comece o show! -  Diz Gui mandado seu Absol.

- Não pegue pesado com ela Gui. - Segue Will dando uma bronca e jogando seu Marill.

- É como eu falei, eles vão alternar entre os principais e as pré-evoluções. Melhor começarmos com a vantagem. - Lily fala comigo com calma e com muito atenção mandando seu Kirlia.

- É o que? Um Kirlia Shiny? - Fiquei espantado ao vê-la com suas cores diferentes. - Um Pokémon de água e um noturno. Ótimo, não tenho vantagem contra nenhum, vamos ver o que podemos fazer. - Respondi para Lily Mandando Houndour.

Houndour sai da pokebola parando no lado esquerdo da pokebola a nossa frente e ao lado de Kirlia. Enquanto ele observa o ambiente um silencio se mantem na plateia.

Era nítido que os lideres tinham um poder maior do que os nossos então o jeito era tentar combinar meus ataques com os da Lily.

- Lily, me escute, precisamos combinar nossos ataques para podermos ganhar, preciso que os distraia. – Digo a ela o mais disfarçado possível.

 - Certo. Eu conheço os ataques desses Pokémons, precisamos acabar com essa luta o quanto antes. – Responde com os olhos nos pais. - E mais uma coisa, porque diabos o seu Houndour tem dois rabos? – Pergunta incrédula com a sobrancelha franzida.

Abri a boca para responder com um sorriso presunçoso, mas uma voz me cortou.

- Vocês parem de conversa e vamos logo que ainda queremos curtir a noite! – Rato nos adverte, mas perecia se divertir. Seu olhar brilhava com empolgação. - Absol Night Slash. -  Deu o primeiro comando.

- Marill Water Gun. – Will comanda em seguida.

Marill pula para pegar impulso enquanto Absol lança seu ataque por baixo, ambos os ataques vêm em direção a Houndour.

- Kirlia Rápido use o ataque Psíquico no Marill, mire no Absol. - Lily comanda rapidamente.

- Houndour rápido desvie do ataque de Absol e use Raio Confuso nele. – Mando forçando minha mente a trabalhar rápido. - Lily, eles estão mirando no meu Houndour, podemos usar isso como vantagem. – falo olhando rapidamente para ela que retribui meu olhar com um aceno de cabeça.

Kirlia direciona o ataque de Marill para Absol que ao perceber começa a se escapar, mas é pego de surpresa pelo ataque de Houndour que o deixa confuso e com menos agilidade para desviar. Marill para o ataque que acertou Absol o deixando muito molhado.

- Rauni, desculpe a intromissão, mas é uma questão de honra presenciar a vitória dos meus Pokémons. - Diz Robb se aproximando da extremidade da multidão logo atrás de mim. - Só um lembrete, esse Houndour e metade Ninetails.

- É isso! -Falei olhando para Lily. - Preciso que distraía Absol, apenas para ele focar em você, tenho um plano!

- Certo mas e o Marill? – Ela pergunta intrigada. – O que vamos fazer para ele não nos atacar?

- Nós temos que focar no mais forte no momento, os ataques de Marill não nos farão tão mal quanto os do Absol. – esclareço sem tirar os olhos da batalha a frente. - Use o Psíquico novamente e jogue Marill para longe.

- Absol Ataque Rápido. – Rato comanda objetivo.

- É a nossa chance, Houndour Double Team em volta do Absol. – mando em resposta.

- Marill rápido Surf no Houndour – Will intervém com um sorrisinho debochado. - Não achou que eu iria deixar você usar esse ataque.

- Kirlia Rápido use Disable no Marill – Lily manda nos surpreendendo. - Acho que você está esquecendo que eu também estou aqui. – Diz retribuindo o sorrisinho do pai. - Kirlia em seguida Hipnose.

Will fica abismado com a velocidade que Kirlia executa seus comandos, colocando Marill para dormir e o tirando de batalha.

- Eu não acredito nisso! – Ele grita inconformado. - Vai ficar de Castigo um mês!

Apesar da ameaça Lily ri do pai e mantem sua pose orgulhosa de si mesma.

Enquanto isso Absol começa a atacar os clones de Houndour usando sua velocidade.

- Houndour use Trovão.

Os clones de Houndour carregam e miram no centro onde Absol está localizado. Absol é acertado em cheio e vai a nocaute com a força do ataque.

- Viado! Como isso? – Gui exclama indignado chamando seu Absol de volta. - Um Houndour usando ataques de raio? Você está trapaceando. – Acusa irritado, mas sem desfazer sua pose despreocupada.  - Mas agora é que eu vou acabar com essa luta, - Ele me joga um sorrisinho mandando Milotic.

- Vamos querido!  - Will suspira pesado em cumplice com Gui ja mandando Clefairy.

