História Contrato (HIATUS) - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Tags Contratos, Konohana, Konohanabi, Naruhina, Perseguição Passional
Visualizações 130
Palavras 3.578
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 21 - Ausente


Kono on:
Pode rir da minha cara, eu tô sim babando no catarrento em formação, ele é o meu catarrentinho! Isso deve ser praga da Mirai, mas, sei lá, eu acho que isso da Hanabi quase perder o bebê me fez ver o quanto eu gosto dele e também me fez ver que mais do que nunca eu tenho que trabalhar pra que ele tenha um bom futuro, ele vai ter um infância bem diferente da minha ou da mãe dele, ele não vai passar as mesmas dificuldades nunca, nada de trabalhar enquanto criança, ele vai ser uma criança bem alegre que só vai brincar e estudar muito, pra saber se cuidar sozinho e dar valor ao que construímos pra ele no futuro.
— Kono, vem jantar! – o jantar está com um cheiro delicioso, mas agora eu não posso comer.
— Não dá agora, Hanabi, eu acumulei muito trabalho, eu tenho que...
— Depois eu te ajudo, agora vem comer! – só vou porque ela não pode se alterar. Ela é linda, fica cada dia mais bonita, ela transmite uma luz, me dá uma paz...
— Amor, eu tenho que...
— Comer! - ela me deu uma garfada da deliciosa macarronada que fez mesmo sem poder fazer esforço, rindo depois que eu lhe roubei um selinho. Ela é toda simples, cuidadosa, eu tentei ao máximo passar esse jeito dela pro quartinho que eu fiz pro catarrento em formação, eu quero que ele sempre sinta esse amor dela, que ele tenha contato com esse jeito até enquanto esteja no quarto dormindo, e, pelo olhar tão maravilhado dela, eu consegui. Eu to em duvida ainda, nisso de o catarrento ter sido ou não um golpe, muito bem dado por sinal. Se for, eu gostaria de saber, não gosto de mentiras, mas eu não tenho como saber, a não ser... Bem, depois eu te conto, agora eu preciso dar atenção pra essa coisinha linda que me obrigou a desligar tudo e vir deitar com ela. Eu acabava que ela queria dormir, mas o que ela queria era outra coisa...
— Hanabi! – ela fica ainda mais sensual e fogosa gravida. – Você tá de repouso...
— Não to não, eu só não posso fazer esforço... – ela beijou meu pescoço, arranhou minha nuca e sussurrou no meu ouvido. – Mas você pode! – não deu pra resistir, quando eu fui ver, já tava com ela de lado, ela fica ainda mais gostosa grávida, ponto pro catarrento! – Kono...
— Gostosa! – beijei o pescoço dela e senti seu interior me apertar, com ela estremecendo. Ela é maravilhosa até gozando. Depois que terminamos, apertei o abraço, beijando sua bochecha com carinho e então me enterrando em seu pescoço. – Tá tudo bem com vocês? – ela virou pra mim, me abraçando e beijando cheia de felicidade. É impressionante o quanto ela consegue me contagiar com esse sorriso.
— Você se preocupa com a gente, nós dois, eu e o bebê? – tanto quantos os olhos dela brilham quando eu falo com carinho desse bebê.
— Você não sabe o quanto! – beijei sua testa e ela riu, se refugiando no meu peito, buscando carinho e eu vou dar. Essa gravidez dela me mudou, mexeu com um lado meu que eu nem sabia que existia. Sabe, eu sempre pensei que tinha que ficar rico, mas pra quem eu ia deixar isso tudo? Agora eu tenho o catarrento em formação, ele e a mãe dele, não importa se é por dinheiro, eu quero ter os dois ao meu lado sempre. Ela dormiu agarrada em mim, esse catarrento é muito agitado, mas é tão bom sentir ele ou ela... Eu não sei se quero um menino pra eu ensinar as coisas e ele me ajudar a tirar qualquer espertinho de perto da nossa Hanabi ou se quero uma menina linda como ela pra eu ficar babando e protegendo, só sei que eu quero esse bebê logo e que tenho que cuidar do futuro dele.
— Você vai trabalhar hoje? - ela perguntou meio chateada quando eu levantei da cama. Por mais que esses olhos e esse colo dela sejam tentadores, eu não posso ficar com eles, eu me ocupei muito com ela no hospital ou fazendo o quartinho do catarrento, me ausentei muito da Saru por isso. - Você vai me deixar sozinha? - não, não vou.
