História Contratos Masoquistas - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Exibições 7
Palavras 1.787
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Lemon, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Self Inserction, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Minha primeira Fanfic aqui no Social Spirtit, espero que gostem. Boa leitura *-*

Capítulo 1 - Envolvendo


Fanfic / Fanfiction Contratos Masoquistas - Capítulo 1 - Envolvendo


Já estou aqui a uma semana, na mansão do Jeon JungKook — meu chefe —, mal nos vemos pela rotina dele de trabalho ou sujeiras só falta duas semanas para o tempo do contrato acabar, e finalmente não terei que fingir ser esposa dele, apenas duas semanas para acabar com esse teatro ridículo, porém útil, com o dinheiro que vou receber poderei pagar o tratamento da minha mãe além de poder quitar a dívida que meu pai fez enquanto estava vivo e, acabou deixando para eu pagar, vivia recebendo mensagens de ameaça do agiota a quem ele devia. Enfim apenas uma semana para esse pesadelo, ‘flash’s’, acabar.
Visto uma calça jeans preta, uma blusa curta da mesma cor, um vamos vermelho e um gorro da mesma cor. Desço para tomar café. Ao chegar na sala vejo Irene adentrando no ambiente, estava prestes a passar direto para a sala de jantar. Mas a varia não iria deixar de me alfinetar.

— Bom dia, putinha disfarçada.. — a voz de Irene soa debochada, com um sorrisinho de canto sarcástico que eu adoraria tirar, porém não iria me rebaixar a tal situação.

Ela é a namorada secreta de Jeon JungKook, ele não pode aparecer em público com ela, pois é conhecida por toda Seul pela sua fama de “dama do crime”, com o rosto estampado em capas de diversas revistas e jornais, sempre vem para casa de JungKook disfarçada. Jeon JungKook faz suas sujeiras mas nunca fora descoberto pela mídia.

— Bom dia, para quem é segunda opção — retruco irônica mesmo não rolando nada entre eu e o JungKook, dormimos em quartos separados. Um sorriso se forma em meus lábios, com um sentimento de vitória após essa resposta.

— Ainda bem que só falta duas semanas para você virar uma fumaça, sumir de uma vez por todas daqui, vadia — Irene fala e se retira, antes de dá às costas ela me lançou um olhar fuzilante e mais um de seus sorrisinhos debochados.

Aish como eu queria arrancar os cabelos dessa vaca mau amada. Finco a mesma subir para o segundo andar onde se concentra a maioria dos quartos — principalmente o de JungKook —, creio que ela vai pro quarto dele, aleluia um pouco de paz.
Ando até a mesa, paro em frente à mesma, e observo toda comida ali presente, totalmente desnecessário apenas para uma pessoa, coloco um pouco de suco no copo, viro o mesmo assim bebendo todo o líquido, coloco o copo vazio sobre a mesa e pego uma maçã me retirando. Meu celular vibra durante o percurso de saída da mansão: para o jardim, único lugar que me faz refletir nessa casa e me trás paz. Uma mensagem do Jimin.

“Vamos sair, tô aqui embaixo”

Ah finalmente irei sair dessa casa por algumas horas, vou até o estacionamento e, quando vejo o Jimin abraço-o. Ele é um dos amigos e sócios de JungKook.

— Gata como sempre — ele sorri sem maldade, sem malícia, isso é o que me surpreende vindo de um dos amigos do Jeon.

— Obrigada — sorri de volta — Para onde vamos? — indago empolgada. Abro a porta lateral do banco do passageiro e entro no automóvel do Jimin, ele faz o mesmo.

— É segredo — ele pisca pra mim e acelera.

Jimin é obrigado a parar o carro por um dos brutamontes de JungKook: segurança.

— Sr. Park, não tem permissão para tirar a srta. Sulli da mansão — o segurança fala autoritário.

— Pode deixar eu me entendo com o JungKook depois, não se preocupe — Jimin arranca o carro em alta velocidade deixando o segurança para trás.

Um embrulho toma a forma do meu estômago, mas logo depois de está bem longe da mansão se desmancha me proporcionando alívio.
Abro a janela dianteira do carro, a brisa suave passa pelo meu rosto, já estou farta de olhar para as paredes daquela mansão.

— JungKook vai nos matar — digo rindo da situação, mas na verdade é apenas nervoso.

— Já disse, me entendo com ele, ok? Não se preocupe, aproveita — ele fala me tranquilizando, ele é tão gentil e bom pra mim, bem diferente de Yoongi e JungKook.

[...]

Jimin me leva até um penhasco com uma vista maravilhosa fico admirando à vista.

— Gostou? — Jimin questiona de olhos fechados com o rosto erguido provavelmente para sentir o vento passar.

— Aqui é lindo — digo admirada.
Após sairmos do penhasco, vamos até uma cafeteria comer alguma coisa.

— O que quer? — o moreno pergunta.

— Um milk shake de chocolate e um hambúrguer — falo dando o cardápio de volta para a garçonete.

Jimin e a garçonete trocam olhares nada discretos, sorri de canto maliciosa.

— Ya! O que vai querer? — indago fazendo-o despertar de quaisquer tipo de pensamento que estivesse tendo enquanto admirava a garçonete ali parada, o mesmo toma um susto.

— Aigoo...o mesmo que você — ele devolve o cardápio para a garçonete assim tirando os olhos de cima dela.

Fico rindo sem parar da cara de bobão dele.

