História Contrato - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Mençao A Jikook, Menção A Namgi, Menção A Taejin, Namjin, Taekook, Vkook, Yoonmin
Exibições 92
Palavras 1.566
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi meu chapa

Capítulo 14 - Desabafo


Fanfic / Fanfiction Contrato - Capítulo 14 - Desabafo

Anna Clara P.O.V.





Peguei o celular de Hobi e disquei o número meio trêmula. Estava nervosa com o que diria e com o que teria como resposta, mas teria que pedir isso. Eu não podia deixar minha mãe controlar a situação do seu jeito, não mesmo. Não com ela. Eu já estava sofrendo demais por algo que nem era errado, não queria que ela chegasse a chorar por um deslize meu. Cliquei no botão de chamada e levei o celular à orelha, ouvindo aquele "tu tu tu" que parecia insuportável ao meu ponto de vista. Cada segundo que se arrastava antes que eu ouvisse sua voz do outro lado eram como horas. Aish, eu odiava ter problemas de ansiedade.

_ Alô?! Anna?!

_ Patrícia...

_ MAS QUE PORRA É ESSA GAROTA?! QUEM VOCÊ PENSA QUE É PRA PASSAR O DIA TODO SEM DAR AS CARAS, NÃO ATENDER MINHAS QUINHENTAS LIGAÇÕES E SÓ LIGAR ÁS ONZE DA MANHÃ?! - ela grita. Tudo bem... ela pode gritar assim comigo, está em seu direito de melhor amiga.

_ Aí são onze da manhã né... - falo baixinho e ouço mais gritos.

_ POR QUE TÁ FALANDO TÃO SUSSURRADO? DE QUEM É ESSE NÚMERO?

_ Calma, unnie, a história é longa demais. Você precisa me ouvir. Aqui já é meio tarde, esqueceu que são doze horas de diferença? E bom... Meu celular estragou e...

_ Como estragou?! Ah, você não está nada bem. - Patrícia diz e eu reviro os olhos.

_ Você e esse seu incrível poder de dizer o óbvio. - falo e ouço um suspirar do outro lado. - Eu vou ser rápida, ok? Minha mãe me ligou e...

_ Te falou um monte de merda sobre mandar a Samira pra Coreia pra humilhar ambas em público, te chamou de puta e disso e daquilo e falou um monte de porcaria sobre os gays? É eu sei. Foi por isso que te liguei, Anna. Claro, não só pra isso... - ela diz parecendo entediada e eu arregalo um pouco os meus olhos.

_ Como você soube?! - pergunto.

_ O Lucas... ele veio até minha casa com a Sara, ambos estavam chorando. - ela diz mais baixo e eu me sento na cama, recebendo um olhar mais atento de Hoseok.

_ O quê? - pergunto?

_ Parece que sua mãe vai te fazer uma visita. O Lucas me disse que a mãe de vocês estava batendo demais na Sara, porque a pequena estava pedindo pra te ver. Ele foi proteger a Sarinha, mas a mãe dele disse que precisava educá-la, pois "sua filha não seria simpatizante de viados". E você sabe que o Lucas...

_ Mano... - sussurro e coloco a mão na boca. - Cadê eles?

_ O Lucas foi falar com o Mateus. A Sara tá aqui do meu lado agora.

_ Passa pra ela, pelo amor de Deus! - peço e ouço um leve chiado. - Alô?

_ Anna! - a voz doce preenche meus ouvidos.

_ Sara... - choramingo e sinto uma lágrima escorrer no meu rosto, fazendo Hoseok estreitar os seus olhos ao me olhar.

_ Por que a mamãe me bateu? Sabe, eu só queria ser uma boa filha pra ela e uma boa irmã pro Lucão e pra você. E ela simplesmente me bateu! Por que ela é sempre tão fria? Eu sinto falta do amor dela, sinto falta da antiga Geni. Sinto falta dos puxões de orelha carinhosos que ela nos dava, mas agora, ela parece outra pessoa... o que tá havendo? - ela chora manhosa ao telefone.

_ É complicado, amor...

_ Ela é um monstro, Anna! Eu não quero voltar pra casa nunca mais. - ela diz e eu sinto meu chão ruir. Quando foi que a minha família começou a definhar?

_ Ela não deve estar por lá. Parece que ela está vindo atrás de mim.

_ Não! - ela grita fininho - Não deixa ela pegar você!

_ Vai ficar tudo bem meu amorzinho, eu prometo, ok? Passa o telefone pra Paty agora, tá?

_ Saranghaeyo, Anna. - ela diz pronunciando o coreano com leve dificuldade, me fazendo sorrir mais abertamente.

_ Saranghaeyo, princesa.

_ Anna, voltei. - Patrícia diz.

_ Quero que você adiante essa viagem cinco meses e venha pra Coreia no próximo mês.

_ Mas oi? Anna, eu não posso sair rodando bolsinha por Belo Horizonte. - ela diz, se referindo a crise.

_ Você nunca tem dinheiro. - sorrio. -  Que seja. Eu pago as passagens de vocês.