— Ô de casa! - minha irmã chegou, mandei o motorista pegar ela no aeroporto já que tenho uma esposa grávida pra botar no peito e dar carinho enquanto estou em casa, agora ela não vai estar mais sozinha. - DEUS, QUE BARRIGA LINDA, HANABI! - ela largou as malas e veio correndo abraçar a Hanabi, fazendo carinho no bebê. - Então esse é o meu sobrinho? Ou é sobrinha?
— Ainda não sabemos! - vou aproveitar que a minha mulher esta entretida com a minha irmã e sair depois de roubar um beijo dela.
— Ue, você vai trabalhar hoje? - alguém tem que pagar todas as contas, ora.
— Eu tenho que ir, maninha, cuida deles pra mim, ta? - beijei a bochecha dela, peguei minha pasta e sai antes que ela pudesse tacar as malas em mim, eu tenho muito trabalho e não vou ter tempo pra elas, mas que vou sentir falta eu vou.
Kono off

Eu pensei que o Kono fosse ficar comigo hoje, eu queria ele aqui comigo, mas bem, já que ele foi eu vou aproveitar pra falar mais com a Mirai.
— Você não sabe o quanto as nossas conversas me fizeram falta! - ela se afundou no sofá depois de me acomodar na poltrona vermelha que tem aqui, lá vem bomba! - Eu e a Mary, minha namorada, fomos pegas no flagra na biblioteca...
— Mas tanta gente se beija na bibliot... - a cara da sua cunhada de quem só tava beijando, Hanabi! Eu corei e ela riu.
— Sabe como é, né? Faculdade...
— Na verdade não, a minha primeira vez foi com o seu irmão... - ela deu uma gargalhada, batendo palma, e depois riu maliciosa.
— Konohamaru tirando a virgindade de alguem? Isso deve ter sido constrangedor! - só eu sei como! - Aliás, você nunca me contou como vocês se aproximaram... - que vergonha, Deus! Corei inteira só de lembrar daquele contrato, mas é a Mirai, ela é minha melhor amiga, e, também, se eu não falar pra alguém tudo desde o início, eu sinto que vou explodir! - Ih, pelo visto vou precisar de pipoca pra ouvir tudo... - hum, cheguei a salivar. Eu até ia ajudar ela a fazer, mas... - nada disso, o Kono me mata se você fizer esforço.
— Põe bastante Bacon, Mirai! - deu vontade, né, bebê? Bem, ela devorou a parte dela toda quase enquanto eu contava  e agora eu não sei onde enfiar a cara. - Deixa eu ver se eu entendi! Então armaram para você ser demitida, você precisava muito do emprego e por isso topou transar com o Kono...
— Ele topou transar comigo, foi diferente... - não posso deixar a Mirai pensando mal do irmão dela. - Mirai,  pelo amor de Deus eu só fiz isso por...
— Precisar muito e acabou se apaixonando pelo Kono de verdade, não por interesse... Isso está na sua cara! - ufa, ela me entendeu. - Hanabi, esse contrato foi de longe a melhor coisa que já aconteceu na vida do meu irmão! - ela disse acabando de comer e tocando a minha barriga. - Mas agora eu entendo o porquê dele estar ainda mais louco por trabalho...
— Como assim, Mirai? - ela respirou fundo.
— Bem ou mal, se não fosse o dinheiro do meu irmão, ele não teria você e muito menos esse bebê... - ei! - Eu sei que se você gostasse dele ele poderia ser um mendigo que você estaria com ele, mas não foi assim, na mente dele se ele não se dedicar à empresa ele vai perder tudo e esse tudo inclui você e o seu filho! - plausível.
— Mas assim ele pode perder as coisas mais importantes... - eu não quero que o Kono perca o meu quarto ou perca momentos do bebê, como os primeiros passos ou palavras, por causa de trabalho. - Eu tive alta ontem e hoje ele já se enfurnou na Saru, depois de passar o dia todo no computador ontem...
— E você fica chateada... - lógico! - Nessas horas eu fico feliz por fazer a minha menstruação e a da Mary de problema conjugal. - ela tem as piores horas para esse tipo de comentário. - Ele já chegou a dormir na Saru, eu o achei caído sobre o computador e, acredite se quiser, assim que ele acordou ele voltou a fazer planilhas e contas. - DEUS! - Ele era bem pior nessa questão, mudou muito depois de vocês...