— Aish, o que foi? — Jimin me olha confuso, me fazendo ri ainda mais. Paro quando o celular dele toca.

~ Ligação ~

— Eu vou receber as cargas internacionais.
— Ok, valeu.

Jimin guarda o celular. Já até sei do que se trata essa ligação, só pode ser droga, é uma pena o Jimin ser pau mandado do JungKook.

××× JungKook Pov's ×××

Concluí todos os trabalhos. Só falta o Jimin resolver os dele, onde aquele filho da mãe se meteu, liguei inúmeras vezes e ele não atende. Termino de arrumar uns documentos sobre a minha mesa.
Pego a chave do carro e caminho até a saída, mas Yoongi entra puxando fôlego para o pulmão, até parece que viu um fantasma.

— Jung-Ko-ok a Sulli...

— Fala logo caralho, o que aconteceu com a Sulli? — fico preocupado até por que tudo que acontecer com essa vadia vai ser culpa minha, pois tem uma cláusula no contrato informando que  enquanto essa palhaçada for válida vou ser responsável por tudo que acontecer com ela.

— Calma...ela tá bem, mas olha isso — Yoongi me deu o celular dele e, quando liguei a tela, várias fotos dela e Jimin juntos em uma cafeteria comecei a ler a reportagem do site.

“O acionista da Bighit Park Ji-Min e Sulli Suk esposa de JungKook dono da empresa, foram vistos hoje na cafeteria “LA” localizada em uma das ruas mais prestigiadas de Seul. Será um possível encontro?”

— Eu vou matar os dois agora! — falo jogando o celular de Yoongi contra o seu peitoral, saio apressado como um flash.

— JungKook caralho fica calmo, não vai fazer besteira cara, vai nos prejudicar e se prejudicar — Yoongi tenta me parar segurando o meu braço, olho pra ele tipo “se você não me soltar vou acabar com a sua raça também”, ele capta o olhar e solta o meu braço suspirando pesadamente com um reviro súbito de olhos.

Entro no carro, bato a porta com tanta força que poderia arrancá-la. Arranco o carro.
Ao chegar, paro o carro no portão para falar com o segurança.

— Me avise quando a srta. Sulli chegar! — ordeno ele assente.

[...]

Ao entrar na sala me deparo com várias malas, uma voz conhecida soa no ambiente.

— Olha quem chegou, filho — a voz é da minha mãe.

— Ah não...droga — sussurro baixo antes de tirar os olhos de todas as malas e fitar a minha mãe à frente. Levanto o olhar para ela.

— Ah.. Não está feliz em me ver? — ela questiona dando um beijo em minha testa.

Ela não sabe com o que eu trabalho, apenas que dirigo a empresa que era do meu pai, mas tudo é apenas faixada, assim como o meu “casamento”.

— Tô sim mãe, só estou cansado, vou para o meu quarto — falo me dirigindo à escada.

— Estou indo para o shopping, me liga qualquer coisa — ela fala alto para que eu possa ouvir já no andar de cima, espero que demore a noite toda fazendo compras, por que aturar a senhora Le além de ser uma tarefa difícil me deixa extremamente exausto.

Entro no meu quarto, vou direto para o banheiro, tiro a roupa, tomo um banho demorado. Visto um roupão e vou até o closet, tiro o roupão, visto uma box vermelha e uma calça moletom cinza.

××× Sulli Pov's ×××

Jimin me deixa no portão de casa, já que teria uns assuntos para tratar muito importantes. Ele deposita um beijo na minha testa e sai apressado.

Entro em casa e a sala está totalmente cheia de malas.

Que estranho — penso.

Subo para o meu quarto, mas antes de adentrar no mesmo, paro em frente à porta, quando a porta do Jeon se abre, Jungkook sai do quarto dele — em frente ao meu —, e me empurra contra a porta.

— Quem você tá pensando que eu sou hein? — ele pergunta irritado, aproximando  nossos corpos.

— Se afasta de mim — digo indignada, sem entender o porquê da pergunta dele.

— Pelo visto não sabe. Vou te mostrar agora quem eu sou — JungKook segura o meu punho com força e sai me puxando para dentro de seu quarto, ele me joga com bastante força no chão e se direciona até à porta para trancá-la, após se certificar de que estava realmente trancada ele vem até mim, me puxa do chão ainda pelo punho — já vermelho —, e me joga na cama, em seguida caminha até o closet.

— Hoje você vai receber um castigo — ele fala saindo do closet com duas gravatas na mão, sobe em cima de mim.

— O que está fazendo? Eu não fiz nada, sai de cima de mim — falo entre dentes.

JungKook por sua vez, me ignora e estica meus punhos para cima da cabeceira da cama e, as amarra com força.

— Me solta JungKook! — ele sai de cima de mim com um sorrisinho sarcástico.

— Você vai dormir aqui hoje, esposa — JungKook sorri malicioso.

— Eu vou te matar dormindo garoto — falo entre dentes.

Ele tira a calça moletom que vestia e se deita apenas de box do meu lado. JungKook é um grosso, idiota, filho da mãe, mas tenho que admitir que ele é gostoso. Ele aproxima os lábios até o meu ouvido, me fazendo ficar arrepiada.

— Vou pagar para ver você me matar — ele sussurra em meu ouvido, sinto sua respiração quente se afastar.
Ele se vira e vai dormir, filho da... Aish, após alguns minutos acabo apagando.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...