- Ótimo, dois já foram faltam quatro. - Lily diz ao meu lado parecendo ansiosa. -  Até que fazemos uma bela dupla. – Ela me olha sorrindo e depois chama Kirlia e manda Jigglypuff.

- Sim. – Respondo sem jeito já voltando a atenção a luta. - Bom pelo menos agora não tenho tanta desvantagem, - chamo Houndour e mandando Growlithe.

O campo começa a se mexer abrindo uma piscina em volta e no centro do da pokebola de terra.

Um campo de adaptação aquática. – Penso ao observar aquilo.

- Não achou que iriamos soltar nosso trunfo de começo. - Gui fala olhando para Lily insinuativo. - Milotic mergulhe.

- Agora nós é que atacamos. – Concluo. - Growlithe Presa de fogo no Clefairy.

- Jigglypuff Hiper Voz na água – Lily se adianta.

Clefairy é acertada em cheio pela mordida de Growlithe que não á solta enquanto queima os seus braços.

- Milotic Cauda de Ferro do Jigglypuff.

- Clefairy use Metronome.

Os ataques ordenados simultaneamente entram em ação, Milotic acerta Jigglypuff de surpresa a jogando para cima de Growlithe e Clefairy que ao ativar seu ataque usa Explosão.

- Rápido Milotic pule na agua! – Rato se adianta em oredenar.

Com a explosão os três Pokémons vao a nocaute sobrando apenas Milotic em campo.

- Você ta louca William! - Gui o questiona eufórico para o marido ao seu lado. - Se nossos dois Pokémons tivessem sido acertados eles já teriam ganhado!

- Para de drama viado! – Will responde indiferente. - Eu sabia que que seu Milotic iria se desviar.

Gui fica o encarando irritado e incrédulo por um momento até suspirar derrotado.

Provavelmente não havia muita discussão entre aqueles dois.

- Droga, agora é tudo ou nada. – Falo em um pensamento alto. - Nicklaus eu conto com você amigo. -  digo baixo para minha pokebola antes de mandar o Charmeleon.

- Ora, Ora. Já que é assim... - Will manda Floette depois de nos encarar entretido.

- Então vamos usar o feitiço contra a feiticeira. – Gui diz rancoroso, mas com aquele típico sorrisinho para a filha mandado Kirlia.

- Ah! Então é assim? -  Lily exclama ofendida, mas reparei que era quase uma encenação. Ela manda seu Eevee.

A tenção era grande, o campo volta ao normal fechando aonde tinha água.

- Agora é minha vez de mostrar o que eu fiz com os seus amigos Rauni. – Lily me lança um olha presunçoso. -  Rápido Eevee use Dig.

Eevee começa a fazer muitos Buracos no chão. Levanto as sobrancelhas para ela, mas prefiro não responder.

- Charmeleon use Ember na Floette. – Mando rapidamente, seguindo o ritmo da minha parceira de batalha.

- Kirlia ataque Psíquico no Charmeleon, mire no Eevee. – Gui usa o mesmo ataque que Lily anteriormente. Ele parecia estar se divertindo e se vingando ao mesmo tempo, seu olhar estava quase em chamas.

- Espera, você já lutou com outra pessoa!?  - Will pergunta pra Lily indignado. - Então não tem para que pegarmos leve com você. – ele conclui ofendido antes mesmo dela responder. - Floette use MoonBlast no Eevee.

Eevee se desvia dos ataques dentro dos buracos enquanto Charmeleon tenta parar seu ataque.

- Rápido Eevee Misty Terrain. - Lily se apressa em comandar.

O campo começa a se cobrir de fumaça pelos buracos que Eevee fez no chão, ninguém consegue enxergar o que está havendo.

- Nicklaus rápido pule em um desses buracos! – Ordeno nervosamente.

- Kirlia vamos acabar com isso, use Teleport perto dos buracos, ache o Eevee e use Psíquico para tira-lo do buraco.

O teleport de Kirlia e muito rápido achando Eevee com facilidade e termina levitando Eevee.

- Rápido Floette use Light of Ruin. – Will manda com certa felicidade.

- Eevee não! - Lily grita desesperada ao ver seu Pokémon sendo acertado em cheio e caindo próxima de seus pés. – não, não, não... – ela murmura pegando o pequeno Pokémon no colo ao se agachar. – Tudo bem Lanna.

Lily disse acariciando seu Eevee com tristeza e Rauni pode ver que não era o único que amava tanto um Pokémon a ponto de colocar nomes neles.

Enquanto Lily se mantinha ajoelhada com sua amiga, tudo e todos pararam ao redor. Um silencio se formou, a luta parou e as conversas também. Todos chocados e comovidos olhavam para os dois quando um brilho se formou entre elas.

Me aproximei um passo sem evitar para conseguir ver melhor. Uma facha brilhante de um tom azulado, como se fosse cetim em uma fita de presente que saiu do coração do Pokemon Eevee e se enrolou no braço da Lily que olhou igualmente espantada, como todos ali.