— Só falta ele ficar pior por causa do "futuro do bebê"...
— Ele vai! - merda! - Mas calma, quando ele pegar o filho de vocês no colo ele não vai querer soltar mais! - Eu acredito.
— Eu tô tão feliz dele estar se apegando ao bebê,  Mirai... - minha barriga com carinho, esse bebê é o meu chão.
— vocês são justamente o que o meu irmão precisava na vida: uma família! - será? - O Kono sempre esteve perdido na vida, Hanabi, mais isso aqui... - ela disse tocando a minha barriga, rindo quando o bebê mexeu pra ela. - Isso aqui enche a vida do Kono!
— Você acha? - perguntei esperançosa e ela sorriu olhando para porta, onde eu pude ver o Kono com um urso de pelúcia gigante nos braços rindo para mim.
— Eu vi numa loja e achei que você ia gostar pro nosso bebê, por isso o trouxe assim que comprei! - que lindo!
— Tá vendo como eu tenho razão? - tô sim e tô achando incrível. - Agora ele não vai mais ficar enfurnado na Saru porque agora ele tem pra quem voltar!

Kono on:
Eu não tô me reconhecendo, eu tava voltando de uma reunião em uma loja de artigos infantis, ter um filho me fez pensar em ter uma linha de roupas para crianças, que eu não tinha antes, e, puta que pariu, como isso é rentável! Mais um ponto do catarrento... Mas enfim, quando eu fechei o negócio é decidi voltar para Saru, eu vi esse urso e na hora quis trazer para ela, ver ela agarrada nele com tanto carinho, eu vi que valeu a pena voltar.
— É lindo, Kono! - esse sorriso, eu faço de tudo para poder voltar para casa e ver esse sorriso. - Ah, Mirai, eu ainda não te mostrei o quartinho que o Kono fez pro bebê... - ela puxou a gente pelo braço, arrastando até o quarto do bebê, e, sabe, esse brilho nos olhos dela quando ela entra aqui me conquista.
— Você fez isso? - é, eu fiz! Minha mulher abraçou o urso e o colocou no chão se acomodando nele com a ajuda da minha irmã, o urso engoliu ela inteira quase e ela parece gostar disso.
— Da até pra amamentar nele... - eu vou babar muito neles nessa fase, já tô babando agora.
— Quer um babador? - quero! Olha que coisa mais linda essa mulher! - Hanabi, você está uma grávida linda!
— Eu vivo dizendo isso para ela! - ela é tudo para mim de todos os negócios que eu já fiz na minha vida o contrato com a Hanabi foi o melhor.
— Acho que ela dormiu... - é, ela anda muito cansada.
— Kono... - ela é fascinante! Peguei ela no colo e levei pra minha cama, ela é a mais bela que já esteve aqui e também é a mais especial.
— Eu te amo... - beijei sua testa e acomodei melhor, agora eu tenho que ir.
— Você não vai ficar com ela? - minha irmã perguntou indignada.
— Eu preciso voltar a trabalhar , tenho um filho a caminho, não posso descuidar daquilo que vai ser dele do futuro. - ela negou com a cabeça, cruzando os braços.
— Ela vai ficar chateada! - eu sei mas eu preciso ir. - Eu sei que você tem medo de perder a sua fortuna, Kono, mas cuidado para não acabar perdendo o que você tem de mais valioso. - não entendi nada, mas deixa pra lá, não tenho mais tempo pra discutir com a minha irmã ou pra ficar admirando a beleza da minha mulher. Olha pra essa empresa gigantesca, tudo isso vai ser do meu catarrentinho e eu preciso cuidar muito bem disso tudo pra ele, mas, agora, tudo o que eu preciso fazer é fingir que eu fiz merda e posso perder tudo, não vou aguentar mais um segundo dessa duvida que a Moegi colocou na minha cabeça. O Kakashi vai me ajudar a fingir que me roubaram bastante dinheiro e que eu corro o risco de entrar em falência por causa disso. Eu preciso saber se ela ficaria comigo se eu ficasse pobre.
