História Contrassenso - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ashley Benson, Chaz Somers, Justin Bieber, Khalil Sharieff, Pattie Mallette, Ryan Butler, Stella Maxwell
Personagens Ashley Benson, Chaz Somers, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Pattie Mallette, Personagens Originais, Ryan Butler, Stella Maxwell
Tags Amor, Anastacia Miller, Criminal, Família, Filho, Justin Bieber, Máfia, Policial, Traição, Vingança
Visualizações 206
Palavras 1.427
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, FemmeSlash, Festa, Hentai, Mistério, Policial, Romance e Novela, Slash, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


EU VOLTEEEEEEI, SERÁ QUE AINDA TEM ALGUÉM AI??
NOTAS FINAIS
NOTAS FINAIS
NOTAS FINAIS

Capítulo 12 - Sem calcinha


Fanfic / Fanfiction Contrassenso - Capítulo 12 - Sem calcinha

CAPÍTULO 12: Sem calcinha

— Entender eu entendi, mas eu não vou aceitar essa sua proposta.

Assim que Anastasia declarou sua posição eu senti meus músculos se contraíram pela tensão. Como assim ela não aceitou minha proposta? Aquela vadia não tinha onde cair morta e negou dois milhões de dólares!

— Não há nenhuma justificativa plausível para uma mãe solteira, sem teto e que não tem onde cair morta, negar receber dois milhõe!

— Para início de conversa, mãe não é estado civil. E a quantidade de dinheiro que eu tenho pode não ser tão absurda quanto à sua, mas sempre vivi muito bem obrigada. — Ela claramente estava furiosa. — E eu não te devo justificativa de nada, não é não é ponto.

Agora eu estava enfurecido. Como ela se atrevia a falar daquele modo comigo?! Fechei meus punhos e a fuzilei com o olhar: — Se voltar a falar nesse tom comigo, corto sua língua! Agora preste atenção no que vou te dizer, você vai aceitar por bem ou por mal, eu estou te dando duas opções você pode virar uma milionária — Determinei firme —  Ou você pode não ganhar nada, só perder — Falei me levantando e apontando minha arma para ela, que olhou assustada com olhos esbugalhados para a arma e depois para mim.

— Se me matar, como eu vou fazer o serviço? — Ela voltou a me desafiar. Eu odiava que me desafiassem, fazia parecer que eu não era capaz, por isso eu sempre me mostrava forte para todos.

— Esse tiro não vai ser pra você, princesa. Você tem uma família bem grande, tem amigos... E eu sou capaz de tudo, minha querida, pode apostar.

Ela trincou o maxilar e me olhou com dureza, ficou me encarando um tempo como se quisesse me fazer desistir: — Por favor, eu não quero. — Ela tenta apelar para o emocional, coitada, mal sabe que eu não tenho pena de ninguém.

Com um sorriso maldoso respondi firme: — Não.

— Já que eu não tenho escolha… — Ela responde olhando para baixo. — Mas eu quero uma garantia, que não vai fazer nada contra ninguém e que eu vou receber o dinheiro.

— Eu vou redigir um contrato — Informo.

— Só uma dúvida, quando eu vou receber esse dinheiro?

— No fim de tudo.

— Eu quero receber uma parte antes, eu acho justo que você me pague meio milhão adiantado. Assim eu sei que pelo menos isso eu terei com certeza.  — Ela pede, considerei a reivindicação dela justa e concordei. Em pouco tempo já tinha o documento em mãos. Ela leu o contrato umas três vezes e hesitou na hora de assinar, mas o fez.

Não pude conter a minha curiosidade e perguntei: — Como conheceu você o conheceu?

Anastacia estava claramente desconfortável com a minha pergunta, mas mesmo assim respondeu: — Tinhamos amigos em comum.

— E porque você tem tanto rancor dele, a ponto de dispensar dois milhões de dólares? — Voltei a questioná la.

Seus olhos focaram em um ponto fixo, seu nariz ficou vermelho e sua expressão era de dor. Sua resposta veio em um tom vacilante: — Isso é irrelevante.

— Nada que eu pergunto é irrelevante — Repreendo a de forma rude. — Mas isso pode ficar para outra hora, pode sair.

Anastacia se retira muda, e abre passagem para que os outro membros da equipe entrem. Acendo um charuto para aliviar um pouco a tensão, mas logo eu começo a passar a informação para todos: — Houve uma mudança repentina de planos e teremos que voltar mais cedo para Los Angeles, isso significa que a antiga casa do Giuseppe será atacada amanhã, Caitlin, você vai montar a equipe e ditar a estratégia, considere isso um teste. Preste bastante atenção no que precisa acontecer: todos daquela família devem morrer, a casa deve ser toda vasculhada para termos todas as informações sobre o novo território e informações adicionais que Giuseppe tinha sejam elas quais forem, em seguida que quero que a casa vá abaixo. Chaz continuará com vocês e depois vai me passar o relatório. Entendido?

— Perfeitamente.

— Outra notícia, aparentemente nosso querido Ian teve uma paixão pela Anastacia. Por tanto, ela vai se infiltrar na casa dele. Este é o motivo que eu vou voltar para casa daqui  a 4 horas. Ryan, você está responsável por avisar o piloto. Para finalizar, Caitlin as coisas aqui em Nova York tem que estar estabilizadas em uma semana. Se liga gatinha, você vai ter sete dias para fazer o que eu faria ou está fora. Entendeu?