Lanna se mexeu um pouco e olhou para Lily quase que sorrindo (se Pokémons pudessem sorrir) então começou a brilhar, azul como sua facha, igualmente forte e iluminado.

Enquanto o Pokémon brilhava cada vez mais podia-se ver mudando, fitas saíram dançantes por seu corpo e quando a luz diminuiu Lily estava com um Sylveon no colo.

Os olhos da menina brilharam e uma lagrima discreta correu seu rosto antes dela abraçar o Pokémon com vontade.

- aaah Lanna! – Disse contente.

O Pokémon evoluído soltou um chiado que parecia de felicidade.

Todos aplaudiram admirados com o evento que presenciaram e a tamanha beleza do pequeno Pokémon.

- Obrigada! - Lily agradecia com os olhos cheios de lagrima já se levantando e soltando Lanna. - Vamos ensina-los que com a gente ninguém se mete. – Ela sorri para os pais já se recompondo. - Sylveon Fairy Wind! -Lily comandava secando suas lagrimas e mudando sua feição.

- Não acha que isso vai adiantar alguma coisa acha minha filha? – Gui diz irônico, mas era obvio que estava comovido como todos.  - Kirlia Ataque Psíquico no ataque de Sylveon!

- Floette use MoonBlast em Sylveon.- Will se adianta em acompanhar o marido.

Floette ainda sente o coice do seu próprio ataque, mas trabalha simultaneamente com Kirlia para desabilitar Sylveon.

- Ei pessoal, só um aviso! - Chamei a atenção de todos para mostrar que eu ainda estava ali. - Nicklaus Flamethrower.

Os buracos que estavam no campo começam a esquentar e se levantam vários tufões de fogo. Kirlia que tentava controlar o ataque de Sylveon e pega de surpresa e perde o controle, o Fairy Wind de Sylveon que se envolve em chamas fazendo um pequeno Tufão ir em direção aos Pokémons adversários, o ataque de Floette só alimentava o poder de fogo que ia em sua direção.

- Isso! – Gritei em comemoração.

- Conseguimos, conseguimos. – Lily dava pulinhos e batia palminhas alegremente ao ver os Pokémons dos pais indo a nocaute.

- É Gui, parece que nossa garotinha cresceu.  – Will diz se aproximando do marido e colocando um braço em seu ombro apoiado.

Eles ficam olhando para nós pensativos antes de Gui suspirar.

- Eu preciso de um drink depois disso. – Ele diz se recompondo e Will ri se afastando.

- DJ Toca a batida! – Will grita para Tinho que começa a mexer em seus painéis e logo uma música eletrônica e alta começa a tocar.

Enquanto o campo ia sendo coberto por uma camada de ferro quando a pista voltava ao seu lugar, Will vinha em nossa direção.

- Parabéns! Vocês mereceram essas insígnias. – Ele diz alegremente e eu sabia que era por causa da filha. - Acredite eu não peguei leve nem por um segundo. – confessou antes de Lily pular em seu pescoço lhe dando um abraço e um beijo no rosto.

- Obrigada pai. – Agradeceu e ele sorriu para ela com afeto lhe dando uma insígnia.

Ela a olhou feliz e Will voltou-se para mim me dando uma.

- Parabéns Rauni. – Disse respeitoso.

- Obrigado. – Agradeci sincero.

- Então... – Rato chegou escandaloso e passou o braço pelo pescoço de Will lhe dando um copo com bebida e havia outro em sua outra mão. – Depois dessa derrota triste e linda ao mesmo tempo nós vamos beber!

- Você não sabe parar? – Tia Táta o olhou de canto. Rato revira os olhos.

- Você se importa? – Gui revida sarcástico e Will da nos ombros.

- Bom, fique à vontade Rauni, sei que é filho do Leorio. – Ele me diz e sorri quando pareço confuso já que não havia dito nada sobre aquilo. – Vocês se parecem bastante e também ele ligou mais cedo.

Assenti em concordância.

- É a cara dele fazer isso. – resmunguei e Gui riu.

- De qualquer forma você pode ficar por aqui hoje. Tem quartos sobrando lá em cima, Lily pode te mostrar. – Ele fez uma carata para si mesmo. – Mostrar e não ficar nele com você. – Ele se corrigiu e Will riu.

Lily ficou vermelha e eu tinha quase certeza que também estava, mas ignorei esta parte e agradeci.

- Obrigado, foi muito bom conhecer vocês.


Notas Finais


Para os que não conhecem todos os ataques ou se perdem vou deixar um link de um site onde vocês podem ver como são os ataques pelo nome ok?
espero que ajude.
;)

O que acharam desse capitulo?
ficou maior e mais completo. compensou o tempo sem postar. kkkkk

até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...