— Já está tudo pronto, diga que fechou entrega milionária e a carga foi toda roubada e complete dizendo que o senhor não a pôs no seguro. - ótimo, vai ficar bem real porque, se isso um dia acontecesse de verdade, eu estaria falido. - Só tenha cuidado para que ela não se altere! - tudo o que eu não quero.
— Pode deixar! - o cansaço de um dia de intermináveis reuniões como foi o de hoje se resume a pó quando vejo o sorriso dela, mas cadê o meu sorriso favorito? - Boa noite pra você também! - ela não tá olhando na minha cara. - O que foi que eu fiz?
— Você sabe muito bem o que fez, aliás, o que não fez! - Mirai, pelo amor de Deus, me ajuda.
— Eu disse que ela ia ficar chateada. - merda! - Bem, se me dão licença, agora eu tenho um encontro...
— Aliás, Mirai, quando vamos conhecer seu misterioso namorado? - fico até preocupado, ela sempre fica nervosa quando toco nesse assunto, sempre me esconde esse relacionamento, as vezes penso que ela namora uma... Não, isso não!
— Se preocupe menos com a vida da sua irmã e mais em ficar em casa comigo e o seu filho! - lá vem DR. Bem, é melhor a Mirai sair mesmo, assim posso fazer esse teste sem que ela perceba. - Porque me deixou sozinha? Eu queria você comigo...
— É que eu tô com um problemão, amor... - fiz o desesperado e ela já me abraçou, sentando ao meu lado, alisando minhas costas. - Roubaram uma carga milionária, meu amor, e eu esqueci de assegurar... - ela já se impressionou. - Isso pode me levar à falência! - só de imaginar eu chorei e ela secou as minhas lágrimas.
— Ei, calma, assim como você subiu, você vai se levantar. Mesmo que você perca tudo... - ela segurou na minha mão e olhou nos meus olhos. - Eu e o bebê vamos lutar com você pra que nada venha a nos faltar. - ela fala isso com uma verdade no olhar que me encanta. - Olha, nem que eu vire a noite costurando ou fazendo qualquer outra coisa, eu vou te ajudar! - abracei ela, eu juro que nunca mais desconfio dela na vida. - Já deu queixa?
— Já, espero que encontrem tudo. - eu estou me sentindo culpado por ter desconfiado dela, eu não a mereço, mas tirei a sorte grande de tê-la ao meu lado.
— Vai dar tudo certo! - esse é o meu  sorriso. - Agora, vai tomar banho, eu vou pôr o seu j...
— Hanabi! - ela ficou tonta e quase caiu, por isso eu a ajudei a sentar no sofá. - Você tá bem? - ela pôs a mão na testa.
— Só um pouco tonta, amor... - essa gravidez é tão instável que me preocupa.
— Descansa enquanto eu tomo banho e depois eu ponho o nosso jantar. - ela precisa descansar para o nosso bebê nascer bem. Quando nos deitamos eu pude ver o quão inchados e fofinhos estão os pés dela, aliás, ela toda!
— Para de me apertar! - não dá, é irresistível.
— Hanabi, você tá fofinha e eu vou te apertar. - ela riu, toda fofinha e eu a apertei inteira. Se ela está assim, imagina o catarrento? Ah, eu vou morder ele todo!
— Babão! - sou mesmo, olha essa coisinha linda, ela é o amor da minha vida, um amor gordinho e fofinho que eu vou apertar.
— Minha gravidinha linda! - a abracei com carinho, colando nossas bochechas e ela sorriu.
— Vou sentir saudade desse carinho quando o bebê nascer... - não precisa.
— Eu vou babar em vocês dois! - a pus no peito, beijando o topo de sua cabeça enquanto a grudo em mim, com ela me olhando encantada enquanto eu acaricio sua bochecha. - Eu amo vocês! - ela me beijou, pondo minha mão em sua barriga, uma das cenas mais lindas que já vi na vida.