— Pode ficar tranquilo, eu vou arrasar.

— Agora que tudo foi entendido, vamos logo, há muito trabalho a ser feito.

[...]

Anastacia Miller

Passei a noite em claro, eu estava tão nervosa, não podia acreditar que teria a infelicidade de encontrar Ian novamente. Chorei baixo dentro das cobertas, em uma tentativa falha de amenizar minha dor. Pior do que reencontra aquele traste, é saber que se ele descobrir o motivo da minha reaproximação repentina eu vou pro saco, mas se eu não me aproximar, meu filho é quem irá pagar.

 

Ouvi algumas batidas na porta. Sem me preocupar em disfarçar a cara de choro fui abri‑lá. Me deparei com Justin, ele estava bem sério, me olhou dos pés a cabeça como se avaliasse algo em mim.

— Posso ajudar senhor Bieber? — Perguntei com ignorância, ele pareceu achar graça no meu tom de voz.

— Vamos voltar para Los Angeles daqui a três horas, esteja pronta. — Ele avisou.

— Aham — Respondi com grosseria, mas ele continuou parado na minha frente — Mais alguma coisa? — Perguntei ainda com pose de brava.

— Gostei da calcinha. — Bieber respondeu com um sorriso sacana, chamando minha atenção para  parte inferior do meu corpo. Só então notei que a blusa estava embolada na calcinha, deixando minha roupa íntima à mostra. Não me senti intimidada e muito menos envergonhada, mesmo estando usando uma calcinha cheia de margaridas, a opinião do  meu chefe sobre mim não me preocupava.

— Quer que eu compre uma igual pra você? — Zombei.

— Você pode me dar essa. — Ele provocou. Fiquei alguns segundos sem reação, mas aí tive a melhor das ideias: ajeitei minha blusa e com todo cuidado para não deixar a bonequinha a mostra, tirei a calcinha e fiquei segurando na direção de Justin para ele pegar.

— Mais alguma coisa? — Perguntei já segurando a porta com a intenção de fechar. Ele me olhou como se não acreditasse no que eu tinha feito, então antes dele ter alguma reação, coloquei a calcinha nas mão dele e fechei a porta.

Um sorriso arteiro se formou nos meus lábios na mesma hora, e sem me preocupar se ele ia ouvir ou não, soltei uma gargalhada.

— Ai ai, tem que rir pra não chorar. — Falei sozinha começando a arrumar minhas coisas. Resolvi colocar um look bem sexy para ver a reação do senhor Bieber. Coloquei uma mini saia preta de couro,um body vermelho‑maçã decotado e por fim uma make básicona só com os cílios bem grandes e  um batom vermelho forte. Fiz umas ondas com a chapinha no cabelo e quando me olhei no espelho vi um espetáculo de mulher. Mas o mais importante é que eu estava sem calcinha.

Com tudo pronto, desci até a sala onde Justin e Ryan estavam conversando.

— Atrasei? — Perguntei apenas para chamar a atenção dele para o mulherão da porra que eu era. Justin só faltou babar, mas logo pegou o telefone e fingiu que eu não existia.

— Ta indo pra onde? — Ryan perguntou como quem dissesse que eu estava arrumada demais.

— Para Los Angeles, ou vocês mudaram de ideia de novo?

Ryan olhou para mim e para Justin, fez uma cara de desaprovação: — Anastácia, Anastácia, é melhor você parar com isso…

— Parar com o que? eu não to fazendo nada. — Respondi cínica.

— To te dando um conselho de amigo. — Ryan adverte em tom misterioso. Fui pro lado dele no sofá e disse baixo, só para ele ouvir.

— Vou te dar um conselho aqui, se você quer comer a Vanessa, melhor você fechar comigo.

— Da onde você tirou isso garota? — Ele perguntou alto e eu ri, deitando no resto do sofá deixando as pernas cruzadas no colo dele.

— Não nasci ontem, Butler. Além disso eu to super apoiando essa ideia, ela que ta de cu doce.

— Então desenrola ai. — Ele pede, me fazendo rir mais alto.

— Talvez eu pense no seu caso. Porque ainda não partimos?

— Porque a estrela não estava presente. — Mariah aparece com suas malas e Justin se levanta impaciente.

— Vamos logo. — Bieber determina com ignorância. Então todos vamos seguindo ele, entretanto antes de sairmos da mansão eu vou para o lado dele e sussuro: — Ainda estou sem calcinha. — Depois sigo na sua frente, sem esperar pela resposta.

 


Notas Finais


AI QUE SAUDADE DA PORRAAAAAAA
Mano, eu sou uma embuste mesmo, passei quase 5 FUCKING MESES SEM POSTAR
Gente, eu não tenho nem como justificar, resumindo em poucas palavras: escola, uma talvez quase depressão e falta de inspiração. Galera eu realmente tenho a fic toda planejada até o final, mas simplesmente estava com um bloquei que não me permitia escrever meia palavra. Eu sei que esse capítulo nem está tão bom, mas fé em Deus que sai capítulo novo até sexta (capítulo esse que vai ter o premio do desafio e estará FODA)
Mil desculpas do fundo do coração, eu amo vocês, amo essa fanfic, mas não estava dando para mim.
O capítulo será betado assim que possível, eu acabei de escrever nesse minuto, só revisei uma vez, vou revisar direitinho a noite e mandar para betagem. Beijinhos
Amo vocês.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...