_ Vocês? E desde quando você tem tanro dinheiro assim? Uma passagem de ida pra Coreia custa um rim!

_ Essa é uma longa história, e sim, vocês. Sara, Lucas e você. Mas só daqui um mês. A partir de agora eu tenho um problema pra lidar, e esse problema se chama Geni. Unnie, eu preciso desligar.

_ Tudo bem, melhor eu parar de encher de perguntas senão vou ficar doidinha. - ouço um suspiro. - Arruma logo um celular - ela diz -, eu amo você.

_ Vou arrumar. Também te amo, unnie. - falo e desligo, me jogando na cama.

Hoseok que até então estava parado próximo a um armário, se aproximou cautelosamente de mim e se sentou ao meu lado, acariciando meus cabelos. Ele fez isso olhando nos meus olhos, sem quebrar o contato em momento algum, como se estivesse observando cada parte da minha alma.

_ Obrigada pelo celular, Hobi. - sorrio pequeno e fecho os meus olhos, mas percebo que seu olhar continua fixo em mim. - O que foi? - pergunto.

_ Você estava chorando de novo. Eu não entendi nada do que você estava dizendo mas tenho certeza de que era relacionado à sua mãe. A vinda dela pra cá pode ser mentira e...

_ Minha amiga confirmou tudo, ela realmente vem. - interrompo - Mas não é isso que está me ferindo, e sim o fato dela ter batido na minha irmã mais nova, a Sara. Ela apanhou por não ter preconceito, Hobie. - falo e faço um bico tentando não chorar.

_ O que vai fazer em relação à isso? - Hobi pergunta com nítida preocupação e eu suspiro.

_ Eu não sei ao certo. Preciso resolver uma coisa de cada vez, sabe? Eu não quero me precipitar e acabar por "resolver" meus problemas de forma errônea e irresponsável. Primeiro de tudo, eu preciso reunir os caquinhos do meu celular e comprar outro com urgência. Depois eu vou pensando no resto das merdas.

_ Eu posso ajudar você. - Hobi diz sério e eu me sento na cama encarando-o profundamente.

_ Anjo, você já tem coisas demais pra pensar, não acha? Eu aprecio muito sua ajuda, mas só a pedirei em caso de emergência.

_ Tudo bem então. - ele diz e me puxa pra um abraço. - Vamos dormir?

_ Uhum. - falo sorrindo e vou me trocar, pegando um pijama.

_ Vai mesmo se trocar na minha frente? - ele pergunta.

_ Você já me viu com menos que isso. - falo e mostro a língua pra ele, que ri, tampando os olhos.

_ Você deve adorar torturar seu hyung.

_ Você tortura milhares de A.R.M.Y.S. todos os dias! - falo e ele sorri pequeno.

_ Não sei não, unnie. - ele diz e eu vejo insegurança no seu olhar.

_ O quê?

_ Sabe... muitas vezes eu sou meio que excluído do círculo de carinho das fãs coreanas. Elas preferem os outros hyungs, em especial o Jeon e o Jimin. Eu queria que todas elas vissem nosso esforço pra agradá-las ao invés de um rostinho bonito e um ABS, mas infelizmente algumas são assim. Preferem beleza no lugar de talento.

_ Hoseok, você é um dos homens mais lindos de toda a Coreia. Eu não digo isso por ser uma J-Hope biased, não, digo porquê você é realmente muito bonito. Sabe, no Brasil a maioria das suas fãs são apaixonadas por coisas simples de cada um. A risada do Jin, as covinhas do Namjoon, os olhos de Jimin enquanto ele ri, a timidez de Jeon, a aparente ignorância de Yoongi, o sorriso quadrado do Tae, o seu aegyo e a forma como você se entrega enquanto dança... não só no Brasil, mas no mundo todo. - falo e ele parece meio emocionado. - Já sei! Amanhã irei mostrar à você uns vídeos que vão te deixar com uma puta autoestima. Sabe que tem inúmeros vídeos sobre você, né?

_ H-hein? Nunca parei pra procurar.

_ Iremos fazer um combo de "J-Hope Moments" amanhã. Afinal, é domingo, a gente vai claramente ficar boiando aqui.

_ Tudo bem. - ele diz e eu me deito ao lado dele, já de pijama. Fico de costas pra ele e fecho os olhos, preparando-me.

_ Obrigada por hoje, Hoseok. - falo com sinceridade. - Boa noite, fofura.

_ Boa noite, ruivinha. Ah - ele diz e sinto seu corpo mudar de posição. - Obrigado pelos elogios, unnie. - ele sussurra em meu ouvido me arrepiando. Sinto seu braço circular minha cintura e me puxar pra mais perto. E foi assim, de conchinha, que adormecemos e tivemos um sono tranquilo, onde minha mãe não existia, assim como minha ex ou as "armycão". Foi uma das melhores noites da minha vida, por ter um homem tão maravilhoso como Hoseok me abraçando, como se quisesse me proteger de tudo.


Notas Finais


Esse cap ficou curto mas CALMA que os próximos vão ser maiores e vai ter treta e muito lemon q

Até a próxima! ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...