— Nós também te amamos! - a paz que isso me dá nem toda a minha fortuna é capaz de comprar. A Hanabi mudou a minha vida, ela e o catarrento em formação que vai nascer prematuro e isso tá me angustiando. E se... Não, eu já perdi meus pais, não ia aguentar perder eles também. A abracei forte, beijando sua testa enquanto ela dorme em meu peito, ela me conquistou de um jeito que ela usa não consigo nem imaginar como vai ser caso eu a perca,  eu já não vivo sem a Hanabi ou sem essa criança. Ainda tô me sentindo culpado por ter desconfiado dela, as vezes me imagino pobre em um casebre tendo ela ao meu lado, me apoiando apesar de tudo, dizendo que tudo vai dar certo, mas ainda bem que são apenas devaneios, imagina depender do serviço público com uma gravidez de extremo risco como a da Hanabi? Não, ela vai ter o melhor tratamento possível, nada de mal vai acontecer com ela ou com o nosso filho... Aí que susto, catarrento em formação! Ela chegou a gemer de dor de tão forte que foi esse chute.
— Não machuca a sua mãe, bebê, ela te ama muito... - eu tô falando com uma barriga? Que loucura, mas também, eu falo com lápides de cemitério, né? Abracei minha mulher de cochicha, me afundando em seu pescoço e pondo as mãos em sua barriga, ter essa mulher ao meu lado é maravilhoso e, porra, eu sou o sortudo que vai ter uma família com ela, tenho que dar o meu melhor por eles.
Kono off

Quando eu acordei, o Kono não estava mais comigo na cama, isso me deixa tão triste... Custava me esperar acordar pra me dar um beijo de bom dia? No lugar dele tinha um bilhetinho e uma rosa: "fui trabalhar, você é fascinante dormindo, espero que goste da flor!" Foda-se a flor, eu queria o meu homem ao meu lado! Porque o Kono acha que compensa as faltas e erros dele me dando presentes?
— Hanabi? - a Mirai entrou trazendo uma bandeja com meu café da manhã e uma caixa de lenços de papel. - Toma!
— Obrigada! - disse chorosa com ela tentando me acalmar. Só ela me entende...
— Eu nunca vou entender o Kono, ele fala que quer dar o melhor dele pra você e o bebê mas não é capaz de ficar com vocês...
— O Kono acha que se faz presente dando presente! - eu não quero essa rosa, o perfume dela pode ser maravilhoso, mas eu prefiro sentir o cheiro do pai do meu filho perto de mim. - Por que ele saiu tão cedo?
— Ele disse que tinha que preparar algumas coisas sobre uma carga... - ah, a carga roubada. - Mas ainda assim não justifica!
— Óbvio que não! - eu pensei que fôssemos um pouquinho mais importantes que a Saru pra ele. - Eu queria a companhia dele! - chorei de novo e novamente ela me acalmou.
— Ei, calma, cuidado com o meu sobrinho... - ela tem razão, chorar vai prejudicar o bebê. - Foi mesmo o Kono que fez aquele quartinho sozinho? - assenti enquanto limpava as lágrimas.
— Ele foi um fofo, né? - ela riu.
— Como eu esperava que fosse, o Kono vai ser muito apegado no filho de vocês. - pra quem não queria ser pai... - Mas agora me diz, como assim a sua irmã te renegou? - as lágrimas voltaram a molhar meus olhos.
— Ela descobriu tudo por causa da Moegi... - aquela mulher destruiu a minha vida. - Ela não me atende, não responde minhas mensagens, veio aqui e deu na minha cara, gritou que eu era uma prostituta e disse que eu não era mais uma Hyuuga, que eles tinham nojo de mim... - dói lembrar disso tudo. - Eu quase perdi o meu bebê! - por pouco não perdi a única família que né restou. - Eu fiz tudo por ela, pelos meus sobrinhos, pelo papai, mas ela não me deixou nem explicar nada, se não fosse o Kono ela teria me batido grávida, e um teria perdido o meu bebêzinho... - chorei no colo da Mirai. - Passei um mês no hospital por causa dela em observação...
— Se não quer voltar pra lá, melhor parar de chorar, está bem? - assenti enquanto e ela riu. - Bem, eu preciso te agradecer por ontem, imagina se o Kono me faz falar sobre a Mary?
— Quem é Mary? - K-k-konohamaru? Ele não estava na empresa? O que ele tá fazendo na porta? - Vai, fala, quem é Mary e o que de mal tem em eu saber sobre ela?


Notas Finais


Tá pra nascer homem mais chegado num vacilo que Sarutobi Konohamaru, custa ficar um pouco com a mulher? Bem, pior que ele chegou em péssima hora, será que é agora que ele descobre sobre a irma? O que acharam? Espero comentários, beijos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...